Categorias
Ideias de negócios

Como ser um Comerciante de Sucesso

Saiba como ser um Comerciante de Sucesso  gastando pouco e sem cometer erros. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Como ser um comerciante de sucesso

A legislação que rege o Comércio é vasta e complexa. A seguir, teceremos considerações gerais sobre as questões fundamentais da criação e do funcionamento das empresas no que se refere aos aspectos legais.

Comerciante

  • Para ser um comerciante é preciso ter capacidade para comerciar que exerça o comércio em seu próprio nome, como profissão habitual. nada impedindo que a pessoa exerça outra profissão.
  • Ato de comerciar pode ser exercido pôr uma só pessoa ou pôr mais de uma pessoa: quando exercido pôr uma só pessoa, juridicamente damos o nome firma individual, quando exercido por mais de uma pessoa, damos o nome de sociedade comercial.
  • Também é considerado comerciante aquele que exerce o comércio por conta de terceiros, mas em seu próprio nome, como procedem os comissários. São considerados portanto, comerciantes apenas aqueles que e estabelecerem para a prática do comércio em seu nome individual ou em sociedades comerciais.

Quem pode comercializar

De acordo com os termos do artigo 1º do Código Comercial e do artigo 92 do Código Civil, podem exercer o comércio no Brasil:

  1. Todas as pessoas maiores de 21 anos, que se acharem na livre administração de sua pessoa e bens e não forem proibidas pelo Código Comercial;
  2. Os menores de 21 anos e maiores de 18 anos, que estiverem legitimamente emancipados;
  3. Os menores de 21 anos e maiores de 18, que tiverem autorização dos pais ou tutores por escritura pública;
  4. As mulheres casadas que tiverem de seus maridos autorização por escritura pública.

Os menores de 18 anos não podem ser emancipados, nem autorizados a comerciar. A emancipação se dá:

  • Pelo casamento;
  • Pelo exercício de emprego público efetivo;
  • Pela colação de grau em curso superior;
  • Pelo estabelecimento, civil ou comercial, com economia própria.

QUEM NÃO PODE EXERCER O COMÉRCIO

De conformidade com os termos do artigo 5º e 6º do Código Civil e 2º do Código Comercial, não podem comerciar no Brasil:

  1. Os menores de 18 anos;
  2. Os menores de 21 anos, não autorizados e não emancipados;
  3. Os loucos de todos os gêneros;
  4. Os surdos-mudos que não possam exprimir sua vontade;
  5. Os pródigos;
  6. Os presidentes e governadores de Estado;
  7. Os magistrados e os funcionários da Fazenda, dentro dos distritos em que exerçam as suas funções;
  8. Os oficiais militares de 1ª linha mar e terra, salvo se forem reformados e os dos corpos policiais;
  9. Os corretores e os agentes de leilões.

Também são proibidos de comerciar os falidos, enquanto não reabilitados legalmente e os médicos para exploração da indústria ou do comércio de produtos farmacêuticos, salvo sob a forma de sociedade anônima.

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Minnistério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário,

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Categorias
Dinheiro

Negócios Lucrativos

Negócios lucrativos, essa é a grande aposta para quem quer unir sucesso profissional com qualidade de vida, mais quais são esse negócios, onde encontrar e como implementar?  Ficou curioso? Continue lendo e confira.

Para que você saiba mais sobre negócios lucrativos, reunimos aqui algumas informações que valem a pena conhecer e tem ajudado a inúmeros empreendedores brasileiros a ter sucesso como empreendedores.

Ideias de negócios lucrativos para você implantar

Ideias negócios lucrativos

Todo grande empresário ergueu seu império a partir de uma ideia valiosa. A partir da criatividade e sabendo aproveitar bem as oportunidades que se apresentaram estes empreendedores tiveram que começar pequeno, até o conquistarem o grande reconhecimento.

Assim como eles, você também pode construir uma empresa forte, sólida e bem sucedida, mesmo tendo poucos recursos no momento, basta se empenhar, manter o foco e acreditar no potencial do seu projeto.

Para ajudar nesta caminhada rumo ao sucesso, neste post separamos indicações sobre os segmentos mais lucrativos para incentivar sua criatividade empreendedora e além disso, damos algumas recomendações sobre algumas ideias simples de serem implantadas, que podem ajudar a obter um lucro rápido, com um pouco de empenho.

Segmentos mais lucrativos

Um estudo realizado pela revista norte americana Inc, analisou dados e desempenhos históricos de diversos segmentos do mercado e elegeu alguns que se destacaram com resultados muito positivos.

Se você está em busca de oportunidades muito lucrativas, pode começar pensando em soluções inovadoras para os 10 mercados com maior destaque nesta pesquisa que foram:

  • Saúde
  • Serviços de TI
  • Oferta de produtos e serviços corporativos
  • Energia
  • Serviços Financeiros
  • Recursos Humanos
  • Logística e Transportes
  • Produtos e serviços para consumidores
  • Construção
  • Telecomunicações

Ideias de negócios lucrativos fáceis

Ideias de negócios lucrativos fáceis

Se mesmo conhecendo as oportunidades mais lucrativas do mercado você ainda preferir soluções de negócios lucrativos mais rápidos, experimente iniciar com algumas atividades como:

1- Trabalhar com Maquiagem e mercado de estética

O mercado da beleza e estética oferece inúmeras oportunidades, especialmente no Brasil, um dos países líderes no consumo deste tipo de produto e de serviços relacionados. Você estará atuando no setor de serviço a consumidores, um dos mais promissores na lista da revista Inc e poderá iniciar com atividades como: serviços de maquiador(a) para festas e ocasiões especiais ou revendedor(a) de produtos de beleza, por exemplo.

2- Venda de doces gourmet

A alimentação sempre é uma área bem vista no mundo dos negócios e também se mostra com um leque muito vasto de oportunidades. Trabalhando em casa é possível iniciar um trabalho de produção de doces gourmet, com ingredientes e acabamentos diferenciados, que permitem cobrar valores até 5x superiores aos doces comuns.

3- Manicure à domicílio

Se você tem o talento de fazer unhas bem feitas ou o interesse em aprender, aproveite a oportunidade de se tornar uma manicure à domicílio, atendendo clientes de forma personalizada e começando com poucos gastos em infraestrutura, tendo assim, alta taxa de lucro.

4- Limpeza de carros

Com a demanda de carros que existe, os serviços de limpeza de veículos são muito requisitados e investindo em um bom atendimento e gestão de relacionamento com clientes de qualidade, será possível se destacar facilmente.

5- Montagem de um foodtruck

Os famosos carrinhos de comida que já são febre internacionalmente, vem se expandido por todo o país. Se você tem o dom culinário, pode definir um nicho como culinária internacional, culinária regional, doces gourmet, hamburguers especiais, salgados, entre tantos outros e aproveitar todo este sucesso.

Categorias
Ideias de negócios

Saiba como ter sucesso na Atividade Comercial

Saiba como ter sucesso na atividade comercial com pouco dinheiro e sem cometer erros. Aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Requisitos essenciais para que um negócio tenha sucesso

1º. OBJETIVO DE UMA EMPRESA

Na fundação de uma empresa se coloca em jogo as esperanças, as ambições de seus organizadores e, na maioria dos casos, um capital ganhado com muito trabalho, juntado após anos de esforços e economia.

Apesar disto, a fundação de novas empresas resultam muitas vezes em fracassos econômicos. Umas fracassam totalmente. outras produzem perdas em alguns setores isolados, que , não sendo grandes, mesmo assim comprometem o bom andamento do estabelecimento comercial. Grande parte destas perdas poderiam se evitadas porque são derivadas da falta de conhecimento para organizar e dirigir a empresa.

O principal em uma nova empresa, é , em geral o seu produto, que pode ser um artigo útil e excelente, muito procurado, mas que mesmo assim, ,para que um negócio seja próspero, não basta apenas ter um produto que seja sucesso de vendas. E necessário, para se obter êxito, produzir o MELHOR produto possível, ao menor preço de venda final, para que esteja ao alcance do maior número de pessoas possível a um preço que assegure uma margem de lucro razoável.

2º REQUISITOS PARA O ÊXITO DE UM NEGÓCIO

É relativamente fácil implantar um negócio próprio, porém para que este tenha longa vida e prospere, se requer um conhecimento básico dos princípios de comércio e habilidade para interpretar este conhecimento, adaptando-se às particularidades do tipo de negócio que você escolheu.

Não existe um tipo de negócio igual a outro, cada um tem suas particularidades e circunstâncias, porém, todos necessitam certos requisitos essenciais para seu êxito pleno, que são:

a) Produto ou serviço “vendável” , que esteja em demanda

b) Capital suficiente

c) Organização adequada

d) Funcionários competentes

e) Normas de funcionamento adequadas e bem definidas

f) Localização comercial estrategicamente situada.

g) Espaço de venda de forma equacionada e adequada

h) Escolha correta de fornecedores de matéria-prima

i) Política de manutenção de clientes definida.

j) Distribuição eficiente e econômica do produto.

k) Sistema de contabilidade adequado.

A seguir relataremos um a um os requisitos citados acima para uma melhor compreensão

A) Produto ou serviço “vendável”

O primeiro requisito essencial para que um negócio tenha êxito e que venda ou fabrique um produto ou serviço útil. Além de utilidade. o artigo ou serviço produzido tem que possuir outros atributos, como qualidade superior, maior eficiência ou baixo custo. Alguma ou várias de suas características devem fazê-lo sobressair-se entre os produtos e serviços da concorrência.

O fito de lançar um produto novo ou revolucionário. que não tenha concorrência no mercado constitui-se em uma vantagem considerável. Se além disso, a empresa conseguir alguma proteção por meio de palestras ou fórmulas secretas de fabricação, será privilegiada por uma posição invejável no mercado, porque o monopólio criado lhe permitira fizer um mercado abrangente e o mérito de ser o pioneiro. Competir com uma empresa que ocupe uma posição semelhante exige um esforço considerável e, por conseqüência, um investimento muito grande de dinheiro.

Deve fizer um estudo minucioso do produto e de sua fabricação para poder descobrir todas suas possíveis deficiências e corrigi-las na medida do possível. Deverá se esforçar para conseguir uma maior perfeição no projeto, em primeiro lugar, para que o produto atinja o máximo possível no atendimento das necessidades do público consumidor e, em segundo lugar para que o processo de fabricação possa ser executado com facilidade e economia.

Para alcançar estes objetivos. os encarregados do projeto devem procurar a ajuda de pessoas experientes no ramo que possam dar orientação e sugestões e também de pessoas experientes em marketing e técnicas de vendas, que poderão dar sugestões baseadas nas expectativas do público consumidor do produto. Com um plano completo assim, poderá manter o produto em dia e estar preparado para as mudanças constantes do interesse dos consumidores.

Se uma empresa quer manter-se numa posição favorável no mercado, provavelmente terá que lançar periodicamente novos produtos ou fizer alterações consideráveis nos produtos já existentes, acompanhando o avanço da tecnologia ou as tendências de mercado. Em todo caso deve-se tomar medidas adequadas e ter tempo adequado para produzir e testar o novo produto antes de levar ao mercado consumidor, para ter segurança de que será aprovado e de que não poderá depreciar os outros que sua empresa já colocou no mercado, afinal a manutenção de uma marca também se toma um dos fatores primordiais em uma administração moderna. Uma reputação de bons produtos e bons serviços são uma poente garantia de uma empresa se manter pôr muitos e muitos anos.

Se seu negócio se baseia na prestação de serviços, o êxito pode dever-se ao fato de oferecer um serviço melhor do que os concorrentes, ou mesmo um preço inferior, ou ainda, se o elemento tempo for importante, um serviço mais rápido que o concorrente.

A pessoa que pensa em fundar uma empresa deve estudar as oportunidades que oferece sua cidade ou da comunidade que deseja estabelecer seu negócio, estudar as empresas Já estabelecidas e obter respostas às seguintes perguntas:

a) Os estabelecimentos atuais obtêm boa margem de lucro?

b) Porquê não satisfazem os serviços ou os preços dos concorrentes?

c) Há um potencial de mercado suficiente para a entrada de uma nova empresa?

d) Que serviço extraordinário ou nova característica você poderá oferecer para que obtenha a quantidade suficiente de serviços/vendas que assegurem o funcionamento do negócio de forma satisfatória?

e) “A procura é permanente” A procura por certos tipos de serviços pode ser apenas por temporadas e você deverá informar-se das peculiaridades do mercado em que pretende instalar-se.

Existe também o paradoxo de que alguns estabelecimentos atuais estarem obtendo ótimas margens de lucros e isto servir de ” isca“, ou seja, atrair concorrência.

A questão em dúvida e Qual a relação entre a procura do serviço em questão e a capacidade de produção existente? Se a concorrência aumenta rapidamente, existe o perigo de que se crie um excesso da capacidade de produção e desapareçam os consumidores.

Os maiores lucros se obtêm nos negócios em que o consumo é grande em comparação com a capacidade existente de produzir este produto necessário para prestar o serviço solicitado. Aqui fica a observação de somente investir em um segmento que esteja em franco desenvolvimento, e não em decadência.

B) Capital suficiente

Cada passo na criação e desenvolvimento de uma empresa cada operação de fabricação, cada atividade exige um desembolso de capital de uma ou de outra forma A grande maioria das pessoas subestimam a quantidade de capital necessária para montar um negocio sobre uma base lucrativa. Esta incapacidade de avaliação exata do capital tem sido uma fonte constante de fracassos comerciais.

Para iniciar uma empresa deve-se dispor de capital suficiente para conseguir os maquinários, matérias-primas, imóveis, projetar a organização, dar suporte suficiente para os primeiros meses de atividade e mantê-lo em marcha até que o negócio possa manter-se por si mesmo. E neste último ponto onde se produzem os maiores erros de cálculos que mais cedo ou mais tarde fazem com que a empresa tropece em graves dificuldades financeiras.

Algumas empresas obtêm lucros desde o primeiro dia, algumas outras necessitam de um período de vários meses, ou até anos, para que os rendimentos sejam superiores às despesas.

Ao calcular o capital necessário deve-se ter em conta todas estas eventualidades. Depois que o negócio começa a dar retomo financeiro (lucro), é conveniente manter normas rígidas de retiradas e de reinvestimento do lucro obtido.

A grande maioria das empresas de porte no mundo são negócios com crescimento lento, no qual a administração foi prudente o bastante para reinvestir os lucros obtidos no próprio negocio até que este esteja em sólida e boa situação financeira.

C) Organização adequada

O terceiro requisito essencial que uma empresa deve levar em consideração para que tenha êxito e uma organização adequada. Ainda que sua empresa seja uma firma individual e não tenha que prestar contas a sócios e investidores, é necessário uma perfeita organização para que possa saber se os negócios estão tendo um bem desenvolvimento, se a atividade está sendo lucrativa e compensadora.

A quantidade de dinheiro que movimenta, a divisão de lucros, a responsabilidade dos proprietários e a autoridade da direção são alguns dos aspectos vitais da empresa que dependem da firma de organização. Algumas empresas devem ter êxito ao rigor com que é administrada por seus proprietários, que vigiam todos os movimentos e exercem um controle absoluto.

Contudo, a sociedade entre pessoas torna-se obrigatório uma forma de organização perfeita e adaptada a situação. A divisão de tarefas devem ser rigorosas para que cada sócio mantenha sua autoridade em seu setor, formando o conjunto uma massa homogênea, sem discordância na forma administrativa.

Além de solucionar problemas referentes a participação de sócios em uma empresa, uma administração organizada e eficiente resulta num eficiente emprego do capital obtido e numa produção e distribuição adequada e a custos mais baixos.

D) Funcionários competentes

A empresa bem dirigida tem, invariavelmente, a reputação de tratar bem aos seus trabalhadores. A empresa em que ocorrem, com freqüência, problemas com funcionários, como por exemplo, greves, agitações, e aquela que, por não dar condições dignas de trabalho aos funcionários prepara ela mesmo terreno fértil a estes tipos de problemas.

Os métodos de relação Patrão / Funcionário, autoritários ou violentos pertencem a um passado e foram totalmente abolidos na administração moderna.

O funcionário exige uma remuneração eqüitativa pelo trabalho que realiza, estabilidade em seu emprego, oportunidade de ascensão a melhores cargos, segurança de ser bem tratado em todas as ocasiões, boas condições de trabalho e um bom patrão ou chefe que o oriente. A empresa que reconhece a justiça das reivindicações de seus funcionários, quando estas são justas e se esforça por satisfazê-las, está preparando caminho para ter uma equipe de pessoal contente e leal.

O patrão moderno não contrata apenas um “empregado”, mas sim um colaborador especializado que lhe proporcionará maior lucro na medida em que for melhor tratado. A idéia atual é adaptar o homem ao trabalho. Um bom teste de qualificação quando da ocasião de contratar um funcionário, aliado a um treinamento adequado as suas instalações, permitirão a contratação de pessoal qualificado e a manutenção de uma equipe eficiente.

O trabalhador se beneficiara porque teria mais êxito em um trabalho para o Qual está apto, se interessará mais, e isto resultara em eficiência produtiva.

As boas relações com funcionários se baseiam em normas definidas, eqüitativas e justas para o patrão e empregado. Os problemas que se apresentarem a partir de então, serão facilmente resolvidos de forma concreta e imparcial.

E) Normas de funcionamento adequadas e definidas

As normas fixem os objetivos da empresa. São regras estabelecidas que servem de guia a direção e aos funcionários. Um negócio próspero se caracteriza por normas bem definidas e que estejam de acordo com os princípios comerciais e dos quais não se afastem. Se as regras comerciais adotadas por sua cidade são tradicionais, deverá de alguma forma adaptar-se a elas e seu produto/ serviço for revolucionário deverá estudar a melhor forma de criar suas regras internas para que estejam próximas daquilo que é prática usual no comercio local, levando em consideração, que os consumidores já estão acostumados com o que já esta implantado.

Se o produto / serviço for novidade absoluta, suas regras serão as que nortearão o comercio, vindo daí uma responsabilidade maior ao estabelecer estas regras.

Antes de definir regras procure discutir com seus sócios, ou em caso de uma empresa individual, procure apresentar suas intenções ás pessoas experientes para que elas possam opinar e assim ter certeza da qualidade de normas de funcionamento. Procure apresentar as normas aos funcionários como a alma da empresa, estabelecendo e definindo exatamente a função de cada um, e não esqueça de definir regras a respeito do relacionamento da empresa com o público.

F) Localização comercial estrategicamente situada

Todas as empresas se dão conta da importância de estarem localizadas em um ponto estratégico. E freqüente a realização de pesquisas preliminares a respeito dos locais para escolher melhor aquele que se adapta ao perfil da empresa. No Brasil as vezes se cobra “direitos de ponto” ou ‘luvas“, como é conhecida a taxa pôr passar adiante o contraio de locação de um excelente ponto comercial E necessário observar vários fatores como, fluxo de pedestres, se este fluxo é constante, se trabalha e mora nas imediações etc.

A proximidade de um concorrente, ao contrário do que pode parecer, e muito favorável, desde que você possa oferecer qualidade e preço a ponto de competir com o seu vizinho.

Os melhores pontos de venda hoje em dia são os Shopping Centers, apesar de seu alto preço de custo de suas lojas. As ruas especializadas, como ocorre nas grandes cidades, onde comerciantes de setores específicos se aglomeram em uma rua ou região, também costumam ter excelentes localizações comerciais, pois quem procura pôr aquele tipo de produto irá naquele local procurar uma loja.

A proximidade á fonte de matérias primas e ao mercado do produto a disponibilidade de mão-de-obra adequada, o abastecimento de energia, a facilidade de financiamento, a disposição de meios de transportes, a possibilidade de adequação das instalações, são fatores que também devem ser levados em consideração.

Para conseguir a localização mais adequada é necessário um estudo minucioso das necessidades da empresa, analisando cada ponto de acordo com sua necessidade. Devera sempre comparar vários imóveis para escolher aquele que mais se adapte ás necessidades da futura empresa. Deve-se levar em conta também que o custo do imóvel deve estar dentro do orçamento geral da empresa e nunca deve ser excessivo. Lembro ainda que uma empresa com endereço mal localizado é meio caminho andado para o fracasso.

G) Espaço de venda de forma equacionada e adequada

A organização do espaço interno de vendas é muito importante porque é a apresentação da empresa e unia empresa visualmente mal arrumada poderá influir negativamente na concretização da venda.

Observe o espaço do imóvel onde instalará a empresa e procure visualizar a melhor forma de instalar os equipamentos necessários. Lembre-se de utilizar móveis e equipamentos funcionais e de baixo custo, mas que ao mesmo tempo sejam visualmente agradáveis. lembre-se também como já foi citado no capitulo anterior, quanto melhor for o ambiente de trabalho, melhor será o rendimento proporcionado por cada funcionário.

H) Escolha correta de fornecedores

Se você revende algum produto. procure cientificar-se do potencial de seu fornecedor, se tem capacidade de atender satisfatoriamente seus pedidos. se em caso de uma venda maior poderá atendê-lo, se há condições eficientes de atendimento, prazos de entrega, formas de pagamento, enfim cientificar-se que tem um parceiro eficiente de negócios, isto mesmo, o fornecedor deve ser tratado como um parceiro no negócio, pois sem os produtos é impossível dar continuidade ao sistema.

Antes de se definir por um fornecedor, veja as vantagens e condições de pagamento, qualidade, sistema de entregas etc. Faca uma análise completa avaliando todos estes fatores e escolha pôr aquele que melhor se adaptar as suas necessidades, levando, inclusive, em consideração que o fato de ter o menor preço não quer dizer que pode ser o melhor fornecedor.

Um fornecedor de ocasião, que ofereça o menor preço, mas que não tenha qualidade no produto ou pontualidade, poderá representar um potencial de problemas no futuro, como pôr exemplo, a interrupção do fornecimento sem qualquer motivo aparente ocasionando, prejuízos irreparáveis.

Com a vigência do novo Código de Defesa do Consumidor o representante, revendedor, ou mesmo a loja ou ponto de venda, também são responsáveis judicialmente pôr aquilo que vendem, sendo importante, cientificar-se se seu fornecedor esta adequadamente ajustado ao novo Código para evitar futuros dissabores.

Se o seu caso é fabricação de produtos e depende de , matéria prima, de fornecedores diversos, observe atentamente o que foi dito acima para manter uma relação equilibrada com seus fornecedores.

I) Política de manutenção de clientes definida

O bom atendimento ao cliente é uma arma que as empresas prósperas utilizam para manter estes clientes fiéis. Um ditado de comerciante diz que, “o cliente que foi bem atendido, que ficou satisfeito volta“.

Um cliente fiel sempre é sinal de lucros maiores, porque ele volta atras de promoções ou de preços baixos de ofertas, que servem mais para a captação de clientes ocasionais A possibilidade de um cliente bem atendido que compra um produto normal, de voltar a comprar naquele estabelecimento é muito grande e há ainda o flito de que os clientes habituais indicar seu estabelecimento aos amigos e companheiros de trabalho, aumentando assim sua clientela habitual e fixa.

A margem de lucro também aumenta com clientela fixa porque não ha muito a necessidade de publicidade de varejo, mas sim de publicidade dirigida, que serve mais ainda para manter este cliente fiel a sua empresa.

Após captar o cliente, mantenha sempre ele informado sobre sua empresa, seja através de recursos como marketing direto, enviando cartas ou folhetos á sua residência, ou ainda através de telemarketing, telefonando sempre para oferecer bons negócios.

Para quem trabalha com vendas no atacado, procure sempre visitar seus potenciais clientes. Mesmo aquelas que em duas ou três visitas não tenham feito compras.

A persistência poderá levar a que ele acredite na qualidade de seus produtos / serviços e realize a compra.

J) Distribuição econômica e eficiente do produto

Freqüentemente se discute a importância relativa entre as fases de produção e venda. Na verdade não há como avaliar, pois cada uma delas faz parte de um circulo completo e o eixo na atividade comercial esta na correta coordenação de ambas as fases.

O dinheiro obtido com a venda dos produtos paga os trabalhos executados na fábrica. Para que haja dinheiro de forma suficiente e continua para pagar os funcionário e manter a produção há a necessidade de vender os produtos. pois do contrário haveria a necessidade de fechar a fábrica. Os trabalhadores que executam o trabalho de produção tem que fabricar um produto de boa qualidade e bem apresentado , e tem que prestar um serviço rápido eficiente, porque os primeiros pedidos de venda são resultados da habilidade do vendedor, os pedidos somente continuarão devido á qualidade do produto e serviço prestado pela empresa.

A distribuição dos produtos com uma margem de lucro adequada é um problema muito mais importante do que geralmente se acredita. Muitos acreditam que a arte de vender consiste apenas em exercer uma pressão sobre o comprador, às vezes com a ajuda de publicidade, mais ou menos inteligente. Estes métodos indesejáveis podem funcionar em alguns casos, porém a empresa que os emprega pode obter pedidos pôr algum tempo, mas não continuamente como seria ideal. um bom chefe de vendas averiguá as possibilidades de vendas por meio de um estudo detalhado do território que pensa trabalhar.

Contrata especialistas que conheçam bem o mercado para identificar as necessidades e os hábitos dos possíveis compradores estudando ainda a maneira de desenvolver novos procedimentos para despertar neste público consumidor o interesse pôr seu produto.

O fator mais importante para o êxito na distribuição é provavelmente uma equipe de vendas eficiente. A criação e manutenção deste pessoal exige a escolha de um tipo adequado de vendedor, sua instrução, a direção de seus esforços e a certeza de sua participação sincera nos esforços de vendas da empresa. Este último item se obtém implantando um método eficaz e remuneração que mantenha constantemente incentivado para trabalhar e para estruturar seu território de vendas, aumentando a quantidade de pedidos e, conseqüentemente, seus ganhos.

Uma pergunta que poucos empresários poderiam responder com exatidão é : Quanto custa vender? Pôr outro lado, qualquer um pode dizer em segundos precisamente, qual o custo de fabricação do produto.

O sistema contábil se toma mais difícil quando se trata de venda, mais do que quando da produção, porem o empresário moderno está se dando conta da necessidade de saber com exatidão qual o custo da venda e admite que a razão de que a margem de lucro não ser exatamente aquela que se esperava, pode ser debitada freqüentemente ao alto custo da distribuição (venda).

K) Sistema de contabilidade adequado

O último requisito que uma empresa deve observar para que tenha êxito, de importância vital, é um sistema de contabilidade adequado.

Ainda que cada empresa tenha um sistema de contas para fixar seus preços de venda, cada uma delas utiliza este sistema com um rigor absoluto e sabe que qualquer erro pode representar prejuízos. Um bom empresário sabe que, quando as circunstâncias não são favoráveis, e isto ocorre com uma certa freqüência em nosso pais, é melhor parar de vender do que continuar as vendas com perdas. Para definir qual o preço final do produto, é necessário realizar cálculos exatos de custo.

Neste volume você encontrará um capitulo que fala de contabilidade e custos, aprendendo assim a estabelecer preços finais. Se os competidores vendem a preços mais baratos que você certamente estará ocorrendo uma das duas coisas: ou a empresa está vendendo a preços inibidos ao custo ou tem um trabalho mais eficiente que sua empresa. No último caso, deverá estudar seus custos, descobrir onde está o erro e procurar se adaptar para diminuir estes custos.

As anotações contábeis somente são úteis quando utilizadas como base de atuação. Como tal, podem ser extremamente valiosas nas mãos do empresário, lhe mostrando o andamento da empresa e a margem de lucro que vem auferindo. Em algumas empresas se produzem disputas entre os chefes de contabilidade e de produção. Ambos têm em mente os mesmos objetivos, que são reduzir os custos e aumentar os ganhos, devem falar a mesma linguagem, ser sinceros, tolerantes e entrar em um esquema de cooperação leal um com o outro. Esta cooperação somente é possível quando cada um compreende perfeitamente os problemas do outro.

O encarregado da contabilidade deve saber algo sobre a produção e sobre as necessidades dos encarregados de dirigi-la, para que sua classificação de contas possa estruturar-se de forma que seja possível proporcionar aos dirigentes de produção, a informação rápida e exata que necessitam.

O dirigente de produção por sua vez, necessita saber algo de contabilidade, não sobre a técnica do contabilista, mas o bastante para lhe explicar suas necessidades e poder interpretar corretamente e utilizar as informações que recebe.

Mesmo as pequenas empresas que o próprio dirigente faz as anotações deve manter anotado, pois somente assim poderá saber com exatidão quanto sua empresa está rendendo e se não há problemas, que não são possíveis de se detectar quando não há informações corretas. Um dos fatores de saúde de uma boa empresa é o controle total e absoluto de seus dados, o que só é possível com anotações precisas de todos os atos da empresa.

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

 

 

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Categorias
Ideias de negócios

3 ideias de negócios para montar investindo pouco

Se você chegou até aqui e está lendo este artigo, é porque certamente já tomou a decisão de se tornar o seu próprio patrão. Antes de mais nada, parabéns! Se tornar um empreendedor é um passo que exige coragem e, justamente por isso, não é para qualquer um!

Para você que decidiu se tornar seu próprio chefe e partir à conquista de sua tão sonhada independência financeira, a nossa equipe selecionou três ideias de negócios simples e lucrativas. É tudo o que você precisa para começar a sua empresa sem gastar horrores: confira a seguir!

1 – Investindo na sua própria boutique

O mercado de roupas e acessórios é um dos poucos que mesmo em períodos de crise, como o atual, tem se mostrado estável. Afinal, a apresentação pessoal é de grande importância para qualquer situação social e se mantém como um valor inabalável em uma sociedade pautada por uma dependência massiva de mídias como Facebook e Instagram.

Outra grande vantagem de investir nesse setor é a possibilidade de diversificar os produtos oferecidos, atrelando valor à sua marca. Uma loja de roupas pode oferecer igualmente bijouterias, itens de perfumaria e bolsas. Parcerias com outros comércios correlatos – barbearias, salões de beleza e clínicas de estética – podem turbinar a sua divulgação, impulsionando a sua loja.

Modelo de negócio:

A decisão pelo modelo de negócio a ser desenvolvido – e-commerce, loja física ou modelo misto – fica a critério do seu capital inicial. Para quem quer começar logo a pôr a mão na massa e desembolsar menos logo de cara, a opção pelo e-commerce é certamente a mais viável.

Isso porque a opção pelo e-commerce vai te isentar daqueles que são os maiores custos iniciais de qualquer empresa: locação e reforma de imóvel, custos prediais (água, luz, telefone, internet) e contratação imediata de quadro inicial de funcionários.

Por onde começar?

Um bom planejamento é a chave para garantir que a sua boutique online se torne um sucesso. Por isso, vale começar colocando no papel as seguintes informações:

Perfil do seu público-alvo: para quem você está vendendo? Ter clareza sobre o perfil socioeconômico do seu público vai permitir que você adeque tanto a linguagem e as mídias utilizadas para a sua divulgação, quanto os preços praticáveis;

Fornecedores: qual o segmento em que a sua loja vai se especializar? Moda feminina, masculina, moda praia ou até, por que não?, uma pegada mais “hippie”? Há mercado para todos os segmentos, o importante é ter clareza do que você deseja oferecer e ir atrás dos fornecedores com melhor preço e prazo de entrega.

Desenvolvimento da página: desenvolver e administrar um e-commerce não é nenhuma tarefa de outro mundo. Plataformas como Magento estão aí para simplificar a sua vida – mas, se a informática não for bem a sua praia, vale a pena investir em consultoria especializada. Afinal, a página será a “cara” da sua marca e deve ser completamente operacional e responsiva.

Estratégia de marketing: quais os passos que você tomará para promover a sua marca? Afinal, o seu público-alvo precisa saber que você está no mercado! Nossa dica é: invista em marketing digital: as redes sociais são um meio riquíssimo na hora de lançar uma boutique com projeção local. Não deixe de explorar esse meio!

2 – Investindo em loja especializada

Outra boa ideia é investir em uma loja especializada, como é o caso da NoDestro. Uma ideia simples e criativa, com base em uma necessidade real percebida no mercado – sem, necessariamente, reinventar a roda, é claro.

É possível oferecer produtos especializados em diversos segmentos: camisetas personalizadas, editoração de materiais didáticos, esmalteria, docerias, confecção de produtos promocionais e muitos outros.

A grande vantagem de uma loja especializada é o seu foco em um segmento específico do mercado, facilitando tanto o seu trabalho de captação de leads, quanto a projeção da sua marca no mercado – através do famoso “boca a boca”.

Modelo de negócio:

Uma loja especializada pode se organizar sob diversos modelos, de acordo com o seu público alvo. Tanto o investimento em uma loja física, quanto na locação de um stand em shopping ou centro comercial, passando pela venda ambulante ou de porta em porta e, é claro, pelo e-commerce – todos esses modelos de negócio podem ser utilizados para lançar a sua marca especializada.

Por onde começar?

Definir o seu produto e público-alvo são os primeiros passos essenciais. A partir daí, você poderá definir o modelo de negócios que permite melhor conciliar esses dois aspectos.

Para reduzir os seus custos iniciais, vale a pena investir em vendas ambulantes, na adaptação de espaços em sua casa – como garagens ou salas – ou no clássico e-commerce. Invista na projeção da sua marca através de práticas simples de marketing, como o Inbound Marketing.

3 – Investindo em revenda

Nossa terceira dica é investir no segmento tecnológico: que tal ganhar dinheiro revendendo um software ERP?

Um ERP é um software de gestão de recursos, amplamente utilizado por empresas que buscam otimizar a rotina interna, maximizando tanto a sua produtividade, quanto os seus lucros. Com a tecnologia atual, a maior parte dos sistemas ERP é oferecida como SaaS: um serviço com assinatura, disponível para acesso e uso das empresas graças à Nuvem.

E isso facilita muito o seu trabalho na hora da revenda! Afinal, você não precisa desenvolver o software – o que demandaria investimento na contratação de especialistas – nem tão pouco instalar e manter o serviço no hardware do seu cliente final: tudo o que você precisa fazer é atuar na venda.

O serviço ERP é garantido pela empresa responsável pelo Programa de Afiliados, da qual você receberá uma porcentagem do valor da venda como remuneração.

* Modelo de negócio:

Revenda de software de gestão hospedado na Nuvem, desenvolvido por empresa especializada no segmento de tecnologia. Um bom exemplo é o programa de revenda do Gestão Click, uma startup mineira que tem conquistado cada vez mais espaço no mercado.

* Por onde começar?

Para trabalhar com revenda, você deve se associar a um Programa de Afiliados (aqui). Busque se informar com detalhes sobre a política de pagamento de cada um deles, de forma a garantir que o seu investimento ofereça o melhor retorno.

A maior parte dos programas oferece uma porcentagem em cima do valor da venda individual. Outros programas, como é o caso do GestãoClick, oferecem o pagamento em cima da fidelização do cliente: em outras palavras, você receberá 30% da mensalidade de cada cliente conquistado – e isso enquanto eles estiverem associados ao GestãoClick.

Por isso, na hora de começar, vale procurar um Programa de Afiliados que tenha afinidade com o seu banco de contatos, de forma a maximizar suas chances de conversão. A partir daí, é só partir para as vendas! Boa sorte!

Categorias
Ideias de negócios

Plano de Negócio para atrair Investidores

Saiba como montar um plano de negócios para atrair investidores, sem cometer erros. Aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

O que é e para que serve um Plano de Negócios

Imagine que você deseja construir uma casa, organizar uma festa, viajar para o campo ou para o litoral. Com certeza, sua intenção é que tudo dê certo, mas, para que isso ocorra, é necessário fazer um cuidadoso planejamento.

Preste atenção nesta palavra: PLANEJAMENTO. Ou seja, a casa, a festa e a viagem não vão se realizar apenas porque você assim deseja, mesmo que seja um desejo ardoroso. Ideias assim nascem em nossos corações, porém, para que elas se tornem realidade, é preciso construí-las passo a passo.

Para que uma viagem aconteça, é necessário escolher o local a ser visitado, decidir o tempo da viagem, quanto dinheiro levar, comprar passagens, reservar hotel, arrumar as malas, entre tantas outras coisas.

Se, para uma simples viagem, precisamos fazer tudo isso, imagine quando queremos abrir um negócio. E empreender, muitas vezes, é uma viagem para um lugar desconhecido.

Para você organizar suas ideias é que foi criado o PLANO DE NEGÓCIO. Nesta viagem ao mundo dos empreendedores, o plano de negócio será o seu mapa de percurso.

Um plano de negócio é um documento que descreve por escrito os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para que esses objetivos sejam alcançados, diminuindo os riscos e as incertezas. Um plano de negócio permite identificar e restringir seus erros no papel, ao invés de cometê-los no mercado.

Como elaborar um Plano de Negócio

O plano irá ajudá-lo a concluir se sua ideia é viável e a buscar informações mais detalhadas sobre o seu ramo, os produtos e serviços que irá oferecer, seus clientes, concorrentes, fornecedores e, principalmente, sobre os pontos fortes e fracos do seu negócio.

Ao final, seu plano irá ajudá-lo a responder a seguinte pergunta: “Vale a pena abrir, manter ou ampliar o meu negócio?”. Lembre-se de que a preparação de um plano de negócio não é uma tarefa fácil, pois exige persistência, comprometimento, pesquisa, trabalho duro e muita criatividade. Boa sorte, ou melhor dizendo, bom trabalho! E tenha claro que começar já é a metade de toda a ação.

Plano de negócio para atrair investidores

Sumário executivo- Plano de Negócios

Um resumo dos principais aspectos do negócio em, no máximo, duas folhas. Seu foco são números e argumentos que justifiquem a importância do empreendimento.

Descrição do produto ou serviço – Plano de Negócio

Apresenta de forma objetiva as características básicas do que será oferecido pela empresa.

Descrição do potencial do mercado – Plano de Negócio

Demonstra o montante de negócios gerado pelo setor no qual o site está inserido. Traz números tanto da economia tradicional, quanto das transações pela Internet.

Descrição da participação desejada – Plano de Negócio

Esclarece as metas de participação de mercado pretendidas e justifica por que o serviço ou produto terá um apelo especial frente à concorrência.

Concorrência – Plano de Negócio

Detalha nome, políticas e faturamento estimado das principais empresas que atuam no setor – seja na Web ou no mundo real.

Estratégia e Lançamento – Plano de Negócio

Explica como e quando será a apresentação do empreendimento aos clientes potenciais (argumentação, formas de ação, mídias, etc.). Mostra, ainda, por que a empresa sobreviverá quando a concorrência copiar sua ideia.

Plano de Implementação – Plano de Negócio

Expõe o cronograma de ações de marketing posteriores ao lançamento da empresa, além das ações nas áreas de vendas, tecnologia e recursos humanos, com metas claras.

Estrutura da Empresa – Plano de Negócio

Reproduz o organograma da empresa, com a descrição de cargos e salários. Caso exista uma equipe de profissionais já formada, detalha currículos e justifica a importância dessas pessoas para o projeto.

Projeções Financeiras – Plano de Negócio

Compreende planilhas que contenham as fontes de receitas e de custos, bem como a projeção desses números para, pelo menos, quatro anos.

Proposta – Plano de Negócio

Apresenta o aporte de investimento desejado, onde e de que forma será gasto, e qual modelo de participação acionária se pretende adotar.

Referências:
Sebrae, IBGE, DIEESE, IPT, Instituto Datafolha, Instituto IBOPE, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA, MCTI, MDA, MDIC, MMA, MME, MTE.
Categorias
Empreendedorismo

PEGN Pequenas Empresas & Grandes Negócios

A PEGN, revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, é uma referência nacional para quem busca algo a mais sobre empreendedorismo e gestão de negócios.Com editoriais e conteúdos direcionados para a inovação e transmissão de ideias, ela se tornou uma grande referência no mercado sobre negócios.

É possível encontrar informações sobre oportunidades de novos negócios, mudanças no mercado das pequenas e médias empresas, dicas relevantes sobre marketing, gestão, finanças, estratégia, tecnologia e também novidades trazidas pela internet.

Além disso há artigos de especialistas, histórias de empreendedores e dicas para a caminhada do sucesso de quem deseja se tornar um empresário de referência, seja iniciando um negócio completamente do zero, ou investindo no mercado de franquias.

Recursos da PEGN para empreendedores

A Pequenas Empresas Grandes Negócios possui uma série de recursos que garantem facilitar e alavancar a pesquisa e conhecimento de quem tem espírito e interesses empreendedores. Através de diversos canais é possível se manter informado e atualizado. Os principais canais são:

PEGN TV

PEGN TV

O programa da PEGN, exibido na Rede Globo em rede nacional aos domingos pela manhã, podem ser assistidos novamente na internet através deste link. É possível realizar buscas específicas por temas ou matérias ou até mesmo assistir aos programas mais recentes na íntegra.

Revista PEGN

PEGN Revista

Seja através da tradicional versão impressa ou utilizando o site, a revista PEGN traz informações complementares ao conteúdo do programa de TV. Em sua versão online há canais específicos para tratar sobre temas como:

●     MEI

●     Startups

●     Franquias

●     Ideias de Negócios

●     Administração de empresas, etc.

Há também conteúdos exclusivos para quem se tornar assinante da versão digital da revista. Além do acesso às notícias e atualidades, é possível conferir materiais mais especializados pelo valor mensal de R$ 4,90.

Para quem não abre mão de consumir ou colecionar as tradicionais versões impressas, ainda é possível assinar as edições e receber pelos correios em casa mensalmente, pelo valor de R$ 10,90. Interessados podem se cadastrar para assinar aqui.

PEGN Franquias

Para quem busca informações mais detalhadas sobre o mercado de franquias, a PEGN também garante informação constante e relevante, em todas as suas versões digitais ou na revista física, apresentando desde novidades sobre e o mercado, até oportunidades para investimento.