Categorias
Empregos

Afinal, as redes sociais devem ser profissionais?

Em pleno século XXI, vivemos dentro do mundo globalizado em que notícias são compartilhadas diária e quase instantaneamente. O mesmo podemos dizer sobre as redes sociais, principalmente quando falamos do usuário brasileiro. Segundo o IBGE, 94,2% dos brasileiros usam a internet para interagir entre si dentro do ambiente digital.

No entanto, vemos que são poucas as pessoas que se atentam ao uso das redes sociais – e dessa vez, não falo de uso exagerado tampouco algo do gênero, o que quero abordar neste artigo é a forma que elas são usadas e os impactos que geram dentro do ambiente de trabalho.

Para demonstrar, podemos citar o vídeo com o caso que causou indignação em níveis mundiais nas últimas semanas, sobre ofensas de cunho sexual proferidas à uma repórter russa por parte dos brasileiros. Tal evento culminou em demissões e repercussão negativa as pessoas que faziam parte daquele grupo.

O fato é que, quando dentro de uma empresa, o colaborador faz parte dela seja durante o expediente ou não, inclusive em suas próprias redes sociais, mesmo quando a opinião pessoal é expressada dentro dela, ele precisa ter a percepção de que não existe algo inteiramente pessoal, uma vez que todas as nossas redes fazem parte da construção de uma imagem pessoal e profissional positiva ou negativa, impactando diretamente sobre como os colegas de trabalho, líderes ou liderados, parceiros e fornecedores passam a ver o colega.

A sensibilidade e a empatia precisam urgentemente permear ambientes como o futebol – que aguça o sentido de pertencimento de uma nação unificada, sem que o indivíduo possa lembrar de muitas outras questões cognitivas, principalmente o bom senso de avaliar a forma como uma atitude individual afeta o entorno coletivamente.

ALESSANDRA CANUTO – Especialista em gestão estratégica de conflitos e negociação.
Sócia e palestrante da AlleaoLado, empresa focada em palestras, treinamentos e consultoria.
Categorias
Empregos

Como contratar um designer para criar a marca de seu negócio?

A resposta para essa questão é (finja surpresa) depende. Depende do tipo de marca que você precisa, do tipo/tamanho do negócio que você tem, da verba/tempo que você destinou para a criação de sua marca, de quão a sério você leva o processo de concepção de uma identidade corporativa.

Existe solução para cada situação acima. Para os que não destinaram verba nem tempo ou não dão muita importância para o processo de design, existem sites como o 99designs, We Do Logos, 360 Imprimir, Smashing Logo, Criar Logo e tantos outros. Como designer de marcas e empreendedor, não condeno de forma alguma quem procura esse tipo de serviço. Enxergo esse fenômeno recente, e cada vez mais frequente, através do princípio da livre iniciativa e da livre concorrência.

Ainda nesse grupo, há quem procure o tão conhecido “sobrinho” ou “micreiro” para desenhar sua marquinha. Mas o que seria de todos nós, profissionais do mercado criativo, se um dia não tivéssemos tido a oportunidade de desenhar “de grátis” a marca para o negócio de nossos parentes e amigos? Acredito que exista um designer, amador ou profissional, que preencha os requisitos exigidos em cada camada da estratificação socioeconômica.

Para os que entendem a importância estratégica de um bom design de marca, a dica é analisar portfólios de designers que apresentem consistência e foco no desenvolvimento de projetos de identidade visual.

Se ele não tiver portfólio (físico ou online), acenda o sinal vermelho, a não ser que tenha recebido indicação de uma pessoa de sua confiança ou que tenha gostado muito do trabalho de um determinado profissional que fez a marca da loja de sua amiga. É no mínimo coerente que o portfólio de um designer ou estúdio especializado em projetos de identidade de marca deva apresentar a predominância desse tipo de projeto, concorda?

Um ótimo repositório de portfólios de designers gráficos de todo o mundo é o Behance, rede social gerida pela Adobe, empresa dona do famoso Photoshop. Lá você pode encontrar trabalhos tanto de profissionais freelancers, quanto de pequenos e grandes escritórios de design. Existem outras redes sociais como Dribbble, Pinterest, Facebook e Instagram que também são ótimas fontes de referências.

Para quem não tem um olho crítico em relação à qualidade de um projeto de design, mas reconhece a importância que um conjunto imagem estrategicamente desenvolvido exerce sobre um negócio, sugiro que procure o SebraeTec. Esse programa de auxílio à pequena empresa provê soluções em 6 áreas de conhecimento da inovação, além do design gráfico. Existe ainda a possibilidade de busca por indicação em sua região. 90% dos trabalhos que desenvolvo, por exemplo, advêm de indicações.

Enfim, cada negócio apresenta uma demanda específica que precisará de soluções com diferentes graus de complexidade. Para responder a cada uma delas, existirá um designer com determinado grau de experiência e especialidade. Cabe a você entender se quer apenas um desenho bonitinho ou uma marca que esteja alinhada com a sua estratégia de vendas.

ROGÉRIO TORRES Designer, ilustrador, artista 3D e professor universitário.
Categorias
Empregos

Estamos nos preparando para profissões que ainda não existem?

A cada dia surgem novas atividades para o mercado de trabalho que preenchem lacunas que são criadas no cotidiano.

Uma discussão interessante surgiu durante a visita de alunos da Universidade Federal de Sergipe- UFS à Fecomércio-Sergipe, quando vieram conhecer um pouco mais sobre a economia aplicada ao Turismo, em uma conversa descontraída com a Economista Sudanês Pereira. Chegou o momento em que o tema exercício profissional foi à tona e alguns questionamentos surgiram dos alunos sobre como atuar no mercado. Daí o tema de evolução do mercado e dos profissionais entrou em voga.

Com os avanços tecnológicos, cada vez mais o mercado de trabalho pede profissionais capacitados em diversas áreas ou com conhecimento amplo, desenvolvendo uma visão holística da sociedade contemporânea.

A cada dia surgem novas atividades para o mercado de trabalho que preenchem lacunas que são criadas no cotidiano. Haja vista o boom das redes sociais e profissões que até pouco tempo atrás sequer eram consideradas, como a profissão de Youtuber, Digital Influencer, Social Media Manager, entre outras.

Há dez anos, isso não era imaginado. O que era uma manifestação hedonista ou uma brincadeira de adolescentes se tornou algo sério e rentável.

Estamos nos preparando para o futuro de maneira cotidiana. Os trabalhadores estão buscando cada vez mais qualificação para não exercerem meramente as atividades repetitivas comezinhas.

A evolução social por meio do alto desenvolvimento do setor de Tecnologia e Inovação não força, mas condiciona o profissional a compreender melhor as situações vividas nas empresas e a aplicabilidade de novas iniciativas.

Segundo estudo realizado pela Dell, uma das maiores corporações do mundo, em parceria com o Institute For the Future (IFTF), 85% das profissões que serão comuns em 2030, ainda não existem.

As organizações corporativas, institucionais e negociais são impactadas a cada dia com o desenvolvimento de novas ferramentas tecnológicas que surgem e auxiliam o profissional no desempenho de suas funções. Isso significa que a tecnologia estará cada vez mais presente no corriqueiro das vidas das pessoas.

As empresas já estão cientes disso e investem cada vez mais no trabalho de startups que tendem a moldar a nova infraestrutura laboral, ampliando as capacidades dos profissionais, levando-os à evolução constante do seu conhecimento.

Pessoas e empresas que não se prepararem para os novos tempos, que chegam cada vez mais rápido, a ponto de se misturar com o dia a dia das pessoas e organizações, não irão sobreviver no mercado cada vez mais competitivo e voraz quando se trata de oportunidades de negócio.

A procura por pessoas especializadas em determinados setores de atuação ainda pouco explorados ou inexistentes será ainda maior. O profissional deverá ser capacitado para entender a empresa e tudo ao seu redor de forma pluridimensional.

As pessoas irão aprender em tempo real, as competências específicas que serão exigências empresariais, o que irá qualificar ainda mais o mercado de trabalho, promovendo melhores salários para os trabalhadores que estiverem mais antenados.

Sergipe é um estado exportador de desenvolvimento tecnológico de alta capacidade e complexidade. As iniciativas empresariais como a Câmara de Tecnologia e Inovação da Fecomércio, Caju Valley e o Inova + Sergipe, que estão sendo desenvolvidas, são fundamentais para o entendimento da sociedade e do mercado de consumo no futuro, que se aproxima cada vez mais do presente.

Explorar a criatividade, o desenvolvimento de múltiplas habilidades, aliado à capacidade inventiva, dedicação, entusiasmo e o empreendedorismo será a premissa para o profissional de qualidade do futuro.

Agilidade, desempenho, capacidade e compreensão das novas tecnologias irão nortear o mercado dos anos vindouros, gerenciando melhor o exercício das atividades imortais da economia, comércio, serviços, indústria e agronegócio. O que importa é nunca deixar de estudar, mapear as tendências de mercado e tecnologia, para estar sempre à frente do seu tempo, destacado no mercado.

MÁRCIO ROCHA Jornalista especializado em Economia, radialista, consultor de Comunicação e Marketing Empresarial.
Categorias
Empregos

Alerta sobre golpe do falso emprego

Você já deve ter ouvido falar do tal “golpe do falso emprego”, mas afinal, o que é isso? Supostas “Empresas” aplicam golpes em pessoas que estão à procura de uma oportunidade. Elas ligam, oferece uma vaga de emprego que é sempre irrecusável, com salários altíssimos, benefícios, aquele tipo de chance que todos sempre sonhamos e que te faz pensar que é seu dia de sorte!

Golpe do falso emprego

Utilizando-se de ardil, muitas empresas vêm abordando candidatos de modo agressivo, beneficiando-se de um momento de fragilidade do profissional que busca uma vaga no mercado de trabalho.

Várias são as iscas para a armadilha.

  1. Falsos anúncios de vagas em multinacionais, sempre com perfil “confidencial”;
  2. Captação de currículos cadastrados em sites especializados;
  3. Ligações para o candidato, alegando possuir uma vaga para o seu perfil, com agendamento de entrevista.

Seja qual for a isca, o objetivo é o mesmo: fazer o candidato acreditar que tal serviço de consultoria, contratado por uma empresa, está recrutando profissionais no mercado.

As terminologias usadas para as atividades exercidas na área da recolocação de empregos – headhunting, outplacement, job hunting – tornaram-se comuns em nosso dicionário.

Leia atentamente esse artigo sobre o golpe do falso emprego para não ser mais uma vítima:

Situações de suspeita.
Conselhos úteis. Saiba o que fazer para não ser mais uma vítima.
Informações sobre contrato.
Alerta do Procon.
Como proceder caso tenha caído no golpe.

Desconfie quando ocorrer as situação abaixo. O intuito é criar curiosidade e esperança na vítima para estimula-la a “pagar pra ver”.

  1. A consultoria liga para a vítima fora do horário comercial e marca entrevista para a manhã seguinte. Essa atitude dificulta checagens e “obriga” o candidato ir pessoalmente a empresa;
  2. O tipo de emprego ofertado pela consultoria por telefone é irrecusável;
  3. O salário é bem acima do oferecido pelo mercado, e os benefícios não condizem com o cargo em questão;
  4. A consultoria diz ao cliente que ele é perfeito para a vaga, mas seu currículo precisa ser refeito;
  5. Na hora da suposta entrevista com a consultoria, o “headhunter” perde mais tempo falando das maravilhas do futuro emprego e elogiando o perfil do que entrevistando o candidato;
  6. Antes de assinar o contrato, a agência diz que não cobra taxas do cliente, apenas o custo com o teste psicológico, supostamente exigido pela empresa;
  7. As promessas verbais de garantia de emprego não estão descritas no contrato.

É importante saber

  1. Empresas em processos de seleção avaliam se o candidato tem as características esperadas para a vaga, não o contrário;
  2. Mesmo que a garantia de emprego dada ao cliente tenha sido verbal e não conste em contrato, a atitude pode configurar crime;
  3. Desconfie quando tudo precisa ser resolvido ali, na hora. É pegar ou largar, só que a vaga tem um preço: a compra de consultoria de serviços de carreira.O passaporte para o emprego perfeito não é mais o seu currículo. É o seu cartão de crédito.
    “NUNCA PAGUE PELO EMPREGO”

Conselhos úteis: saiba o que fazer para não ser mais uma vítima

  1. Desconfie de promessas;
  2. Sempre fique atento ao golpe do falso emprego;
  3. Nunca pague por uma vaga. A natureza dessas empresas não é garantir o emprego, mas vender serviços;
  4. Antes de assinar qualquer documento, verifique se existem reclamações nos órgãos de defesa do consumidor;
  5. Nunca assine um contrato que não contemple a promessa feita verbalmente. Leve o documento para um advogado analisar;
  6. Se você comprou, exija qualidade. Peça explicações por escrito por seu desempenho por cada treinamento feito;
  7. Previna-se.Guarde os anúncios da empresa, leve alguém com você ou grave a conversa. Peça licença e coloque um gravador em cima da mesa;
  8. Antes de fechar um contrato com qualquer empresas prestadora de serviços e/ou produtos faça uma consulta direta ao Procon, Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção do Consumidor (Delcon) e Ministério Público Estadual.
    Sempre que houver um processo em andamento em algumas destas instituições e o consumidor se dirigir a uma delas questionando o estabelecimento pelo nome, estes tem a permissão legal para informar o consumidor sobre a existência de um processo em andamento;
  9. A internet também é uma forma de evitar problemas futuros. Consultar o nome da empresa em sites de busca pode ser um alerta antes de ir a consultoria. Em caso de dúvidas, consulte o código de defesa ao consumidor no site do Ministério da Justiça. Visite também os sites: Reclame Aqui

Informações sobre Contrato

  1. O contrato é um documento firmado entre a empresa e o candidato que assegura com os cumprimentos e dever e precisa apresentar em cláusulas todas as práticas firmadas verbalmente;
  2. Mesmo que não exista uma cláusula abusiva no contrato, “na prática, o acordo verbal estabelecido entre as partes, também deve ser levado aos órgãos de defesa ao consumidor”;
  3. O contrato assinado pode ser contestado;
  4. A via-crúcis de quem se sentir prejudicado começa na tentativa de recuperar o dinheiro entregue a empresa. Se foi pago em prestações, é preciso sustar os cheques ou pedir o cancelamento das parcelas do cartão de crédito e solicitar formalmente o cancelamento do contrato de contrato com a firma. Em seguida, a pessoa pode procurar órgão de defesa do consumidor da sua própria cidade, como a Fundação Procon ou Idec, em busca de acordo entre as partes.”A falsa promessa de emprego está entre as principais reclamações recebidas pelo Procon”. Outro caminho é recorrer ao Juizado Especial Cìvel para solicitar reparação dos danos morais e materiais, desde que, juntos, somem até 40 salários;
  5. Para denunciar casos que ferem os direitos coletivos, basta enviar um e-mail para comunicação@mp.sp.gov.br

Entenda a diferença entre as empresas que operam com executivos

Headhunting: é uma parte da consultoria de gestão que ajuda a organizações a identificar, avaliar e recrutar executivos. A relação comercial é de empresa para empresa. (Association of Executive Search Consultants, organização que reúne as maiores empresas do setor nos Estados Unidos).

Outplacement: a função das empresas de outplacement é orientar e oferecer apoio ao executivo demitido para que lhe seja possível encontrar uma alternativa profissional ao emprego perdido. É também um serviço entre empresas.

Job Hunting: (recolocação profissional): serviços para profissionais que foram demitidos ou que procuram consultoria de carreira. Atende pessoas físicas que bancam os custos de serviço.

Sites afins

Ministério da Justiça: www.mj.gov.br
Consumidor: www.consumidor.gov.br
Reclame aqui: www.reclameaqui.com.br
Fundação PROCON SP: www.procon.sp.gov.br

Categorias
Empregos

Como encontrar as melhores oportunidades de trabalho

A busca por emprego vem sendo um grande desafio para mais de 10 milhões de brasileiros que ficaram desempregados no último ano. Todos precisam muito de uma oportunidade, mas se deparam com a redução do número de vagas e com a queda drástica dos salários.

Enquanto há dados que indicam que o desemprego tende a seguir crescendo e que só sejam percebidas mudanças reais a partir de 2018, ainda assim não se deve perder as esperanças, pois mesmo diante da crise, ainda existem oportunidades e setores que buscam contratar profissionais.

Oportunidades de trabalho em 2016

Oportunidades de trabalho em 2016

Mesmo com a escassez de vagas, ainda há oportunidades disponíveis e áreas que tendem a se destacar ainda este ano. Se você gostaria de saber as reais chances da sua área de atuação ou então encontrar uma oportunidade melhor para se recolocar, fique atento à pequena lista que separamos com os setores com as melhores oportunidades de trabalho para este ano.

Gestor de compliance/riscos/auditoria – profissional que faz o diagnóstico, de riscos e garante transparência em processos da empresa, conforme as leis e políticas corporativas vigentes ajudando assim na redução de risco e fraude, sem burocratizar demais os processos.

Analistas/Gerentes de crédito e risco – Responsável por monitorar a saúde financeira de uma empresa, auxilando na tomada de decisão sobre a concessão ou não de crédito direto para financia investimentos. Para este cargo adaptam-se profissionais graduados em administração, economia, direito ou contabilidade.

Profissional de planejamento tributário – Responsável por todo planejamento tributário, identificando oportunidades e reduzindo riscos e gastos excessivos e desnecessários. Para este cargo é preciso ter formação na área jurídica ou especialização em direito tributário.

Gestor administrativo/financeiro – Este profissional lidera todo o departamento financeiro e administrativo de empresas de pequeno ou médio portes. Este cargo pode ser ocupado por profissionais com formação em contabilidade, , administração, economia ou engenharia.

Diretor de operação de empresa de serviço – Profissional que gerencia grandes equipes com foco em produtividade. É preciso possuir capacidade de liderança e habilidades para gestão de pessoas e acompanhamento analítico de indicadores de performance.

Gerente e diretor de desenvolvimento de negócios –  Profissional que ficará responsável por fazer a prospecção de novos negócios, desenhando soluções para clientes e elaborando orçamentos. Podem se enquadrar neste perfil graduados em engenhara, economia ou administração.

Profissional de cobrança – Profissional que trabalhará na área financeira, garantindo o pagamento das contas a receber. Para este cargo é preciso ser uma pessoa flexível e ter habilidades para negociação e comunicação.

Gerentes de recursos humanos – Responsáveis por ações de seleção de pessoal, recrutamento, capacitação de equipes, retenção de profissionais e pela inserção de novos funcionários na cultura das empresas. Podem ter formação em psicologia, gestão de recursos humanos e administração.

Desenvolvedor de aplicativos para smartphones – Programa, codifica e testa softwares e aplicativos nas plataformas móveis (Android e/ou iOS). Executa a manutenção dos sistemas, fazendo eventuais correções, visando atender às necessidades dos usuários. Também faz trabalhos de montagem, depuração e testes de programas, executando serviços de manutenção nos programas já desenvolvidos, diz Marília Filippetti, consultora da Kelly Brasil.

Categorias
Empregos

Se adaptar rápido em um novo emprego, dicas de especialistas

Se adaptar a um novo emprego pode ser bem desafiador, especialista dá dicas de como vencê-los e acelerar a adaptação ao novo emprego, criar amizade, interagir com novos colegas de trabalho, conhecer a cultura da empresa.

Se adaptar a um novo emprego, veja as dicas

Um novo emprego é um motivo de satisfação e entusiasmo, mas também de muitas dúvidas. Pode surgir o desconforto inerente à mudança, à preocupação com a nova função, à aceitação por parte dos colegas, … Enfim, o sonho pode tornar-se num momento de grande ansiedade.

Para que isto não aconteça, ficam aqui sete dicas que prometem melhorar o seu novo dia-a-dia:

Conhecer a organização

Procure conhecer a cultura, as regras, os hábitos, para poder agir de acordo com a nova realidade; desta forma não se sentirá um estranho e não irá “destoar” em relação aos seus colegas.

Uma boa dica é ler a política da empresa, conhecer os fornecedores, clientes, ações sociais da empresa.

Estar atento

Observe com atenção o que o rodeia e, procure perceber qual será o seu papel na organização. Demonstre satisfação com o trabalho,  interaja com demais colegas ao seu redor.

Relacionar-se com os colegas

Seja afável com os seus novos colegas, procure vê-los como um apoio e não como rivais. Procure participar e cooperar, ouça mais, esteja sempre aberto a uma boa conversa.

Ser humilde

Aceite aprender com quem conhece melhor a organização e, evite comparações com empregos anteriores. Quando tiver dúvidas, não tenha receio de perguntar.

Dar o seu melhor

Nos primeiros tempos será alvo de avaliações diversas, é importante que mostre que é útil ao seu departamento.

Não julgar

Da mesma forma que será avaliado, também fará muitas avaliações, é importante que não julgue precipitadamente, sem ter dados objetivos.

Ser pontual.

E recorde-se, mesmo quando se sentir integrado, é importante manter estes comportamentos. Eles favorecerão sempre o seu desenvolvimento.

Categorias
Empregos

Dinâmicas de grupo, conheça todos os tipos

Conheça todos os tipos de dinâmicas de grupo, exemplos, conceitos, teorias e objetivos, brainstorming, técnica de penetração, ouvindo música, os corpos revelam uma posição social, dinâmica de integração, o trabalho em equipe.

Dinâmicas de grupo, técnica de penetração

Objetivos:

a) Vivenciar o desejo de merecer consideração e interesse;
b) Sentir a alienação, o isolamento, a solidão, sensação de estar excluído de um grupo.

Tamanho do grupo:

  1. Qualquer tamanho, uma vez que serão escolhidos membros para participar do exercício.
  2. Tempo exigido: Quinze minutos, aproximadamente.
  3. Ambiente físico: Uma sala suficientemente ampla para poder acomodar todos os participantes.

Processo:

I. O animador escolhe umas cinco a sete pessoas que serão identificadas como “de dentro” e que ficam de pé, no centro do grupo, formando um círculo apertado com os braços entrelaçados. Tanto podem ficar viradas para dentro como para fora;

II. A seguir, escolherá uma pessoa do grupo que será o “intruso” e que deverá tentar penetrar no círculo da maneira que puder, e os componentes do círculo procuram conservá-lo fora;

III. O “intruso” tentará abrir o círculo e toma seu lugar ao lado dos outros como um membro regular, podendo o animador indicar outro membro como “intruso”, já que essa atividade costuma despertar grande empatia;

IV. No final do exercício, os “intrusos” e os outros membros, que funcionaram como observadores, farão os comentários acerca da experiência. É importante observar se os “intrusos” tentaram penetrar usando a força ou o diálogo.

Dinâmicas de grupo, o trabalho em equipe

Objetivo:

  1. Ressaltar a importância do trabalho em equipe.

Forma de realização:

A aplicação da técnica, inicia-se com as pessoas reunidas em círculo e no centro uma bexiga para cada participante.Cada pessoa, pega enche a sua bexiga e após amarrá-la é dada a proposta de que o grupo deve mantê-las voando. Então, o monitor responsável pela dinâmica deve ir retirando os participantes lentamente, um por vez. O número de bexigas continuará o mesmo, porém o número de pessoas será cada vez menor, até chegar ao ponto de não mantê-las mais suspensas.

Dinâmicas de grupo, ouvindo música

Objetivos:

  1. Despertar a intuição e a criatividade;
  2. Criar um clima de liberdade que envolve os participantes, unindo-os;
  3. Proporcionar momentos de relaxamento estimulando a concentração;
  4. Despertar o senso de liderança.

Tamanho do grupo: Até 20 pessoas.

Tempo exigido: Cerca de uma hora, dependendo do tamanho do grupo.

Material: Toca fitas com boa potência. Música(s) de relaxamento.

Ambiente físico: Uma sala (opcionalmente com cadeiras), suficientemente ampla para acomodar todas as pessoas participantes.

Dinâmicas de grupo

Processo:

I. O grupo ouve música durante 10 ou 15 minutos;

II. Antes de pôr a música, o orientador avisa que devem ouvi-la imaginando uma história encenável;

III. Pára a música. O orientador pede a cada um que narre para todos a história imaginada;

IV. As histórias que despertarem maior interesse no grupo serão interpretadas pelos componentes. Interpretam-se quantas histórias o número de componentes permitir;

V. O diretor de cada história será a pessoa que a mentalizou inicialmente;

Dinâmicas de grupo, os corpos revelam uma posição social

Objetivos:

  1. Sentir que atrás de nosso corpo há a instituição (os organismos, os ritos, os direitos e os temores);
  2. Sentir que atrás da instituição há outras instituições;
  3. Sentir que atrás das instituições há pessoas, há decisões tomadas por elas, há relações que se estabelecem entre elas, e situações da primeira infância que se reproduzem.

Tamanho do grupo:

Até trinta pessoas.

Tempo exigido: Cerca de uma hora, dependendo do tamanho do grupo.

Material: Lápis ou caneta e folhas em branco.

Ambiente físico: Uma sala com cadeiras, suficientemente ampla para acomodar todas as pessoas participantes.

Processo:

I. O animador começa propondo ao grupo que cada qual se imagine em “situações passadas da vida em que não se sentiram à vontade nas comunicações com outras pessoas”. Ou ainda, situações em que as palavras não saíram facilmente, pelo acanhamento, medo ou outras dificuldades. Quase todas as pessoas passaram por tais situações, na vida.

II. Após uns seis ou sete minutos, todos, um a um leem suas anotações.

III. Geralmente se observa que as situações mais constrangedoras e apresentadas pela maioria dos grupos se referem à comunicação com os “superiores”, e não com iguais ou com “inferiores”.

IV. Diante dessa situação, o animador escolhe para o exercício uma secretária e dois protagonistas e propõe a dramatização do seguinte fato: Uma determinada pessoa foi procurar o chefe de pessoal de uma empresa para informar-se acerca de um emprego, antes de candidatar-se ao mesmo. O pretendente bate à porta. A secretária atende, convidando-o a entrar. Ao atender, saúda-o, pedindo que aguarde sentado, entra na sala do chefe para anunciá-lo. Enquanto espera, apressado e nervoso, procura no bolso um bilhete no qual anotara o seu pedido. Nisso aparece a secretária, o que não permitiu fosse lido o bilhete, antes de ser atendido pelo chefe.

O chefe pede para entrar, anuncia a secretária. Imediatamente ele se levanta, e, com um sorriso nos lábios, entra. Olha para o chefe, que continua sentado à sua mesinha, parecendo neutro, preocupado com seu trabalho, de escritório. “Bom-dia”, diz ele, e espera mais um pouco. Após alguns minutos, o chefe manda-o sentar. Ele se assenta na beirada da cadeira, ocupando só um terço da mesma. Acanhado, meio encurvado, a cabeça inclinada levemente para frente, começa a falar, dizendo ter lido um anúncio de que a empresa estava precisando contratar mais funcionários e que, antes de candidatar-se, desejava obter algumas informações a respeito do trabalho. Sua fala é fraca, tímida preocupando-se em não dizer demais. Sua cabeça está apoiada nas mãos, olhando sempre o chefe por baixo das sombracelhas.

Eis que o chefe, que até agora permanecia calado, diz ao candidato: “Fale-me primeiro algo a respeito de sua formação e de sua experiência”.

A esta altura, o candidato já não insiste em ter informações, procurando responder imediatamente à pergunta do chefe, continuando sempre sentado na beirada da cadeira;

V. Nisso, o animador aplica uma técnica usada em psicodramatização. Pára e inverte os papéis. O candidato se torna o chefe do pessoal, sentando-se no escritório, no lugar ocupado pelo chefe, e este ocupa a posição do candidato, fazendo o seu papel;

VI. É importante observar como o comportamento das pessoas muda radicalmente. O candidato toma uma posição reta, firme, sentando-se corretamente. Enquanto o chefe deixa seu ar de autoridade, e apresenta-se humilde, acanhado, falando com voz sumida. E o exercício continua.

VII. O animador pede aos observadores do grupo que façam uma lista das anotações de tudo o que constataram e a mensagem que os dois protagonistas deixaram na dramatização.

VIII. A seguir, cada observador lerá suas anotações, e segue a verbalização acerca da experiência vivida

Dinâmicas de grupo, integração

Objetivo:

  1. Oportunizar um maior conhecimento de si mesmo e facilitar melhor relacionamento e integração interpessoal.
  2. Material necessário: Lápis e uma folha de papel em branco para todos os participantes.
  3. Tamanho do grupo: Trinta a quarenta pessoas, aproximadamente.
  4. Tempo exigido: Uma hora, aproximadamente.
  5. Ambiente físico: Uma sala, com carteiras, suficientemente ampla, para acomodar todos os participantes.

Descrição da dinâmica:

1. O facilitador explicita o objetivo e a dinâmica do exercício.

2. Em continuação, pede que cada um escreva, na folha em branco, alguns dados de sua vida, fazendo isso anonimamente e com letra de fôrma, levando para isso seis a sete minutos.

3. A seguir, o facilitador recolhe as folhas, redistribuindo-as, cabendo a cada qual ler em voz alta a folha que recebeu, uma por uma.

4. Caberá ao grupo descobrir de quem é, ou a quem se refere o conteúdo que acaba de ser lido, justificando a indicação da pessoa.

5. Após um espaço de discussão sobre alguns aspectos da autobiografia de cada um, seguem-se os comentários e a avaliação do exercício.

Dinâmicas de grupo, brainstorming

Objetivo:

O Brainstorming ou tempestade cerebral, mais que uma técnica de dinâmica de grupo é uma atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa do indivíduo, colocando-a a serviço de seus objetivos.

De autoria de Alex Osborn foi e é por este e por seus seguidores muito utilizada nos Estados Unidos, principalmente em atividade de treinamento do pessoal, em áreas de relações humanas e publicidade e propaganda.

Forma de realização:

O Brainstorming não visa a fixação de um conteúdo desenvolvido ou que conste de um texto qualquer.

O princípio no qual se apóia o Brainstorming é o de solicitar aos participantes que aparentemente idéias, as mais diversas e até mesmo descabidas, sobre um assunto qualquer colocado pelo monitor. Sua participação, durante a apresentação dessa idéias, será a de registrá-las, independente de qualquer juízo crítico sobre sua validade, e estimular a rápida sucessão de outras mais. Um exemplo proposto é aproveitar-se uma reunião de executivos, por exemplo, na área de publicidade e apresentar-lhes desafios aparentemente ilógicos como:

  1. Qual a utilidade prática de uma lâmpada queimada?
  2. Que outros empregos poderemos dar a um clipes?
  3.  Como nos valer da palavras (chuva) e da palavra (matagal) para promover a venda de óleos de bronzear?

Colocando um desses problemas, cabe ao monitor, mais ou menos com um leilão, incentivar os participantes a apresentarem, em poucas palavras, as sua ideias e, eventualmente, associá-las a outras até que praticamente se esgote o manancial. Com inúmeras ideias expostas a registradas, deve então o monitor, com auxílio do grupo ir eliminando umas, aprimorando outras e assim chegar a um resultado prático.

Categorias
Empregos

Como fazer um currículo – curriculum Vitae

Saiba como elaborar um currículo vencedor. Veja as principais dicas e modelos de profissionais de recursos humanos, destaque suas principais habilidades e realizações sempre valorizando a estética do currículo.

Currículo vencedor

O currículo é o registro da  história profissional do  indivíduo. E a sua propaganda, e como tal não pode ser apenas um pedaço de papel frio, comum, deve transmitir entre outras coisas, a formação, o conhecimento, a experiência, as habilidades, a organização ou no caso do primeiro emprego, transmitir o ímpeto, o desejo, a pré disposição ao conhecimento, ao aprendizado, em colaborar e agregar valores.

O currículo é um documento que deve ser elaborado para destacar suas habilidades e realizações, de tal forma que soe como um tambor ou um clarim, anunciando quem você é, de maneira elegante e agradável.

O currículo deve se constituir numa mensagem breve. Não é a toa que quase em muitos países se utiliza a palavra francesa résumé (que significa resumo) para designar currículo.

Normalmente o currículo chega ao seu potencial empregador antes de você, portanto, quanto melhor a impressão que causar a seu respeito, mais oportunidades poderá propiciar.

Cuide bem do seu currículo que ele ajudará você a alcançar entrevistas, a primeira metade do caminho para conseguir um novo emprego.

O currículo bem elaborado atrai, o currículo mal elaborado afasta.

Antigamente, destacar se pelo currículo era usar papel rosa, arrumar o texto em blocos agrupados e densos, com informações que começavam com o seu curso de primeiro grau, incluíam seus hobbies prediletos, estado da saúde e situação matrimonial. Esqueça este tipo de currículo!

Hoje, mudou o mercado de trabalho, e mudaram os currículos. Seja você é candidato a uma vaga de presidente, vendedor ou escriturário, o que o seu currículo deve fazer é evidenciar suas habilidades, conquistas e experiência, e é nisso que você vai se distinguir de uma multidão de outros candidatos. Este é o currículo moderno e eficaz!

Um bom currículo…

Apresenta um resumo breve, objetivo e conciso, mas ao mesmo tempo claro, abrangente e verdadeiro sobre a sua experiência passada.

Modelo de currículo

Cabeçalho ou topo do currículo

No topo do curriculum devem aparecer suas informações pessoais: nome completo, estado civil, idade, endereço completo e, principalmente, seus dados de contato. Embora pouco comum, muitas pessoas esquecem de colocar  telefone e e-mail atualizados, e perdem assim a oportunidade de uma entrevista. Demais documentos como número da carteira de identidade, CPF, documento militar, entre outros ficam de fora.

Seu objetivo

O que você quer vem logo depois de quem você é. Deixe claro o seu objetivo profissional. Cuidado com exageros: antes de enviar seu perfil a um empregador, decida BEM o que você quer fazer e em que área quer atuar.

Observação:

Crie uma pasta no seu micro para manter o ser currículo sempre com a possibilidade de alteração. O currículo deve ser sempre direcionado para a vaga que está se candidatando.

Dessa forma é interessante e importante que se determinada vaga exigir um determinado requisito que você possui, ressalte-o no seu currículo, mais do que os demais.

Deixe sempre a possibilidade de um possível aproveitamento seu para uma outra vaga que mesmo não estando em aberto é um cargo que a empresa possui.

Resumo Profissional

Apresente uma síntese (leu direito? SÍNTESE) de suas competências e habilidades profissionais. Isso é para que o selecionador quando bater os olhos possa avaliar você no ato. É aí que ele decidirá se continua em frente, lendo atentamente o seu perfil, ou se descarta o seu currículo.

Caso você tenha realizado projetos, sistemas ou coisas relevantes na sua vida profissional, cite-as e de preferência coloque números que retratem por exemplo economia, produtividade etc. obtidos

Histórico Profissional

A experiência é o ponto que mais chama a atenção dos selecionadores. Resuma seu histórico profissional, não esquecendo dos seguintes pontos:

1. As empresas nas quais trabalhou (da mais recente para a mais antiga);
2. O período em que passou em cada uma delas;
3. Seu(s) cargo(s) na organização; Se teve promoções cite-as
4. Uma breve descrição de suas funções e responsabilidades. (opcional)

Se você é um profissional com alguma experiência de mercado, coloque seu histórico profissional ANTES da sua formação.

Caso você seja recém-formado ou tenha “ poucos quilômetros rodados ” nas empresas, troque as bolas: coloque primeiro a formação acadêmica.

Formação Acadêmica

Liste os cursos de graduação, pós-graduação e especialização, do mais recente para o mais antigo, com ano de início e de término (se você ainda não concluiu o curso, coloque simplesmente a palavra “cursando”). Não esqueça das certificações e do MBA, se houver. JAMAIS coloque onde fez o colegial, ginásio ou ensino fundamental, a não ser que o empregador peça.

Idiomas

Liste os idiomas nos quais você tem algum conhecimento e, principalmente, seu NÍVEL (básico, intermediário ou fluência) em cada um deles. Aqui, não adianta enrolar: se você é fluente, é fluente e pronto. Não existe essa história de “falo, mas não escrevo” ou algo do gênero. Caso você tenha alguma experiência de trabalho ou estudo no exterior, é hora de mencioná-la(s). Viagens de férias ou turismo não valem. Já intercâmbios ou estágios são uma boa pedida.

Informações Adicionais

Por fim, liste suas habilidades específicas, como conhecimentos de linguagens de programação, seminários e workshops (só os relevantes), disponibilidade ou não morar em outro local, e para viagens.

Dicas gerais para bom currículo:

Seja breve e objetivo.

.Seu currículo deve conter, no máximo, duas páginas. Utilize processadores de textos (esqueça programas gráficos, HTML ou máquinas (?) de escrever) e escolha uma fonte sem firulas. Figuras, nem pensar. Nem foto. E também não assine seu currículo.

Não envie o currículo atachado (em anexo)

Coloque-o no corpo da mensagem. Com a atual epidemia de vírus, muitos empregadores simplesmente eliminam arquivos anexados.

Utilize palavras chaves no currículo

Seu currículo pode ficar armazenado em um banco de dados inteligentes, o que significa que o empregador pode selecioná-lo por determinados campos.

Não minta no currículo

Você pode ter surpresas desagradáveis no futuro (se houver futuro para você na carreira).

Não escreva nada sobre salário.  A não ser que o empregador exija saber qual é sua pretensão salarial.

Categorias
Empregos

Processo Trabalhista

A Justiça do Trabalho foi estabelecida com o objetivo de resolver eventuais conflitos nas relações nas relações entre empregado e empregador. Quando uma das partes se sentir prejudicada, é possível entrar com uma ação. Com base nas normas jurídicas que regem os acordos entre contratados e contratantes.

Vale lembrar que a Justiça do Trabalho é uma competência não penal capaz de orientar as não só as relações de trabalho como também as relações de emprego. Uma reclamação trabalhista precisa ser encaminhada por escrito, com a representação de um advogado ou sindicato.

Para quem já entrou com uma ação na Justiça do Trabalho, é importante saber que como acompanhar os trâmites da sua causa. Tendo em vista que os procedimentos podem levar anos, a consulta do processo trabalhista torna-se fundamental. Mesmo que esse recurso esteja disponível há bastante tempo, ele ainda gera uma série de dúvidas nas pessoas. Leia os itens a seguir para entender definitivamente como funciona o serviço, com foco nos exemplos de Rio de Janeiro e São Paulo.

Consulta processo trabalhista

A consulta de processo trabalhista é uma ferramenta que permite tanto ao reclamante quanto ao reclamado acompanhar o andamento da ação, sendo o melhor modo de manter-se atualizado. Não é necessário nem sair de casa ou pedir a informações para o seu advogado. O requisito básico para concluir essa pesquisa é ter o número do processo que você quer examinar. Esse dado pode ser obtido diretamente na Vara do Trabalho, bem como com o seu representante legal. O próximo passo é entrar na página do Tribunal regional ou na vara em que a ação está correndo. Confira abaixo como fazer a consulta de processo trabalhista via internet.

Consulta processo trabalhista SP

A consulta de processo trabalhista em São Paulo é viabilizada pelo site http://www.trt2.gov.br/ . No estado, também existe a possibilidade de verificar ações por TRT da 15ª Região, situado em Campinas.

Consulta processo trabalhista RJ

Por sua vez, a consulta do processo trabalhista no Rio de Janeiro, acesse http://www.trt1.jus.br e entre na opção: Acompanhamento processual. Selecione a aba Nova Consulta Processual.

Consulta processo trabalhista pelo CPF

Além do número do litígio em questão, ainda se poda realizar a consulta de processo trabalhista pelo CPF. No entanto, essa opção só é disponibilizada quando a causa já foi julgada ou então quando não houve o pagamento previsto em um acordo, isso é, em caso de inadimplência. Nessas situações, o indivíduo ou empresa com dívidas vai para o Banco Nacional de Devedores Trabalhista.

Tal medida é indicada especialmente para os reclamados verificarem os seus status.

Com essa proposta clara, basta acessar a página do TST www.tst.jus.br certidao e clicar em Emitir Certidão. Em seguida, digite o seu CPF e depois aperte no botão Emitir.

O resultado da pesquisa será apresentado em PDF e poderá retornar com os seguintes comentários: Certidão Positiva de Débitos Trabalhistas e Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas. Mas lembre-se que uma certidão negativa apenas significa que não há dívidas trabalhistas no seu nome. Ainda assim, é possível que haja um processo trabalhista em andamento contra você.

Categorias
Empregos

Trabalho

O trabalho é uma atividade realizada pelos seres humanos com o intuito de atingir um objetivo. Quando é realizado em conjunto, trata-se de uma soma de esforços para cumprir tarefas e funções que contribuem para um panorama geral de uma determinada finalidade. A palavra “trabalho” advém do termo latino “tripalium”, que significa “três paus” (tri + palus), um instrumento de tortura, aos quais os escravos eram submetidos.

 

Desde os tempos das cavernas o homem gasta horas do seu dia no desempenho de uma função visando sua sobrevivência. O trabalho faz parte da vida humana desde a infância, quando a criança precisa realizar tarefas escolares para ser aprovada no fim do ano.

 

Ministério do trabalho

 

O Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) órgão executivo do Governo Federal que fiscaliza e regula todos os processos trabalhistas no país. A instituição existe desde 26 de julho de 1930, criada pelo presidente Getúlio Vargas tendo, a princípio, o nome de Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio.

 

Entre as atividades da pasta estão o apoio ao trabalhador através da implementação de políticas e diretrizes para a criação de emprego e renda, modernização das relações trabalhistas, formação e desenvolvimento profissional e elaboração de políticas salariais.

 

O MTPS é responsável por resoluções, portarias, Instruções Normativas (INs) e Normas Reguladoras (NRs). Além disso, emite o registro oficial do trabalhador, a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).

 

Justiça do Trabalho

 

Dentro do Poder Judiciário, a Justiça do Trabalho é o ramo responsável pelas relações trabalhistas. Em 1806, no Período Napoleônico, foi criado o primeiro órgão para a solução conflitos nas relações de trabalho. Devido ao sucesso da invenção, os países europeus e, mais tarde, americanos resolveram copiar o modelo francês.

 

Segundo o artigo 111 da Constituição Brasileira, a Justiça do Trabalho possui mais três órgãos: o Tribunal Superior do Trabalho, o Tribunal Regional do Trabalho e o Juiz do Trabalho. Esse último é uma instância administrativa, e não um órgão judicial.

 

Tribunal Regional do Trabalho

 

É o ramo da Justiça do Trabalho que corresponde à segunda instância de um processo trabalhista. Existem 24 TRTs distribuídos por todo território brasileiro. A Constituição de 1988 estabelecia que cada estado deveria ter, pelo menos, um Tribunal Regional do Trabalho. Contudo, a Emenda Constitucional nº 45/2004 retirou essa regra. Por isso, os estados de Tocantins, Roraima, Acre e Amapá não possuem TRTs, enquanto o estado de São Paulo possui dois.

 

A função deles é apreciar recursos ordinários e agravos de petição. Entre as funções originárias do órgão estão ações rescisórias, mandados de segurança e apreciação de dissídios coletivos.

 

Oportunidade de Trabalho

 

Os órgãos do Governo Federal ligados ao Ministério do Trabalho e Previdência Social buscam controlar o número de trabalhadores e empregadores. Dessa forma, evita-se que o número de desempregados aumente e o número de postos de trabalho vagos diminua. Através de Postos de Atendimento, os desempregados podem encontrar empregadores que oferecem as vagas que eles desejam ocupar.

 

Quando estão em busca de uma oportunidade de trabalho, as pessoas podem criar um cadastro no órgão. O próprio MTPS, através dos Postos de Atendimento, media a contratação e encaminha o trabalhador à empresa. O órgão também dá início aos processos trabalhistas, com foco nos direitos do empregado.