Categorias
Cargos e salários

Engenheiro Ambiental – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Engenheiro Ambiental, onde estão as melhores vagas de emprego para engenheiro ambiental, informações completas do Ministério do Trabalho com a participação de empresas e profissionais do setor de engenharia ambiental e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Engenheiro Ambiental:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Engenheiro Ambiental

  • Jornada de trabalho: 42h
  • Piso salarial: R$3.999,46
  • Salário médio: R$5.633,04
  • Maior salário: R$8.512,81
  • Salário hora: R$26,98
  • Código da profissão: CBO 214005

Atribuições do cargo de Engenheiro Ambiental

Elaboram e implantam projetos ambientais ; gerenciam a implementação do sistema de Gestão Ambiental (SGA) nas empresas, implementam ações de controle de emissão de poluentes, administram resíduos e procedimentos de remediação. Podem prestar consultoria, assistência e assessoria.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para o exercício profissional requer-se formação em engenharia ambiental ou cursos de tecnologia na área ambiental e registro no respectivo conselho de classe, quando exigido. O exercício pleno da atividade ocorre, em média, após um a dois anos de experiência.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Atuam na maioria das atividades econômicas, com foco na reciclagem, eletricidade, gás, capataçã, purificação e distribuição de água, além da silvicultura, exploração florestal. Costumam trabalhar em equipe multidisciplinar, em laboratórios e escritórios e também ‘à céu aberto´, ou ´no campo´. Os vínculos de trabalho mais comum são como trabalhador assalariado, ou por conta-própria, na condição de prestador de serviços.

Código internacional CIUO88
2142 – Ingenieros civiles

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ELABORAR PROJETOS AMBIENTAIS

1 – Levantar dados;
2 – Definir objetivos;
3 – Estudar alternativas;
4 – Definir plano de ação;
5 – Elaborar orçamento;
6 – Especificar equipamentos e materiais;
7 – Definir prioridades;
8 – Definir metodologias de execução;
9 – Realizar investigação de campo;
10 – Definir organograma;
11 – Elaborar cronograma;
12 – Definir escopo;
13 – Assinar projetos;

GERENCIAR IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL – SGA

1 – Monitorar indicadores da empresa;
2 – Participar da elaboração do sga;
3 – Participar da implantação de certificação ambiental;
4 – Desenvolver instruções de trabalho;
5 – Participar de auditorias de certificação;

CONTROLAR EMISSÕES DE POLUENTES

1 – Realizar testes e análises;
2 – Projetar máquinas e equipamentos;
3 – Elaborar ações de manutenção preventiva e corretiva;
4 – Calibrar equipamentos de controle de emissões;
5 – Pesquisar tecnologias;
6 – Implementar tecnologias;

GERIR RESÍDUOS

1 – Coletar amostras;
2 – Classificar resíduos;
3 – Quantificar resíduos;
4 – Analisar resíduos;
5 – Destinar resíduos;
6 – Levantar alternativas de destinação;
7 – Levantar custos de destinação;
8 – Acompanhar cadeia de custódia;

IMPLANTAR PROJETOS AMBIENTAIS

1 – Selecionar mão-de-obra, equipamentos, materiais e serviços;
2 – Controlar orçamento;
3 – Controlar recebimento de materiais e serviços;
4 – Contratar recursos humanos;
5 – Coordenar equipe;
6 – Capacitar equipe;
7 – Monitorar resultados das ações do projeto;
8 – Gerenciar ações institucionais;
9 – Acompanhar fiscalização;

IMPLEMENTAR PROCEDIMENTOS DE REMEDIAÇÃO

1 – Identificar aspectos e impactos (passivos ambientais);
2 – Quantificar impactos;
3 – Qualificar impactos;
4 – Instalar projeto piloto de remediação;
5 – Monitorar projeto piloto;
6 – Ensaiar produtos, métodos, equipamentos e procedimentos;

PRESTAR CONSULTORIA, ASSISTÊNCIA E ASSESSORIA

1 – Atender clientes;
2 – Realizar visitas técnicas;
3 – Realizar avaliações ambientais;
4 – Fiscalizar questões hidráulicas e ambientais de obras;
5 – Propor soluções técnicas;

COMUNICAR-SE

1 – Elaboar relatórios;
2 – Elaborar minuta de documentos;
3 – Emitir laudos técnicos;
4 – Divulgar tecnologias;
5 – Assinar autos de inspeção;
6 – Promover educação ambiental;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

1 – Trabalhar em equipe multidisciplinar;
2 – Demonstrar visão sistêmica;
3 – Demonstrar raciocínio lógico;
4 – Demonstrar capacidade de análise;
5 – Demonstrar capacidade de resolução de problemas;
6 – Antecipar problemas;
7 – Antever cenários futuros;
8 – Demonstrar capacidade de decisão;
9 – Demonstrar senso crítico;
10 – Contornar situações adversas;
11 – Demonstrar criatividade;
12 – Demonstrar capacidade de negociação;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Gps
  2. Recursos De Informática
  3. Sofwares E Hardwares Específicos
  4. Epi
  5. Aparelhos De Comunicação
  6. Câmera
  7. Equipamentos De Medição
  8. Veículos Terrestres E Aquáticos
  9. Normas Técnicas E Legislação
  10. Sig – Sistema De Informação Geográfica
  11. Vidraria De Laboratório
  12. Material De Escritório

CARGOS RELACIONADOS

1 – Engenheiro ambiental – Engenheiro de meio ambiente;
2 – Tecnólogo em meio ambiente – Tecnólogo em gestão ambiental, Tecnólogo em processos ambientais, Tecnólogo em saneamento ambiental;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Aline Biscegli Lopes;
  • Gabriela Moreira De Maria;
  • Guilherme Fernando Teixeira De Mendonça E Silva;
  • Herodes Lima;
  • Isabela Viana Araujo Goes Giannotti;
  • Jamerson Da Silva Farias;
  • Luiz Paulo Gomes Ferraz Moreno;
  • Roberto Carotta;
  • Werner Kessler;

INSTITUIÇÕES

Cinco Engenheiros Consultores Ltda.;

Fcth;

Regea;
Schattdecor Do Brasil;

Instituição Conveniada Responsável

Ministério Do Trabalho E Emprego – Mte

Fonte: Ministério do Trabalho

Glossário
Cadeia de custódia é o que também se entende por ciclo de vida dos resíduos. SIG – Sistema de Informação Geográfica SGA – Sistema de Gestão Ambiental

Categorias
Cargos e salários

Arquiteto de interiores – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Arquiteto de interiores, onde estão as melhores vagas de emprego para Arquiteto de interiores, informações completas do Ministério do Trabalho e Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp com a participação de empresas e profissionais do setor de arquitetura e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Arquiteto de interiores :

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Arquiteto de interiores

  • Jornada de trabalho: 42h
  • Piso salarial: R$2.837,23
  • Salário médio: R$3.996,10
  • Maior salário: R$6.039,03
  • Salário hora: R$19,11
  • Código da profissão: CBO 214110

Atribuições do cargo do Arquiteto de interiores

Elaboram planos e projetos associados à arquitetura em todas as suas etapas, definindo materiais, acabamentos, técnicas, metodologias, analisando dados e informações. Fiscalizam e executam obras e serviços, desenvolvem estudos de viabilidade financeira, econômica, ambiental. Podem prestar serviços de consultoria e assessoramento, bem como estabelecer políticas de gestão.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para o exercício das ocupações exige-se o curso superior completo em arquitetura e urbanismo, com ocorrência de profissionais com cursos de especialização e/ou pós-graduação.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

O trabalho é exercido em atividades econômicas como a da construção civil, de empresas imobiliárias, industriais e de serviços, na condição de empregado ou autônomo, prestando serviços. São mais freqüentemente encontrados em empresas e escritórios de médio e grande porte do setor privado, em empresas e órgãos administrativos do setor público, em institutos de pesquisa e planejamento urbano, em instituições ligadas ao patrimônio histórico e na área ambiental. Seu trabalho se desenvolve tanto de forma individual como integrando equipe de trabalho especializada ou multidisciplinar.

Código internacional CIUO88
2141 – Arquitectos, urbanistas e ingenieros de tránsito

Nota
Podem ocorrer casos de arquitetos que exercem também funções de professor no ensino superior. Para codificá-los, considerar as atividades principais. Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966 – regula o exercício das profissões de engenheiro, arquiteto e engenheiro agrônomo e dá outras providências. Lei nº 8.195, de 26 de junho de 1991 – altera a lei nº 5.194/66.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ELABORAR PLANOS, PROGRAMAS E PROJETOS

1 – Identificar necessidades do cliente/usuário;
2 – Coletar informações e dados;
3 – Analisar dados e informações;
4 – Elaborar diagnóstico;
5 – Buscar um conceito arquitetônico compatível com a demanda;
6 – Definir conceito projetual;
7 – Elaborar metodologia;
8 – Pré-dimensionar o empreendimento proposto;
9 – Elaborar estudos preliminares e alternativas;
10 – Compatibilizar projetos complementares;
11 – Compatibilizar planos, programas e projetos setoriais;
12 – Definir técnicas;
13 – Definir materiais;
14 – Elaborar planos diretores e setoriais;
15 – Elaborar o detalhamento técnico construtivo;
16 – Elaborar orçamento do projeto;
17 – Buscar aprovação do projeto junto aos órgãos competentes;
18 – Registrar responsabilidade técnica (art);
19 – Elaborar manual do usuário;

FISCALIZAR OBRAS E SERVIÇOS

1 – Assegurar fidelidade quanto ao projeto;
2 – Fiscalizar obras e serviços quanto ao andamento físico, financeiro e legal;
3 – Conferir medições;
4 – Monitorar controle de qualidade dos materiais e serviços;
5 – Ajustar projeto a imprevistos;

PRESTAR SERVIÇOS DE CONSULTORIA E ASSESSORIA

1 – Avaliar métodos e soluções técnicas
2 – Promover integração entre comunidade e planos, programas e projetos
3 – Elaborar laudos, perícias e pareceres técnicos
4 – Promover integração entre comunidade e bens edificados
5 – Realizar estudo de pós-ocupação
6 – Coordenar equipes de planos, programas e projetos

GERENCIAR EXECUÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS

1 – Preparar cronograma físico e financeiro;
2 – Elaborar o caderno de encargos;
3 – Cumprir exigências legais de garantia dos serviços prestados;
4 – Implementar parâmetros de segurança;
5 – Selecionar prestadores de serviço, mão-de-obra e fornecedores;
6 – Acompanhar execução de serviços específicos;
7 – Aprovar os materiais e sistemas envolvidos na obra;
8 – Efetuar medições do serviço executado;
9 – Aprovar os serviços executados;
10 – Entregar a obra executada;
11 – Executar reparos e serviços de garantia da obra;

DESENVOLVER ESTUDOS DE VIABILIDADE

1 – Analisar documentação do empreendimento proposto;
2 – Verificar adequação do projeto à legislação, condições ambientais e institucionais;
3 – Avaliar alternativas de implantação do projeto;
4 – Identificar alternativas de operacionalização;
5 – Identificar alternativas de financiamento;
6 – Elaborar relatórios conclusivos de viabilidade;

ORDENAR USO E OCUPAÇÃO DO TERRITÓRIO

1 – Sistematizar legislação existente;
2 – Analisar legislação existente;
3 – Elaborar cadastro fundiário municipal;
4 – Compatibilizar políticas setoriais;
5 – Definir diretrizes para uso e ocupação do espaço;
6 – Elaborar plano diretor municipal/pddu;
7 – Propor legislação e instrumentos urbanísticos;
8 – Monitorar a implementação da legislação urbanística;

FOMENTAR PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

1 – Identificar oportunidades de serviços;
2 – Divulgar o trabalho de arquitetura e urbanismo;
3 – Comercializar serviços arquitetônicos e urbanísticos;
4 – Dar garantia dos serviços prestados;
5 – Promover estudos e pesquisas em arquitetura e urbanismo;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

1 – Demonstrar capacidade de síntese;
2 – Expressar idéias graficamente;
3 – Transmitir segurança;
4 – Dar prova de percepção espacial;
5 – Manifestar criatividade;
6 – Gerenciar informações e atividades diversas;
7 – Demonstrar sensibilidade estética;
8 – Manifestar comprometimento social;
9 – Atuar em equipes multidisciplinares;
10 – Administrar conflitos;
11 – Assegurar a qualidade dos seviços;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Computador;
  2. Software cad (computer aided design);
  3. Material de prospecção;
  4. Sensores de umidade e temperatura;
  5. Software de edição de texto e planilhas;
  6. Software de edição multimídia;
  7. Escalímetro;
  8. Software de apresentação gráfica;
  9. Acesso à internet;
  10. Trena;
  11. Prancheta com régua paralela;
  12. Esquadros e compasso;
  13. Máquina fotográfica;
  14. Calculadora;
  15. Catálogos de materiais e produtos;
  16. Material de desenho (lápis, canetas etc);
  17. Impressora, plotter e copiadora;
  18. Livros e publicações técnicas;
  19. Gabarito de peças;
  20. Eterioscópio;
  21. Scanner;
  22. Softwares especiais;
  23. Mesa digitalizadora;
  24. Gps;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Arquiteto de edificações – Engenheiro arquiteto, Projetista (arquiteto);
  2. Arquiteto de interiores;
  3. Arquiteto de patrimônio – Arquiteto de restauro, Arquiteto;
  4. Restaurador, Conservador de edificações, Restaurador de edificações;
  5. Arquiteto paisagista – Arquiteto da paisagem, Paisagista;
  6. Arquiteto urbanista – Planejador urbano;
  7. Urbanista

PARTICIPARAM DA PESQUISA

Ana Lucia Nogueira De Paiva Britto;
Cassio Marcelo Silva Castro;
Cyro Illídio Corrêa De Oliveira Lyra;
José Lázaro De Carvalho Santos;
João Carlos Moreira Filho;
Júlio Guerra Torres;
Leon Cláudio Myssior;
Luiz Antônio De Souza;
Marieta Cardoso Maciel;
Otilie Macedo Pinheiro;
Rogério Carvalho Silva;
Rosa Grena Kliass;
Sebastião Lúcio Scaldaferri;
Sonia Maria Candido;
Tarcísio Silva Filho;
Thomás Anastasia Rebelo Horta;
Wivian Patrícia Pinto Diniz;

INSTITUIÇÕES

Companhia De Desenvolvimento Urbano Do Estado Da Bahia – Conder;
Davila Arquitetura;
Instituto Do Patrimônio Histórico E Artístico Nacional (Iphan);
Instituto Estadual Do Patrimônio Histórico E Artístico De Minas Gerais (Iepha);
Kade Engenharia E Construcão Ltda;
Mil Arquitetura E Consultoria S/c Ltda.;


Ministério Das Cidades
Pólis Arquitetura;
Rosa Grena Kliass Paisagismo Planejamento E Projetos Ltda.;
Secretaria De Planejamento De Minas Gerais (Seplan);
Sfs Arquitetura E Planejamento Ltda.;
Universidade Federal Do Rio De Janeiro – Faculdade De Arquitetura;

Instituição Conveniada Responsável

Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg

Fonte: Ministério do Trabalho

 

Categorias
Cargos e salários

Engenheiro Civil – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Engenheiro Civil, onde estão as melhores vagas de emprego para Engenheiro Civil, informações completas do Ministério do Trabalho e Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp com a participação de empresas e profissionais do setor de engenharia e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Engenheiro Civil:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Engenheiro Civil

  • Jornada de trabalho: 42h
  • Piso salarial: R$4.892,07
  • Salário médio: R$6.890,24
  • Maior salário: R$10.412,74
  • Salário hora: R$33,19
  • Código da profissão: CBO 214205

Atribuições do cargo de Engenheiro Civil

Elaboram projetos de engenharia civil, gerenciam obras, controlam a qualidade de empreendimentos. Coordenam a operação e manutenção do empreendimento. Podem prestar consultoria, assistência e assessoria e elaborar pesquisas tecnológicas.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para o exercício profissional requer-se formação em nível superior em tecnologia em Construção Civil ou Engenharia Civil e registro no CREA, sendo frequente os profissionais portadores de títulos de especialização e pós-graduação lato sensu. O exercício pleno da atividade ocorre, em média, após cinco anos de experiência, para engenheiros civis e em média até dois anos no caso dos tecnólogos.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Atuam na maioria das atividades econômicas com concentração na construção civil. Trabalham na área de planejamento e gerenciamento de projetos construtivos para as mais diversas finalidades. Costumam trabalhar em equipe multidisciplinar, em laboratórios e escritórios e também ‘à céu aberto´, ou ´no campo´. Os vínculos de trabalho mais comum são como trabalhador assalariado, ou por conta-própria, na condição de prestador de serviços. Eventualmente, em certas atividades, alguns profissionais trabalham em condições especiais, por exemplo, em ambientes subterrâneos ou confinados, expostos à poeira, mau cheiro, ruído intenso e materiais tóxicos.

Código internacional CIUO88
2142 – Ingenieros civiles

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ELABORAR PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL

1 – Planejar empreendimento;
2 – Realizar investigação de campo;
3 – Realizar levantamentos técnicos;
4 – Analisar dados primários e secundários;
5 – Definir metodologia de execução;
6 – Fazer estudo da viabilidade técnica, econômica e ambiental do empreendimento;
7 – Desenvolver estudos ambientais;
8 – Propor alternativas técnicas, econômicas e ambientais;
9 – Dimensionar elementos de projetos;
10 – Detalhar projetos;
11 – Especificar equipamentos, materiais e serviços;
12 – Elaborar cronograma físico e financeiro;
13 – Elaborar estudo de modelagem;

GERENCIAR OBRAS CIVIS

1 – Selecionar mão-de-obra, equipamentos, materiais e serviços
2 – Controlar recebimento de materiais e serviços;
3 – Controlar cronograma físico e financeiro da obra;
4 – Fiscalizar obras;
5 – Supervisionar segurança da obra;
6 – Supervisionar aspectos ambientais da obra;
7 – Realizar ajuste de campo;
8 – Medir serviços executados;
9 – Gerar projeto conforme construído (as built);

PRESTAR CONSULTORIA, ASSISTÊNCIA E ASSESSORIA

1 – Avaliar projetos e obras;
2 – Elaborar programas e planos;
3 – Propor soluções técnicas;
4 – Periciar projetos e obras;
5 – Realizar capacitação técnica;

CONTROLAR QUALIDADE DO EMPREENDIMENTO

1 – Executar ensaios de materiais, resíduos, insumos e produto final;
2 – Verificar atendimento a normas, padrões e procedimentos;
3 – Identificar métodos e locais de instalação de instrumentos de controle de qualidade;
4 – Verificar aferição, calibração dos equipamentos;
5 – Analisar ensaios de materiais, resíduos e insumos;
6 – Controlar documentação técnica;
7 – Fiscalizar controle ambiental do empreendimento;
8 – Realizar auditorias;
9 – Avaliar desempenho da obra;

COORDENAR OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO EMPREENDIMENTO

1 – Gerenciar recursos técnico-financeiros;
2 – Gerenciar recursos humanos;
3 – Coordenar apoio logístico;
4 – Gerenciar suprimento de materiais e serviços;
5 – Avaliar dados técnicos e operacionais;
6 – Avaliar relatórios de inspeção;
7 – Programar inspeção preventiva e corretiva;
8 – Programar intervenções no empreendimento;

ORÇAR O EMPREENDIMENTO

1 – Quantificar mão-de-obra, equipamentos, materiais e serviços;
2 – Cotar preços e custos de insumos do empreendimento;
3 – Apropriar custos específicos e gerais do empreendimento;
4 – Compor custos unitários de mão-de-obra, equipamentos, materiais e serviços;

CONTRATAR EXECUÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS

1 – Estabelecer critérios para pré-qualificação de serviços e obras;
2 – Preparar termo de referência para contratação de serviços e obras;
3 – Preparar edital de licitação para obras e serviços de engenharia;
4 – Preparar propostas técnicas para prestação de serviços e obras;
5 – Preparar proposta comerciais para prestação de serviços e obras;
6 – Julgar propostas técnicas e financeiras;
7 – Administrar contratos;

PESQUISAR TECNOLOGIAS

1 – Elaborar projetos de pesquisa;
2 – Coordenar pesquisas tecnológicas;
3 – Ensaiar novos produtos, métodos, equipamentos e procedimentos;
4 – Implementar novas tecnologias;

COMUNICAR-SE

1 – Elaborar relatórios;
2 – Emitir parecer técnico;
3 – Elaborar laudos e avaliações;
4 – Elaborar normas, procedimentos e especificações técnicas;
5 – Divulgar tecnologias;
6 – Elaborar publicações científicas;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

1 – Trabalhar em equipe;
2 – Demonstrar capacidade de negociação;
3 – Demonstrar raciocínio lógico;
4 – Demonstrar visão sistêmica;
5 – Demonstrar raciocínio matemático;
6 – Demonstrar criatividade;
7 – Demonstrar dinamismo;
8 – Demonstrar capacidade de liderança;
9 – Demonstrar capacidade de decisão;
10 – Demonstrar visão espacial;
11 – Usar epi;
12 – Controlar situações adversas;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Equipamentos Topográficos;
  2. Veículos De Transporte;
  3. Equipamentos de hidrojateamento;
  4. Usinas;
  5. Epi;
  6. Material De Escritório (calculadora);
  7. Publicações Técnicas;
  8. Equipamentos De Comunicação;
  9. Mapas Cartográficos, Imagens De Satélite E Levanta;
  10. Legislação específica;
  11. Recursos De Informática;
  12. Equipamentos De Construção Leve;
  13. Gps;
  14. Máquina fotográfica;
  15. Equipamentos De Laboratório E Campo;
  16. Softwares Específicos;

CARGOS RELACIONADOS

1 – Engenheiro civil – Engenheiro de planejamento, Engenheiro orçamentista, Engenheiro projetista;
2 – Engenheiro civil (aeroportos);
3 – Engenheiro civil (edificações);
4 – Engenheiro civil (estruturas metálicas);
5 – Engenheiro civil (ferrovias e metrovias);
6 – Engenheiro civil (geotécnia) – Engenheiro civil (fundações), Engenheiro civil (mecânica de solos);
7 – Engenheiro civil (hidrologia);
8 – Engenheiro civil (hidráulica);
9 – Engenheiro civil (pontes e viadutos);
10 – Engenheiro civil (portos e vias navegáveis);
11 – Engenheiro civil (rodovias) – Engenheiro civil (terraplanagem), Engenheiro de estradas, Engenheiro de geometria, Engenheiro de pavimentação, Engenheiro de projetos viários, Engenheiro de segurança viária, Engenheiro de sinalização viária, Engenheiro rodoviário;
12 – Engenheiro civil (saneamento) – Engenheiro civil (obras sanitárias), Engenheiro sanitarista;
13 – Engenheiro civil (túneis);
14 – Engenheiro civil (transportes e trânsito) – Analista de projetos viários, Analista de transportes e trânsito, Analista de tráfego, Engenheiro de logística, Engenheiro de operação (transporte rodoviário), Engenheiro de transportes, Engenheiro de tráfego, Engenheiro de trânsito;
15 – Tecnólogo em construção civil – Tecnólogo em construção civil-modalidade edifícios, Tecnólogo em construção civil-modalidade hidráulica, Tecnólogo em construção civil-modalidade movimento de terra e pavimentação, Tecnólogo em construção de edifícios, Tecnólogo em controle de obras, Tecnólogo em edificações, Tecnólogo em estradas;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

Alexandre Prado Rocha;
Aurélio Meneguelli Ribeiro;
Benjamin José Da Silva;
Claudio Luiz Ridente Gomes;
Cleber José De Carvalho;
Damião Campos Guimarães;
Danielo Nunes Rondon;
Eder Souza De Almeida;
Eduardo Antônio De Castilho Fonseca;
Elisangela Carla França;
Eugênio Álvares De Lima E Silva;
Eustáquio Pires Dos Santos;
Geórgenis Trigueiro Fernandes;
Hermes Evaristo Dos Reis;
José Eduardo Starling Soares;
José Leonardo Canut;
José Xavier Guimarães Neto;
João Ernani Antunes Costa;
João Manoel Soares Zendron;
Julio Manoel Custodio Correia;
Maria Helena Harumy Inoue Abduch;
Maria Luisa Ferreira Belo Moncorvo;
Maria Selma Freitas Schwab;
Marília Fernandes Zaza Von Dollinger;
Mário Enrique De Souza;
Priscila Costa Carvalho;
Raquel Chinaglia Pereira Dos Santos;
Reinaldo De Oliveira Godoy;
Rodrigo José Sevilha Ribeiro;
Roger Gama Veloso;
Rovena Serrano Teodoro;
Rubens Vieira;
Wadson De Abreu Santos;
Wilson Corradi Novais;

INSTITUIÇÕES

Bh Trans – Empresa De Transporte E Trânsito De Belo Horizonte;
CONCREMAX CONCRETO ENGº E SANEAMENTO LTDA;
Caesb- Companhia De Saneamento Ambiental Do Distrito Federal;
Cetesb;
Codeme Engenharia S.A.;
Companhia De Saneamento De Minas Gerais (Copasa);
Companhia Energética Do Estado De Minas Gerais (Cemig);
Construtora Andrade Gutierrez S.A.;
Departamento De Estradas De Rodagem Do Estado De Minas Gerais (Der-mg);
Departamento Nacional De Estradas De Rodagem (Dner);
Engesolo Engenharia;
Ferrovia Centro Atlântica S.A.;
Floram Consultoria E Prestação De Serviços Ltda;
Fundação Estadual Do Meio Ambiente (Feam);
Fusati Engenharia E Assessoria Ambiental Ltda;
INSITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA – MT;
INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLOGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO;
Instituto Estadual De Meio Ambiente E Recursos Hidricos Do Espírito Santo;
Ipt-instituto De Pesquisas Tecnológicas;
MAJO CRISTOFER EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS LTDA;
Novo Nordisk Produção Farmacêutica Do Brasil Ltda;
Odebrecht Engenharia E Construção S.A.;
Platô Engenharia Ltda.;
Prefeitura Municipal De Osasco;

Instituição Conveniada Responsável

Ministério Do Trabalho E Emprego – Mte

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Engenheiro mecânico – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Engenheiro mecânico, onde estão as melhores vagas de emprego para Engenheiro mecânico, informações completas do Ministério do Trabalho e Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp com a participação de empresas e profissionais do setor de engenharia mecânica e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Engenheiro mecânico:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Engenheiro mecânico

  • Jornada de trabalho: 42h
  • Piso salarial: R$5.191,15
  • Salário médio: R$7.311,49
  • Maior salário: R$11.049,34
  • Salário hora: R$34,65
  • Código da profissão: CBO 214405

Atribuições do cargo de Engenheiro mecânico

Projetam sistemas e conjuntos mecânicos, componentes, ferramentas e materiais, especificando limites de referência para cálculo, calculando e desenhando. Implementam atividades de manutenção, testam sistemas, conjuntos mecânicos, componentes e ferramentas, desenvolvem atividades de fabricação de produtos e elaboram documentação técnica. Podem coordenar e assessorar atividades técnicas.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

O exercício das ocupações requer formação em curso superior de Engenharia Mecânica e Afins ou Tecnologia em Fabricação Mecânica (ou outra formação correlacionada), com registro no CREA. A tendência do mercado atualmente é valorizar profissionais com pós-graduação e cursos de especialização. Em média, para o exercício pleno das atividades, demanda-se uma experiência superior a cinco anos para os engenheiros e, no caso dos tecnólogos, de 1 a 2 anos.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Trabalham nos setores industrial e de serviços. Na indústria, são empregados principalmente na metalurgia básica, fabricação de máquinas, equipamentos e veículos automotores, mas podem atuar em outros ramos industriais, tais como alimentos, têxtil e confecções, entre outros. Trabalham em equipe multidisciplinar, sob supervisão ocasional. Seu vínculo mais comum é como assalariado de carteira assinada, nas esferas pública e privada. Também são encontrados em universidades e institutos de pesquisa e, nesses casos, são classificados como pesquisadores e professores.

Código internacional CIUO88
2145 – Ingenieros mecánicos

Nota
Podem ocorrer casos de engenheiros mecânicos que também são professores no Ensino Superior ou pesquisadores. Para codificá-los considerar as atividades principais. Norma regulamentadora: Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966 – regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo e dá outras providências. Lei nº 8.195, de 26 de junho de 1991 – altera a Lei nº 5.194/66.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

PROJETAR SISTEMAS, CONJUNTOS MECÂNICOS, COMPONENTES E FERRAMENTAS

1 – Consultar literatura técnica;
2 – Consultar fornecedores;
3 – Consultar produtos similares;
4 – Especificar limites de referência (premissas);
5 – Especificar sistemas, conjuntos mecânicos, componentes e ferramentas;
6 – Especificar materiais;
7 – Calcular sistemas, conjuntos mecânicos, componentes e ferramentas;
8 – Desenhar sistemas, conjuntos mecânicos, componentes e ferramentas;
9 – Analisar viabilidade financeira do projeto;
10 – Analisar impactos socioambientais de projeto;
11 – Criar protótipos;
12 – Pesquisar novas tecnologias;

IMPLEMENTAR ATIVIDADES DE MANUTENÇÃO

1 – Implantar sistemas de controle de desempenho de equipamento;
2 – Inspecionar sistemas, conjuntos mecânicos, componentes e ferramentas;
3 – Coletar dados técnicos de funcionamento de sistemas, conjuntos mecânicos, componentes e ferramentas;
4 – Classificar manutenção por nível de complexidade;
5 – Realizar manutenções;

TESTAR SISTEMAS, CONJUNTOS MECÂNICOS, COMPONENTES E FERRAMENTAS

1 – Estabelecer variáveis e valores de controle;
2 – Selecionar equipamentos de medição;
3 – Instalar equipamentos de teste;
4 – Aferir equipamentos de teste;
5 – Ajustar equipamentos de teste (calibrar);
6 – Estabelecer condições operacionais de teste;
7 – Medir variáveis durante operação;
8 – Avaliar resultados de teste de sistemas, conjuntos mecânicos, componentes e ferramentas;

DESENVOLVER PROCESSOS DE FABRICAÇÃO

1 – Definir etapas de fabricação;
2 – Definir sistemas, conjuntos mecânicos, componentes e ferramentas;
3 – Controlar processo produtivo;
4 – Controlar qualidade de produto;
5 – Indicar alterações de variáveis de processo produtivo;
6 – Indicar alterações de sistemas, conjuntos mecânicas, componentes e ferramentas;
7 – Indicar alterações de instalações de fabricação (leiaute);
8 – Homologar processo de fabricação;
9 – Implementar processos de fabricação;

ELABORAR DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA

1 – Elaborar normas e manuais técnicos;
2 – Elaborar metodologias de testes;
3 – Elaborar padrões e procedimentos técnicos e operacionais;
4 – Elaborar especificações técnicas;
5 – Elaborar relatórios e laudos técnicos;
6 – Elaborar artigos técnicos;
7 – Elaborar planos de manutenção preventiva e preditiva;
8 – Codificar sistemas, conjuntos mecânicos e componentes e ferramentas;
9 – Elaborar teor técnico em contratação de bens e serviços;

COORDENAR ATIVIDADES TÉCNICAS

1 – Definir cronograma de trabalho;
2 – Definir escopo de trabalho;
3 – Definir equipe de trabalho;
4 – Coordenar equipe de trabalho;
5 – Coordenar logística de recursos;
6 – Gerir recursos financeiros;
7 – Avaliar resultado de atividades;
8 – Capacitar pessoal;

ASSESSORAR ATIVIDADES TÉCNICAS

1 – Prestar suporte técnico;
2 – Prestar consultoria técnica;
3 – Realizar perícia técnica em sistemas, conjuntos mecânicos, componentes e ferramentas;
4 – Assessorar elaboração de aplicativos específicos (softwares);
5 – Proferir palestras;
6 – Participar de auditoria de qsms;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

1 – Demonstrar raciocínio analítico;
2 – Demonstrar raciocínio lógico;
3 – Demonstrar orientação espacial;
4 – Demonstrar atenção difusa;
5 – Demonstrar capacidade retórica;
6 – Demostrar capacidade de negociação;
7 – Trabalhar em equipe;
8 – Demonstrar capacidade de liderança;
9 – Contornar situações adversas;
10 – Administrar conflitos;
11 – Usar epi;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Recursos De Informática;
  2. Softwares Específicos;
  3. Instrumentos de desenho;
  4. Bancada de teste;
  5. Aparelhos de aferição;
  6. Aparelhos de regulagem;
  7. Ferramentas manuais, elétrico, hidráulico, pneumáticas;
  8. Publicações técnicas;
  9. Motores;
  10. Equipamentos De Comunicação;
  11. Epi (equipamento de proteção individual);
  12. Máquinas operatrizes;
  13. Máquinas de baldeio;
  14. Transdutores;
  15. Calculadora;
  16. Manuais De Normas Técnicas;
  17. Aparelhos, Equipamentos E Instrumentos De Medição;

CARGOS RELACIONADOS

1 – Engenheiro mecânico;
2 – Engenheiro mecânico automotivo – Engenheiro de manutenção de veículos, Engenheiro mecânico (veículos automotores), Engenheiro mecânico automobilístico;
3 – Engenheiro mecânico (energia nuclear) – Engenheiro mecânico nuclear;
4 – Engenheiro mecânico industrial;
5 – Engenheiro aeronáutico;
6 – Engenheiro naval – Engenheiro de construção naval;
7 – Tecnólogo em fabricação mecânica – Tecnólogo em mecânica, Tecnólogo em processo de produção, Tecnólogo em processo de produção e usinagem;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Ernesto Berkenbrock;
  • Jocelito Grannemann Ribeiro;
  • Odir Camargo;
  • Ronaldo Aparecido Stivalli;
  • Tarcisio Kock Filho;

INSTITUIÇÕES

  • Companhia De Saneamento De Minas Gerais (Copasa);
  • Companhia Energética Do Estado De Minas Gerais (Cemig);
  • Companhia Siderúrgica Belgo-mineira (Usina De João Monlevade-mg);
  • Companhia Siderúrgica De Tubarão (Cst);
  • FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SOROCABA;
  • Fiat Automóveis S.A.;
  • Moler Engenharia E Representações Ltda.;
  • STV TREINAMENTOS TECNOLOGICOS LTDA;
  • Sindicato Dos Engenheiros De Belo Horizonte;
  • Sociedade Educacional De Santa Catarina;
  • TKM USINAS DE PRECISÃO;
  • Tam Linhas Aéreas S.A.;
  • Usinas Siderúrgicas De Minas Gerais S.A. (Usiminas);
  • V&m Do Brasil S.A.;

Instituição Conveniada Responsável

Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp

Fonte: Ministério do Trabalho

Glossário
Limites de referências = premissas que o projeto deve atender. Pode ser número, custo, tempo, vida útil ou material. Aferir = comparar com o padrão Calibar = ajustar,consertar. Imetro = orgão regulamentador de normalização, de padronização.

Categorias
Cargos e salários

Engenheiro Químico – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Engenheiro Químico, onde estão as melhores vagas de emprego para engenheiro químico, informações completas do Ministério do Trabalho e Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp com a participação de empresas e profissionais do setor de engenharia química e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Engenheiro Químico:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Engenheiro Químico

  • Jornada de trabalho: 42h
  • Piso salarial: R$5.072,49
  • Salário médio: R$7.144,36
  • Maior salário: R$10.796,76
  • Salário hora: R$33,94
  • Código da profissão: CBO 214505

Atribuições do cargo de Engenheiro Químico

Controlam processos químicos, físicos e biológicos definindo parâmetros de controle, padrões, métodos analíticos e sistemas de amostragem. Desenvolvem processos e sistemas por meio de pesquisas, testes e simulações de processos e produtos. Projetam sistemas e equipamentos técnicos. Implantam sistemas de gestão ambiental e de segurança em processos e procedimentos de trabalho ao avaliar riscos, implantar e fiscalizar ações de controle. Coordenam equipes e atividades de trabalho. Elaboram documentação técnica de projetos, processos, sistemas e equipamentos desenvolvidos.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

O exercício das ocupações requer formação superior em Engenharia química e afins ou Tecnologia em Produção Sucroalcooleira, com registro no CREA. No mercado de trabalho, têm sido valorizados profissionais com pós-graduação e cursos de especialização.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Atuam em um amplo campo de trabalho, em indústrias tradicionais como alimentos e bebidas e também em outros ramos, tais como a extração de minerais metálicos, petróleo e gás, refino de combustíveis, fabricação de produtos químicos e petroquímicos, indústria do açúcar e álcool. Trabalham em equipe, de forma cooperativa, podendo supervisioná-la ou serem supervisionados. São empregados, majoritariamente, em empresas privadas. Quando se vinculam a universidades e institutos de pesquisa geralmente exercem funções de professor ou pesquisador. Eventualmente, em algumas atividades que exercem podem estar expostos a materiais tóxicos, ruído intenso e altas temperaturas.

Código internacional CIUO88
2146 – Ingenieros químicos

Nota
Há engenheiros químicos que também exercem funções de professor ou de pesquisador. Para codificá-los, considerar as atividades principais. Norma Regulamentadora: Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966 – regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo e dá outras providências. Lei nº 8.195, de 26 de junho de 1991 – altera a lei nº 5.194/66.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

CONTROLAR PROCESSOS QUÍMICOS, FÍSICOS E BIOLÓGICOS

1 – Definir materiais e equipamentos;
2 – Definir nível de estoque de materiais;
3 – Definir parâmetros de controle de processos;
4 – Definir procedimentos operacionais;
5 – Definir padrões e métodos analíticos;
6 – Definir sistema de amostragem;
7 – Coletar amostras;
8 – Analisar amostras;
9 – Verificar conformidade de resultados;
10 – Verificar conformidade e funcionamento de equipamentos;
11 – Efetuar análise estatística de dados;
12 – Registrar ocorrências;
13 – Modificar variáveis de processos;
14 – Gerenciar custos de processos;
15 – Validar processos;
16 – Gerenciar indicadores de processos;

DESENVOLVER PROCESSOS E SISTEMAS

1 – Pesquisar processos, materiais e equipamentos;
2 – Calcular balanços de massa, energia e quantidade de movimento;
3 – Realizar testes e ensaios de materiais;
4 – Avaliar custo benefício de processos;
5 – Realizar testes em plantas industriais;
6 – Selecionar fornecedores de equipamentos, instalações e insumos;
7 – Desenvolver simuladores de processos;
8 – Simular processos;
9 – Participar do desenvolvimento de automação de processos;
10 – Alterar fluxograma de processos;
11 – Monitorar implantação de processos, sistemas e equipamentos;
12 – Prospectar soluções tecnológicas;

PROJETAR SISTEMAS E EQUIPAMENTOS

1 – Gerar projeto conceitual;
2 – Consultar normas técnicas, de segurança e legislação;
3 – Mensurar viabilidade técnica e econômica de projeto;
4 – Dimensionar equipamentos e sistemas;
5 – Gerar projetos de engenharia básica;
6 – Detalhar projeto construtivo;
7 – Elaborar cronograma físico-financeiro de projetos;
8 – Supervisionar implantação de projetos;
9 – Participar da elaboração de projetos;

IMPLANTAR SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

1 – Analisar aspectos e impactos ambientais;
2 – Quantificar impactos ambientais;
3 – Especificar ações de controle ambiental;
4 – Elaborar planos ambientais de contingência e emergência;
5 – Implantar ações de controle ambiental;
6 – Implementar processo de reutilização de rejeitos;
7 – Recuperar rejeitos e efluentes (sólidos, líquidos e gasosos);

COORDENAR EQUIPE E ATIVIDADES DE TRABALHO

1 – Programar atividades de trabalho;
2 – Estabelecer metas de trabalho;
3 – Selecionar equipe de trabalho;
4 – Delegar tarefas;
5 – Requisitar manutenção de equipamentos;
6 – Promover eventos e seminários técnicos;
7 – Participar de perícias técnicas e auditorias;
8 – Prestar consultorias e assistências técnicas;
9 – Assessorar a elaboração de planos de carreiras;
10 – Avaliar consultorias e assistências técnicas;
11 – Coordenar qualificação técnica de equipe;
12 – Avaliar desempenho individual e de equipe;
13 – Avaliar cumprimento de metas;
14 – Avaliar relatórios;
15 – Divulgar planos, metas e resultados;
16 – Capacitar pessoal;

IMPLEMENTAR SEGURANÇA DE PROCESSOS E PROCEDIMENTOS DE TRABALHO

1 – Classificar perigos e riscos de segurança;
2 – Elaborar planos de segurança de trabalho;
3 – Estabelecer procedimentos de segurança;
4 – Realizar inspeções periódicas;
5 – Fiscalizar procedimentos e utilização de equipamentos de segurança;
6 – Diagnosticar causas de acidentes de trabalho;
7 – Participar da implementação de processos e procedimentos de trabalho;

ELABORAR DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA

1 – Elaborar mapa de riscos ambientais e de segurança;
2 – Elaborar ficha de segurança de materiais e produtos químicos;
3 – Emitir normas técnicas;
4 – Emitir laudos técnicos;
5 – Redigir relatórios e manuais;
6 – Padronizar documentos técnicos;
7 – Submeter pedido de patentes de produtos e processos;
8 – Preparar documentação legal;
9 – Registrar memória técnica;
10 – Registrar não conformidades;

TRABALHAR COM SEGURANÇA

1 – Participar de treinamento de segurança no trabalho;
2 – Isolar áreas de risco;
3 – Usar epi e epc;
4 – Comunicar acidentes e incidentes no trabalho;
5 – Verificar observância de normas técnicas e de segurança;
6 – Realizar exames médicos periódicos;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

1 – Demonstrar capacidade de raciocínio lógico;
2 – Demonstrar capacidade de raciocínio indutivo;
3 – Tomar decisões;
4 – Demonstrar liderança;
5 – Trabalhar em equipe;
6 – Demonstrar capacidade de síntese;
7 – Demonstrar capacidade de raciocínio dedutivo;
8 – Demonstrar capacidade de persuasão;
9 – Demonstrar senso crítico;
10 – Demonstrar atenção focada;
11 – Demonstrar acuidade sensorial;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Sistemas De Informática/computadores;
  2. Fornos;
  3. Transportadores de correias;
  4. Lixadeiras;
  5. Tanque de armazenamento;
  6. Medidores de vazão;
  7. Phmetro;
  8. Controladores de nível;
  9. Tituladores;
  10. Agitadores;
  11. Estufas;
  12. Torre de destilação;
  13. Calorímetro;
  14. Ciclone;
  15. Moinhos;
  16. Reatores;
  17. Filtros;
  18. Lavador de gases;
  19. Trocador de calor;
  20. Torre de resfriamento;
  21. Instrumentos analíticos;
  22. Bombas;
  23. Medidores de temperatura;
  24. Vidraria;
  25. Medidores de pressão;
  26. Balanças analíticas;
  27. Calculadora;
  28. Papel;
  29. Britadores;
  30. Prensas;
  31. Peneirador;
  32. Moendas/difusores;
  33. Caldeiras;

CARGOS RELACIONADOS

1 – Engenheiro químico – Engenheiro de desenvolvimento químico, Engenheiro de processamento químico, Engenheiro químico (alimentos e bebidas), Engenheiro químico de processos, Engenheiro químico de produção, Engenheiro químico de projetos, Engenheiro químico, em geral;
2 – Engenheiro químico (indústria química) – Engenheiro de indústria química, Engenheiro químico (açúcar e álcool), Engenheiro químico (cosméticos, higiene e limpeza), Engenheiro químico (fertilizantes), Engenheiro químico (produtos farmacêuticos), Engenheiro químico (solventes e tintas), Engenheiro químico (têxtil), Engenheiro químico (ácidos e bases);
3 – Engenheiro químico (mineração, metalurgia, siderurgia, cimenteira e cerâmica) – Engenheiro químico (cerâmica), Engenheiro químico (cimento), Engenheiro químico (metalurgia), Engenheiro químico (mineração), Engenheiro químico (siderurgia);
4 – Engenheiro químico (papel e celulose) – Engenheiro de celulose e papel, Engenheiro químico (celulose), Engenheiro químico (papel)
5 – Engenheiro químico (petróleo e borracha) – Engenheiro químico (borracha), Engenheiro químico (derivados de petróleo), Engenheiro químico (petróleo e petroquímica), Engenheiro químico (plástico);
6 – Engenheiro químico (utilidades e meio ambiente) – Engenheiro químico (meio ambiente), Engenheiro químico (utilidades);
7 – Tecnólogo em produção sulcroalcooleira – Tecnólogo em produção de açúcar e álcool;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Andrei Cristiano De Oliveira;
  • Ivan Luís Nakamura;
  • Josivaldo Duarte Silva;
  • Ronaldo Aparecido De Souza;
  • Vera Lucia Alves Fidelis;

INSTITUIÇÕES

  • Ambientech Tecnologia Ambiental Ltda.;
  • Celulose Nipo Brasileira S.A. (Cenibra);
  • Centro De Pesquisas Da Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras-cenpes);
  • Companhia Energética Do Estado De Minas Gerais (Cemig);
  • Companhia Siderúrgica De Tubarão (Cst);
  • Crb Técnica Ambiental Ltda.;
  • Fertilizantes Fosfatos S.A. (Fosfértil);
  • Fiat Automóveis S.A.;
  • Fundação Estadual Do Meio Ambiente (Feam);
  • Instituto De Pesos E Medidas De Minas Gerais (Ipem-mg);
  • Itambé – Cooperativa Central Produtores Rurais De Minas Gerais;
  • Petróleo Brasileiro S.A. – Refinaria Gabriel Passos (Petrobras-regap);
  • Usinas Siderúrgicas De Minas Gerais S.A. (Usiminas);

Instituição Conveniada Responsável

Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp

Fonte: Ministério do Trabalho

Glossário
Processo: transformações químicas, físicas e biológicas que levam a matéria-prima ao produto final, por meio de operações unitárias. Sistema: conjunto de processos, equipamentos, instalações e utilitários. Projeto conceitual: descrição inicial do projeto, é o pré-projeto. Projeto de engenharia básica: projeto em detalhamento, com cálculos. Ele é o pré-projeto desenvolvido, com detalhamento e dimensionamento. Processos Químicos: de transformações químicas, exemplo: polimerização, nitração e reações de branqueamento, produção de ácido fosfórico a partir do minério. Processos físicos: de tranformações físicas da matéria, exemplo: filtração, transferência de calor, sedimentação. Processos biológicos: ultilização de organismos vivos para transformação de matéria orgânica, exemplo: degradação de matéria orgânica na água, fermentação, desinfecção, esterilização.

Categorias
Cargos e salários

Nutricionista – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Nutricionista, onde estão as melhores vagas de emprego para nutricionista, informações completas do Ministério do Trabalho e Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp com a participação de empresas e profissionais do setor de nutrição e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Nutricionista:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • O que é um nutricionista;
  • O que faz um nutricionista;
  • O que é nutrição;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Nutricionista

  • Jornada de trabalho: 40h
  • Piso salarial: R$1.893,48
  • Salário médio: R$2.666,88
  • Maior salário: R$4.030,26
  • Salário hora: R$13,26
  • Código da profissão: CBO 22371

Dica: Para encontrar o Código Brasileiro de Ocupações (CBO) da sua profissão, abra sua carteira de trabalho na página de registros profissionais).

O que é um Nutricionista

O nutricionista é um profissional de saúde que desenvolve ações no âmbito da atenção dietética e/ou segurança alimentar, destinadas tanto a um indivíduo como a um grupo populacional.

O que faz um Nutricionista

O nutricionista se dedica ao estudo da alimentação, tratando e prevenindo doenças através de mudanças em nossos hábitos alimentares. Além de poder atuar em diversas instituições que necessitam de uma profissional da nutrição para funcionarem com eficiência, como academias e restaurantes, por exemplo.

Veja mais a baixo as atribuições do cargo de nutricionista

O que é Nutrição

Nutrição é um processo biológico em que os organismos (animais, fungos, vegetais e micro-organismos), utilizando-se de alimentos, assimilam nutrientes para a realização de suas funções vitais.

Devido sua importância à sobrevivência de qualquer ser vivo, a nutrição faz parte do aprendizado durante grande parte do período de estudo básico e em nível secundário, assim como em muitos cursos de nível de graduação e pós-graduação, em áreas como medicina, enfermagem, biomedicina, farmácia, biologia, agronomia, zootecnia e nutrição entre outras.

No domínio da saúde e medicina (e também veterinária), a nutrição é o estudo das relações entre os alimentos ingeridos e doença ou o bem-estar do homem ou dos animais.

Atribuições do cargo de Nutricionista

Prestam assistência nutricional a indivíduos e coletividades (sadios e enfermos); planejam, organizam, administram e avaliam unidades de alimentação e nutrição; efetuam controle higiênico-sanitário; participam de programas de educação nutricional; podem estruturar e gerenciar serviços de atendimento ao consumidor de indústrias de alimentos e ministrar cursos. Atuam em conformidade ao manual de boas práticas.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para ingressar nessas ocupações é necessário que o trabalhador tenha curso superior em nutrição. Dietistas são os profissionais formados pela Faculdade de Higiene dos Alimentos.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Atuam nas seguintes áreas: alimentação coletiva (creches, escolas, cesta básica, hotelaria, convênio-refeição, restaurante comercial, restaurante industrial e concessionárias, gastronomia, catering); clínica (hospitais, spa, lactário, ambulatório, consultório, banco de leite, atendimento domiciliar, estética); esporte; saúde coletiva (programas institucionais, unidades primárias de saúde); saúde pública (vigilância sanitária e vigilância institucional); marketing (atendimento ao consumidor e cozinha experimental); indústria de alimentos; consultoria/assessoria. São assalariados, organizam-se em equipe multi e interdisciplinar e trabalham sem supervisão. Executam seu trabalho em ambiente fechado e em horário diurno, podendo, em alguns casos, trabalhar em horário irregular. Estão sujeitos a trabalho sob pressão, levando situação de estresse, a posições desconfortáveis durante longos períodos e podem ser expostos a ruído intenso, altas temperaturas, risco ambiental e insalubridade. Existe uma nova tendência em nutrição, que diz respeito à nutrição animal. Trata-se de um trabalho multiprofissional, ligado à gestão ambiental, onde o nutricionista trabalha com questões do desperdício e de rastreabilidade de doenças animais, principalmente de animais silvestres.

Código internacional CIUO88
2229 – Médicos y profesionales afines (excepto el personal de enfermería y partería), no clasificados bajo otros epígrafes

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

PRESTAR ASSISTÊNCIA NUTRICIONAL A INDIVÍDUOS E/OU COLETIVIDADES (SADIOS OU ENFERMOS)

1 – Identificar população-alvo;
2 – Participar de diagnóstico interdisciplinar;
3 – Realizar inquérito alimentar;
4 – Coletar dados antropométricos;
5 – Solicitar exames laboratoriais;
6 – Interpretar indicadores nutricionais;
7 – Calcular gasto energético;
8 – Identificar necessidades nutricionais;
9 – Realizar diagnóstico dietético-nutricional;
10 – Estabelecer plano de cuidados nutricionais;
11 – Realizar prescrição dietética;
12 – Prescrever complementos e suplementos nutricionais;
13 – Registrar evolução dietoterápica em prontuário;
14 – Conferir adesão à orientação dietético-nutricional;
15 – Orientar familiares e cuidadores;
16 – Realizar acompanhamento nutricional;
17 – Dar alta em nutrição;
18 – Realizar atendimento domiciliar;
19 – Prover educação nutricional;
20 – Prover orientação nutricional;
21 – Elaborar plano alimentar em atividades físicas extremas (esportes radicais etc);

ADMINISTRAR UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

1 – Planejar cardápios;
2 – Confeccionar escala de trabalho;
3 – Selecionar fornecedores;
4 – Selecionar gêneros perecíveis, não perecíveis, equipamentos e utensílios;
5 – Comprar gêneros perecíveis, não perecíveis, equipamentos e utensílios;
6 – Supervisionar compras;
7 – Supervisionar recepção de gêneros;
8 – Supervisionar controle de estoque;
9 – Transmitir instruções à equipe;
10 – Supervisionar pessoal operacional;
11 – Supervisionar preparo das refeições;
12 – Supervisionar distribuição das refeições;
13 – Verificar aceitação das refeições;
14 – Medir resto-ingestão;
15 – Avaliar etapas de trabalho;
16 – Executar procedimentos técnico-administrativos;

EFETUAR CONTROLE HIGIÊNICO-SANITÁRIO

1 – Controlar higienização de pessoal;
2 – Controlar higienização de ambiente;
3 – Controlar higienização de equipamentos e utensílios;
4 – Controlar higienização de alimentos;
5 – Controlar validade de produtos;
6 – Controlar qualidade de alimentos;
7 – Identificar perigos e pontos críticos de controle (Appcc);
8 – Solicitar análise microbiológica dos alimentos;
9 – Efetuar controles de saúde dos funcionários;
10 – Solicitar análise bromatológica dos alimentos;
11 – Efetuar visitas técnicas;

PLANEJAR UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

1 – Planejar área física;
2 – Montar organograma funcional;
3 – Orçar mão-de-obra;
4 – Orçar equipamentos, utensílios e suprimentos;
5 – Escolher equipamentos, utensílios e suprimentos;
6 – Planejar fluxos de trabalho;
7 – Dimensionar quadro de pessoal;
8 – Descrever funções técnico-administrativas;
9 – Descrever normas de trabalho;
10 – Descrever rotinas operacionais;
11 – Descrever procedimentos;
12 – Elaborar receituário de preparações culinárias;
13 – Definir metodologia de trabalho;
14 – Reavaliar procedimentos e produtos;
15 – Elaborar manuais técnico-administrativos;
16 – Prestar consultoria;
17 – Prestar assessoria;

EXERCER ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

1 – Coordenar atividades de ensino e pesquisa;
2 – Divulgar ciência da nutrição;
3 – Desenvolver métodos de trabalho;
4 – Desenvolver pesquisa de campo;
5 – Pesquisar mercado de produtos alimentícios;
6 – Subsidiar desenvolvimento de produtos alimentícios;
7 – Redigir composição do alimento para rótulo de produto;
8 – Redigir informação nutricional e especificações técnicas do alimento para rótulo;
9 – Desenvolver testes de aceitabilidade (avaliação sensorial);
10 – Desenvolver preparações dietéticas e culinárias;
11 – Testar preparações dietéticas e culinárias;
12 – Analisar resultados de testes de aceitabilidade;
13 – Participar na formação de outros profissionais;
14 – Capacitar estagiários;
15 – Supervisionar estágios;

ESTRUTURAR ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR

1 – Selecionar programas de informática em CRM;
2 – Estruturar banco de dados;
3 – Estruturar ponto de atendimento;
4 – Esclarecer dúvidas dos consumidores;
5 – Informar consumidores;
6 – Cadastrar clientes;
7 – Providenciar troca de produtos;
8 – Informar empresa dos resultados do atendimento;
9 – Sugerir melhorias de produtos e serviços;
10 – Participar de ações de marketing;
11 – Estruturar plano de gerenciamento de crise;

GERENCIAR RECURSOS HUMANOS, MATERIAIS E FINANCEIROS

1 – Definir perfil de pessoal;
2 – Selecionar pessoal;
3 – Capacitar pessoal;
4 – Avaliar desempenho de pessoal;
5 – Requalificar pessoal;
6 – Aplicar ações preventivas e corretivas;
7 – Controlar custos;
8 – Inventariar equipamentos, utensílios e suprimentos;
9 – Aplicar programas de auditoria interna;
10 – Confeccionar plano de contingência;

COMUNICAR-SE

1 – Escrever artigos de nutrição para publicação;
2 – Ministrar palestras técnico-científicas;
3 – Fornecer informações sobre nutrição e alimentação à mídia;
4 – Conceder entrevistas à mídia;
5 – Organizar eventos;
6 – Preparar material de divulgação;
7 – Preparar material educativo;
8 – Criar mecanismos de comunicação interna;
9 – Elaborar manuais de boas práticas;
10 – Enviar material de divulgação;
11 – Registrar informações;
12 – Redigir relatórios;
13 – Redigir textos técnicos;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

1 – Dominar legislação;
2 – Manipular instrumentos de avaliação do estado nutricional;
3 – Atualizar-se;
4 – Especializar-se;
5 – Demonstrar espírito de equipe;
6 – Manter-se dinâmico;
7 – Demonstrar criatividade;
8 – Demonstrar flexibilidade;
9 – Demonstrar liderança;
10 – Delegar funções;
11 – Transmitir segurança;
12 – Contornar situações adversas;
13 – Lidar com informática;
14 – Lidar com o público;
15 – Participar de entidades de classe;
16 – Participar de grupos técnicos;
17 – Participar de reuniões técnicas;
18 – Participar de entidades técnico-científicas;
19 – Participar de programas institucionais;
20 – Demonstrar capacidade redacional;
21 – Demonstrar fluência verbal;
22 – Trabalhar em equipe multi e interdisciplinar;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Calculadora;
  2. Balança (antropométrica, plataforma, de alimentos);
  3. Termômetro;
  4. Recursos de informática;
  5. Recursos audio-visuais;
  6. EPI;
  7. Material de escritório;
  8. Publicações especializadas;
  9. Utensílios para testes experimentais de alimentos;
  10. Utensílios e equipamentos de cozinha;
  11. Utensílios para produção especial de alimentos;
  12. Materiais descartáveis;
  13. Legislação;
  14. Material calibrado de vidraria (Laboratório);
  15. Aparelhos de medição de composição corpórea;
  16. Toesa;

CARGOS RELACIONADOS

1 – Dietista – Auxiliar de dietista, Auxiliar de nutrição e dietética;
2 – Nutricionista – Nutricionista (saúde pública);

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Andréa Luiza Jorge;
  • Eliana Da Silva Rezende Mendes;
  • Elizabete Maria De Medeiros;
  • Heloisa Helena Andreetta Corral;
  • Iole Aparecida Fraguglia Quental;
  • Joana D´ark Pereira Mura;
  • Katia Campos;
  • Kelly Christini Bonin;
  • Mirtes Stancanelli;
  • Myrian Najas;
  • Márcia Oliveira Terra Tibeau;
  • Nina Da Costa Corrêa;
  • Rosy Rabelo Pinheiro;
  • Sandra Chemin;
  • Solange De Oliveira Saavedra;
  • Yara Carnevalli Baxter;

INSTITUIÇÕES

  • Centro Universitário São Camilo;
  • Conselho Regional De Nutricionistas – 3ª Região;
  • Farmácia Bioformula;
  • Hcfmusp – Divisão De Nutrição E Dietética;
  • Hm Hotéis E Turismo S.A. (Hotel Maksoud Plaza);
  • Hotel Sheraton Mofarrej São Paulo;
  • Instituto Central Hospital Das Clínicas De São Paulo;
  • Léquipe Alimentação – Sindicato Dos Nutricionistas (Sinesp);
  • Novartis Consumer Health;
  • Nutri Insight Ltda.;
  • Ondina Alimentação E Serviços Ltda.;
  • Pref. Municipal De Sp – Semab;
  • Sec. Meio Ambiente-prefeitura Municipal São Paulo;
  • Universidade Federal De São Paulo;

Instituição Conveniada Responsável

Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp

Fipe: Ministério do Trabalho

Glossário
exemplos de unidade de alimentação e nutrição: setor de nutrição de um hospital; restaurante comercial; restaurante industrial. Todos são unidades de alimentação e nutrição, não importando o tamanho nem o público-alvo. suplemento nutricional ou complemento nutricional: suplementos vitamínicos e ou minerais, denominados simplesmente de suplementos, são alimentos que servem para complementar com estes nutrientes a dieta diária de uma pessoa saudável, em casos onde sua ingestão, a partir da alimentação, seja insuficiente ou quando a dieta requerer suplementação. Devem conter um mínimo de 25% no máximo de 100% da Ingestão Diária Recomendada (IDR) de vitaminas e ou minerais, na porção diária indicada pelo fabricante, não podendo substituir os alimentos, nem serem considerados com dieta exclusiva. Portaria n°32, de 13 de janeiro de 1998 do MS). CRM: Customer Relationship Management.

Categorias
Cargos e salários

Biomédico – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Biomédico, onde estão as melhores vagas de emprego para biomédico, informações completas do Ministério do Trabalho e Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp com a participação de empresas e profissionais do setor de biomedicina e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Biomedicina:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • O que é um Biomédico;
  • O que faz um Biomédico;
  • O que é Biomedicina;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Biomédico

  • Jornada de trabalho: 40h
  • Piso salarial: R$1.784,29
  • Salário médio: R$2.513,09
  • Maior salário: R$3.797,85
  • Salário hora: R$12,56
  • Código da profissão: CBO 221205

Dica: Para encontrar o Código Brasileiro de Ocupações (CBO) da sua profissão, abra sua carteira de trabalho na página de registros profissionais).

O que é um Biomédico

O biomédico é o profissional da área de saúde com formação superior em Biomedicina; tendo formação técnico-científica, com conhecimento do organismo humano tanto nos seus aspectos estruturais (células, tecidos e órgãos), quanto funcionais, investigando as interações tóxico-ambientais bem como os vetores e agentes causais das diversas doenças humanas.

O que faz um Biomédico

O Biomédico auxilia no diagnóstico e avalia clínico-laboratorialmente as doenças, os agentes etiológicos e os vetores, seja na atuação hospitalar ou na pesquisa, emitindo laudos e pareceres concernentes aos diversos aspectos fisiopatológicos dos pacientes, alem de realizar pesquisas para descoberta de novas doenças e novas curas.

Veja mais a baixo as atribuições do cargo de Biomédico

O que é Biomedicina

Biomedicina é uma área que atua no campo de interface entre biologia e medicina, voltada para a pesquisa das doenças humanas, seus fatores ambientais e ecoepidemiológicos, com o objetivo de compreender as causas, efeitos, mecanismos e desenvolver e/ou aprimorar diagnósticos e tratamentos.

Atribuições do cargo de Biomédico

Analisam amostras de materiais biológicos, bromatológicos e ambientais. Para tanto coletam e preparam amostras e materiais. Selecionam equipamentos e insumos, visando o melhor resultado das análises finais para posterior liberação e emissão de laudos. Desenvolvem pesquisas técnico-científicas. Atuam em bancos de sangue e de células tronco hematopoiéticas. Operam equipamentos de diagnósticos por imagem e de radioterapia. Participam na produção de vacinas, biofármacos e reagentes. Executam reprodução assistida e circulação extracorpórea. Podem prestar assessoria e consultoria técnico-científica. Trabalham seguindo normas e procedimentos de boas práticas específicas de sua área de atuação.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

As ocupações da família exigem no mínimo o nível superior completo na área. As exigências do mercado valorizam os títulos de pós-graduação lato sensu e stricto sensu.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Atuam em hospitais, laboratórios e demais serviços de saúde. Em geral são empregados com carteira, porém podem atuar como profissionais liberais geralmente com consultoria. O trabalho é exercido em ambiente fechado e também a céu aberto, tanto em período diurno como em rodízio de turnos. Em algumas atividades podem estar expostos aos efeitos de materiais tóxicos e de radiação.

Código internacional CIUO88
2211 – Biólogos, botánicos, zoólogos y afines

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ANALISAR AMOSTRAS BIOLÓGICAS, BROMATOLÓGICAS E AMBIENTAIS

1 – Planejar análises;
2 – Escolher método analítico;
3 – Selecionar equipamentos e materiais para análise;;
4 – Preparar equipamentos;
5 – Preparar insumos;
6 – Proceder a análise;
7 – Interpretar resultados de análises;
8 – Liberar resultados de análises;

COLETAR MATERIAIS BIOLÓGICOS

1 – Selecionar material de coleta;
2 – Fornecer insumos para coleta;
3 – Preparar material de coleta;
4 – Preparar paciente/cliente;
5 – Identificar amostra;
6 – Acondicionar amostra;
7 – Triar material coletado;
8 – Transportar material coletado;
9 – Armazenar material coletado;
10 – Liberar paciente/cliente e doador;

PREPARAR AMOSTRA

1 – Verificar viabilidade da amostra;
2 – Selecionar técnica para preparo da amostra;
3 – Aplicar técnica selecionada;
4 – Manter amostra em condições para análise;

DESENVOLVER PESQUISA TÉCNICO – CIENTÍFICAS

1 – Formular hipóteses;
2 – Levantar dados;
3 – Planejar projeto de pesquisa;
4 – Desenvolver projeto de pesquisa;
5 – Analisar resultados;

ATUAR EM BANCO DE SANGUE E CÉLULAS TRONCO HEMATOPOIÉTICAS

1 – Captar doadores;
2 – Triar doadores;
3 – Processar hemocomponentes;
4 – Armazenar hemocomponentes;
5 – Efetuar procedimentos nos hemocomponentes;
6 – Selecionar destinação de produtos;
7 – Efetuar testes pré-transfusionais;
8 – Operar equipamentos de coleta de sangue;
9 – Enviar amostras para análise;
10 – Recepcionar amostra;
11 – Preparar produto para transplante;

REALIZAR EXAMES POR IMAGEM E PROCEDIMENTOS DE RADIOTERAPIA

1 – Preparar material de exame;
2 – Manipular radioisótopos;
3 – Preparar radiofármacos;
4 – Selecionar técnica para exame;
5 – Administrar radiofármacos e outros meios de contraste;
6 – Operar equipamentos;
7 – Ajustar protocolo;
8 – Ajustar técnica;
9 – Avaliar qualidade da imagem;
10 – Documentar imagens;
11 – Confeccionar moldes imobilizadores;
12 – Desenhar órgãos de risco;
13 – Definir campos de tratamento;
14 – Calcular doses de radiação;
15 – Avaliar doses de radiação no tumor;
16 – Avaliar doses de radiação de acordo com tolerância dos órgãos de risco;

PRESTAR ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICO-CIENTÍFICA

1 – Atender solicitação de cliente;
2 – Visitar cliente;
3 – Identificar necessidades e/ou problemas;
4 – Elaborar projeto;
5 – Implementar projeto;
6 – Monitorar resultados;
7 – Desenvolver índices de qualidade;
8 – Avaliar riscos à saúde;
9 – Assessorar na elaboração de legislação e normas;

PRODUZIR VACINAS, BIOFÁRMACOS E REAGENTES

1 – Cultivar células e vírus;
2 – Manipular bancos de cepas;
3 – Manipular lotes sementes;
4 – Controlar bancos de cepas e lotes sementes;
5 – Inocular vírus vacinais;
6 – Acompanhar processos fermentativos;
7 – Purificar antígenos;
8 – Formular vacinas/biofármacos;
9 – Produzir painéis sorológicos(kit para testes de laboratório-amostra padrão);
10 – Produzir insumos para montagem de kits;
11 – Confeccionar kits diagnóstico;

EXECUTAR REPRODUÇÃO ASSISTIDA

1 – Processar sêmen;
2 – Manipular gametas;
3 – Manipular pré-embriões;
4 – Verificar fertilização;
5 – Acompanhar desenvolvimento dos pré-embriões;
6 – Biopsiar pré-embriões;
7 – Preparar transferência de pré-embriões;
8 – Congelar células(criopreservar);

EFETUAR CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA ASSISTIDA

1 – Realizar procedimentos de circulação extracorpórea;
2 – Monitorar oxigenação, pressão arterial e temperatura;
3 – Controlar oxigenação e pressão arterial;
4 – Promover parada controlada do coração(cardioplegia);
5 – Controlar volemia e coagulação;
6 – Reinfundir sangue do paciente;
7 – Restabelecer circulação do paciente;

CUMPRIR NORMAS DE BOAS PRÁTICAS

1 – Elaborar documentos do sistema de gestão da qualidade;
2 – Controlar documentos da qualidade;
3 – Capacitar equipes;
4 – Cumprir protocolo estabelecido;
5 – Qualificar fornecedores/insumos;
6 – Validar equipamentos, processos e métodos;
7 – Controlar medições, ensaios e insumos;
8 – Adotar práticas de biossegurança;
9 – Implementar programas de controle de qualidade;
10 – Garantir segurança, confidencialidade e integridade dos dados(informações e amostras);
11 – Administrar não conformidades;
12 – Garantir segurança do paciente/cliente, doador e equipe;
13 – Elaborar programa de gerenciamento de resíduo sólido de serviços de saúde(pgrss);
14 – Implementar sistema de melhoria contínua;
15 – Monitorar sistema de controle de qualidade;

COMUNICAR-SE

1 – Analisar solicitação do procedimento;
2 – Orientar clientes/pacientes, doadores e profissionais da área de saúde;
3 – Confirmar identificação do paciente;
4 – Cadastrar clientes;
5 – Entrevistar pacientes/clientes, doadores de sangue, sêmen e óvulos;
6 – Checar instruções de preparo;
7 – Emitir laudos, pareceres e relatórios;
8 – Firmar laudos;
9 – Notificar resultados de exames para autoridades sanitárias;
10 – Notificar exames críticos(risco de morte);
11 – Realizar aconselhamento genético;
12 – Publicar artigos científicos;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

1 – Trabalhar em equipe;
2 – Demonstrar concentração;
3 – Demonstrar criatividade;
4 – Demonstrar observação;
5 – Demonstrar organização;
6 – Demonstrar meticulosidade;
7 – Demonstrar paciência;
8 – Demonstrar habilidade motora fina;
9 – Demonstrar acuidade visual;
10 – Manter-se atualizado;
11 – Demonstrar flexibilidade;
12 – Demonstrar dedicação;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Cone bean ct(in vivo);
  2. Pet/ct;
  3. Portal vision( aparelho de raio- x in vivo);
  4. Densitômetro;
  5. Microscópio;
  6. Analisadores automatizados para análises clínicas;
  7. Calibrador de dose;
  8. Captador de tireóide;
  9. Gama-probe;
  10. Geiger müller;
  11. Bomba de infusão;
  12. Meios de contraste;
  13. Fontes de radiação;
  14. Rádio isótopos;
  15. Centrífugas;
  16. Equipamento de medicina nuclear(câmara de cintilação);
  17. Ressonância magnética;
  18. Balança analítica;
  19. Capela de exaustão de gases;
  20. Estufas;
  21. Termocicladores;
  22. Agitador, agitador magnético;
  23. Banho maria;
  24. Homogeneizadores;
  25. Sequenciador;
  26. Extratores;
  27. Coluna de cromatografia;
  28. Irradiadores;
  29. Pipetadores manuais e automáticos;
  30. Capela de fluxo laminar;
  31. Máquina de circulação extra corpórea;
  32. Acelerador linear;
  33. Tomógrafo;
  34. Máquina de pcr(polimerase chain reaction);
  35. Cuba de eletroforese;
  36. Sistema de processamento de imagens
  37. Meios de cultura;
  38. Kit diagnóstico;
  39. Corantes;
  40. Micro cubetas;
  41. Placa de petri;
  42. Lâminas;
  43. Máquina de cardioplegia;
  44. Blender;
  45. Tca( teste de coagulação ativada);
  46. Bio pump;
  47. Aparelho de vácuo;
  48. Termômetro;
  49. Cabo de termômetro;
  50. Sistema de planejamento computadorizado;
  51. Braquiterapia de baixa e alta dosagem;

CARGOS RELACIONADOS

1 – Biólogos, botánicos, zoólogos y afines;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Adriana Cruvinel Carloni;
  • Ana Maria Buncana Simões;
  • Erika Soares Da Silva Santos;
  • Leila Montenegro Silveira Farah;
  • Lidiane Chucri Martins;
  • Marco Antonio Abrahão;
  • Marco Antonio Zonta;
  • Maria Inês Zanoli Sato;
  • Márcio Rocha Da Paixão;
  • Nanci Alves Salles;
  • Rafael De Menezes Padovani;
  • Ricardo Jahn Martins;
  • Rita De Cassia Salomão Figueiredo;
  • Rogério De Lima E Silva Cavalcanti;
  • Rosane Cuber Guimarães;
  • Rose Mara Miranda;
  • Rosemeire De Assis Divino;
  • Sarah Nachef;
  • Sintia Iole Nogueira;
  • Solange Amorim Nogueira;
  • Sônia Maria Miranda Pereira;

INSTITUIÇÕES

  • Cestesb;
  • Clínica De Diagnósticos Dr. Luiz Scoppetta;
  • Clínica E Laboratório De Genética;
  • Conselho Regional De Biomedicina Da 1ª Região;
  • Diagnósticos Da América S/a;
  • Faculdade De Medicina Do Abc;
  • Fundação Oswaldo Cruz – Bio Manguinhos;
  • Fundação Pró-sangue – Hemocentro De São Paulo;
  • Hospital Israelita Albert Einstein – Hiae;
  • Hospital Pérola Byington;
  • In Cito Citologia Diagnóstica Ltda;
  • Instituto Adolfo Lutz;
  • Instituto Do Coração- Hosp. Das Clínicas.;
  • Labfert- Laboratório De Fertilidade Humana;
  • Laboratório Fleury S/c Ltda.;
  • Laboratório Médico Rocha Lima Ss Ltda. – Libera Int.;
  • Microbiotecnia – C.A.H.A. Ltda.;
  • Nkb Medicina Diagnóstica;

Instituição Conveniada Responsável

Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Engenheiro Agrícola – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Engenheiro Agrícola, onde estão as melhores vagas de emprego para engenheiro agrícola, informações completas do Ministério do Trabalho e Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp com a participação de empresas e profissionais do setor de engenharia agrícola e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Engenheiro Agrícola:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Engenheiro Agrícola

  • Jornada de trabalho: 44h
  • Piso salarial: R$3.206,86
  • Salário médio: R$4.516,70
  • Maior salário: R$6.825,78
  • Salário hora: R$20,71
  • Código da profissão: CBO 222105

Dica: Para encontrar o Código Brasileiro de Ocupações (CBO) da sua profissão, abra sua carteira de trabalho na página de registros profissionais).

O que é um Engenheiro Agrícola

O Engenheiro Agrícola é um profissional com formação superior em Engenharia Agrícola que atua nas áreas de mecânica agrícola, energização rural, processamento de produtos agropecuários, engenharia de água e solos e construções rurais.

O que faz um Engenheiro Agrícola

O engenheiro agrícola projeta, implanta e administra técnicas e equipamentos necessários à produção agrícola. Planeja métodos de armazenagem e constrói silos, armazéns e estufas. Leva ao campo soluções inovadoras e eficazes para melhorar a produção, sem se descuidar do desenvolvimento sustentado da agricultura.

Veja mais a baixo as atribuições do cargo de Engenheiro Agrícola

O que é a Agrossilvicultura

A agrossilvicultura é a ciência, a prática de estudo e a arte de cultivar árvores em conjunto com culturas agrícolas. O surgimento da agrossilvicultura como ciência ocorreu a partir da década de 1970, quando foram realizados grandes estudos sobre o papel das árvores nos solos tropicais.[1] Apesar de surgir como ciência só recentemente a agrossilvicultura já era praticada mesmo antes do advento da agricultura moderna.

Atribuições do cargo de Engenheiro Agrícola

Planejam, coordenam e executam atividades agrossilvipecuárias e do uso de recursos naturais renováveis e ambientais. Fiscalizam essas atividades, promovem a extensão rural, orientando produtores nos vários aspectos das atividades agrossilvipecuárias e elaboram documentação técnica e científica. Podem prestar assistência e consultoria técnicas.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

As ocupações requerem o curso superior completo na área para o seu exercício. É freqüente a presença de profissionais com cursos de mestrado, doutorado ou cursos de especialização.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Trabalham em atividades da agricultura, pecuária e silvicultura, exploração florestal, pesca e aqüicultura, em empresas públicas e privadas e em cooperativas de produtores. Atuam como empregados, prestadores de serviços ou servidores públicos. Há possibilidade de colocação também em órgãos públicos fiscalizadores da qualidade ou classificadores de produtos e em empresas públicas de extensão rural. Trabalham em equipe, com supervisão ocasional, a céu aberto, ficando, muitas vezes, expostos a condições climáticas adversas. Podem permanecer em condições desconfortáveis por longos períodos, sujeitos a exposição de materiais tóxicos e ruídos intensos.

Código internacional CIUO88
2213 – Agrónomos y afines

Nota
Podem ocorrer casos de Engenheiros agrossilvipecuários que exercem também funções de professor universitário ou pesquisador. Para codificá-los considerar as atividades principais. Norma regulamentadora: Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966 – Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo e dá outras providências. Lei nº 8.195, de 26 de junho de 1991 – Altera a lei nº 5.194/66.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

PLANEJAR ATIVIDADES AGROSSILVIPECUÁRIAS E DO USO DE RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS E AMBIENTAIS

1 – Identificar necessidades;
2 – Levantar informações técnicas;
3 – Diagnosticar situações;
4 – Analisar viabilidade técnica, sócioeconômica e ambiental de soluções propostas;
5 – Estimar custos;
6 – Realizar estudos de mercados;
7 – Discutir soluções propostas com envolvidos;
8 – Definir ordenamento cronológico e logística de ações;
9 – Inventariar recursos físicos e financeiros de empreendimento;
10 – Definir parâmetros de produção;

COORDENAR ATIVIDADES AGROSSILVIPECUÁRIAS E O USO DE RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS E AMBIENTAIS

1 – Analisar projetos, contratos, convênios, propostas técnicas, programas de trabalho.;
2 – Intermediar convênios, contratos, parcerias;
3 – Captar recursos financeiros;
4 – Administrar recursos financeiros;
5 – Coordenar equipe de trabalho;
6 – Supervisionar construção e manutenção de infra-estrutura rural;
7 – Coordenar treinamentos;
8 – Coordenar programas e convênios interinstitucionais;
9 – Administrar recursos patrimoniais;
10 – Supervisionar atividades de sistema de produção (agricultura, aqüicultura, silvicultura, pecuária);
11 – Supervisionar processo em manejo de recursos naturais (bióticos e abióticos);
12 – Avaliar atividades agrossilvipecuárias;
13 – Supervisionar processos de tratamento de resíduos;
14 – Supervisionar processos de recuperação de área degradada;

PRESTAR ASSISTÊNCIA E CONSULTORIA TÉCNICAS E EXTENSÃO RURAL

1 – Realizar perícias e auditorias;
2 – Orientar utilização de fontes alternativas de energia;
3 – Orientar administração de propriedade rural;
4 – Orientar processos de uso sustentável e conservação de solo, água e meio ambiente;
5 – Orientar planejamento, execução, controle e administração de sistemas produtivos;
6 – Orientar comercialização de produtos agrossilvipecuários;
7 – Organizar associações de produtores;
8 – Organizar eventos;
9 – Ministrar cursos, seminários, palestras.;
10 – Prescrever receituário agropecuário;
11 – Realizar visitas técnicas;

EXECUTAR ATIVIDADES AGROSSILVIPECUÁRIAS E DO USO DE RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS E AMBIENTAIS

1 – Executar levantamento topográfico;
2 – Monitorar itens de controle do processo produtivo e/ou ambiental;
3 – Executar levantamento ambiental;
4 – Analisar amostras colhidas e resultados de análises laboratoriais;
5 – Testar desempenho de equipamentos, máquinas, materiais;
6 – Inspecionar qualidade e sanidade de produto;

ELABORAR DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA

1 – Elaborar relatórios de atividade;
2 – Elaborar projetos;
3 – Elaborar inventário de recursos disponíveis (naturais, máquinas, equipamentos);
4 – Elaborar estudos estatísticos;
5 – Elaborar normas e procedimentos técnicos;
6 – Emitir laudos e pareceres técnicos;
7 – Elaborar artigos técnico-científicos;
8 – Elaborar material para divulgação de produtos, serviços, equipamentos;

DESENVOLVER TECNOLOGIA

1 – Desenvolver produtos, equipamentos e acessórios;
2 – Desenvolver programas computacionais específicos;
3 – Desenvolver processos e sistemas de tratamento de resíduos;
4 – Adaptar tecnologia;
5 – Desenvolver biotecnologia;

FISCALIZAR ATIVIDADES AGROSSILVIPECUÁRIAS E O USO DE RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS E AMBIENTAIS

1 – Fiscalizar obras em execução;
2 – Fiscalizar procedência, transporte e comercialização de produtos de origem animal e vegetal;
3 – Fiscalizar atividades de extrativismo;
4 – Autuar crimes ambientais e florestais;
5 – Embargar atividades agrossilvipecuárias de estabelecimentos infratores;
6 – Apreender produtos agrossilvipecuários;

COMUNICAR-SE

1 – Adaptar linguagem;
2 – Demonstrar receptividade;
3 – Desenvolver expressão oral;
4 – Desenvolver expressão escrita;
5 – Cultivar flexibilidade na relação interpessoal;
6 – Desenvolver liderança;
7 – Desenvolver capacidade de negociação;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

1 – Demonstrar discernimento;
2 – Demonstrar criatividade;
3 – Desenvolver raciocínio lógico;
4 – Demonstrar espírito empreendedor;
5 – Evidenciar adaptabilidade;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Veículos;
  2. Linhas telefônicas;
  3. Trena;
  4. Máquina fotográfica;
  5. Suta (medidor de diâmetro de árvore);
  6. Infiltrômetro de anéis;
  7. Microscópio;
  8. Escalímetro;
  9. Condutivímetro;
  10. Refratômetro;
  11. Nível ótico;
  12. Manômetro;
  13. Medidor de ph;
  14. Balança;
  15. Prancheta;
  16. Calculadora;
  17. Clinômetro;
  18. Penetrômetro;
  19. Computador;
  20. Espectrofotômetro;
  21. Coletores de amostras;
  22. Cronômetro;
  23. Teodolito;
  24. Lupa;
  25. Retroprojetor;
  26. Termômetro;
  27. Recursos audio-visuais (datashow);
  28. Aparelho de gps (sistema de posicionamento global);
  29. Paquímetro;
  30. Bússola;
  31. Ecobatímetro;
  32. Altímetro;

CARGOS RELACIONADOS

1 – Engenheiro agrícola – Engenheiro de irrigação e drenagem, Engenheiro especialista em construções rurais, Engenheiro especialista em construções rurais e ambiência, Engenheiro especialista em mecanização agrícola, Engenheiro especialista em secagem e armazenagem de grãos, Tecnólogo de engenharia rural;
2 – Engenheiro agrônomo – Agrônomo, Engenheiro agrônomo (agricultura), Engenheiro agrônomo (solos), Engenheiro horticultor;
3 – Engenheiro de pesca – Consultor técnico em aqüicultura, Consultor técnico em pesca, Engenheiro aqüicultor, Engenheiro especialista em tecnologia de pesca, Engenheiro especialista em tecnologia de pescado;
4 – Engenheiro florestal – Consultor técnico em exploração vegetal, Engenheiro de fauna e flora, Engenheiro especialista em preservação florestal, Engenheiro especialista em tecnologia de madeira, Engenheiro silvicultor, Reflorestador;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Alexandre Vieira Costa Monteiro;
  • Antonio Teixeira De Matos;
  • Charles W. Max Vieira De Mendonça;
  • Cláudio Egon Facion;
  • Edison Luiz Montenegro;
  • Eraldo Restini Vecchi;
  • Haroldo Andrade Sampaio;
  • Humberto Luiz Vargas;
  • Ivan Dantas Mesquita Martins;
  • Jamilson Wagner De Andrade Carvalho;
  • Jorge Pereira De Castro Filho;
  • José Telino De Lacerda Neto;
  • Marcus Vinícius Viana Schmidt;
  • Plauto Dinelli Pontes;
  • Raimundo Nonato De Lima Conceição;
  • Samuel Nelio Bezerra;
  • Sérgio Marcondes Cardoso;
  • Vanderlei Da Rosa Caetano;

INSTITUIÇÕES

  • Associação Mineira De Engenheiros Agrícolas;
  • Celulose Nipo Brasileira S.A. (Cenibra);
  • Centro De Pesquisa Pesqueira Do Nordeste (Cepene – Ibama);
  • Cooperativa Regional De Cafeicultores Em Guaxupé Ltda. (Cooxupe);
  • Empresa Brasileira De Pesquisa Agropecuária (Embrapa);
  • Empresa De Assistência Técnica E Extensão Rural Do Estado De Minas (Emater-mg);
  • Epamig-empresa De Pesquisa Agropecuária De Mg;
  • Fertilizantes Serrana S.A.;
  • Grupo De Apoio À Pesca (Gap);
  • Hs Jardinagem;
  • Instituto Brasileiro Do Meio Ambiente E Dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama);
  • Instituto De Ciências Do Mar Da Universidade Federal Do Ceará;
  • Instituto Estadual De Florestas De Minas Gerais;
  • Mcr Aquacultura Ltda.;
  • Ministério Meio Ambiente – Programa Pantanal (Pnud-onu);
  • Rural Minas;
  • Valmont Indústria E Comércio Ltda.;

Instituição Conveniada Responsável

Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg

Fonte: Ministério do Trabalho