Connect with us

Empregos

Entrevista de emprego, saiba como se comportar

Published

on

Entrevista de emprego

Saiba como se comportar adequadamente numa entrevista de emprego. Como se apresentar, o que vestir? o que levar? o que responder? Tudo que precisa saber para deixar uma boa impressão e conquistar a tão desejada vaga de emprego.

Comportamento durante a entrevista de emprego

Como se comportar numa entrevista de emprego? Essa é sem dúvida uma das maiores preocupações dos candidatos a empregos, por esse motivo iremos abordar os principais temas relacionados a essa questão.

  1. Prepare-se adequadamente para a entrevista.
  2. Sinta o ambiente, observe atentamente e “sintonize-se”.
  3. Seja empático e ativo.
  4. Deixe o entrevistador estabelecer as regras do jogo da entrevista.
  5. Adote uma postura aberta, espontânea e tenha atitudes positivas.
  6. Procure descobrir as expectativas do entrevistador.
  7. Dê informações adequadas ao entrevistador.
  8. Cuide do conteúdo da entrevista.
  9. Busque superar os obstáculos para que a entrevista flua produtivamente

Há algumas regras básicas de conduta que você deve ter durante a entrevista, não importando de que tipo ou em que momento esteja acontecendo. Essas regras não configuram um roteiro rígido, já que algumas das fases da entrevista poderão não ser desenvolvidas, ou mesmo repetidas em outra ordem.

O que importa aqui é sua postura de candidato diante do entrevistador, a relação que você deve estabelecer com ele e a empresa.

Entrevista de empregoAbra-se

A primeira impressão pode não ser definitiva, mas ela é fundamental. Entre para entrevista aberto, pronto a “abraçar” seu entrevistador, a participar com ele.

Procure deixar de lado todas as suas concepções e conceitos prévios. Não coloque barreiras ao entrevistador ou à entrevista.

Procure demonstrar confiança e disposição. Elas se manifestam desde sua postura física até seu tom de voz. Também o aperto de mão é muito importante. Desde que o entrevistador estenda a mão dele! (é delicado e educado você estendes a sua)

Mão úmida é sinal de nervosismo, portanto, você deve tentar se acalmar antes da entrevista. Lembre-se: chegue sempre pelo menos com 15 minutos de antecedência para se ambientar, se acalmar…

De qualquer forma a maior parte dos entrevistadores sabe que a situação de entrevista gera um pouco de nervosismo e, portanto, ele não se surpreenderá com a “mão úmida”.

Contudo, também o modo como é dado o aperto de mão é importante: deve ser firme, educado, sugerindo segurança e polidez.

Sente-se apenas após a indicação ou o convite do entrevistador e assuma uma postura ao mesmo tempo relaxada e contida.

Não cause a impressão de uma estátua ou robô sentado. Lembre-se de como você se comporta quando está na casa de alguém pela primeira vez. Esta postura social é suficientemente adequada.

Todos estes fatores são importantes, mas o mais importante neste momento em termos da relação indivíduo/indivíduo é como você estabelece essa relação, em termos de sua disposição interior.

Assim, colocar o entrevistador num pedestal (o chamado efeito “terra de gigantes”, quando você se sente como um anão) ou mesmo considerá-lo inferior (também conhecido por “subir nos saltos”), são posturas que criarão inúmeras barreiras entre você e ele.

“Seja objetivo e verdadeiro em suas ações”.

Não importa que tipo de pessoa ele seja, você deve assumir uma postura relacional que possibilite a troca de informações, ou seja, uma postura profissional, de igual para igual.

Lembre-se, são dois profissionais selecionando. Você está escolhendo uma empresa e um cargo, e o entrevistador está selecionando profissionais e perfis.

Perceba as necessidades do entrevistador

Após os momentos iniciais, a entrevista propriamente dita está em curso. Cabe agora a você participar dela como um elemento ativo. Primeiramente, nunca se limite a ser um “respondedor de perguntas”.

Suponha que seu entrevistador inicie como uma pergunta tradicional do tipo: “Fale um pouco de você”.

O normal é imaginar que ele queira saber alguma coisa sobre seu histórico profissional, mas nada garante isso e mesmo que você imagine ser este o objetivo, de que forma você deveria responder ?

Tradicionalmente o que se espera é um resumo de seu histórico recente e algumas informações sobre seu perfil.

Mas você também pode optar por fazer uma pergunta específica: “O Sr. gostaria que eu falasse mais especificamente sobre minhas últimas realizações profissionais?” pode ser uma forma de pedir um caminho para sua resposta, ainda que aparentemente seja apenas uma pergunta em resposta a outra.

A essência desta abordagem deve ser: “Diga por onde quer eu vá, que eu seguirei sua orientação”. Ou seja, ao mesmo tempo que você se coloca disposto a responder as indagações do entrevistador, também se mostra preocupado em objetivar suas respostas. Mas para tanto é preciso avaliar o estilo do entrevistador, identificando se ele está aberto à questões.

Isto fica fácil de entender se imaginarmos uma situação assim:

– após os momentos iniciais o entrevistador fornece algumas informações sobre a entrevista, os motivos de você ter sido chamado, algumas características da empresa etc.

– a partir destas informações ele faz alguma questão específica sobre algum aspecto de seu currículo, por exemplo:

“Pelo seu currículo, parece que você ainda não teve nenhuma experiência muito longa com cargos gerenciais, não?

Como você pretende desempenhar suas funções de gerente caso você venha a ser admitido por nós? ”

– você deve procurar responder diretamente a questão, uma vez que já há dados suficientes sobre as necessidades do entrevistador e da empresa e até mesmo sobre a linha que ele pretende seguir.

Informe bem

Esta fase indica o momento (ou momentos) em que você deve transformar a relação de entrevista numa fonte de informações sobre você de modo que, para cada pergunta, sua resposta deve conter uma informação que atenda diretamente às necessidades do entrevistador, além de propiciar uma visão de seu passado profissional.

A maior parte dos candidatos, quando perguntados, costumam fazer longas explanações sobre os assuntos.

Responda com objetividade, clareza e precisão.

Por exemplo: No meio de uma entrevista uma pergunta do tipo: “Quais são suas prioridades pessoais ?”,normalmente deve ter sido gerada por uma soma de informações que foram trocadas entre você e seu entrevistador, de modo que a resposta não é simplesmente listar suas prioridades, mas sim relacioná-las tanto ao que você já descreveu até aquele momento, quanto com as prováveis necessidades inerentes ao cargo em questão.

Com este tipo de atitude a entrevista deixa de ser simplesmente uma relação de perguntador / respondedor para se transformar num diálogo mais rico e profundo de cunho profissional.

Vejamos agora que tipo de informações você precisa ter em mente e que serão importantes durante a entrevista.

Há algumas informações tradicionais (ou até mesmo óbvias) numa situação de entrevista. São elas:

• Dados pessoais: estado civil, idade, endereço, família, interesses etc.

• Formação: nesse item estão incluídos desde seus cursos regulares até os treinamentos e cursos especiais de que você tenha participado.

Sempre ressalte a relação entre o que você estudou e o cargo pretendido

Algumas atividades ligadas diretamente ao tempo de sua formação também podem ser dados importantes para uma melhor caracterização de seu perfil. Coisas como participação em grupos de trabalho, pesquisas científicas patrocinadas por escola / universidade, participação política na universidade, desenvolvimento de projetos etc. podem ser usadas em função de uma melhor caracterização de seu histórico, tendo em mente sempre a questão da relação com o que você procura e as necessidades do entrevistador, do cargo e da empresa.

Experiência profissional: como já foi dito é importante fazer um resumo por escrito de toda a sua vida profissional, identificando pontos positivos e negativos, conquistas e revezes, erros e acertos, momentos produtivos e improdutivos, fases de desenvolvimento e de estagnação etc.

Com estes dados você terá condições de, quando questionado sobre algum aspecto, não só responder à questão, como trazer exemplos de sua vida profissional anterior que fundamentem sua resposta. Não se limite à resposta: exemplifique, cite fatos, explique como você agiu, historie resultados e consequências de suas ações, identifique as dificuldades, contextualize sua ação, enfim, torne a resposta uma oportunidade de descrever fatos reais pelos quais você tenha passado na sua vida profissional.

É importante lembrar que os erros e fatos negativos também são indicadores de sua evolução. Portanto, poderão ser cobrados pelo entrevistador e mesmo ser usados por você como fator indicativo de sua evolução, já que a identificação de um erro passado deve estar aliada à perspectiva de não cometê-lo no futuro.

Perspectivas: pense seriamente sobre quais são as suas aspirações profissionais, como você espera chegar lá, quais são seus planos a curto, médio e longo prazo, que expectativas você tem com essa nova colocação, como você espera contribuir para a empresa etc.

Todas estas reflexões fundamentam a visão que seu entrevistador terá sobre que tipo de profissional você será, se vier a trabalhar com ele. É importante estar atualizado, mas ter consciência de suas deficiências necessidades de aperfeiçoamento e reciclagem, e demonstrar esta disposição.

Também é necessário demonstrar capacidade de integrar sua visão com a da empresa, ou seja, demonstrar sua capacidade de adaptação e de trabalhar sob normas e procedimentos resultantes de uma política organizacional.

Temas atuais: identifique assuntos e temas, ligados ao universo do cargo que você busca, que estão na ordem do dia.

Isto reflete não só sua atualização, como também sua percepção profissional em termos mais gerais. Analise as novas tendências de sua área (as publicações especializadas e mesmo os jornais são boa fonte), as experiências em curso, o tipo de visão profissional predominante bem como as questões econômicas, administrativas e políticas que estão ligadas direta ou indiretamente à sua área.

Não tente ser um “sabe tudo”, mas também não vá para uma entrevista como se fosse para uma aula. O bom profissional tem consciência de que sabe pouco, mas está permanentemente buscando atualização.

Envolva

Nessa fase, você deve procurar envolver o entrevistador com seu interesse, procurar dar a ele motivos para pensar em você como um profissional diferenciado.

As informações que você levantou para a fase anterior são muito úteis também aqui, pois se você não assumir um papel ativo, a entrevista pode limitar-se a uma troca de informações de parte a parte.

Algumas entrevistas podem ser concluídas após a fase de troca de informações, ou seja, após o entrevistador ter ficado “satisfeito” com o que ele obteve de você em termos de seu perfil geral, que inclui dados de sua formação e experiência.

Contudo, você não pode ficar satisfeito apenas com isso.

Você deve mostrar mais, fornecer outros indicadores que o diferenciem como profissional, envolvê-lo, enfim.

O método para isto é formular uma questão que o qualifique.

Supere

Superar os obstáculos criados por você mesmo, pelo entrevistador ou pela própria situação da entrevista; é um procedimento fundamental em qualquer momento da entrevista.  Mas, se ela chegou até aqui passando pelas demais fases descritas anteriormente, um obstáculo adquire um novo significado.

Portanto, nunca diga “não” ao entrevistador.

Dizer “não” neste contexto significa negar a posição ou opinião dele ou se negar a discutir algum aspecto ligado ao cargo.

Estratégica e diplomaticamente, permita que o entrevistador manifeste suas opiniões por mais absurdas que elas lhe pareçam.

Não se contraponha a elas simplesmente, admita-as como possíveis, mas não se furte de dar a sua opinião, inclusive questionando-as se for o caso.

Também não se negue a discutir qualquer aspecto teórico ou prático do seu trabalho: mostre-se flexível, o que não significa abrir mão de seus interesses e princípios.

Quando se tratar de um obstáculo criado por alguma intervenção por parte do entrevistador e que diz respeito a aspectos pessoais ou éticos, não reaja emocionalmente. Procure analisar a questão e responder com base em seus valores, sem contudo parecer um “pregador”.

Afirme seu ponto de vista cuidadosamente, mas seja suficientemente flexível para admitir outros pontos de vista, principalmente aquele expresso pelo entrevistador.

Mas vejamos que tipos de intervenções ou perguntas podem criar este tipo de situação:

• “Você mudaria para Manaus para conseguir este cargo?”

Se não está nos seus planos, diga, mas não se negue a discutir a possibilidade, levantando questões sobre as condições (não só financeiras) para tanto.

• “Você admitiria fazer um controle financeiro paralelo? ”

Expresse sua opinião de modo flexível, mas baseado nos seus princípios; não barganhe para conseguir o cargo.

• “Você não acha que está sendo pretensioso? ”

Provavelmente você se expressou de forma inadequada ao menos sob a ótica do entrevistador, considere a possibilidade e se mostre disposto a rever suas opiniões.

• “Infelizmente, parece que você está acima de nossas necessidades; suas qualificações são excessivas e me causarão problemas”.

Procure demonstrar sua adaptabilidade e suas deficiências e necessidades de aperfeiçoamento. Não deixe uma impressão supervalorizada.

Traga elementos que reforcem a possibilidade de seu aproveitamento, a sua disposição em organizar treinamentos, por exemplo.

“Você me parece pouco religioso. A empresa dá preferência a profissionais que tenham vida religiosa praticante”.

Traga o foco para o profissional, não se predisponha a mudar ou vestir o “hábito”, mas não se coloque como um “ateu fanático”.
Estes são apenas alguns exemplos.

O importante é que você tenha em mente a necessidade de superar obstáculos de modo produtivo.

Conclua

Se a entrevista deve ser encarada como uma relação profissional, você deve se preocupar com a sua conclusão. Feche um ciclo definido. Este ciclo varia de entrevista para entrevista, já que um primeiro contato pode ser concluído muito mais rapidamente do que uma segunda entrevista, por exemplo.

O importante é que você tenha em mente os limites do entrevistador, e os limites que ele criou para aquela entrevista em particular. Se você desenvolveu uma relação com ele durante a entrevista, será fácil identificar os limites impostos.

Lembre-se de não desconsiderar a presença do entrevistador: muitos candidatos esquecem que estão falando para alguém e se perdem em divagações e ilações inúteis ao processo.

Se a entrevista propiciou o desenvolvimento de temas mais profundos, a probabilidade de que você se empolgue é maior ainda. Assim, não perca de vista que o objetivo é ser adequado aos olhos do entrevistador.
Como as entrevistas habitualmente costumam durar em torno de uma hora, controle o tempo para que você tenha uma dimensão do ponto em que a entrevista está.

Se perceber que ela se encaminha para o final (e você deve perceber !) procure comprometer-se com o processo. “Este nosso contato está sendo muito produtivo e interessante, espero poder voltar a conversar com você”, é uma boa forma de mostrar ao entrevistador seu interesse quanto ao cargo, à entrevista em si e ao restante do processo de seleção.

Caso o entrevistador dê espaço, e se nada houver sido dito antes, questione-o quanto ao resto do processo, não de forma incisiva, mas demonstrando-se entusiasmado e interessado.

Finalmente, espere pela indicação dele de que a entrevista está concluída e preocupe-se em deixar uma imagem final tão ou mais positiva do que aquela que você criou no início.

Agradecer pela oportunidade e a atenção é uma forma ao mesmo tempo profissional e gentil de se despedir, e pode até mesmo incluir o tradicional “espero que possamos voltar a conversar…”

Referências:

Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, Associação Brasileira de recursos humanos – ABRH – Nacional, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA, MCTI, MDA, MDIC, MMA, MME.

Artigos relacionados:dinamica de grupo, entrevista de emprego, entrevista de emprego em ingles, entrevista de emprego perguntas e respostas, entrevista de emprego redação, entrevista de emprego roupa, entrevista de estágio, entrevista de estágio arquitetura, entrevista de estágio como se vestir, entrevista de estágio de direito, entrevista de estágio de direito perguntas e respostas, entrevista de estágio perguntas, entrevista de estágio perguntas e respostas, entrevista de estágio roupa, perguntas de entrevista de emprego, respostas de entrevista de emprego.

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Empregos

Saiba o que fazer para trabalhar no Exterior

Published

on

By

Trabalhar Exterior

Trabalhar no exterior é o sonho de muita gente. Seja para ter uma experiência internacional no currículo, para receber um salário melhor ou mesmo para fugir da violência no Brasil, milhares de pessoas fazem as malas e atravessam continentes em busca de uma oportunidade de emprego. Entretanto, para que essa aventura não termine em frustração, é importante ter um bom planejamento. Por isso, descubra agora como trabalhar no exterior.

Objetivos

O primeiro passo para conseguir trabalhar no exterior é definir objetivos. Qual o seu motivo para sair do Brasil? Pessoas que estão desempregadas e querem sair do País em busca de um emprego com baixa qualificação terão um planejamento bem diferente daqueles que terminaram um MBA e querem simplesmente ter uma experiência profissional internacional.

Por isso, antes de começar a procurar emprego em outros países, defina suas necessidades. Você quer sair a qualquer custo, mesmo que seja para trabalhar como babá ou faxineira? Você abriria mão da sua carreira em troca de um salário melhor em empregos braçais? Ou você quer sair do Brasil e atuar exatamente na mesma área em que atua hoje?

Qualificação

Assim como no Brasil, sua qualificação vai contar muito na hora de procurar trabalho em outro país. Na Europa, mesmo pessoas com baixa escolaridade conseguem empregos com rendimentos suficientes para uma vida simples e digna. Entretanto, apesar do diploma não ser essencial, falar uma segunda língua é pré-requisito.

Em Portugal, destino favorito dos brasileiros, exige-se que os garçons falem português, inglês e espanhol. Portanto, antes de sair do Brasil, capacite-se.

Caso você tenha os recursos necessários, pode se inscrever em uma escola de idiomas ou universidade do país de destino. Assim, além de se capacitar, você terá um visto que te permitirá circular legalmente pelo país, fará network e terá mais tempo de adaptação à nova realidade.

Capacitação e trabalho ao mesmo tempo

Há ainda uma outra opção para quem tem recursos: fazer um intercâmbio com possibilidade de trabalhar no exterior. Algumas agências de intercâmbio contam com programas em que o estudante pode estudar uma língua durante um turno, e trabalhar no turno oposto. É uma excelente oportunidade de começar a carreira no exterior enquanto aprende a língua e a cultura do país estrangeiro.

Intercâmbio para trabalho remunerado

Estudar no país de destino não é um pré-requisito para quem deseja trabalhar no exterior. Muitas empresas de intercâmbio contam com programas para jovens universitários que desejam um emprego temporário no estrangeiro.

A desvantagem, nesses casos, é que o candidato precisará comprar o programa em uma agência de intercâmbio. Além disso, os programas são voltados apenas para jovens ou estudantes. Confira algumas opções:

  • Au Pair (babá) na Alemanha:

Au Pair

O programa tem duração de 12 meses. Os intercambistas ficam na casa da família contratante e recebem uma remuneração de 300 euros por mês. Podem se candidatar apenas mulheres de 18 a 26 anos, com pelo menos nível intermediário de alemão.

  • Au Pair nos EUA

Similar à opção alemã. O que muda é o salário. Nos EUA, a remuneração é de aproximadamente 580 dólares por mês.

  • Au Pair na França

Similar às demais opções, mas com remuneração diferenciada: 320 euros por mês.

  • Estágio na Austrália

Jovens de 18 a 30 anos podem comprar um programa de estágio na Austrália. O salário mensal por chegar a 900 dólares australianos (o equivalente a mais de 2 mil reais). Uma grande vantagem é a duração do estágio, de aproximadamente dois anos.

Os interessados devem ter se formado há no máximo dois anos, em áreas afins aos segmentos de gastronomia, marketing, eventos ou recursos humanos.

  • Estágio nos EUA

Se você tem entre 18 e 35 anos, inglês avançado, é estudante universitário, estudante de pós-graduação ou recém-formado, essa é a sua chance de trabalhar nos EUA. O programa, com até 18 meses de duração, oferece salários de até US$ 1.160.

  • Monitor de acampamento nos EUA

Jovens de 19 a 30 anos com inglês avançado podem comprar o programa de monitor de acampamento nos EUA. Toda a alimentação e a hospedagem são pagas pelo acampamento contratante. Ao final das 10 semanas de trabalho o monitor recebe uma bolsa de até 1.750 dólares.

Currículo europeu

Quem deseja procurar emprego na Europa pode se beneficiar do Europass, um conjunto de documentos criados pela Comissão Europeia que destaca de forma clara as qualificações e habilidades dos profissionais. Esses registros são usados por empresas de RH para selecionar candidatos estrangeiros ou europeus para seus clientes. Acesse o link no final desse artigo.

Independentemente do Europass, vale a pena manter atualizado seu perfil no Linkedin. Essa rede social é cada vez mais utilizada por contratantes de todo o mundo.

Onde encontrar emprego

A União Europeia também mantém um site com vagas de emprego em todo o continente, chamado de Eures. Dessa forma nem sequer é preciso sair do Brasil para se candidatar a uma vaga.

Os profissionais podem tanto procurar por vagas existentes quanto cadastrar seus currículos e torcer para que ele seja selecionado por alguma empresa.

Trabalhar nos EUA sem ser estudante

Trabalhar EUA

Apesar de ser considerado o país das oportunidades, a verdade é que conseguir migrar para os EUA é uma tarefa bastante difícil. Para conseguir um visto de trabalho sem ser estudante é preciso primeiro que uma empresa americana informe ao governo que deseja sua contratação.

Outra possibilidade é obter um visto EB-1, concedido apenas a pessoas portadoras de “habilidades excepcionais”. Diplomas, prêmios e publicações acadêmicas podem ser utilizados para comprovar essas habilidades. Para se candidatar ao visto EB-1, dirija-se a uma embaixada ou consulado americano.

Trabalhar no exterior sem ser estudante

Nem tudo é obstáculo na luta por uma vaga de trabalho no exterior. Os brasileiros podem, por exemplo, trabalhar em qualquer país do Mercosul, sem muita burocracia. Basta pedir um visto de residência e de trabalho no país desejado.

  • Uruguai (e Mercosul)

Um bom país no Mercosul para encontrar trabalho é o Uruguai. Nossos vizinhos possuem programas de incentivo para brasileiros que queiram abrir empresas lá. Além disso, há grande demanda por profissionais de TI, engenheiros e consultores.

Vale ressaltar que, além do Uruguai, os brasileiros têm direito a vistos de trabalho na  Argentina, Paraguai, Chile, Bolívia, Colômbia, Equador e Peru.

  • Portugal

Trabalhar Portugal

Portugal é possivelmente o país europeu mais aberto aos trabalhadores brasileiros. É possível viajar para lá com um visto de turista e, uma vez na Europa, conseguir um visto de trabalho. Para isso, basta que o cidadão brasileiro seja “contratado” para qualquer tipo de serviço, mesmo em casas de família (como faxineiras ou babás, por exemplo).

Profissionais da área de TI são bastante requisitados, mas é importante ressaltar que Portugal tem o menor salário mínimo da União Europeia: cerca de 600 euros.

Está pronto para fazer as malas e começar uma nova vida? Trabalhar no exterior pode ser uma experiência altamente gratificante. Para obter mais informações, acesse os links abaixo:

  • Intercâmbio no exterior: http://travelmate.com.br/trabalhar/ e https://www.stb.com.br/trabalhar-no-exterior/monitor-de-acampamento-nos-estados-unidos
  • Empregos na Europa: http://europass.cedefop.europa.eu/pt e https://ec.europa.eu/eures/public/pt/jobseekers-dashboard

Gostou do artigo? Conhece alguém que está desempregado ou que gostaria de trabalhar no Exterior? Então compartilhe esse texto nas redes sociais, essas informações serão úteis  e pode ajudar muitas pessoas a iniciarem uma carreira no Exterior.

Continue Reading

Empregos

Descubra agora como trabalhar na Oi

Published

on

By

Como trabalhar na Oi

Para quem está desempregado ou até mesmo para quem cansou de trabalhar em microempresas ou firmas familiares, uma boa opção é procurar emprego em uma grande companhia. Uma empresa genuinamente brasileira, que está sempre contratando pessoal, é a Oi. Por isso, se você quer trabalhar no setor de telecomunicações, descubra agora como trabalhar na Oi.

Trabalhar na Oi

O primeiro passo para trabalhar na Oi ou em qualquer outra grande empresa é colher informações sobre a contratante. Isso vai te ajudar bastante a se destacar na hora das dinâmicas de grupo ou entrevistas.

A Oi é a maior operadora de telefonia fixa do Brasil e a 4ª maior na área de telefonia móvel. A empresa possui mais de 60 milhões de clientes, por isso precisa estar sempre contratando pessoal para atender essa demanda. A empresa comercializa serviços de telefonia, televisão por assinatura e internet banda larga.

Crise financeira

Agora, uma informação que pode ser desanimadora para quem está querendo saber como trabalhar na Oi: a empresa é a companhia mais endividada do Brasil. Suas dívidas são superiores a R$ 64 bilhões. A empresa é muito criticada pela má qualidade dos seus serviços e, por isso, vem perdendo clientes.

Características necessárias para trabalhar na Oi

Com ou sem crise, a companhia sempre está contratando profissionais para sua força de trabalho. Cada cargo tem seus pré-requisitos, mas a Oi exige de todos os seus funcionários algumas características comportamentais importantes. Confira quais são:

  • Se sentir dono da empresa

A Oi espera que seus funcionários ajam como a empresa fosse deles, ou seja, que façam todo o possível para que a companhia cresça.

  • Foco em resultado

A empresa é bastante exigente com seus objetivos e metas.

  • Prestar atendimento excelente aos clientes

A companhia pede que sua equipe forneça soluções eficientes e adequadas aos clientes.

  • Controle de custos

Os funcionários precisam controlar os custos em suas atividades e ser responsáveis ao utilizar os recursos da companhia.

Apesar dessas exigências, o atendimento da Oi é muito criticado. A empresa é considerada, pela Anatel, uma das piores prestadoras de banda larga fixa, com índice de qualidade 4 vezes pior que a Net, por exemplo.

Na telefonia móvel a empresa é considerada pior que Claro e Vivo. Já na telefonia fixa e na TV por assinatura, é considerada a pior do Brasil.

Código de ética

Todos os funcionários da Oi são obrigados a seguir um rígido código de ética. Confira algumas orientações sobre como se comportar para trabalhar na Oi:

  • A Oi considera inaceitável qualquer manifestação de discriminação e preconceito referente a raça, origem, sexo, idade, religião, orientação sexual, deficiência física e mental, entre outras.
  • Não são admitidas conversas e atitudes que envolvam violência física ou verbal, assédio moral ou sexual.
  • A empresa proíbe a distribuição de qualquer material que envolva política ou religião.
  • A Oi permite que parentes e cônjuges de funcionários trabalhem na empresa, mas não é permitido contratar ou manter parentes (pai, mãe, filhos, irmãos e tios), cônjuges ou companheiros em funções em que haja uma relação hierárquica, ou em que respondam ao mesmo superior imediato.
  • Caso dois funcionários iniciem uma relação íntima, eles são obrigados a comunicar os fatos aos seus superiores. A Oi não demite os envolvidos, mas transfere-os para setores diferentes, de forma que trabalhem separadamente.
  • É proibido negociar produtos ou oferecer serviços no ambiente de trabalho da Oi, portanto, nada de vender doces e salgados para os colegas da empresa.
  • Os funcionários da Oi não podem receber presentes de valor superior a R$ 200. Essa restrição vale para presentes recebidos por causa do seu trabalho na empresa, oriundos de fornecedores e clientes. O receio da empresa é de que esses “presentes” possam ser usados como suborno ou moeda de troca por serviços.

Como é trabalhar na Oi

Loja da Oi

Apesar dos problemas financeiros, cerca de 80% dos funcionários da Oi dizem gostar de trabalhar na empresa. O principal atrativo da companhia são os benefícios oferecidos aos seus funcionários, considerados excelentes.

O ambiente de trabalho, por sua vez, é considerado “muito bom”.

Já nos critérios “oportunidade de carreira” e “qualidade de vida”, a empresa é avaliada como boa. O único critério que destoa dos demais é a avaliação da alta gerência e diretores da empresa. Eles são considerados “razoáveis”.

Apesar da avaliação majoritariamente positiva, a empresa registra, eventualmente, casos de assédio moral. Uma das denúncias que chegaram à Justiça do Trabalho informou que a empresa fixava, em um mural, “mandamentos da telefonia fixa”. Dentre esses mandamentos estavam incluídas frases como:

  • Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental
  • Não verás teu filho crescer
  • Não terás feriado, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga
  • A pressa será teu único amigo e as tuas refeições principais serão os lanches, as pizzas e o China in Box
  • Dormir será considerado período de folga, logo, não dormirás

 

Remuneração

Os desafios para se trabalhar na Oi são muitos. Será que o salário compensa? Descubra agora.

  • Vendedor: os vendedores da Oi recebem salários que chegam a ser 30% inferiores à média de mercado.
  • Supervisor de vendas: mesmo que você cresça na empresa, os salários ainda são ruins. O supervisor de vendas recebe 25% menos que a média do mercado.
  • Operador de telemarketing: um dos cargos com vagas abertas com mais frequência paga, na Oi, salários compatíveis com a média de mercado.
  • Assistente administrativo: nem tudo é má notícia na Oi. A empresa investe bastante na sua equipe administrativa. Um assistente administrativo da empresa chega a ganhar 50% mais que a média de mercado.
  • Gerente de contas: nos cargos mais altos os salários também são bons. Um gerente de contas ganha 20% mais que a média do mercado.
  • Atendente de loja: está interessado em trabalhar no varejo? Um atendente de uma loja da Oi ganha 25% mais que a média do mercado.
  • Gerente de loja: é possível ainda se destacar e alcançar o cargo de gerente de loja. Nesse caso seu salário será compatível com a média do mercado.

 

Carreiras e áreas disponíveis na Oi

Agora que você já conhece a cultura da empresa e a remuneração média, é hora de pôr a mão na massa e lutar por uma vaga em uma das maiores empresas do Brasil.

O primeiro passo é definir em qual setor você quer trabalhar. A empresa é dividida em “diretorias”, que ficam a cargo das seguintes áreas:

  • Jurídica
  • Administrativa e financeira
  • Auditoria interna (responsável por auditar processos e sistemas da companhia, de forma imparcial e transparente, na busca de melhores resultados para os negócios)
  • Negócios B2B (responsável por atender as necessidades de telecomunicações e de soluções de TI das empresas, desde microempreendedores individuais até grandes multinacionais)
  • Tecnologias de redes e sistemas
  • Operações
  • Relacionamento com clientes
  • Varejo
  • Regulamentação e assuntos institucionais
  • Gente e gestão
  • Comunicação corporativa

 

Apesar de serem chamadas diretorias, é evidente que os candidatos dificilmente entrarão na Oi já ostentando os cargos de diretores. Na empresa, as carreiras são divididas em três estágios:

  • Carreira de acesso

É a carreira indicada para profissionais com ensino médio completo. São os assistentes, auxiliares, técnicos, fiscais de planta e operadores.

  • Carreira profissional

Para quem tem ensino superior completo. É formada por analistas, especialistas, advogados, auditores, secretárias, médicos do trabalho, trainees, enfermeiros, engenheiros, executivos de canais, executivos de negócios e executivos de vendas.

  • Carreira executiva

Essa carreira também é voltada aos profissionais com pelo menos ensino superior completo e muita experiência no mercado. É formada por diretores, gerentes, gerentes de projetos, consultores e representantes institucionais.

 

Como trabalhar na Oi

Existem 5 formas de se conseguir a tão sonhada vaga na Oi. Confira:

  1. Site da empresa

A opção mais comum é se cadastrar no site da empresa, preencher o currículo e se candidatar às vagas disponíveis. O currículo será analisado e, caso seja aprovado, o candidato é chamado para participar de uma avaliação de potencial.

O último passo antes da contratação é uma entrevista com a área de RH da Oi e com o gestor da vaga.

O site da empresa conta também com uma área especialmente voltada aos portadores de deficiência.

  1. Estágio técnico

Estudantes de cursos técnicos com conhecimento em operações e tecnologia de redes e sistemas podem participar do programa de estágio técnico da Oi. O estágio tem duração de seis meses a um ano.

A empresa oferece bolsa-auxílio, auxílio-transporte, vale-refeição, seguro de vida e programa de desenvolvimento específico.

O processo seletivo envolve inscrição no site, análise de currículo, prova online, jogos de negócios com o RH e entrevista com o gestor.

  1. Aprendiz

Estudantes do ensino médio também podem ser contratados pela Oi, por meio do programa Aprendiz. A única exigência é ter conhecimento do pacote Office. A empresa oferece bolsa-auxílio, auxílio-transporte, assistência médica, vale-refeição, seguro de vida e programa de desenvolvimento específico.

O programa tem duração de um ano, sendo seis meses na Oi e outros seis meses no Senai.

O processo seletivo envolve inscrição no site, análise de currículo, prova e dinâmica de grupo.

  1. Estágio superior

Estudantes do ensino superior tem uma oportunidade de estágio mais robusto por meio do programa de “estágio superior” da Oi. Os candidatos precisam estar cursando administração, engenharia ou TI, e ter domínio do pacote Office.

A empresa oferece bolsa-auxílio, auxílio-transporte, vale-refeição, seguro de vida e programa de desenvolvimento específico. O programa tem duração de até dois anos.

O processo seletivo envolve inscrição no site, análise de currículo, prova online, jogos de negócios com o RH e entrevista com o gestor.

  1. Trainee

Estudantes ou recém-formados nas áreas de engenharia (telecom, elétrica, produção, eletrônica, computação), sistemas de informação, ciência da computação, rede de computadores ou administração podem participar do programa trainee da Oi.

É exigido experiência profissional anterior (pode ser estágio). Candidatos com inglês fluente têm prioridade.

O processo seletivo envolve inscrição no site, análise de currículo, prova online, entrevista virtual, jogos de negócios com o RH e uma entrevista presencial.

Agora você já tem todas as informações sobre como trabalhar na Oi. Para se candidatar às vagas, acesse o site do setor de recursos humanos da empresa.

Gostou do artigo? Conhece alguém que está desempregado ou quer trabalhar na Oi? Então compartilhe esse texto nas redes sociais, essas informações serão úteis  e pode ajudar muitas pessoas a iniciarem uma carreira na Oi telecomunicações .

Continue Reading

Empregos

Descubra agora como trabalhar na Globo

Published

on

By

Trabalhar na Globo

Glamour, fama, riqueza. Quem nunca sonhou em ser um astro da TV que atire a primeira pedra. Não é à toa que tanta gente enche a caixa postal da TV Globo em busca de uma vaguinha em suas novelas. Mas, mesmo que você não seja ator, a “Vênus platinada” tem oportunidades te aguardando. Quer trabalhar na mais poderosa empresa de mídia do Brasil? Então descubra agora como trabalhar na Rede Globo.

Rede Globo

Antes de mais nada, não comece a busca por uma vaga achando que você sabe tudo sobre essa emissora. Há na internet inúmeros mitos (e algumas verdades) sobre essa rede de TV, e pagar mico no processo seletivo comentando sobre algo que nunca aconteceu vai destruir sua chance de contratação.

Portanto, conheça agora alguns fatos importantes sobre a TV Globo.

Informações sobre a TV Globo

História da Rede Globo

A TV Globo afirma ser uma televisão aberta, plural e gratuita. Ela é gigantesca: trata-se do maior produtor de conteúdo da América Latina, com produtos exibidos em 190 países. A novela “Avenida Brasil”, por exemplo, foi exibida em 130 nações.

Sua força de trabalho é composta por 12 mil colaboradores. Achou muito? Essa é a quantidade de trabalhadores fixos da empresa. Em seus estúdios, circula muito mais gente. São três milhões de pessoas por ano.

Além dos programas de entretenimento, a Globo conta também com uma produtora de filmes. Desde sua criação, em 1998, a Globo Filmes já produziu mais de 175 longas-metragens.

Se você é jornalista, aqui vai uma boa notícia: a TV Globo tem mais de 700 equipes de reportagem espalhadas por todo o planeta. Cansou da violência do Brasil? A emissora carioca possui escritórios nos EUA, Inglaterra, Itália, Alemanha, Suíça e Japão.

Erros assumidos pela emissora

Ao longo de sua história a Globo movimentou o Brasil com seus programas de entretenimento e jornalismo. Algumas vezes, entretanto, a emissora foi acusada de manipular a opinião pública para atingir interesses escusos.

Em pelo menos três oportunidades a Globo reconhece que errou: durante a ditadura; nos protestos pela “Diretas Já”, em 1983; e durante a eleição presidencial de 1989.

As organizações Globo apoiaram o golpe militar de 1964, e a emissora reconhece isso abertamente. Além disso, em 1983, a Globo, em uma de suas reportagens, omitiu um grande protesto pela “Diretas Já” em São Paulo. De acordo com a TV, isso aconteceu por pressão dos militares.

Já em 1989 a Globo editou um debate entre Lula e Collor para passar a impressão de que Collor tinha se saído melhor durante o confronto de ideias.

Golpes em quem procura emprego

Agora um alerta! Com tanto poder, é claro que a emissora é alvo de pessoas de má-fé que usam seu nome para “se dar bem”. Assim, fique de olho em falsas promessas de emprego.

Os golpes mais comuns são os de falsos produtores que dizem estar recrutando atores ou participantes de reality shows. Há ainda aqueles que se dizem à procura de pessoas comuns para quadros dos programas de auditório.

Não caia nesses golpes. As únicas formas de ser contratado pela TV Globo serão informadas nesse artigo.

Será que trabalhar na Globo é bom?

Todo mundo acredita que trabalhar na Globo seja como entrar no paraíso. Altos salários, glamour e felicidade eterna. Mas será que trabalhar na Globo é realmente tão bom?

Trabalhar na Globo é considerado “bom” pela maioria de seus funcionários. Cerca de 90% da força de trabalho da empresa a recomendaria para seus amigos, um número bastante significativo.

As maiores qualidades da empresa são a remuneração e benefícios, considerados “muito bons”. A cultura da empresa e a qualidade de vida no ambiente de trabalho são considerados “bons”. As oportunidades de carreira, entretanto, são classificadas apenas como “razoáveis”.

Remuneração

Como visto anteriormente, a maioria dos trabalhadores da TV Globo considera que a emissora paga bem. Mas será que isso é mesmo verdade? Confira a média salarial dos profissionais da TV Globo.

  • Ator: um ator da Globo, com um dos cargos mais cobiçados do Brasil, ganha cerca de 5% mais que a média do mercado.
  • Estagiário de nível superior: estagiários com nível superior ganham, na emissora carioca, remunerações compatíveis com o mercado.
  • Editor: os editores da Globo recebem um salário 20% maior que a média do mercado. Além disso, contam com benefícios como plano de saúde e vale refeição.
  • Engenheiros: um engenheiro da Globo recebe cerca de 5% menos que a média do mercado. Contam, entretanto, com plano de saúde.
  • Assistente de produção: um assistente de produção da Globo ganha mais que o dobro da média do mercado.
  • Jornalista: os jornalistas da Globo têm vencimentos 30% maiores que a média do mercado.

Como trabalhar na Globo?

Programa Estagiar na Globo

Existem 3 maneiras de se trabalhar na Globo. Uma delas é ideal para você. Confira:

1. Cadastro no banco de talento

A melhor maneira de se conseguir um emprego na TV Globo é cadastrando-se no banco de talentos da emissora. Após o cadastro, seu currículo ficará disponível para consulta pelo RH da empresa.

Não é preciso, entretanto, esperar o convite chegar. Os candidatos podem ver, no site, as vagas disponíveis e indicar o interesse pelo cargo. Depois disso é torcer para receber um email pedindo mais informações e agendando uma entrevista.

Portadores de deficiência também podem se cadastrar.

2. Programa estagiar

Uma grande porta de entrada da TV Globo é o programa Estagiar. Diversos líderes da empresa começaram justamente como estagiários e hoje ajudam os novos talentos a se firmarem na companhia.

Podem se candidatar estudantes dos cursos de administração, análise de sistemas, arquitetura, ciência da computação, cinema, comunicação social (jornalismo), publicidade e propaganda, rádio e TV, relações públicas, comunicação visual, estudos de mídia, desenho industrial, design gráfico e economia.

Os estudantes de engenharia costumam ter grandes chances. Há vagas abertas para estudantes de diferentes áreas da engenharia, como engenharia ambiental, civil, engenharia da computação, eletrônica, elétrica, engenharia de telecomunicações, engenharia de produção, engenharia de sistemas e engenharia mecânica.

Por fim, há oportunidades para estudantes de estatística, geografia, marketing, matemática, serviço social, sistemas de informação e turismo.

As vagas costumam contemplar as cidades do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo, Brasília e Recife. O processo seletivo envolve atividades online (matching de valores, avaliação de competência, vídeo-entrevista e redação) e atividades presenciais (painel com gestores e entrevistas individuais).

3. Oficinas profissionalizantes

Parece um sonho, mas é verdade. A TV Globo paga para algumas pessoas estudarem e, ao fim do curso, serem contratadas pela companhia.

Gostou da ideia? Então se cadastre nas oficinas da emissora. Uma delas é a oficina de unidade portátil. Os escolhidos aprenderão a montar um setting de gravação, auxiliando na iluminação, gravação e geração de matérias; montar sistema de comunicação, iluminação, áudio e vídeo para links ao vivo e matérias pré-gravadas; e auxiliar a gravação de reportagens externas.

Essa vaga exige formação técnica em eletrotécnica, eletroeletrônica, eletrônica ou telecomunicações. Estudantes de cursos superiores de engenharia elétrica, eletrônica ou telecomunicações, com carteira de habilitação, têm preferência.

A maioria das vagas é para São Paulo. A empresa oferece vale transporte, vale refeição e convênio médico.

Quer trabalhar na Globo? Então acesse o site de recrutamento. Boa sorte!

Gostou do artigo? Conhece alguém que está desempregado ou quer trabalhar na Globo? Então compartilhe esse texto nas redes sociais, essas informações serão úteis  e pode ajudar muitas pessoas a iniciarem uma carreira na Rede Globo .

Vagas de Emprego Pagando em Dólares

Continue Reading
Advertisement
Advertisement

Destaques

Advertisement

Para Você

Auxiliar de cartório salário e atribuições CBO 4110-25 Auxiliar de cartório salário e atribuições CBO 4110-25
Cargos e Salários3 dias ago

Auxiliar de cartório salário e atribuições CBO 4110-25

Jornada de trabalho: 42h Piso salarial: R$ 964,86 Salário médio: R$ 1.358,96 Maior salário: R$ 2.053,70 Salário hora: R$ 6,40...

Auxiliar de contabilidade salários e atribuições CBO 4131-10 Auxiliar de contabilidade salários e atribuições CBO 4131-10
Cargos e Salários3 dias ago

Auxiliar de contabilidade salários e atribuições CBO 4131-10

Jornada de trabalho: 43h Piso salarial: R$ 1.144,21 Salário médio: R$ 1.611,57 Maior salário: R$ 2.435,45 Salário hora: R$ 7,43...

Auxiliar de corte (preparação da confecção de roupas) salário e atribuições CBO 7631-05 Auxiliar de corte (preparação da confecção de roupas) salário e atribuições CBO 7631-05
Cargos e Salários3 dias ago

Auxiliar de corte (preparação da confecção de roupas) salário e atribuições CBO 7631-05

Jornada de trabalho: 44h Piso salarial: R$ 954,00 Salário médio: R$ 1.121,32 Maior salário: R$ 1.694,57 Salário hora: R$ 5,11...

Auxiliar de desenvolvimento infantil salários e atribuições CBO 3311-10 Auxiliar de desenvolvimento infantil salários e atribuições CBO 3311-10
Cargos e Salários3 dias ago

Auxiliar de desenvolvimento infantil salários e atribuições CBO 3311-10

Jornada de trabalho: 41h Piso salarial: R$954,00 Salário médio: R$ 1.270,38 Maior salário: R$ 1.919,84 Salário hora: R$ 6,25 CBO...

Auxiliar de enfermagem salário e atribuições CBO 3222-30 Auxiliar de enfermagem salário e atribuições CBO 3222-30
Cargos e Salários3 dias ago

Auxiliar de enfermagem salário e atribuições CBO 3222-30

Jornada de trabalho: 39h Piso salarial: R$ 1.134,17 Salário médio: R$ 1.597,42 Maior salário: R$ 2.414,06 Salário hora: R$ 8,28...

Auxiliar de laboratório de análises físico-químicas CBO 8181-10 Auxiliar de laboratório de análises físico-químicas CBO 8181-10
Cargos e Salários3 dias ago

Auxiliar de laboratório de análises físico-químicas CBO 8181-10

Jornada de trabalho: 43 h Piso salarial: R$ 1.004,00 Salário médio: R$ 1.414,09 Maior salário: R$ 2.137,01 Salário hora: R$...

Auxiliar de lavanderia salário e atribuições CBO 5163-45 Auxiliar de lavanderia salário e atribuições CBO 5163-45
Cargos e Salários3 dias ago

Auxiliar de lavanderia salário e atribuições CBO 5163-45

Jornada de trabalho: 43 h Piso salarial: R$ 954,00 Salário médio: R$ 1.152,47 Maior salário: R$ 1,741,65 Salário hora: R$...

Advertisement

Negócios

Advertisement
Advertisement

Em Destaque

Copyright © Emprega Brasil. Todos os direitos reservados.