Categorias
Cargos e salários

Pesquisador de engenharia e tecnologia – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Pesquisador de engenharia e tecnologia, as melhores empresas e vagas de emprego para pesquisadores de engenharia e tecnologia, informações completas do Ministério do Trabalho e Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg com a participação de empresas e profissionais do setor de pesquisas,engenharia, tecnologia e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Pesquisador de engenharia e tecnologia:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Pesquisador de engenharia e tecnologia

  • Jornada de trabalho: 41h
  • Piso salarial: R$5.292,27
  • Salário médio: R$7.453,90
  • Maior salário: R$11.264,55
  • Salário hora: R$36,11
  • Código da profissão: CBO 203210

Atribuições do cargo de Pesquisador de engenharia e tecnologia

Desenvolvem materiais, produtos, processos e métodos relacionados à engenharia e tecnologia, projetando e especificando equipamentos, protótipos e plantas-piloto e testando protótipos, materiais, processos e parâmetros de operação de plantas-piloto. Participam da qualificação, certificação e homologação de laboratórios e produtos. Planejam e executam pesquisas, gerenciam informações de c&t. Podem também prestar serviços de consultoria técnica, bem como dar aulas.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

As ocupações da família requerem como escolaridade mínima o superior completo, sendo freqüente profissionais com cursos de pós-graduação e especialização. Normalmente são engenheiros e profissionais com conhecimento teórico necessário para desenvolver pesquisas em engenharia e tecnologia como, por exemplo, química, física e matemática. Habitualmente, os pesquisadores titulares têm, no mínimo, cinco anos de experiência na área.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Os profissionais atuam, principalmente, em universidades públicas ou em centros de pesquisas vinculados a grandes empresas públicas, em diversas áreas como, por exemplo, em pesquisa e desenvolvimento, ensino, administração pública, defesa e seguridade social, siderurgia, extração de petróleo, mineração. Costumam trabalhar em equipes interdisciplinares compostas, muitas vezes, por pesquisadores de várias instituições ou empresas, com supervisão ocasional. Os pesquisadores em engenharia química e tecnologia, em particular, podem estar expostos a altas temperaturas e a materiais tóxicos. Seu vínculo de trabalho predominante é como empregado registrado.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

DESENVOLVER MATERIAIS, PRODUTOS, PROCESSOS E MÉTODOS

  1. Especificar equipamentos, protótipos, materiais, processos e métodos;
  2. Projetar equipamentos e protótipos;
  3. Participar da construção de protótipos e equipamentos;
  4. Testar equipamentos, protótipos, materiais, processos e métodos;
  5. Analisar resultados de testes;
  6. Especificar plantas-piloto;
  7. Projetar plantas-piloto;
  8. Supervisionar instalação de plantas-piloto;
  9. Testar parâmeros de operação de plantas-piloto;
  10. Desenvolver programas de computador (softwares) específicos;

PARTICIPAR DE ATIVIDADES DE QUALIFICAÇÃO, CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO (LABORATÓRIOS, PRODUTOS ETC)

  1. Elaborar manuais de qualidade;
  2. Elaborar procedimentos;
  3. Calibrar equipamentos;
  4. Elaborar normas e especificações técnicas;
  5. Avaliar produtos e métodos;
  6. Certificar produtos e métodos;
  7. Homologar produtos, processos e métodos;
  8. Certificar recursos humanos;

EXECUTAR PROJETO DE PESQUISA

  1. Projetar experimentos;
  2. Especificar insumos;
  3. Realizar experimentos;
  4. Gerenciar projetos de pesquisa;
  5. Participar da análise de viabilidade econômica do produto;
  6. Analisar impacto ambiental da pesquisa e do produto;
  7. Analisar resultados de pesquisa;
  8. Emitir relatórios;
  9. Elaborar pedidos de patente;

PLANEJAR PROJETOS DE PESQUISA

  1. Definir objetivos, escopo e metodologia da pesquisa;
  2. Identificar fontes de recursos humanos, físicos e financeiros;
  3. Definir recursos humanos, físicos e financeiros;
  4. Elaborar cronograma físico-orçamentário;
  5. Analisar custo-benefício da pesquisa;
  6. Captar recursos financeiros;

IDENTIFICAR OPORTUNIDADE DE PESQUISA

  1. Realizar prospecção tecnológica;
  2. Identificar necessidades de novos produtos, processos e métodos;
  3. Identificar necessidades de aprimoramento de produtos, processos e métodos;
  4. Apontar tendências de tecnologias no mercado;
  5. Participar da formulação de políticas e diretrizes de pesquisa;

GERENCIAR INFORMAÇÕES DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (C & T)

  1. Elaborar revisão bibliográfica;
  2. Selecionar informações;
  3. Analisar informações;
  4. Armazenar informações de ciência e tecnologia;

PRESTAR CONSULTORIA TÉCNICA

  1. Realizar auditorias técnicas;
  2. Emitir laudos e pareceres técnicos;
  3. Avaliar tecnologias;
  4. Fornecer informações de ciência e tecnologia;
  5. Participar de comitês técnicos;
  6. Assessorar programas institucionais e governamentais;
  7. Avaliar projetos de pesquisa;
  8. Participar da implantação de tecnologias;
  9. Participar de bancas examinadoras (teses, dissertações, concursos);

DISSEMINAR CONHECIMENTOS

  1. Apresentar trabalhos em congressos, seminários etc.;
  2. Publicar teses, artigos e dissertações, livros etc.;
  3. Ministrar cursos, palestras etc.;
  4. Orientar trabalhos de pesquisa;
  5. Capacitar equipe de trabalho;
  6. Participar de transferência de tecnologia;
  7. Coordenar seminários, congressos, cursos etc.;
  8. Participar de programas de cooperação técnica e científica;

COMUNICAR-SE

  1. Desenvolver trabalho em equipe;
  2. Desenvolver liderança;
  3. Desenvolver expressão oral;
  4. Desenvolver expressão escrita;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Desenvolver senso crítico;
  2. Evidenciar criatividade;
  3. Cultivar raciocínio indutivo;
  4. Demonstrar iniciativa;
  5. Desenvolver flexibilidade;
  6. Desenvolver raciocínio dedutivo;
  7. Evidenciar credibilidade;
  8. Demonstrar curiosidade;
  9. Desenvolver persistência;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Publicações técnicas (normas, procedimentos, livro;
  2. Ferramentas (elétricas, mecânicas, pneumáticas);
  3. Material elétrico e eletrônico;
  4. Equipamentos de ensaio;
  5. Sistemas computacionais (hard, soft, periféricos);
  6. Motores;
  7. Materiais mecânicos (chapas, tarugos, barras etc);
  8. Fita crepe;
  9. Materiais de escritório;
  10. Fornos e máquinas;
  11. Materiais e equipamentos de segurança;
  12. Padrões metrológicos;
  13. Material de aplicação mecânica (aço, plástico etc);
  14. Equipamentos de laboratório;
  15. Equipamentos de simulação;
  16. Equipamentos de medição e análise;
  17. Produtos químicos;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Pesquisador de engenharia civil – Engenheiro pesquisador (engenharia civil), Especialista em engenharia civil;
  2. Pesquisador de engenharia e tecnologia (outras áreas da engenharia) – Engenheiro pesquisador (outras áreas da engenharia), Especialista em engenharia e tecnologia (outras áreas);
  3. Pesquisador de engenharia elétrica e eletrônica – Engenheiro pesquisador (engenharia elétrica e eletrônica), Engenheiro pesquisador (telecomunicações), Especialista em engenharia elétrica e eletrônica;
  4. Pesquisador de engenharia mecânica – Engenheiro pesquisador (engenharia mecânica), Especialista em engenharia mecânica;
  5. Pesquisador de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais – Engenheiro pesquisador (materiais), Engenheiro pesquisador (metalurgia), Engenheiro pesquisador (minas), Especialista em engenharia metalúrgica, de minas e de materiais;
  6. Pesquisador de engenharia química – Engenheiro pesquisador (engenharia química), Especialista em engenharia química;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Aldionso Marques Machado;
  • Antonio Souto De Siqueira Filho;
  • Carlos De Moura Neto;
  • Celia Maria Martins Neves;
  • Dario Eduardo Amaral Dergint;
  • Dulce Maria De Castro Rocha Côrrea De Barros;
  • Francisco Henriques Ferreira;
  • Marcelo Moreira Furst Gonçalves;
  • Marco Antonio Dutra Quinan;
  • Moacir Alexandre Souza De Andrade;
  • Ralf Gielow;
  • Wellington Vasconcelos Alves;

INSTITUIÇÕES

  • Centro De Desenvolvimento Da Tecnologia Nuclear – Comissão Nacional De Energia Nuclear (Cdtn-cnen);
  • Centro De Pesquisa E Desenvolvimento Da Petrobras (Cenpes);
  • Centro De Pesquisa E Desenvolvimento Em Telecomunicações (Fundação Cpqd);
  • Centro De Pesquisas E Desenvolvimento (Ceped);
  • Centro Federal De Educação Tecnológica (Cefet-pr);
  • Companhia Energética Do Estado De Minas Gerais (Cemig);
  • Fiat Automóveis S.A.;
  • Furnas Centrais Elétricas S.A.;
  • Instituto Nacional De Pesquisas Espaciais (Inpe);
  • Instituto Nacional De Tecnologia (Int);
  • Instituto Tecnológico De Aeronáutica (Cta-ita);
  • Usinas Siderúrgicas De Minas Gerais S.A. (Usiminas);

Instituição Conveniada Responsável

Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Perito Criminal – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Perito Criminal, as melhores empresas e vagas de emprego para Perito Criminal, informações completas do Ministério do Trabalho e Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp com a participação de empresas e profissionais do setor de ciência forense e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Perito Criminal:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • O que é um Perito criminal;
  • O que faz um Perito criminal;
  • O que é Perícia criminal;
  • O que é ciência Forense;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Perito criminal

  • Jornada de trabalho: 40h
  • Piso salarial: R$2.769,00
  • Salário médio: R$3.900,00
  • Maior salário: R$5.893,80
  • Salário hora: R$19,50
  • Código da profissão: CBO 204105

Dica: Para encontrar o Código Brasileiro de Ocupações (CBO) da sua profissão, abra sua carteira de trabalho na página de registros profissionais).

O que é um Perito criminal?

Perito criminal é um policial com conhecimentos técnicos e científicos a serviço da justiça. É um profissional especializado em encontrar ou proporcionar a chamada prova material, mediante a análise científica de vestígios produzidos e deixados na prática de delitos.

O que faz um Perito criminal?

O perito criminal planeja, ordena e elabora perícias criminalísticas externas e dentro do laboratório de crimes de qualquer natureza.

Além disso, coleta evidências no local do crime para descobrir o que aconteceu ou simplesmente comprovar algo. O profissional dessa área também proceder à confecção de retrato falado, e ainda redigir laudos das perícias realizadas. Revisar laudos e emitir pareceres das perícias realizadas.

Veja mais a baixo as atribuições do cargo de Perito criminal

O que é Pericia criminal?

Perícia (do termo latino perìtia, derivado por sua vez de perìtus, “experto”) é a análise técnica de uma situação, fato ou estado redigida por um especialista numa determinada disciplina, o perito. É um exame realizado por profissional especialista, legalmente habilitado, destinado a verificar ou esclarecer determinado fato, apurar as causas motivadoras do mesmo, ou o estado, a alegação de direitos, ou a estimação da coisa que é objeto de litígio ou processo.

o que é Ciência forense

A Ciência Forense é compreendida como o conjunto de todos os conhecimentos científicos e técnicas que são utilizados para desvendar não só crimes, como também variados assuntos legais. É considerada uma área interdisciplinar pois envolve física, Química, biologia, entre outras.

Atribuições do cargo de Perito criminal

Elaboram laudo pericial criminal, organizando provas e determinando as causas dos fatos. Examinam locais de crime, buscando evidências, selecionando e coletando indícios materiais e encaminhando peças para exames com ou sem quesitos. Reconstituem fatos, analisam peças, materiais, documentos e outros vestígios relacionados a crimes, fotografando e identificando as peças e materiais e definindo tipo de exame. Efetuam medições e ensaios laboratoriais, utilizando e desenvolvendo técnicas e métodos científicos.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

O acesso à ocupação é feito por concurso público, que requer curso superior completo. Em seguida, devem cursar e ser aprovados no Curso de Formação de Peritos Criminais.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Esses profissionais atuam nas áreas ligadas à administração pública, defesa e seguridade social. São assalariados e se organizam em equipe. Trabalham com supervisão ocasional, em ambiente fechado, a céu aberto e em veículos. Seus horários de trabalho são variados. Podem ficar longos períodos em posições desconfortáveis, trabalhar sob pressão, (levando-os a situação de estresse constante) e expostos a materiais tóxicos, radiação e ruído intenso.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ELABORAR LAUDO PERICIAL CRIMINAL

  1. Organizar provas;
  2. Listar conteúdos de provas;
  3. Juntar relatórios de análises laboratoriais;
  4. Mencionar metodologia aplicada na análise das provas;
  5. Estruturar laudo;
  6. Determinar causas dos fatos;
  7. Indicar autoria dos fatos;
  8. Redigir laudo;
  9. Responder quesitos formulados por autoridades requisitantes;
  10. Concluir laudo;

EXAMINAR LOCAIS DE CRIME

  1. Observar o local;
  2. Avaliar condições de segurança no local dos fatos;
  3. Obter relatos das partes envolvidas e de terceiros;
  4. Orientar equipe de apoio (fotógrafo, desenhista…);
  5. Buscar evidências;
  6. Selecionar indícios materiais;
  7. Coletar indícios materiais;
  8. Acondicionar indícios;
  9. Lacrar equipamento;
  10. Requerer interdição do local;
  11. Requerer apreensão de provas;
  12. Colher dados topográficos;
  13. Verificar consequências dos fatos;
  14. Descrever o local;
  15. Transportar indícios coletados;
  16. Encaminhar peças para exames com ou sem quesitos;

ANALISAR PEÇAS E MATERIAIS RELACIONADOS A CRIME

  1. Identificar peças e materiais;
  2. Definir tipo de exame;
  3. Fotografar peças;
  4. Calibrar equipamentos;
  5. Preparar equipamento;
  6. Esterilizar materiais;
  7. Preparar reagentes;
  8. Obter padrões de confronto;
  9. Preparar amostra;
  10. Confrontar padrões e amostras;
  11. Analisar material audiovisual (fitas, fotos…);
  12. Analisar combustíveis;
  13. Analisar autos do processo;
  14. Solicitar informações suplementares (quebra de sigilo, documentos…);
  15. Solicitar exames a laboratórios especializados;
  16. Analisar patrimônio;
  17. Avaliar resultados das análises;

REALIZAR ENSAIOS

  1. Qualificar parâmetros físico – químicos (sólidos, líquidos e gases);
  2. Quantificar parâmetros físico – químicos (sólidos, líquidos e gases);
  3. Realizar ensaios instrumentais;
  4. Realizar ensaios de funcionamento;
  5. Realizar ensaios de eficácia;
  6. Realizar ensaios de resistência;
  7. Realizar ensaios toxicológicos;
  8. Pesquisar elementos microscópicos;
  9. Realizar ensaios de sangue;
  10. Realizar ensaios de líquido seminal;
  11. Realizar ensaios de DNA;

EFETUAR MEDIÇÕES

  1. Medir frenagem;
  2. Medir peças;
  3. Medir projétil e armas;
  4. Calcular velocidade e energia do projétil;
  5. Medir ruídos (decibelimetria);
  6. Medir intensidade de luz (luximetria);
  7. Medir frequência de ondas eletromagnéticas;
  8. Medir grandezas elétricas;
  9. Medir níveis de radiação eletromagnéticas;
  10. Medir áreas;
  11. Efetuar cálculos científicos;
  12. Avaliar bens;

ATENDER REQUISIÇÃO

  1. Verificar teor da requisição;
  2. Requisitar meio de transporte;
  3. Convocar equipe de apoio;
  4. Conferir equipamentos e instrumentos de trabalho;
  5. Requerer relatórios de análise;
  6. Reconstituir fatos;
  7. Atender requisição de exame complementar;
  8. Prestar esclarecimento em juízo;

ORGANIZAR O TRABALHO

  1. Registrar requisição;
  2. Estabelecer prioridades de atendimento;
  3. Conferir a área isolada;
  4. Delimitar isolamento (área, período, pessoas, comunicações…);
  5. Fornecer dados para fins estatísticos;

DESENVOLVER MÉTODOS E TÉCNICAS CIENTÍFICOS

  1. Consultar normas técnicas e legislação;
  2. Pesquisar ciência forense;
  3. Pesquisar metodologia;
  4. Testar metodologias;
  5. Validar metodologia;
  6. Adotar novas tecnologias;
  7. Elaborar especificações técnicas de equipamentos;
  8. Participar de eventos na área (congressos, seminários);
  9. Manter intercâmbio com instituições e empresas;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Demonstrar capacidade de observação;
  2. Demonstrar perspicácia;
  3. Agir com ética;
  4. Demonstrar dedicação;
  5. Demonstrar bom senso;
  6. Demonstrar paciência;
  7. Manter equilíbrio emocional;
  8. Demonstrar solidariedade;
  9. Trabalhar com segurança;
  10. Utilizar EPI;
  11. Manter sigilo;
  12. Ministrar aulas;
  13. Expressar-se com clareza e objetividade;
  14. Manter-se atualizado;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Espectro de massa;
  2. Equipamento para banho maria;
  3. Lanterna;
  4. Microscópio digital;
  5. Trena;
  6. Microscópio eletrônico;
  7. Ferramentas manuais;
  8. Rádio VHF;
  9. Microcomputador e periféricos;
  10. Máquina fotográfica;
  11. Calculadora;
  12. Balança;
  13. Paquímetro;
  14. Multímetro;
  15. Cronógrafo;
  16. Luxímetro;
  17. Lâmpada de UV;
  18. Decibelímetro;
  19. Estufa;
  20. Tanque de recolhimento de projéteis;
  21. Microscópio;
  22. Agitador / centrífuga;
  23. Endoscópio;
  24. Cronômetro;
  25. Dosímetro;
  26. Densímetro;
  27. Termômetro
  28. Esclerômetro;
  29. Teodolito;
  30. Espectrofotômetro de absorção atômica, de infra-v;
  31. Osciloscópio;
  32. Equipamento áudio-visuais (gravador, tv, som…);
  33. Cromatógrafos;
  34. Refrigerador / freezer;
  35. Capela;
  36. Vidrarias;
  37. Ferramentas elétricas (Furadeira, serras…);
  38. Ecômetro;
  39. Manômetro;
  40. Dinamômetro;
  41. Phmetro;
  42. Telefone;
  43. Lupa;
  44. Fax;
  45. Máquinas fotocopiadoras;
  46. Pipetador automático;
  47. Autoclave;
  48. Receptor G. P. S.;
  49. Mufla (Estufa);
  50. Radio UHF;
  51. Scaner;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Perito criminal – Perito criminal federal, Perito criminalístico, Perito criminalístico engenheiro, Perito criminalístico químico, Perito oficial;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Agnaldo Petrônio Gomes Júnior;
  • Antônio Pedro Da Luz Figini;
  • Carlos Rioiti Utida;
  • Cristina Pumeda Crespo;
  • Francisco Artur Cabral Gonçalves;
  • James Paula Barbosa;
  • Joel Raymundo Dos Santos Filho;
  • Lourenço Trapé Neto;
  • Nelson Correia Da Silva Júnior;
  • Nelson Cury Filho;
  • Paulo Fernandes Filho;
  • Priscila Borelli Batista Sapienza;
  • Ricardo Luiz Tieppo Alves;
  • Roberto Rodrigues;
  • Sergio Shoiti Kobayashi;

INSTITUIÇÕES

  • DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL – BRASÍLIA;
  • Departamento De Criminalística – Governo Do RS;
  • Instituto Criminal Afrânio Peixoto;
  • Instituto De Criminalistica;

Instituição Conveniada Responsável

Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Profissionais da matemática salário e atribuições CBO 2111

Jornada de trabalho: 42h
Piso salarial: R$5.307,27
Salário médio: R$7.475,03
Maior salário: R$11.296,49
Salário hora: R$35,96

ATRIBUIÇÕES DO CARGO

Elaboram modelos matemáticos e lógicos, identificando problemas e situações de interesse, selecionando métodos e técnicas, criando métodos, descrevendo modelos em linguagem matemática, processando simulações computacionais, validando, documentando, implementando e refinando modelos. Realizam atividades de pesquisa em matemática, tratam dados e informações, desenvolvem produtos e sistemas, executam auditoria atuarial. Podem dar aulas e prestar consultorias técnicas.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

O acesso às ocupações é dado por formação de nível superior, sendo comum profissionais portadores de títulos de especialização, mestrado ou doutorado.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Os profissionais da Matemática aqui descritos são entendidos como Matemáticos aplicados que atuam no setor produtivo de empresas privadas e na administração pública. Trabalham de forma individual e em equipe multidisciplinar, sem supervisão, exceto o Atuário que trabalha com supervisão ocasional. Suas atividades consistem em aplicar métodos e técnicas da matemática em outras áreas do conhecimento. Dentre as atividades econômicas em que atuam destacam-se as instituições financeiras e a área dos seguros e da previdência privada. O vínculo de trabalho predominante é o de assalariado com carteira assinada.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ELABORAR MODELOS MATEMÁTICOS E LÓGICOS

  1. Identificar problemas e situações de interesse;
  2. Selecionar métodos e técnicas;
  3. Criar métodos;
  4. Descrever modelo em linguagem matemática;
  5. Testar modelo;
  6. Planejar experimentos;
  7. Processar simulações computacionais;
  8. Validar modelo;
  9. Documentar modelo;
  10. Implementar modelo;
  11. Avaliar periodicamente o modelo;
  12. Refinar modelo;

REALIZAR ATIVIDADES DE PESQUISA EM MATEMÁTICA

  1. Demonstrar novos resultados;
  2. Formular conjecturas;
  3. Desenvolver algoritmos;
  4. Identificar lacunas de conhecimento;
  5. Examinar literatura;
  6. Examinar modelos;
  7. Elaborar projetos de pesquisa;
  8. Publicar resultados de pesquisa;

TRANSMITIR CONHECIMENTOS MATEMÁTICOS

  1. Capacitar profissionais;
  2. Ministrar aulas, seminários, palestras etc.;
  3. Orientar trabalhos técnicos e científicos;
  4. Preparar material didático;
  5. Divulgar resultados técnicos para o público;
  6. Organizar eventos;

TRATAR DADOS E INFORMAÇÕES

  1. Planejar coleta de dados;
  2. Coletar dados e informações;
  3. Criticar dados;
  4. Processar dados;
  5. Analisar dados;
  6. Interpretar resultados;
  7. Validar dados;

DESENVOLVER PRODUTOS E SISTEMAS

  1. Analisar legislação específica;
  2. Estabelecer regras e restrições;
  3. Determinar padrões de qualidade;
  4. Elaborar planos técnicos;
  5. Desenvolver programas computacionais;
  6. Adaptar produtos e sistemas;
  7. Otimizar processos;
  8. Reavaliar produtos e sistemas;
  9. Documentar produtos e sistemas;
  10. Determinar preços;

PRESTAR CONSULTORIA TÉCNICA

  1. Emitir laudos e pareceres técnicos;
  2. Aplicar técnicas de apoio às decisões;
  3. Participar de equipes multidisciplinares;
  4. Mensurar riscos;
  5. Analisar investimentos;
  6. Realizar avaliações atuariais;
  7. Calcular reservas técnicas;
  8. Confeccionar balanço atuarial;

EXECUTAR AUDITORIA ATUARIAL

  1. Avaliar hipóteses econômicas e financeiras;
  2. Analisar tábuas biométricas utilizadas;
  3. Avaliar demais hipóteses atuariais;
  4. Analisar modelo atuarial adotado;
  5. Reavaliar reservas técnicas;
  6. Analisar gestão financeira atuarial;
  7. Emitir relatório conclusivo;

COMUNICAR-SE

  1. Adequar linguagem;
  2. Expressar-se por escrito;
  3. Desenvolver comunicação visual;
  4. Trabalhar em equipe;
  5. Expressar-se oralmente;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Demonstrar capacidade de síntese;
  2. Demonstrar raciocínio lógico;
  3. Desenvolver visão sistêmica;
  4. Desenvolver raciocínio abstrato;
  5. Demonstrar disciplina;
  6. Desenvolver criatividade;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Computadores;
  2. Acesso à internet;
  3. Calculadora financeira;
  4. Livros e periódicos especializados;
  5. Banco de dados especializados;
  6. Softwares especializados;
  7. Calculadora científica;
  8. Material de expediente;
  9. Recursos áudio-visuais;
  10. Legislação específica;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Atuário;
  2. Especialista em pesquisa operacional – Analista de pesquisa operacional;
  3. Matemático;
  4. Matemático aplicado – Matemático computacional, Matemático industrial ;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Afonso De Jesus Gonçalves;
  • Annibal Parracho Sant Anna;
  • Carlos Augusto Shull Isnard;
  • Guilherme De Souza Dabul;
  • Helio Otsuka;
  • José Luiz Montelo Da Fonseca;
  • José Roberto Pereira Rodrigues;
  • Liliane De Almeida Maia;
  • Luciano Duarte;
  • Michel Spyra;
  • Milton Da Costa Lopes Filho;
  • Valdemar Rodrigues Filho;

INSTITUIÇÕES

  • Actuarial Service Seguros E Previdência Ltda.;
  • Asta – Assessoria Técnica Empresarial;
  • Centro De Pesquisas Da Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras-cenpes);
  • Consulprev – Serviços Técnicos Em Atuária;
  • Departamento De Matemática Da Fundação Universidade De Brasília;
  • Departamento De Matemática Do Instituto De Ciências Exatas Da Ufmg;
  • Instituto De Matemática Pura E Aplicada (Impa);
  • Instituto De Matemática, Estatística E Computação Científica (Imeec-unicamp);
  • Minasprev;
  • Rspp Previdência Privada;
  • Sociedade Brasileira De Pesquisa Operacional (Sobrapo);
  • Usinas Siderúrgicas De Minas Gerais S.A. (Usiminas);

Instituição Conveniada Responsável

Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Profissionais de estatística salário e atribuições CBO 2112

Jornada de trabalho: 41h
Piso salarial: R$3.949,74
Salário médio: R$5.563,01
Maior salário: R$8.406,99
Salário hora: R$26,83

ATRIBUIÇÕES DO CARGO

Desenham amostras; analisam e processam dados; constroem instrumentos de coleta de dados; criam banco de dados; desenvolvem sistemas de codificação de dados; planejam pesquisa; comunicam-se oralmente e por escrito.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para o acesso às ocupações requer-se curso superior completo, sendo desejável curso superior de tecnologia (tecnólogo), cursos de especialização ou de pós-graduação. O exercício pleno das atividades, em média, ocorre no período que pode variar de três a quatro anos de experiência profissional.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Atuam em três grandes áreas da estatística: a industrial, a aplicada às ciências biológicas e da saúde e a aplicada às ciências humanas e sociais. No exercício das suas atividades se utilizam da estatística como ferramenta de trabalho. Podem trabalhar em institutos de pesquisa, planejamento e estatística, instituições de ensino, empresas e fundações públicas ou privadas. Organizam-se em equipe e também de forma individual (Estatístico teórico). Atuam com supervisão permanente e também ocacional, dependendo da ocupação. Trabalham em ambientes fechados, no período diurno. Em algumas de suas atividades, podem trabalhar em posições desconfortáveis por longos períodos, bem como estar expostos à radiação dos monitores de computadores.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

DESENHAR AMOSTRAS

  1. Identificar objetivo da pesquisa;
  2. Dimensionar universo da pesquisa;
  3. Definir cadastro;
  4. Compor cadastro;
  5. Desenhar plano amostral;
  6. Definir tamanho da amostra;
  7. Selecionar amostra;
  8. Definir fator de expansão do resultado;
  9. Calcular precisão da amostra;
  10. Revisar plano amostral;

ANALISAR DADOS

  1. Adotar modelo para análise estatística;
  2. Analisar dados segundo técnicas estatísticas;
  3. Fazer análise descritiva;
  4. Projetar resultados;
  5. Interpretar resultados estatísticos da análise;
  6. Validar resultados fornecidos pelos indicadores;
  7. Realizar controle estatístico de processo;
  8. Auxiliar na interpretação interdisciplinar dos dados;
  9. Fazer relatório de análise;
  10. Aprimorar técnicas estatísticas;
  11. Construir indicadores;
  12. Calcular números índices;

PROCESSAR DADOS

  1. Elaborar sistema de entrada de dados;
  2. Criticar dados (validade, consistência e estatística);
  3. Elaborar métodos de imputação de dados;
  4. Definir processo de tabulação;
  5. Elaborar programas de processamento, tabulação de dados;
  6. Tabular dados;
  7. Preparar apresentação dos resultados (gráficos, cartogramas e outros);

CONSTRUIR INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS

  1. Escolher forma de coleta;
  2. Selecionar variáveis;
  3. Estruturar instrumentos de coleta;
  4. Ordenar variáveis segundo estratégia de coleta;
  5. Redigir instruções de coleta e preenchimento;
  6. Redigir material de divulgação da pesquisa;
  7. Treinar entrevistador e pesquisador;
  8. Realizar teste piloto;

CRIAR BANCO DE DADOS

  1. Selecionar variáveis componentes do banco de dados;
  2. Criar dicionário de dados;
  3. Estabelecer nível de agregação a ser disponibilizado;
  4. Descrever conteúdo dos dados (meta-dados);
  5. Acrescentar variáveis ao banco de dados;
  6. Atualizar dados;
  7. Avaliar qualidade do banco de dados;
  8. Dar suporte na utilização dos bancos de dados;

DESENVOLVER SISTEMAS DE CODIFICAÇÃO DE DADOS

  1. Definir plano de classificação;
  2. Definir nível de agregação dos dados;
  3. Criar livro de códigos;
  4. Atualizar livro de códigos;
  5. Estabelecer codificação de identificação do questionário;

PLANEJAR PESQUISA

  1. Definir tipo de pesquisa (amostral, censitária, experimental etc.);
  2. Elaborar cronograma;
  3. Listar equipamentos;
  4. Listar suprimentos;
  5. Listar recursos humanos;
  6. Planejar trabalho de campo (coleta, supervisão etc.);

COMUNICAR-SE

  1. Trabalhar em equipe;
  2. Adaptar linguagem;
  3. Desenvolver capacidade de expressão oral;
  4. Desenvolver capacidade de expressão escrita;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Desenvolver raciocínio matemático;
  2. Desenvolver raciocínio lógico;
  3. Demonstrar capacidade de síntese;
  4. Demonstrar organização;
  5. Demonstrar objetividade;
  6. Desenvolver capacidade analítica;
  7. Desenvolver perspicácia;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Softwares estatísticos;
  2. Calculadora;
  3. Softwares geográficos;
  4. Mapas e guias de localização;
  5. Computador,impressora,scanner (equip. informática);
  6. Softwares básicos (edit. texto, plan. e b. dados);
  7. Material bibliográfico;
  8. Linhas telefônicas;
  9. Conexão à Internet;
  10. Salas específicas;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Estatístico – Amostrista, Estatístico – analista;
  2. Estatístico (estatística aplicada) – Bioestatístico, Demógrafo, Econometrista;
  3. Estatístico teórico;

PARTICIPARA DA PESQUISA

  • Agostinho Odísio Neto;
  • Antonio Augusto Da Silva Abreu;
  • Brunu Marcus Ferreira Amorim;
  • Cornélia Nogueira Porto;
  • Edna Yukiko Taira;
  • Evâneo Dos Santos Silva Júnior;
  • Francisco Carlos Alves De Araújo;
  • Margarida Maria De Mendonça;
  • Maria De Lourdes Teixeira Jardim;
  • Milton Shigueyoshi Nakama;
  • Pedro Luiz De Souza Quintslr;

INSTITUIÇÕES

  • Conest – Consultoria Em Estatística E Pesquisas Ltda.;
  • Departamento Intersindical De Estatística E Estudos Sócio-econômicos (Dieese);
  • Fundação De Economia E Estatística Siegfried Emanuel Heuser (Fee, Governo Do Estado Do Rs);
  • Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas (Fipe-usp);
  • Fundação Joaquim Nabuco;
  • Fundação Sistema Estadual De Análise De Dados (Seade);
  • Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística (Ibge);
  • Instituto De Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea);
  • Instituto Paranaense De Desenvolvimento Econômico E Social (Ipardes);
  • Usinas Siderúrgicas De Minas Gerais S.A. (Usiminas);
  • Vox Populi Mercado E Opinião S/c Ltda.;

Instituição Conveniada Responsável

Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Engenheiros em computação salário e atribuições CBO 2122

Jornada de trabalho: 41h
Piso salarial: R$5.686,80
Salário médio: R$8.009,58
Maior salário: R$12.104,32
Salário hora: R$38,66

ATRIBUIÇÕES DO CARGO

Projetam soluções em tecnologia da informação, identificando problemas e oportunidades, criando protótipos, validando novas tecnologias e projetando aplicativos em linguagem de baixo, médio e alto nível. Implementam soluções em tecnologia da informação, gerenciam ambientes operacionais, elaboram documentação, fornecem suporte técnico e organizam treinamentos a usuários.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para o acesso às ocupações requer-se curso superior completo de Engenharia da computação ou área afim. Podem ser portadores de certificações homologadas por instituições reconhecidas pelo mercado e/ou títulos de especialização e pós-graduação. Para o Engenheiro de aplicativos e o Engenheiro de equipamentos de computação, o desempenho pleno das atividades ocorre após um a dois anos de experiência. No caso do Engenheiro de sistemas de computação, o pleno exercício ocorre entre quatro e cinco anos de experiência profissional.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Ao projetar e desenvolver sistemas computacionais, trabalham tanto na área de software quanto na área de hardware, incluindo robótica. Podem ser encontrados, por exemplo, em indústrias químicas, de material de transporte, de máquinas para escritórios e equipamentos de informática, em instituições financeiras e nas telecomunicações. Costumam desenvolver suas atividades em universidades, institutos de pesquisa, grandes empresas, tanto no setor público como no privado, em ambientes, nos quais se pesquisa tecnologia avançada para ser absorvida pelo mercado. Podem trabalhar como empregados, funcionários públicos ou como autônomos sob supervisão ocasional, desenvolvendo seus trabalhos em equipe multidisciplinar, parceria ou cooperação, de forma presencial e também à distância.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

PROJETAR SOLUÇÕES EM TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

  1. Identificar problemas e oportunidades;
  2. Identificar perfil de usuários;
  3. Identificar restrições e dificuldades de projeto;
  4. Realizar pesquisas técnicas;
  5. Validar novas tecnologias e aplicabilidade de pesquisas técnicas;
  6. Identificar equipamentos e sistemas;
  7. Avaliar custo e benefício de soluções;
  8. Dimensionar recursos físicos, financeiros e humanos;
  9. Definir cronograma de trabalho;
  10. Projetar aplicativos em linguagem de médio e alto nível;
  11. Projetar aplicativos em linguagem de baixo nível;
  12. Projetar módulos de equipamentos;
  13. Criar protótipos;

IMPLEMENTAR SOLUÇÕES EM TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

  1. Codificar aplicativos;
  2. Montar equipamentos (hardware);
  3. Conectar aplicativos e equipamentos;
  4. Testar solução projetada;
  5. Alocar recursos;
  6. Implantar solução projetada;
  7. Definir transdutores;

GERENCIAR AMBIENTE OPERACIONAL

  1. Configurar ambiente operacional;
  2. Definir ações de controle operacional e de recursos;
  3. Monitorar nível de utilização de recursos;
  4. Realizar manutenção técnica (preventiva e corretiva);
  5. Atualizar aplicativos;
  6. Atualizar equipamentos;

ELABORAR DOCUMENTAÇÃO

  1. Descrever solução projetada;
  2. Descrever métodos e processos de trabalho;
  3. Registrar problemas, soluções e eventos (processos e intervenções);
  4. Elaborar relatórios técnicos;
  5. Elaborar manuais técnicos (uso, funcionamento, instalação e manutenção);

FORNECER SUPORTE TÉCNICO

  1. Orientar usuários;
  2. Classificar problemas;
  3. Definir prazos e prioridades de atendimento;
  4. Corrigir falhas no sistema;
  5. Acionar suporte de terceiros;

ORGANIZAR TREINAMENTO DE USUÁRIOS

  1. Elaborar material didático;
  2. Especificar recursos necessários para treinamento;
  3. Ministrar treinamento;
  4. Preparar testes para avaliação de treinandos;
  5. Avaliar eficácia de treinamento;

COMUNICAR-SE

  1. Trabalhar em equipe;
  2. Desenvolver expressão oral;
  3. Desenvolver expressão escrita;
  4. Negociar;
  5. Desenvolver compreensão escrita;
  6. Desenvolver compreensão oral;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Demonstrar persistência;
  2. Cultivar a curiosidade;
  3. Desenvolver raciocínio lógico;
  4. Desenvolver raciocínio abstrato;
  5. Demonstrar orientação para detalhes;
  6. Evidenciar criatividade;
  7. Demonstrar objetividade;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Computador;
  2. Ferramentas de programação (compilador etc);
  3. Internet;
  4. Dispositivo de armazenamento de dados (CDS etc.);
  5. Literatura específica;
  6. Gerador de aplicações;
  7. Gerenciador de banco de dados;
  8. Impressora e periféricos;
  9. Sistema operacional;
  10. Analisador de sinais;
  11. Equipamentos de conectividade (modems, roteadores);
  12. Editor de documentos;
  13. Analisador de protocolos;
  14. Emuladores (simuladores de ambiente);
  15. Equipamentos de comunicação (voz e dados);

CARGOS RELACIONADOS

  1. Engenheiro de aplicativos em computação – Engenheiro de sistemas computacionais – aplicativos, Engenheiro de softwares computacionais;
  2. Engenheiro de equipamentos em computação – Engenheiro de hardware computacional, Engenheiro de sistemas computacionais – equipamentos;
  3. Engenheiros de sistemas operacionais em computação – Engenheiro de software computacional básico, Engenheiro de suporte de sistemas operacionais em computação;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Edesio Costa E Silva;
  • Eduardo Costa E Silva;
  • Maria Theresa Rossi Vilela;
  • Mario Roberto Bastos;
  • Rui José Arruda Campos;
  • Ruimar Ferreira Torres;
  • Sandro Bragatto Santos Costa;
  • Sônia Mika Matsumoto;

INSTITUIÇÕES

  • Accurate Software;
  • Companhia Transmissão De Energia Elétrica Paulista;
  • Promon*ip;
  • Softaplic Sociedade Civil Ltda.;
  • Starix Informática Ltda.;
  • Usinas Siderúrgicas De Minas Gerais S.A. (Usiminas);
  • Via Net.Works Brasil;

Instituição Conveniada Responsável

Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Administradores de tecnologia da informação salário e atribuições CBO 2123

Jornada de trabalho: 41h
Piso salarial: R$3.915,39
Salário médio: R$5.514,63
Maior salário: R$8.333,88
Salário hora: R$26,71

ATRIBUIÇÕES DO CARGO

Administram ambientes computacionais, implantando e documentando rotinas e projetos e controlando os níveis de serviço de sistemas operacionais, banco de dados e redes. Fornecem suporte técnico no uso de equipamentos e programas computacionais e no apoio a usuários, configuram e instalam recursos e sistemas computacionais, controlam a segurança do ambiente computacional.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para o exercício profissional dessas ocupações, requer-se curso superior completo, em nível de baharelado ou tecnologia. Podem, também, obter formação específica por meio de cursos de qualificação, com carga horária entre duzentas e quatrocentas horas. A experiência profissional prévia requerida dos titulares para o exercício pleno das atividades é de um a dois anos, exceto para o Administrador de Bancos de Dados, que é de aproximadamente quatro anos, em todos os casos incluindo o tempo de estágio.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Exercem suas atividades em qualquer setor da atividade econômica, tais como a indústria, o comércio, os serviços, a agropecuária ou a administração pública. Podem trabalhar em empresas públicas ou privadas, em geral de médio e grande portes. Seu trabalho se desenvolve, majoritariamente em equipe, de forma cooperativa, com supervisão ocasional. Não há predominância de um tipo de vínculo de trabalho: os profissionais podem ser assalariados ou trabalhador por conta-própria e trabalham em período diurno.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ADMINISTRAR AMBIENTE COMPUTACIONAL

  1. Definir parâmetros de desempenho e disponibilidade de ambiente computacional;
  2. Executar procedimentos de migração e interface de dados;
  3. Analisar parâmetros de disponibilidade, indicadores de capacidade e de desempenho;
  4. Controlar níveis de serviço;
  5. Automatizar rotinas;
  6. Implantar projeto de banco de dados;
  7. Implantar projetos de redes;
  8. Implantar projetos de segurança da informação;
  9. Pesquisar recursos computacionais;
  10. Especificar recursos computacionais;
  11. Negociar contratação de serviços e produtos;
  12. Controlar contratos de manutenção, programas de computadores e equipamentos;

INSTALAR RECURSOS COMPUTACIONAIS

  1. Instalar sistema operacional;
  2. Instalar serviços de rede de computadores;
  3. Instalar ´SGBD´;
  4. Instalar equipamentos de conectividade;
  5. Instalar placas, componentes e periféricos;
  6. Instalar aplicativos;
  7. Instalar correções de sistemas computacionais;
  8. Projetar banco de dados;
  9. Projetar arquitetura de redes computacionais;

CONFIGURAR RECURSOS DO AMBIENTE COMPUTACIONAL

  1. Configurar sistema operacional;
  2. Configurar equipamentos e sistemas de conectividade;
  3. Configurar placas, componentes e periféricos;
  4. Configurar parâmetros e perfis de usuários de redes locais;
  5. Configurar parâmetros e perfis de usuários de sistemas operacionais;
  6. Configurar parâmetros e perfis de usuários de ´SGBD´;
  7. Configurar aplicativos;
  8. Configurar mecanismos de segurança;

FORNECER SUPORTE NO USO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS

  1. Documentar ocorrência de problemas e soluções;
  2. Diagnosticar problemas;
  3. Orientar usuários;
  4. Corrigir falhas;
  5. Fornecer informações de problemas diagnosticados para outras áreas;
  6. Acompanhar solução de problemas;
  7. Fornecer suporte ao desenvolvimento de projetos;
  8. Desenvolver soluções para apoio ao usuário;
  9. Ministrar treinamentos;
  10. Subsidiar discussões sobre nível de serviços;

CONTROLAR AMBIENTE COMPUTACIONAL

  1. Elaborar procedimentos de cópia de segurança e recuperação;
  2. Executar rotinas de cópia de segurança e recuperação;
  3. Definir normas de segurança de acesso a recursos;
  4. Mapear riscos de segurança de recursos tecnológicos;
  5. Padronizar nomenclatura de usuários e grupos;
  6. Padronizar tipos de autenticação de usuário;
  7. Auditorar uso de ambiente computacional;
  8. Inventariar recursos computacionais;
  9. Documentar ambiente computacional;
  10. Estabelecer métricas de controle do uso de recursos computacionais;
  11. Monitorar métricas de controle do uso de recursos computacionais;
  12. Testar recursos computacionais para homologação;
  13. Efetuar manutenção do sgbd;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Demonstrar iniciativa;
  2. Trabalhar sob pressão;
  3. Demonstrar atenção concentrada;
  4. Demonstrar criatividade;
  5. Demonstrar paciência;
  6. Manter sigilo;
  7. Demonstrar capacidade de raciocinar logicamente;
  8. Contornar situações adversas;
  9. Trabalhar em equipe;
  10. Demonstrar capacidade de se colocar no lugar do usuário;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Microc Computador (software);
  2. Telefone/celular/rádio;
  3. Projetor de multimídia;
  4. Ferramentas;
  5. Equipamentos de conectividade;
  6. Bip;
  7. Nobreak;
  8. Impressora;
  9. Scanner;
  10. Ar Condicionado;
  11. Gps (global Position System);
  12. Aplicativos (softwares);
  13. Modem;
  14. Manuais técnicos;
  15. Mídia De Armazenamento;
  16. Telefone celular;
  17. Gravador de cd;
  18. Mapas;
  19. Fax;
  20. Cadeira;
  21. Iluminação;
  22. Multímetro;
  23. Material de escritório;
  24. Testador de cabo;
  25. Plotter;
  26. Cabeamento de rede;
  27. Acesso À Internet(remoto);
  28. Equipamentos de multimídia;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Administrador de banco de dados – Dba, Tecnólogo em banco de dados;
  2. Administrador de redes – Administrador de rede e de sistemas computacionais, Administrador de sistema operacional de rede, Tecnólogo em redes de computadores;
  3. Administrador de sistemas operacionais – Administrador de sistemas computacionais, Administrador de sistemas operacionais de rede, Analista de aplicativo básico (software);
  4. Administrador em segurança da informação – Analista em segurança da informação, Especialista em segurança da informação, Tecnólogo em segurança da informação;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Anderson Fernandes Santos Rocha;
  • Eduardo Haruo Kamioka;
  • Elder Gomes Dos Reis;
  • Eliane Voll;
  • Guilherme Santos Nazareth;
  • Igor Fabiano Machado Góes;
  • Igor Raphael De Alcântara;
  • Juliana Rodrigues De Souza;
  • Luciano De Oliveira Mendes;
  • Luciano Rodrigues Penido;
  • Marcelo De Ávila Chaves;
  • Marcio De Almeida;
  • Mardem Barbosa De Anchieta Rosa;
  • Maurício A. De Castro Lima;
  • Murilo Silva Monteiro;
  • Márcio Azevedo De Menezes Guerra;
  • Raymilton Guimarães Labussiére;
  • Rogério De Oliveira;
  • Rubens José De Souza;
  • Tânia Nunes S. Dos Santos;

INSTITUIÇÕES

  • Associação Dos Magistrados Mineiros (Amagis);
  • Banco Sudameris Brasil S.A.;
  • Barmag Do Brasil Ltda.;
  • Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional (Cedeplar);
  • Companhia De Processamento De Dados De Minas Gerais (Prodemge);
  • Companhia De Saneamento De Minas Gerais (Copasa);
  • Delta Engenharia Industrial E Comércio Ltda;
  • Departamento Da Ciência Da Computação Da Ufmg (Fundep-dcc);
  • Imagem Sensoriamento Remoto S/c Ltda.;
  • Pricewaterhouse Coopers Auditores Independentes;
  • Serasa Experian S.a.;
  • Telemar Norte Leste S.A.;

Instituição Conveniada Responsável

Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Analistas de tecnologia da informação salário e atribuições CBO 2124

Jornada de trabalho: 42h
Piso salarial: R$3.461,75
Salário médio: R$4.875,71
Maior salário: R$7.368,31
Salário hora: R$23,48

ATRIBUIÇÕES DO CARGO

Desenvolvem e implantam sistemas informatizados dimensionando requisitos e funcionalidade dos sistemas, especificando sua arquitetura, escolhendo ferramentas de desenvolvimento, especificando programas, codificando aplicativos. Administram ambiente informatizado, prestam suporte técnico ao cliente, elaboram documentação técnica. Estabelecem padrões, coordenam projetos, oferecem soluções para ambientes informatizados e pesquisam tecnologias em informática.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para o exercício profissional dessas ocupações, requer-se curso superior completo, em nível de bacharelado ou tecnologia. Podem, também, obter formação específica por meio de cursos de qualificação, com carga horária entre duzentas e quatrocentas horas. A experiência profissional prévia requerida dos titulares para o exercício pleno das atividades é de um a dois anos, incluindo o tempo de estágio. Em função da inovação tecnológica, a permanência no mercado de trabalho requer atualização contínua dos profissionais.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Exercem suas atividades em qualquer setor da atividade econômica, tais como a indústria, o comércio, os serviços, a agropecuária ou a administração pública. Podem trabalhar em empresas públicas ou privadas, em geral de médio e grande portes. Seu trabalho se desenvolve, majoritariamente em equipe, de forma cooperativa, com supervisão ocasional. Não há predominância de um tipo de vínculo de trabalho: os profissionais podem ser assalariados ou trabalhador por conta-própria e trabalham em período diurno.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

DESENVOLVER SISTEMAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

  1. Levantar necessidades do cliente/usuário;
  2. Dimensionar requisitos e funcionalidade dos sistemas;
  3. Levantar fontes de dados;
  4. Definir alternativas físicas de implantação;
  5. Participar da aprovação de infra-estrutura,software e rede;
  6. Especificar a arquitetura dos sistemas;
  7. Escolher ferramentas de desenvolvimento;
  8. Modelar dados;
  9. Especificar aplicativos;
  10. Desenvolver arquitetura de sistemas e informações;
  11. Montar protótipo dos sistemas;
  12. Codificar programas;
  13. Planejar testes de sistemas e ambientes;
  14. Testar sistemas;
  15. Implantar sistemas;

ADMINISTRAR AMBIENTE DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

  1. Monitorar performance dos sistemas;
  2. Administrar recursos de rede;
  3. Administrar banco de dados;
  4. Administrar ambiente operacional;
  5. Executar procedimentos para melhoria de performance dos sistemas;
  6. Identificar falhas nos sistemas;
  7. Corrigir falhas nos sistemas;
  8. Controlar acesso aos dados e recursos;
  9. Administrar perfil de acesso às informações;
  10. Realizar auditoria de sistemas;
  11. Realizar revisões técnicas;

PRESTAR SUPORTE TÉCNICO AO CLIENTE/USUÁRIO

  1. Orientar áreas de apoio;
  2. Consultar documentação técnica;
  3. Consultar fontes alternativas de informações;
  4. Realizar simulações em ambiente controlado;
  5. Acionar suporte de terceiros;
  6. Instalar hardware;
  7. Instalar software;
  8. Configurar software e hardware;

ELABORAR DOCUMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

  1. Descrever processos (fluxo de atividades);
  2. Elaborar diagramas (caso de uso, fluxo de dados, mapa de site etc.);
  3. Elaborar dicionário de dados;
  4. Elaborar manuais do sistema;
  5. Inventariar software e hardware;
  6. Documentar estrutura da rede;
  7. Documentar acordo de níveis de serviço (sla);
  8. Documentar capacidade e performance;
  9. Documentar soluções disponíveis;
  10. Elaborar especificação técnica;
  11. Documentar níveis de serviços;

ESTABELECER PADRÕES PARA AMBIENTE DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

  1. Estabelecer padrões de software;
  2. Participar da definição de níveis de segurança de tecnologia da informação;
  3. Definir requisitos técnicos para contratação de produtos e serviços;
  4. Definir nomenclatura padrão;
  5. Definir padrões de interface com cliente/usuário;
  6. Definir metodologias a serem adotadas;
  7. Especificar procedimentos para recuperação de ambiente operacional;

OFERECER SOLUÇÕES PARA AMBIENTES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

  1. Propor mudanças de processos e funções;
  2. Prestar consultoria técnica;
  3. Identificar necessidade do cliente;
  4. Avaliar proposta de fornecedores;
  5. Negociar alternativas com clientes ou fornecedores;
  6. Adequar soluções a necessidade do cliente;
  7. Apresentar alternativas de solução;
  8. Divulgar solução;
  9. Elaborar propostas técnicas comerciais;

PESQUISAR INOVAÇÕES EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

  1. Pesquisar padrões, técnicas e ferramentas disponíveis no mercado;
  2. Avaliar novas tecnologias;
  3. Construir ambiente de teste;
  4. Analisar funcionalidade do produto;
  5. Comparar alternativas tecnológicas;
  6. Avaliar desempenho do produto;

COMUNICAR-SE

  1. Registrar ocorrências;
  2. Elaborar relatórios técnicos;
  3. Emitir pareceres técnicos;
  4. Elaborar estudos de viabilidade técnica e econômica;
  5. Divulgar documentação;
  6. Divulgar utilização de novos padrões;
  7. Participar de fóruns de discussão;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Desenvolver raciocínio abstrato;
  2. Demonstrar criatividade;
  3. Desenvolver raciocínio lógico;
  4. Demonstrar capacidade de síntese;
  5. Demonstrar senso analítico;
  6. Evidenciar concentração;
  7. Demonstrar flexibilidade;
  8. Demonstrar capacidade de antecipar cenário futuro;
  9. Trabalhar em equipe;
  10. Demonstrar iniciativa;
  11. Desenvolver capacidade de memorização;
  12. Demonstrar empatia com público-alvo;
  13. Demonstrar capacidade de trabalhar sob pressão;
  14. Demonstrar capacidade de organização;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Mobiliário ergonômico;
  2. Ambiente De Desenvolvimento (conjunto De Software);
  3. Estação de trabalho;
  4. Linha telefônica;
  5. Acesso À Rede E Internet E E-mail;
  6. Acesso Ao Sgbd;
  7. Equipamento Multimídia;
  8. Dispositivos de armazenamento de dados;
  9. Ar Condicionado;
  10. Periféricos;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Analista de desenvolvimento de sistemas – Analista de sistemas (informática), Analista de sistemas para internet, Analista de sistemas web (webmaster), Consultor de tecnologia da informação, Tecnólogo em análise de desenvolvimento de sistema, Tecnólogo em processamento de dados, Tecnólogo em sistemas para internet;
  2. Analista de redes e de comunicação de dados – Analista de comunicação (teleprocessamento), Analista de rede, Analista de telecomunicação;
  3. Analista de sistemas de automação;
  4. Analista de suporte computacional – Analista de suporte de banco de dados, Analista de suporte de sistema, Analista de suporte técnico;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Abílio Valério Tozini;
  • Ademilda Maria De Oliveira;
  • Alexandre Latorre França;
  • Carlos Alberto Majer;
  • Carlos José Videira Lourenço;
  • Cristiane De Oliveira;
  • Cristiano De Alencar Laboissière;
  • Eduardo Enrique Ostos Carvalho;
  • Elaine Aparecida Lopes;
  • Elcio Benjamim;
  • Fernando Vieira De Carvalho;
  • Francisco Marco Camara De Santana;
  • Hiroshi Jorge Takahashi;
  • Jairo Rodrigues Do Amaral;
  • Jalon Jorge Salun;
  • Junia Costa De Miranda;
  • Luiz Cláudio Gomes Maia;
  • Maria Dalva Resende;
  • Márcia Aparecida Maluf Abrahão;
  • Rodrigo Lemos Dos Santos;
  • Rogério Notini Penido;
  • Thiago Passos Ferraz Moreira;
  • Wagner Soares De Rosa;

INSTITUIÇÕES

  • Banco Santander Do Brasil;
  • Banco Sudameris Brasil S.A.;
  • Companhia De Saneamento De Minas Gerais (Copasa);
  • Companhia Energética Do Estado De Minas Gerais (Cemig);
  • Federação Das Indústrias Do Estado De Minas Gerais (Fiemg);
  • Ibm Brasil Indústria De Máquinas E Serviços Ltda.;
  • S.A. Estado De Minas;
  • Serviço Federal De Processamento De Dados (Serpro);
  • Sociedade Educacional De Santa Catarina;
  • Tba Informática;
  • Terra Networks S.A.;
  • Tivit Tecnologia Da Informação S.a.;
  • Totvs S. A.;
  • Unicid – Universidade Cidade De São Paulo;
  • Usinas Siderúrgicas De Minas Gerais S.A. (Usiminas);

Instituição Conveniada Responsável

Fundação Instituto De Pesquisas Econômicas – Fipe – Usp

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Físicos salário e atribuições CBO 2131

Jornada de trabalho: 38h
Piso salarial: R$5.502,03
Salário médio: R$7.749,33
Maior salário: R$11.711,02
Salário hora: R$40,79

ATRIBUIÇÕES DO CARGO

Aplicam princípios, conceitos e métodos da física em atividades específicas, aplicam técnicas de radiação ionizante e não ionizante em ciências da vida, radiação na agricultura e conservação de alimentos e podem operar reatores nucleares e equipamentos emissores de radiação. Desenvolvem fontes alternativas de energia, projetam sistemas eletrônicos, ópticos, de telecomunicações e outros sistemas físicos. Realizam medidas de grandezas físicas, desenvolvem programas e rotinas computacionais e elaboram documentação técnica e científica.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

As ocupações exigem para seu exercício, pelo menos, o curso superior completo, sendo freqüente a presença de profissionais com titulações de pós-graduação e cursos de especialização. O exercício pleno das atividades das ocupações geralmente ocorre após quatro anos de experiência na área.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Os profissionais podem trabalhar em várias atividades econômicas como, por exemplo, saúde, fabricação de coque, refino de petróleo, produção de combustíveis, inclusive nucleares, fabricação de material eletrônico e aparelhos de comunicação. É mais comum encontrar esses profissionais em institutos de pesquisa e universidades públicas. Nestes casos, são classificados como pesquisadores ou professores. Costumam trabalhar em equipe multidisciplinar com supervisão ocasional. Pode ocorrer que, no exercício de algumas atividades, alguns profissionais estejam expostos aos efeitos da radiação e de materiais tóxicos.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

REALIZAR PESQUISAS CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS

  1. Realizar pesquisa bibliográfica;
  2. Selecionar amostras e padrões;
  3. Preparar amostras;
  4. Realizar experimentos;
  5. Desenvolver teorias;
  6. Desenvolver materiais;
  7. Desenvolver processos;
  8. Desenvolver aplicações de novas tecnologias;
  9. Desenvolver modelos;
  10. Simular modelos;
  11. Analisar resultados;
  12. Extrair conclusões;

APLICAR PRINCÍPIOS, CONCEITOS E MÉTODOS DA FÍSICA EM ATIVIDADES ESPECÍFICAS

  1. Aplicar técnicas de radiação não ionizante em ciências da vida;
  2. Aplicar técnicas de radiação ionizante em ciências da vida;
  3. Aplicar técnicas de radiação em análise e preparação de materiais;
  4. Aplicar técnicas de radiação ionizante em outras áreas do conhecimento;
  5. Aplicar técnicas de radiação não ionizante em outras áreas do conhecimento;
  6. Aplicar radiação na agricultura e conservação de alimentos;
  7. Verificar cumprimento dos procedimentos operacionais de radioproteção;
  8. Realizar análise de segurança e proteção radiológica;
  9. Operar reatores nucleares e equipamentos emissores de radiação;
  10. Aplicar princípios físicos na adequação de ambientes;
  11. Aplicar métodos físicos a análise de sistemas ecológicos;
  12. Aplicar métodos da física na área financeira;
  13. Prestar consultoria;
  14. Manipular fontes radioativas;
  15. Realizar dosimetria clínica;

DESENVOLVER EQUIPAMENTOS E SISTEMAS

  1. Desenvolver instrumentação científica;
  2. Desenvolver fontes alternativas de energia;
  3. Projetar sistemas, instalações e equipamentos de radiação;
  4. Projetar instalações nucleares;
  5. Analisar sistemas eletrônicos, ópticos, de telecomunicações e outros sistemas físicos;
  6. Projetar sistemas eletrônicos, ópticos de telecomunicações e outros sistemas físicos;
  7. Integrar sistemas eletrônicos, ópticos, de telecomunicações e outros sistemas físicos;
  8. Desenvolver processos para proteção do meio ambiente;

DESENVOLVER PROGRAMAS E ROTINAS COMPUTACIONAIS

  1. Selecionar modelo físico;
  2. Equacionar modelo físico;
  3. Testar programas computacionais;
  4. Validar programas computacionais;

ELABORAR DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA

  1. Redigir trabalhos técnicos e científicos;
  2. Solicitar registros de patentes e propriedade intelectual;
  3. Assessorar na elaboração de protocolos e normas;
  4. Redigir documentação instrumental e de aplicativos;
  5. Emitir laudos técnicos;
  6. Emitir pareceres técnicos e científicos;
  7. Elaborar procedimentos operacionais e de segurança;
  8. Elaborar procedimentos de radioproteção;
  9. Traduzir manuais técnicos;
  10. Elaborar relatórios de análise de impacto ambiental;

DIFUNDIR CONHECIMENTOS

  1. Divulgar conhecimentos da física para a comunidade;
  2. Participar de eventos científicos;
  3. Orientar trabalhos técnicos e científicos;
  4. Submeter trabalhos técnicos e científicos à publicação;
  5. Ministrar palestras, seminários e cursos;
  6. Organizar eventos científicos;
  7. Treinar especialista e técnicos;

ADMINISTRAR ATIVIDADES DE PESQUISAS E APLICAÇÕES

  1. Elaborar projetos de pesquisa;
  2. Elaborar cronograma físico e financeiro;
  3. Planejar instalações;
  4. Especificar equipamentos e infra estrutura laboratorial;
  5. Planejar experimentos;
  6. Coordenar projetos de pesquisa;
  7. Gerir projetos de pesquisa;
  8. Identificar demanda;

REALIZAR MEDIDAS DE GRANDEZAS FÍSICAS

  1. Aplicar técnicas de espectrometria;
  2. Avaliar parâmetros físicos em sistemas ambientais;
  3. Aferir equipamentos científicos;
  4. Caracterizar propriedades físicas, químicas e estruturais de materiais;
  5. Realizar ensaios e testes;
  6. Desenvolver padrões metrológicos;
  7. Realizar levantamentos radiométricos;

COMUNICAR-SE

  1. Trabalhar em equipe;
  2. Desenvolver expressão da liderança;
  3. Desenvolver expressão oral;
  4. Desenvolver expressão escrita;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Demonstrar criatividade;
  2. Desenvolver raciocínio lógico;
  3. Cultivar visão ampla;
  4. Evidenciar organização;
  5. Demonstrar versatilidade;
  6. Demonstrar persistência;
  7. Evidenciar receptividade;
  8. Desenvolver espírito crítico;
  9. Demonstrar habilidade matemática;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Equipamentos de informática;
  2. Detectores;
  3. Espectrômetro;
  4. Instrumentos e equipamentos de medição;
  5. Fontes;
  6. Instrumentos de calibração;
  7. Instrumentos de controle;
  8. Infra-estrutura básica de laboratório;
  9. Materiais para experimentos;
  10. Produtos químicos;
  11. Softwares básicos e específicos;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Físico;
  2. Físico (acústica);
  3. Físico (atômica e molecular);
  4. Físico (cosmologia) – Cosmólogo;
  5. Físico (estatística e matemática);
  6. Físico (fluidos);
  7. Físico (instrumentação);
  8. Físico (matéria condensada) – Físico (estado sólido);
  9. Físico (materiais);
  10. Físico (medicina) – Físico hospitalar, Físico médico;
  11. Físico (nuclear e reatores) – Físico nuclear;
  12. Físico (óptica);
  13. Físico (partículas e campos);
  14. Físico (plasma);
  15. Físico (térmica);

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Alaor Silvério Chaves;
  • Eugenio Del Vigna Filho;
  • Francisco G Emmerich;
  • Helvécio Correia Mota;
  • Izilda Márcia Ranieri;
  • Jorge Luiz Cachoeira Chapot;
  • José Antônio Castilho;
  • João Batista Santos Barbosa;
  • João Carlos Silos Moraes;
  • Lucila Chebel Labaki;
  • Marcelo Antonio Veloso;
  • Niklaus Ursus Wetter;
  • Oskar Wessel Bender;
  • Regis Terenzi Neuenschwander;
  • Rosa Bernstein Scorzelli;
  • Stelamaris Rolla Bertoli;

INSTITUIÇÕES

  • Associação Brasileira De Física Médica;
  • Centro Brasileiro De Pesquisas Físicas;
  • Centro De Desenvolvimento Da Tecnologia Nuclear – Comissão Nacional De Energia Nuclear (Cdtn-cnen);
  • Comissão Nacional De Energia Nuclear (Cdtn);
  • Eletrobrás Termonuclear S.A. (Eletronuclear);
  • Faculdade De Engenharia Civil Da Unicamp;
  • Instituto De Física Teórica Da Universidade Estadual Paulista Júlio De Mesquita;
  • Filho (Unesp);
  • Instituto De Pesquisas Energéticas E Nucleares (Ipen);
  • Instituto De Pesquisas Tecnológicas Do Estado De São Paulo S.A. (Ipt);
  • Laboratório Nacional De Luz Síncrotron;
  • Sociedade Brasileira De Física;
  • Universidade Estadual De São Paulo Júlio De Mesquita Filho – Campus De Ilha Solteira (Unesp);
  • Universidade Federal Do Espírito Santo;

Instituição Conveniada Responsável

Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Químicos salário e atribuições CBO 2132

Jornada de trabalho: 42h
Piso salarial: R$3.176,25
Salário médio: R$4,473,59
Maior salário: R$6.760,63
Salário hora: R$21,25

ATRIBUIÇÕES DO CARGO

Realizam ensaios, análises químicas e físico-químicas, selecionando metodologias, materiais, reagentes de análise e critérios de amostragem, homogeneizando, dimensionando e solubilizando amostras. Produzem substâncias, desenvolvem metodologias analíticas, interpretam dados químicos, monitoram impacto ambiental de substâncias, supervisionam procedimentos químicos, coordenam atividades químicas laboratoriais e industriais.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para o acesso às ocupações requer-se curso superior em nível de tecnologia ou bacharelado completo, na área de Química e afins, sendo que há titulares que são pós-graduados e/ou especializados. Em média, o exercício pleno das atividades nas ocupações demanda quatro anos de experiência.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

No setor industrial estão presentes na extração de minérios, petróleo e gás natural, na fabricação de alimentos e bebidas, de produtos químicos, na produção de combustíveis diversos. Também são empregados na agropecuária e no setor de serviços como, por exemplo, na captação, purificação e distribuição de água e na proteção ambiental. A maior oferta de vagas encontra-se na esfera privada, onde o vínculo de trabalho mais freqüente é como empregado com carteira assinada. Além das empresas, estão presentes em instituições de pesquisa e nas universidades. Neste caso, são classificados como pesquisadores ou professores. Costumam desenvolver suas atividades em equipes, analisando e manipulando substâncias em escala piloto e em laboratórios. Eventualmente, em algumas atividades pode ocorrer exposição a materiais tóxicos, radiação, ruído intenso e altas temperaturas.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

REALIZAR ENSAIOS, ANÁLISES QUÍMICAS, FÍSICAS, FÍSICO-QUÍMICAS

  1. Selecionar metodologias de análise;
  2. Selecionar materiais e reagentes de análise;
  3. Selecionar critérios de amostragem;
  4. Coletar amostras;
  5. Acondicionar amostras;
  6. Reduzir o tamanho das partículas sólidas (granulometria);
  7. Homogenizar amostras;
  8. Quartear amostras;
  9. Dimensionar amostras;
  10. Submeter amostras a processos químicos, físicos e físico-químicos;
  11. Adicionar substâncias;
  12. Solubilizar amostras;
  13. Separar substâncias;
  14. Diluir amostras;
  15. Medir parâmetros químicos, físicos e físico-químicos de amostras;
  16. Identificar amostras;
  17. Calibrar equipamentos;
  18. Aferir equipamentos;

PRODUZIR SUBSTÂNCIAS

  1. Especificar matérias-primas;
  2. Extrair substâncias;
  3. Sintetizar substâncias;
  4. Concentrar substâncias;
  5. Purificar substâncias;
  6. Secar substâncias;
  7. Caracterizar substâncias e produtos;
  8. Estabelecer composição de produto final;
  9. Assessorar em desenvolvimento de equipamentos;
  10. Orientar processo de acondicionamento de produtos;
  11. Estabelecer prazo de validade de produtos;
  12. Patentear processos de produção;

DESENVOLVER METODOLOGIAS ANALÍTICAS

  1. Pesquisar bibliografia;
  2. Elaborar procedimentos analíticos;
  3. Validar metodologias analíticas;
  4. Estimar custo-benefício de metodologias analíticas;
  5. Elaborar normas técnicas;
  6. Elaborar fichas técnicas;

INTERPRETAR DADOS QUÍMICOS

  1. Tratar dados;
  2. Analisar resultados de ensaio;
  3. Comparar resultados;
  4. Avaliar aplicabilidade de métodos;
  5. Rastrear causas de alterações em resultados;
  6. Emitir pareceres, laudos e relatórios técnicos;

MONITORAR IMPACTO AMBIENTAL DE SUBSTÂNCIAS

  1. Mensurar geração de resíduos poluentes;
  2. Identificar resíduos;
  3. Mensurar grau de toxicidade de substâncias;
  4. Descartar resíduos inertes;
  5. Reciclar substâncias;
  6. Tratar resíduos químicos, físicos, biológicos e radioativos;
  7. Identificar resíduos para comercialização;
  8. Monitorar comportamento de substâncias em ambiente;
  9. Monitorar confinamento de substâncias tóxicas e/ou radioativas;
  10. Descrever ações preventivas e corretivas de impacto ambiental;
  11. Fiscalizar descarte de resíduos;
  12. Representar empresa junto aos órgãos de fiscalização ambiental;
  13. Acondicionar resíduos;

SUPERVISIONAR PROCEDIMENTOS QUÍMICOS

  1. Definir metodologia de processos;
  2. Supervisionar recepção e identificação de amostras;
  3. Verificar condições de uso de equipamentos;
  4. Supervisionar calibração de equipamentos;
  5. Supervisionar execução de ensaios;
  6. Examinar relatórios de produção;
  7. Implementar ações preventivas e corretivas;
  8. Supervisionar organização de produtos em lotes;
  9. Verificar características de matéria-prima;
  10. Verificar procedência de matéria prima;

COORDENAR ATIVIDADES QUÍMICAS LABORATORIAIS E INDUSTRIAIS

  1. Planejar atividades;
  2. Capacitar equipe de trabalho;
  3. Coordenar equipe de trabalho;
  4. Especificar equipamentos e materiais necessários;
  5. Controlar entrada e saída de materiais e equipamentos;
  6. Inspecionar uso de equipamentos de segurança;
  7.  Negociar com clientes e fornecedores;
  8. Assessorar clientes em questões técnicas;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Demonstrar raciocínio lógico;
  2. Demonstrar capacidade de abstração;
  3. Demonstrar senso crítico;
  4. Demonstrar persistência;
  5. Demonstrar capacidade de observação;
  6. Demonstrar criatividade;
  7. Trabalhar em equipe;
  8. Administrar conflitos;
  9. Demonstrar capacidade de organização;
  10. Trabalhar com segurança;
  11. Demonstrar acuidade visual;
  12. Demonstrar sensibilidade tátil;
  13. Demonstrar sensibilidade olfativa;
  14. Demonstrar sensibilidade de paladar;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Viscosímetro;
  2. Cromatógrafos;
  3. Deionizador;
  4. Balança analítica;
  5. Espectrômetros;
  6. Autoclave;
  7. Agitador magnético;
  8. Evaporador rotativo;
  9. Banho-maria;
  10. Geladeira;
  11. Forno de microondas;
  12. Fluorímetro;
  13. Reagentes;
  14. Mufla;
  15. Computadores E Periféricos;
  16. Termo analisador;
  17. Incubadora;
  18. Reator;
  19. Equipamentos De Proteção Individual – Epi;
  20. Fotômetro de chama;
  21. Peneiras;
  22. Desmineralizador;
  23. Moinho;
  24. Pinças;
  25. Medidor de ph;
  26. Espátula;
  27. Bomba de vácuo;
  28. Vidraria laboratorial;
  29. Bomba dosadora;
  30. Condensador;
  31. Decantador;
  32. Filtros;
  33. Trocador de calor;
  34. Coluna de destilação;
  35. Gerador de vapor;
  36. Chapa aquecedora;
  37. Destilador;
  38. Viscosímetro;
  39. Capela de exaustão;
  40. Centrífuga;
  41. Estufa;
  42. Tanque de ultrassom;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Químico – Químico (fisico-química), Químico (química inorgânica), Químico (química nuclear), Químico (química orgânica), Químico (tratamento de água), Químico agrícola, Químico ambiental, Químico analista, Químico bromatologista, Químico consultor, Químico de alimentos, Químico de controle de qualidade, Químico de embalagens, Químico de laboratório, Químico de laboratório de controle, Químico de laboratórios de solos;
  2. Químico industrial – Químico (produtos aromáticos), Químico cosmetólogo, Químico de cerâmica, Químico de curtume, Químico de petróleo, Químico de polímeros, Químico de processos, Químico de produtos naturais, Químico galvanoplasta, Químico perfumista, Químico têxtil;
  3. Tecnólogo em processos químicos – Tecnólogo em processos químicos industriais;

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Alyne Rafael Dos Anjos;
  • Carlúcio Faria Santos;
  • Cristina Maria Amorim Campos;
  • Eugênio Benevides Dos Santos;
  • Hélio Teixeira Prates;
  • Jacson Lauffer;
  • José Simão Pessoa;
  • Karina Oliveira Chaves;
  • Magda Cristina Ferreira Pinto;
  • Maria Cristina Espinheira Saba;
  • Nelson Alves Góes;
  • Oseias Vicente De Figueiredo;
  • Roberta Aragão Cardozo;
  • Rosana Garrido Gomes Marques;
  • Tânia Fernandes Vlcek;

INSTITUIÇÕES

  • Centro De Pesquisas Da Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras-cenpes);
  • Companhia De Pesquisa De Recursos Minerais (Cprm);
  • Companhia De Saneamento De Minas Gerais (Copasa);
  • Departamento De Engenharia Sanitária E Ambiental Da Ufmg (Desa);
  • Departamento Municipal De Água E Esgoto (Dae);
  • Empresa Brasileira De Pesquisa Agropecuária (Embrapa);
  • Laboratório Itaal – Instituto Técnico De Análise De Alimentos;
  • Multi-glue;
  • Politriz Indústria E Comércio Ltda.;
  • Prominex Mineração Ltda.;
  • Sucos Flamingo;
  • Thomson Tube Components;
  • Usinas Siderúrgicas De Minas Gerais S.A. (Usiminas);
  • Vicunha Têxtil S.A.;

Instituição Conveniada Responsável

Ministério Do Trabalho E Emprego – Mte

Fonte: Ministério do Trabalho

Categorias
Cargos e salários

Meteorologista – O que faz, Salário, Formação, CBO

Veja o que faz, quanto ganha um Meteorologista, as melhores empresas e vagas de emprego para meteorologista, informações completas do Ministério do Trabalho e Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg com a participação de empresas e profissionais do setor de meteorologia e Recursos Humanos.

A seguir, as informações sobre Meteorologista:

  • Quanto ganha;
  • Jornada de trabalho;
  • Piso salarial;
  • Salário médio;
  • Maior salário;
  • Salário hora;
  • Código da Profissão;
  • Atribuições / descrição do cargo;
  • Formação e experiência;
  • Condições gerais para exercício do cargo;
  • Descrição das atividades;
  • Recursos para exercício do cargo;
  • Cargos relacionados;
  • Participaram da pesquisa;
  • Instituições.

Quanto ganha um Meteorologista

  • Jornada de trabalho: 43h
  • Piso salarial: R$3.378,78
  • Salário médio: R$4.758,85
  • Maior salário: R$7.191,72
  • Salário hora: R$22,24
  • Código da profissão: CBO 213315

O que é Meteorologia

A meteorologia é uma das ciências que estudam a atmosfera terrestre, que tem como foco o estudo dos processos atmosféricos e a previsão do tempo. Estuda os fenômenos que ocorrem na atmosfera e as interações entre seus estados dinâmicos, físico e químico, com a superfície terrestre subjacente.

Atribuições do cargo de Meteorologista

Realizam pesquisas científicas para prognosticar fenômenos meteorológicos, astronômicos e de geofísica espacial; obtêm e tratam dados; disseminam informações por meio de trabalhos, teses, publicações, eventos etc.; Desenvolvem sistemas computacionais, instrumentação científica e gerenciam projetos nas suas áreas.

FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA

Para o exercício dessas ocupações requer-se curso superior completo e experiência profissional que varia de um a dois anos para o Meteorologista, de três a quatro anos para o Geofísico espacial e mais de cinco anos para o Astrônomo. A formação desses profissionais é diversificada. Em Astronomia existe apenas uma escola no país, no Rio de Janeiro (UFRJ), com curso de graduação. Profissionais com formação em Física atuam como Astrônomos qualificando-se em cursos de pós graduação em astronomia. Na área de Meteorologia existe um número maior de universidades que formam profissionais em cursos de graduação e formações afins, como a Geografia, que oferece cursos de especialização na área.

CONDIÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO CARGO

Devido às suas características de pesquisas, o Astrônomo atua apenas em instituições públicas como institutos de pesquisa e universidades. O Meteorologista e o Geofísico espacial podem atuar tanto na iniciativa privada, em empresas de eletricidade, empresas aéreas, empresas e indústrias que trabalham com alimentos perecíveis etc., quanto no setor público, em secretarias estaduais e municipais de agricultura, planejamento, urbanismo, educação, saúde, transporte; institutos de pesquisa etc. São empregados assalariados, variando a autonomia no trabalho conforme a ocupação. Trabalham em equipe, em ambiente fechado e em horário diurno, exceto o Meteorologista que faz revezamento de turnos e, eventualmente, trabalha sob pressão, levando a situações de estresse.

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

REALIZAR PESQUISAS CIENTÍFICAS

  1. Identificar oportunidade científica em meteorologia;
  2. Identificar oportunidade científica em astronomia;
  3. Identificar oportunidade científica em geofísica espacial;
  4. Revisar bibliografia;
  5. Definir metodologia;
  6. Formular modelos físicos e matemáticos;
  7. Analisar dados experimentais;
  8. Analisar dados de simulação;
  9. Avaliar resultados;
  10. Documentar resultados;

PROGNOSTICAR FENÔMENOS METEOROLÓGICOS, ASTRONÔMICOS E DE GEOFÍSICA ESPACIAL

  1. Diagnosticar fenômenos meteorológicos e de geofísica espacial;
  2. Analisar efeitos da circulação atmosférica;
  3. Analisar parâmetros solares e de geofísica espacial;
  4. Avaliar influência das irregularidades ionosféricas nos sistemas de comunicação;
  5. Monitorar fenômenos astronômicos variáveis (Estrelas binárias, galáxias, supernovas, novas etc);
  6. Confrontar resultados de modelos;
  7. Comparar resultados de modelos com dados observados;
  8. Classificar periodicidade e intensidade dos fenômenos meteorológicos e geofísicos espaciais;
  9. Quantificar intensidade dos fenômenos meteorológicos e geofísicos espaciais;
  10. Elaborar previsões meteorológicas de curtíssimo prazo (Enchentes);
  11. Elaborar previsões meteorológicas de curto prazo (Dispersão de poluentes);
  12. Elaborar previsões meteorológicas de médio prazo (Entradas de frentes frias);
  13. Elaborar previsões climáticas (Estações do ano, recursos hídricos, agricultura etc);
  14. Elaborar previsões de fenômenos de geofísica espacial (Buraco cam. Ozônio, tempestades magnéticas);
  15. Prever fenômenos astronômicos periódicos (Fases da lua, chuva de meteoros etc)
  16. Prever eclipses solares e lunares;
  17. Determinar evolução temporal, química e dinâmica de objetos astronômicos;
  18. Determinar parâmetros físicos (Massa, distância, composição química) de objetos astronômicos;
  19. Determinar movimento e posição de objetos astronômicos (Planetas, asteroides, cometas, estrelas, galaxias, aglomerados, meio interestelar etc.;

OBTER DADOS ASTRONÔMICOS, METEOROLÓGICOS E DE GEOFÍSICA ESPACIAL

  1. Obter dados de telescópios;
  2. Obter dados de estações meteorológicas;
  3. Obter dados de radiotelescópios;
  4. Obter dados em aeronaves e navios;
  5. Obter dados de observatórios de ondas gravitacionais;
  6. Obter dados de boias oceânicas;
  7. Obter dados de sondas espaciais;
  8. Obter dados de variáveis ionosféricas e atmosféricas a partir da superfície;
  9. Obter dados de sensores em balões;
  10. Obter dados de sondagem de foguetes;
  11. Obter dados de satélites;
  12. Obter dados de radares ionosféricos e meteorológicos;

TRATAR DADOS ASTRONÔMICOS, METEOROLÓGICOS E DE GEOFÍSICA ESPACIAL

  1. Corrigir efeitos instrumentais;
  2. Corrigir efeitos atmosféricos;
  3. Corrigir efeitos gravitacionais;
  4. Corrigir efeitos do meio interestelar;
  5. Reduzir dados;
  6. Padronizar dados;
  7. Verificar consistência dos dados;
  8. Criar banco de dados;
  9. Gerenciar banco de dados;

DISSEMINAR INFORMAÇÕES DAS ÁREAS DE ASTRONOMIA, METEOROLOGIA E DE GEOFÍSICA ESPACIAL

  1. Publicar trabalhos técnicos e científicos;
  2. Orientar teses, dissertações e estágios;
  3. Participar de eventos técnicos e científicos;
  4. Ministrar palestras e cursos;
  5. Treinar equipe de trabalho;
  6. Organizar eventos técnicos e científicos;
  7. Confeccionar material de divulgação;
  8. Divulgar documentos informativos direcionados a clientes específicos;
  9. Prestar consultoria técnica;
  10. Elaborar laudos técnicos;
  11. Emitir pareceres científicos;
  12. Atender consultas do público;
  13. Conceder entrevistas;
  14. Recepcionar visitantes;
  15. Disponibilizar banco de dados;

DESENVOLVER SISTEMAS COMPUTACIONAIS NAS ÁREAS DE ASTRONOMIA, METEOROLOGIA E GEOFÍSICA ESPACIAL

  1. Delimitar problema;
  2. Definir plataforma;
  3. Definir linguagem de programação;
  4. Definir protocolo de comunicação;
  5. Codificar programas computacionais;
  6. Testar programas computacionais;
  7. Validar programas computacionais;
  8. Documentar programas computacionais;

DESENVOLVER INSTRUMENTAÇÃO CIENTÍFICA NAS ÁREAS DE ASTRONOMIA, METEOROLOGIA E GEOFÍSICA ESPACIAL

  1. Identificar grandezas de interesse;
  2. Formular projeto conceitual;
  3. Detalhar projeto técnico do instrumento;
  4. Integrar partes de instrumentos;
  5. Construir instrumento;
  6. Integrar instrumentos em sistemas;
  7. Definir procedimentos de calibração;
  8. Calibrar instrumentos;
  9. Testar instrumentos segundo condições técnicas e ambientais de uso;
  10. Elaborar manual de operação e características técnicas;

GERENCIAR PROJETOS NAS ÁREAS DE ASTRONOMIA, METEOROLOGIA E GEOFÍSICA ESPACIAL

  1. Definir metas;
  2. Montar cronograma;
  3. Orçar projeto;
  4. Captar recursos financeiros;
  5. Especificar recursos humanos;
  6. Adquirir materiais;
  7. Contratar serviços;
  8. Coordenar execução de projetos;
  9. Produzir relatório final;
  10. Requerer patentes;

DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS

  1. Demonstrar criatividade;
  2. Trabalhar em equipe;
  3. Comunicar-se com diversos públicos;
  4. Demonstrar curiosidade científica;
  5. Demonstrar raciocínio lógico;
  6. Demonstrar raciocínio matemático;
  7. Demonstrar capacidade de síntese;

RECURSOS PARA EXERCÍCIO DO CARGO

  1. Magnetrômetros;
  2. Satélites;
  3. Cromatógrafos;
  4. Fotômetros;
  5. Polarímetros;
  6. Biblioteca especializada;
  7. Bóias oceanográficas;
  8. Plataforma de coleta de dados;
  9. Radiotelescópios;
  10. Laboratórios especializados;
  11. Oficina mecânica de precisão;
  12. Oficina eletrônica;
  13. Radares;
  14. Detectores de descargas elétricas;
  15. Blindagem magnética;
  16. Detectores de fótons;
  17. Detectores de ondas gravitacionais;
  18. Balão radiossonda;
  19. Estações meteorológicas;
  20. Telescópios;
  21. Detectores de radiação nuclear;
  22. Acesso à internet;
  23. Recursos computacionais;
  24. Câmaras imageadoras;
  25. Espectrógrafos;

CARGOS RELACIONADOS

  1. Astrônomo
  2. Geofísico espacial
  3. Meteorologista

PARTICIPARAM DA PESQUISA

  • Augusto José Pereira Filho;
  • Cláudio Bastos Pereira;
  • Daniel Pires Bitencourt;
  • Edson Borges Da Paixão;
  • Fernanda Suagamore Ide;
  • Francisco De Assis Souza Santos;
  • Francisco José Jablonski;
  • Helenir Trindade De Oliveira;
  • Inez Staciarini Batista;
  • João Francisco Coelho Dos Santos Júnior;
  • Luiz Carlos Carvalho Benyosef;
  • Luiz Clemente Ladeira;
  • Mariangela De Oliveira Abans;
  • Plínio Carlos Alvalá;
  • Silvia Lorenz Martins;

INSTITUIÇÕES

  • Instituto Nac. De Meteorologia – 3º Disme-recife;
  • Instituto Nacional De Metrologia, Normalização E Qualidade Industrial (Inmetro);
  • Instituto Nacional De Pesquisas Espaciais (Inpe);
  • Laboratório Nacional De Astrofísica;
  • Observatório Nacional;
  • Sociedade Astronômica Brasileira;
  • Universidade De São Paulo (Usp);
  • Universidade Federal Do Rio De Janeiro (Ufrj);
  • Wether System;
  • Wm7 Meteorologia S/c Ltda.;

Instituição Conveniada Responsável

Centro De Desenvolvimento E Planejamento Regional – Cedeplar – Fundep – Ufmg

Fonte: Ministério do Trabalho

Glossário
Programas computacionais: de controle instrumental, de simulação e de tratamento e análise de dados experimentais. Dados astronômicos: imagens de detectores digitais de espectros de galáxias, nebulosas, estrelas. Séries temporais em estrelas variáveis, polarimetria de estrelas, galáxias e nebulosas. Dados meteorológicos: temperatura, umidade do ar, direção e velocidade do vento, pressão atmosférica, imagem de vapor d´agua, temperatura da superfície do mar, perfil de temperatura em altitude. Dados geofísicos: perfil de densidade eletrônica, densidade de gases na atmosfera, séries temporais geo-magnéticas.