Categorias
Ideias de negócios

Montar fábrica de lembranças e artigos para bebês

Saiba como uma fábrica de Lembranças e Artigos para Bebês lucrativa gastando pouco e sem cometer erros. Ganhe muito dinheiro fazendo decoração e artigos para bebês. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Confecção de lembranças e artigos para bebês

Apresentação

Um país com altas taxas de natalidade (vêm diminuindo, mas ainda são altas), o Brasil é um bom mercado para investir na produção de artigos que atendam às necessidades iniciais da chegada de um bebê. Bem conduzido, este tipo de empreendimento é bastante promissor. A pequena confecção não exige investimentos pesados em equipamentos e o custo de pessoal é relativamente baixo, pois a mão-de-obra é abundante e não necessita de grandes especializações. Outro ponto favorável ao investimento é que não é difícil obter matéria-prima e materiais secundários, além do processo de produção ser bem simples. Enfim, com uma produção de qualidade e preço competitivo, o empreendedor conquistará sua fatia do mercado.

Mercado

Sugerimos ao novo empresário que consulte o mercado local para verificar qual a estrutura de preços e de comércio mais adequada ao seu caso. Hoje o bom atendimento é o maior segredo para o empresário alcançar o sucesso de seu empreendimento, não importando o tipo de negócio que pretenda montar. Os estudos de marketing e publicidade indicam que este é o diferencial que mantém o cliente cativo. Quem se sente valorizado e bem-atendido sempre volta, e garante a fonte de lucro da empresa.

Concorrência

O empreendedor que pretende investir no setor de produção de artigos para recém nascidos deve saber que ele é dominado por grandes empresas, que investem muito em pesquisa, tecnologia e marketing e por uma grande quantidade de médias e pequenas empresas, que constituem a maior concorrência. Portanto, é fundamental fazer uma pesquisa sobre as empresas que atuam na mesma área onde se pretende montar o negócio. O empresário tem que verificar o tamanho, o porte, a localização e se os produtos destas empresas concorrentes são de qualidade e bem aceitos pelo mercado.Para se firmar nesse negócio o empresário vai precisar ter muita criatividade, bom conhecimento do ramo e um acompanhamento permanente de mercado para conhecer as preferências das futuras mamães.

Análise dos riscos

Os riscos são o pequeno volume de produção, o que reduz a margem de negociação na compra de matéria-prima, e a elevada rotatividade da mão-de-obra. Nunca é demais repetir: as principais armas do pequeno empresário neste ramo são a qualidade, a criatividade e o design do produto.

Cliente

O consumidor de artigos para recém nascido está no público de média e alta rendas. Se o produto for bonito, bem acabado e resistente terá demanda certa. A distribuição dos produtos pode ser feita em lojas especializadas, supermercados, feiras-livres e comércio em geral.

Linha de produto

A variação de produtos a oferecer nesse ramo de negócio é grande, podendo ir desde o conjunto de cama e banho para o recém nascido até a mala que a futura mamãe levará para a maternidade. Alguns itens que compõem a linha são: sacola de bebê, moisés (cesto para carregar o bebê), mala de maternidade, lençol, fronha, toalha-capuz, fraldão, edredom (coberta acolchoada), babador, protetor de laterais do berço, mosquiteiro de tela,lembrancinhas, etc. A definição de produtos a serem fabricados toma como base três fatores: o mercado consumidor que se pretende atingir, a disponibilidade dos fornecedores e a atuação da concorrência.

Equipamentos e insumos

– Máquina de costura reta,
– Máquina de overloque,
– Mesa de corte,
– Máquina de corte,
– Tecidos,
– Aviamentos,
– Telefone e computador

Estrutura física

Uma confecção de artigos para recém nascido exige infraestrutura mínima de água, luz, telefone e boas vias de acesso. O imóvel ideal é um galpão ou barracão de alvenaria, localizado em área industrial. A pequena escala de produção, no início, não requer uma grande área física e uma área útil de 50 a 80 m2 será suficiente para abrigar as máquinas, os equipamentos e as instalações. Nesse caso, esta área mínima de deverá estar dividida por setores: corte, costura, expedição e escritório.

Fornecedor

As matérias-primas ou materiais secundários podem ser comprados de atacadistas ou representantes especializados, representantes industriais ou diretamente da fábrica. Neste último caso, entretanto, é necessário ter um volume de encomendas muito alto, o que nem sempre pode ser suportado por uma pequena confecção.

Legislação Específica

Como Pessoa Jurídica:
Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
– Registro na Junta Comercial;
– Registro na Secretaria da Receita Federal;
– Registro na Secretaria da Fazenda;
– Registro na Prefeitura do Município;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar a sua Confecção de lembranças e artigos para recém-nascidos para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização), e também o Alvará de Funcionamento.

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.
Categorias
Trabalho em casa

Ganhe dinheiro com desenhos para artesanatos em Isopor

Ganhe dinheiro com desenhos para artesanatos em Isopor. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Desenhos para Artesanatos em Isopor

Como fazer: Esta atividade consiste em que você crie desenhos em tamanhos variados estipulados pelos clientes, você os cria e vende para artesões, ou lojas que vendam artigos para festas, em que pessoas que trabalhem com isopor possam ter acesso sendo assim você terá um grande retorno, pois em festas infantis é predominante a presença destes apetrechos para embelezar a festa e os temas são super variados dai sua grande mobilidade comercial, isto porque sempre terá novos desenhos para criar conforme o gosto do cliente. Para isto só são necessários alguns softwares bem conhecidos da área de DTP Como o Corel Draw!, o Adobe Photoshop entre outros que possam criar desenhos e trata-los.

Hardware:

A partir de Pentium II 266 a 300 MHZ, Cyrus ou AMD 300 MHZ, com 32 MB de memória RAM e Winchester de 5.0 GB.

Hardware – conhecimento:  É necessário o conhecimento básico para resolver problemas rotineiros que venham a acontecer em seu microcomputador.

Hardware – investimento: O investimento fica em um nível médio pois você terá de adquirir um Scaner de mesa, além de uma boa impressora a laser.

Software:

Os softwares a serem utilizados são o Corel Draw!, o Adobe Photoshop ou qualquer outro programa que crie e trate imagens.

Software – conhecimento: É necessário um bom conhecimento nos softwares citados acima para melhor desempenho.

Software – investimento: O investimento depende da versão que você pretende adquirir dos programas acima citados que variam desde R$ 100,00 até 600,00 ou mais.

Captação de clientes:

Lojas de artigos de festas para crianças ou com pessoas que trabalhem com arte em isopor.

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Minnistério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário,

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Categorias
Trabalho em casa

Ganhe dinheiro com desenhos em papel vegetal

Desenhos em Papel Vegetal – Trabalho em Casa, ganhe muito dinheiro no conforto da sua casa ou escritório. Veja aqui todas as informações necessárias para iniciar de imediato, sem erros.  Aprenda tudo, investimento, clientes em potencial, divulgação do serviço, concorrência, hardware e software e muito mais…

Mercado

Sem dúvida uma atividade que está crescendo muito é a de cartões de papel vegetal, tanto que existem até revistas que tratam do assunto, pois ai esta um nicho pouco explorado.

Esta atividade consiste em que você crie desenhos em formatos e tamanhos de cartões, como os de natal e os venda para pessoas que trabalhem com cartões de vegetal ou para ou lojas especializadas neste ramo, esta pessoa que comprará de você poderá opinar ajudar a criar cartões de seu próprio gosto, sem contar a vantagem que seus clientes levam de ter desenhos exclusivos, que em segundo plano podem ser vendidos para outras pessoas do ramo.

É um negocio muito fácil de se administrar pelo baixo custo e alto retorno, sua única mão de obra é de criar o desenho desejado ou de sua própria criação e imprimi-lo para entregar a seus clientes, você terá uma infinidade de idéias como quadrinhos heróis de televisão e o que mais sua mente imaginar.

Hardware e Software – Conhecimento e Investimento necessários

Hardware

  • A partir de um PentiumII a III 300 a 400 MHZ com 32 Mb de memória RAM, Winchester de no mínimo 5.0 Gb, impressora que de preferência deve ser a laser (para maior resolução) ou jato de tinta, além é claro um bom Scanner de mesa para captar imagens que sejam difíceis de ser criadas.
  • É necessário um conhecimento básico para resolver problemas rotineiros que venham a acontecer, e conhecimento nos periféricos que já possui.
  • O investimento para quem já possui o micro e uma boa impressora fica por conta do Scanner de mesa.

Software

  • Utilize os softwares utilizados no DTP como Corel Draw! Adobe Photoshop, ou outros softwares de criação e tratamento de imagem que você gostar ou tiver mais prática.
  • É necessário um alto conhecimento nos softwares que você utilizar para a criação dos desenhos.
  • O investimento fica em um nível intermediário pois estes softwares de editoração eletrônica costumam custar acima de R$ 1.000,00.

Captação de clientes

Ofereça seus serviços a lojas que organizem festas, lojas especializadas em cartões ou em lojinhas que revendam produtos de papelaria.

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Artigos Relacionados: artesanato em papel vegetal, como fazer papel vegetal, como imprimir em papel vegetal, como usar papel vegetal, papel vegetal 180g, papel vegetal para que serve, papel vegetal kalunga, papel vegetal para convite, papel vegetal estampado onde comprar, riscos para papel vegetal, papel vegetal passo a passo, papel vegetal rolo, papel vegetal a3, celula vegetal desenho, desenho celula vegetal e animal, como imprimir em papel vegetal, como usar papel vegetal, papel vegetal kalunga, papel vegetal para convite, papel vegetal para tatuagem, papel vegetal a2, desenho carvão vegetal, desenho célula vegetal, celula vegetal e suas organelas, vegetais desenho infantil, vegetais desenho em portugues, vegetais desenho animado, arte em papel vegetal, papel vegetal colorido, papel vegetal estampado, papel vegetal preço, papel vegetal a4,

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Categorias
Ideias de negócios

Montar serviço de Artesanato em Papel gastando pouco

Saiba como montar serviço de Artesanato em Papel gastando pouco e sem cometer erros, ganhe muito dinheiro com decoração em papel. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Artesanato em papel

Apresentação

Já no Egito antigo, utilizava-se uma mistura semelhante ao papel machê. No entanto, registros históricos definem essa arte como uma técnica chinesa milenar que foi difundida pelos franceses – a partir do século XVIII – na Europa, mas foi a partir do século XVIII, que ele foi largamente difundido na França.

Chegou ao Brasil, mas como diz o ditado popular, santo de casa não faz milagre, e talvez por isso, esse tipo de artesanato, apesar de sua riqueza e variedade, ficou por tanto tempo relegado a pracinhas e feiras improvisadas. A atividade rendia alguns trocados para artesãos empenhados em manter ofícios tradicionais de sua cultura, servia de hobby e passatempo de hippies e donas de casa.

Até que, nos anos 90, empurrada pelo desemprego e estimulada pela crescente valorização e demanda de produtos artesanais, a arte de trabalhar com as mãos saiu da marginalidade para ocupar um espaço importante como atividade econômica geradora de riqueza, emprego e renda. O artesanato de objetos em papel machê (em francês, papier machié) tem sido tão valorizado.

Papel machê

O Papel Machê consiste em micro fibras de pedaços da celulose trituradas e misturadas com qualquer tipo de cola. O resultado é a obtenção de uma massa não plástica, a que se pode dar forma.

É a partir dessa base que são feitas as figuras conforme os moldes. Secas, essas figuras recebem pintura. A sedosa superfície do papel machê é ideal para a pintura em miniatura.

O Papel Machê tem uma plasticidade mínima. Como comparação, observa-se que a argila, por ter plasticidade maior, é expansiva e por isso molda-se com facilidade no sentido de dentro para fora, já o papel Machê, de massa não plástica, tem a massa moldada no sentido de fora para dentro.

Processo produtivo

Não existe uma receita específica para a fabricação de papel machê. De modo geral, essa técnica consiste na utilização de papel picado ou triturado misturado com cola. Não existem quantidades pré-determinadas para as proporções de cada ingrediente e a definição de uma “fórmula” variará conforme a necessidade de cada artista.

Linha de produtos

Os produtos resultantes dessa técnica são amplamente conhecidos pela elegância dos desenhos coloridos e pela durabilidade. Com a técnica de papel machê é possível confeccionar objetos utilitários e decorativos como: Vasos , bandejas, quadros, peixes, esculturas, brinquedos, flores, frutos, móveis. A gama de produtos possíveis inclui ainda figuras humanas, pássaros, animais, tableware, abajures, braceletes, placas decorativas de parede, e tudo que a imaginação permitir. É comum encontrar, principalmente no mercado Europeu, peças em papel machê com tamanhos abaixo de 20cm. A miniaturização de peças moldadas em papel machê apresenta maior grau de dificuldade, principalmente quando a miniaturização trata de personagens e animais.

Montando bonecos

A montagem dos bonecos de papel machê é muito simples, depois de preparada a massa, modela-se o rosto fazendo apenas bolinhas de tamanhos variados conforme o tamanho dos bonecos.

Depois de seco poderá ser feita uma pintura (para não ficar com aquele aspecto de jornal ou papel amassado) nas bolinhas modeladas e pintar o rosto do boneco.

Em seguida é feita a montagem do corpo que pode ser com um pedaço de pano, dependendo da criatividade do empreendedor.

Papietagem

Nada mais é do que a sobreposição de folhas de papel umidecido com cola, que são aplicadas sobre um molde pré-fabricado. Variante do papel machê, a papietagem é uma maneira rápida e fácil de produção de peças.

Matéria prima

A matéria prima utilizada é de baixo custo, além de ser reciclável. Ex.: embalagens, papelão, jornal, e todo tipo de papel, etc.

Processo produtivo de bonecos a partir da técnica de papietagem

Material

Bexiga, jornal , papelão, papel cartão, cola branca, tinta látex , papel de seda, tinta acrílica, pincéis tamanhos 1, 14 e 18 , tesoura , fita crepe, verniz fosco ou brilhante, barbante.

Execução

  • Encha a bexiga até que ela atinja aproximadamente 25 cm;
  • Dê um nó no bico e corte o restante;
  • Passe cola na bexiga e vá colando as tiras de jornal até cobri-la por inteiro.
  • Deixe secar bem a primeira camada e em seguida vá colando de três em três camadas até completar doze camadas de jornal. É importante que a cada três camadas a peça fique secando durante um tempo maior até que fique completamente seca. Com a peça seca, cole na base uma rodela de papelão e em seguida outra com formato de pezinho (para o pezinho fazer um formato de coração arredondado).
  • Feito isso, meça de cima para baixo 12 cm e corte a peça com estilete, deixando 3 cm sem cortar.
  • Cole neste espaço 2 fios de barbante para dar sustentação e fixação na peça.
  • Em seguida, cole na borda da peça cortada uma tira de papel cartão de aproximadamente 2 cm para formar a base de apoio.
  • Faça duas bolinhas de papel bem amassado para formar os bracinhos e colar 1 cm abaixo do corte.
  • Na hora de fazer as orelhinhas, corte 2 vezes um retângulo de 12 cm por 6 cm, e faça um corte triangular de 5 cm por 2 cm arredondando as pontas.
  • Cole as orelhas com fita crepe para moldá-las a cabeça e em seguida cole tiras de jornal.
  • Para o nariz faça uma bolinha pequena e cole com cola branca, fixando-a e deixando-a secar com fita crepe.
  • Com toda a peça montada, cole papel de seda bem amassado e deixe secar bem.
  • Pinte a peça toda por dentro e por fora com tinta látex para dar base à pintura final e deixe secar.
  • Com a peça bem seca, é hora da pintura final utilizando tinta plástica ou acrílica para artesanato (para a gravata usar papel cartão e para o laço da coelhinha, tecido).

Montando bonecos

Os bonecos de papietagem, podem ser montados da mesma maneira que os de papel machê, mas neste caso poderá ser feito o boneco inteiro (corpo) e assim utilizá-lo para montar a marionete.

Marionetes

Uma marionete nada mais é do que um boneco preso por fios pregados, numa extremidade em dois pedaços de madeira em forma de X e na outra extremidade, pregados em lugares estratégicos para dar o movimentação ao boneco. Uma marionete pode ser feita de madeira ou de papietagem.

Fantoches

Um fantoche é um boneco que ao invés de ter fios, ele será movimentado com a mão. Nesse caso, o boneco encobrirá a mão do artista como se fosse uma luva.

Aplicações terapeuticas e pedagógicas

Tanto a técnica de papietagem quanto a de papel machê pode ser utilizada como terapia ocupacional. Por estimular a criatividade, a execução desse tipo de trabalho alcança níveis altos de relaxamento que refletem em resultados terapêuticos animadores.

Na área pedagógica, essa técnica estimula o desenvolvimento artístico, a criatividade e o senso cívico dos alunos ao mostrar que objetos que seriam jogados no lixo, podem ser reaproveitados e transformados em arte.

Legislação Específica

Como Pessoa Jurídica:
Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
– Registro na Junta Comercial;
– Registro na Secretaria da Receita Federal;
– Registro na Secretaria da Fazenda;
– Registro na Prefeitura do Município;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar o seu negócio de artesanato para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização), e também o Alvará de Funcionamento.

Como Pessoa Física:
Referente ao Projeto Artes na Praça (PMV)
– Cadastro do Artesão no Projeto na Secretaria Municipal de Cultura;
– Análise e aprovação dos produtos artesanais pelo comitê gestor;
– Encaminhamento aos padrões de exposição: metragem da barraca, produtos, etc.
– Acesso ao regulamento do Projeto
– Carteirinha do Artesão (Adquirida na coordenação estadual de artesanato do ES)
– Avaliação Bimestral dos produtos.
OBS. Não é cobrado taxa.

Com relação a legislação, torna-se necessário alguns esclarecimentos, tais como:
IPI – De acordo com a legislação do IPI (Decreto 2.637, de 25/16/1998, artigos 5º, inciso III e 7º, inciso I), não se considera industrialização e, portanto, não é tributada por este imposto, a confecção ou preparo de produto de artesanato, assim definido o proveniente de trabalho manual realizado por pessoa física, nas seguintes condições:
a) quando o trabalho não conte com o auxílio ou participação de terceiros assalariados;
b) quando o produto seja vendido a consumidor, diretamente ou por intermédio de entidade de que o artesão faça parte ou seja assistido.

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.
Categorias
Ideias de negócios

Como montar uma Loja de Artigos para Bebês

Saiba como montar uma loja de Artigos para Bebês gastando pouco e sem cometer erros. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Ficha Técnica
Setor da economia: Terciário
Ramo de atividade: Comércio
Principais produtos: Artigos diversos para bebês

Loja de artigos para bebês

O interesse que o comércio de produtos infantis desperta pode ser explicado por alguns fatores um deles é o fator biológico: as crianças se desenvolvem rápido e perdem muitas roupas, por isso a renovação das peças tem que ser constante. O consumo de artigos como fraldas, óleos, loções e sabonetes costuma ser alto, o que leva os pais a compras regulares. Podemos considerar, em relação aos pais, como outro fator o emocional, pois emocionados e ansiosos à espera dos herdeiros, pais e mães, especialmente aqueles de primeira viagem, não hesitam diante dos apetrechos básicos e, de quebra, ainda levam uma batelada de acessórios na hora de comprar o enxoval.

Mercado

O comércio especializado em produtos para bebês vive um de seus melhores momentos. Primeiro, porque a entrada dos importados nos últimos anos ampliou a oferta. Depois, porque o crescente uso do sistema de auto-serviço no ramo aumenta os apelos ao consumo. E, para completar, as mulheres grávidas, que normalmente fazem a maior parte das compras no sexto ou sétimo mês de gestação, estão cada vez mais atentas à conveniência: preferem encontrar o máximo de variedade no mesmo ponto, sem ter de rodar por vários endereços.

O que vender

Uma boa loja de artigos para bebês oferece desde fraldas a produtos de puericultura leve (chupetas, conjuntos de escova e pente, mordedores, mamadeiras, jogos de pratos e talheres, etc); de puericultura pesada (carrinhos, andadores, banheiras) roupas diversas, sapatos, mantas, lençóis, cobertores, edredons e travesseiros, materiais de higiene, brinquedos, enfeites de portas e lembrancinhas até acessórios para auxiliar a mãe na amamentação.

Diversificação

Oferecer uma grande variedade de produtos não só atrai mais consumidores como também pode ser a solução para o problema da sazonalidade, principalmente se o empreendimento atender também às necessidades dos primeiros anos de vida da criança e não se restringir aos recém-nascidos.

Começando

Para quem vai abrir um negócio no ramo, é aconselhável investigar, detalhadamente, as condições da atividade na região onde planeja se instalar. Outro ponto importante, é começar pelo básico e aumentar a variedade conforme a procura.

Investimento fixo

De acordo com empresários do ramo, os investimentos fixos de maior relevância para iniciar o negócio são:

  1. a reforma do imóvel;
  2. compra de móveis e decoração da loja;
  3. linhas telefônicas (no mínimo 2 linhas);
  4. microcomputadores e terminais para controle de estoque.

A reforma do imóvel e a decoração estão entre os principais investimentos para montar uma loja de artigos para bebê.LayoutAlgumas lojas adotaram o auto serviço ao perceber que os clientes gostam de tocar nas peças durante a compra, deixando os objetos menores  logo na entrada da loja; as roupas e brinquedos, no meio, e os artigos maiores, nos fundos.

Fornecedores

Selecionar bem os fornecedores e manter com eles um bom relacionamento é medida básica para conseguir preços competitivos. Os principais são os próprios fabricantes, no caso de pequenas confecções. Algumas indústrias exigem quantidade mínima de compra todo mês. Mas é uma condição à qual, muitas vezes, vale a pena se sujeitar, principalmente se os produtos têm o selo do Inmetro, um atestado de segurança que é vital na venda de brinquedos e artigos de puericultura.

Sugestões de vendas

No caso das confecções, a qualidade pode ser avaliada pelo acabamento e pelo material utilizado nas peças. Como a maioria dos pais, principalmente os de primeira viagem, não sabe exatamente o que comprar e em que quantidade, uma dica é vender roupas básicas e enxovais em forma de kits. São conjuntos em média com 80 peças para o bebê até o terceiro mês de idade. O empreendedor deve ter afinidade com os produtos comercializados.

Divulgação

A divulgação da loja pode ser feita por meio de catálogo telefônico, faixas na frente da loja e anúncios no jornal do bairro. Nunca é demais lembrar que o meio de divulgação mais eficiente é o “boca-a-boca”, portanto vale a pena investir no conceito da loja junto aos consumidores.

Mão de obra

Também se conseguem agregar diferenciais às vendas com um quadro eficiente de funcionários, que conheçam os artigos comercializados e saibam recomendar o produto certo para cada situação. E, claro, que gostem de lidar com crianças, porque muitos pais costumam ir à loja acompanhados dos pimpolhos.

Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
– Registro na Junta Comercial;
– Registro na Secretária da Receita Federal;
– Registro na Secretária da Fazenda;
– Registro na Prefeitura do Município;
– Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal)
– Registro no Sindicato Patronal;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização),e também o Alvará de Funcionamento.
Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).

Sites afins

ABRINQ – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE BRINQUEDOS: http://www.abrinq.com.br
Yes Baby:
Empresa Brinquedos Bandeirantes: http://www.brinquedosbandeirante.com.br
Empresa de brinquedos Estrela: http://www.estrela.com.br
Bebê Store – Loja Online: http://www.bebestore.com.br
Produtos de Bebê Online: http://www.baby.com.br
Artigos de Bebê: http://www.tricae.com.br/Bebê‎

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Categorias
Ideias de negócios

Seja um Artesão e ganhe muito dinheiro com Artesanato

Seja um Artesão e ganhe muito dinheiro com Artesanato gastando pouco e sem cometer erros, aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Artesanato

Introdução

No dicionário, artesanato é a manufatura de objetos com matéria prima existente na região, produzidos por um ou mais artífices com o auxílio dos seus familiares, numa pequena oficina ou na própria habitação, com o fim de os trocar ou vender. É também definida como a pequena indústria especializada. Artesão é aquele que executa arte que depende de trabalho das mãos.

A atividade não proporciona grandes lucros quando se está iniciando, mas à medida que o produto alcança credibilidade e popularidade, é possível prestar atendimento a uma clientela fixa e sem muita propaganda, obter um bom faturamento líquido mensal, levando-se em consideração os reduzidos custos de produção (basicamente em função do baixo preço da matéria-prima e das vantagens do trabalho em casa) e conseqüentemente a redução das despesas.

O Artesão

Quem opta por produzir artesanato, concilia vida profissional com vida pessoal. Mas é importante lembrar, antes de tudo, que artesanato exige vocação.

Planos

Existe a intenção de elaborar uma legislação específica para o setor, além de abrir linhas de financiamento à produção e à exportação. A exibição dos trabalhos em eventos no exterior também está mais intensa. Tanto que o artesanato brasileiro já está à venda nas redes de lojas mais finas dos Estados Unidos, como Bloomingdale’s e Saks, na 5ª Avenida, em Nova York, assim como em redes italianas, francesas e portuguesas.

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.
Categorias
Ideias de negócios

Como montar uma Loja de Artesanato – Passo a Passo

Ganhe muito dinheiro vendendo Artesanato, saiba como montar uma Loja de Artesanato lucrativa gastando pouco e sem cometer erros. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Loja de artesanato

No dicionário, artesanato é a manufatura de objetos com matéria-prima existente na região, produzidos por um ou mais artífices com o auxílio dos seus familiares, numa pequena oficina ou na própria habitação, com o fim de os trocar ou vender. É também definida como a pequena indústria especializada. Artesão é aquele que executa arte que depende de trabalho das mãos.

A atividade não proporciona grandes lucros quando se está iniciando, mas à medida que o produto alcança credibilidade e popularidade, é possível prestar atendimento a uma clientela fixa e sem muita propaganda, obter um bom faturamento líquido mensal, levando-se em consideração os reduzidos custos de produção (basicamente em função do baixo preço da matéria-prima e das vantagens do trabalho em casa) e conseqüentemente a redução das despesas.

O artesão

Quem opta por produzir artesanato, concilia vida profissional com vida pessoal. Mas é importante lembrar, antes de tudo, que artesanato exige vocação.

Planos

Existe a intenção de elaborar uma legislação específica para o setor, além de abrir linhas de financiamento à produção e à exportação. A exibição dos trabalhos em eventos no exterior também está mais intensa. Tanto que o artesanato brasileiro já está à venda nas redes de lojas mais finas dos Estados Unidos, como Bloomingdale’s e Saks, na 5ª Avenida, em Nova York, assim como em redes italianas, francesas e portuguesas.

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.
Categorias
Ideias de negócios

Isopor – Saiba como fazer

Saiba como fazer isopor gastando pouco e sem cometer erros, ganhe muito dinheiro com fabricação de isopor, aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Fabricação de isopor

Introdução EPS é a sigla padronizada pela ISO (International Organization for Standardization) para o poliestireno expansível. No Brasil, porém, o nome mais popular é isopor, marca da empresa que introduziu o material no país e no mundo. A descoberta foi feita em 1949 pelos químicos Fritz Stastny e Karl Buchholz.

Derivado do petróleo, o EPS é um monômero polimerizado em meio aquoso, recebendo uma adição de gás pentano, que é o agente expansor. Comercialmente o EPS é encontrado em pérolas milimétricas, capazes de expandir-se até 50 vezes quando expostas ao vapor d’água . O resultado é uma espuma formada por 98% de ar e apenas 2% de poliestireno. Segundo dados dos fabricantes, cada 1 m2 de EPS contém de 3 a 6 bilhões de células fechadas e cheias de ar, que impedem a passagem de líquidos como a água, mas permitem a circulação de gases por entre os interstícios das câmaras. Do ponto de vista prático, essa microarquitetura do material permite uma leveza significativa, boa resistência mecânica e ótimas propriedades de isolação térmica.

Devido a essas características, o EPS é utilizado na construção civil, refrigeração, utensílios de papelaria e na construção de caixas térmicas.

Reciclados, os blocos, placas e utensílios de EPS podem ser remoldados para aplicações que não exijam aparência e características mecânicas homogêneas.

Esquema para fabricação de utensílios

1.matéria-prima => 2.pré-expansor => matéria-prima pré-expandida => 3.silo => 4.molde => vapor => 5.peça acabada

1. Matéria prima: São as micropérolas que podem ser adquiridas em empresas especializadas nesse ramo;

2. Pré-expansor: Local onde as pérolas serão expandidas e aumentam seu tamanho;

3. Silo: Após a expansão, as pérolas devem descansar por um período de 6 horas antes de serem injetadas no molde. Também são utilizados para a armazenagem.

4. Molde: Deve possuir o formato da peça desejada; a injeção é feita por ar comprimido ou vácuo;

5. Peça acabada: Após a injeção das pérolas no molde, o vapor age fundindo as pérolas e dando o formato final para a peça.

Fornecedores de matéria prima para fabricação de isopor

– BASF BRASILEIRA S/A
Estrada Samuel Aizemberg, nº 1707, CEP 09851-550, São Bernardo do Campo (SP), TEL (011) 751-3013, Contato: Massayuki. Serviço de atendimento ao consumidor: 0800-194500
Produto: Estyropor – matéria-prima para fabricação de EPS

– RESINOR RESINAS SINTÉTICAS DO NORDESTE S/A
Av. Alberto Soares, nº 1000, CEP 09380-000, Capuava (SP), TEL/FAX (011) 747-2911, Contato: Cecília – Vendas
Produto: Matéria-prima para fabricação EPS

Fornecedores de equipamento para fabricação de isopor

– POLYTRADE COMERCIAL EXPORTADORRA LTDA
R. Paulo Fischer, nº 156, CEP 89201-770, Joinvile (SC), TEL (047) 433-5406, FAX (047) 422-0689, Contato: Depto. Vendas
Produtos: Pré-expansores, moldadores, bloqueiras, equipamentos para corte do isopor

– SCHMUZIGER CONSULTORIA E REPRESENTAÇÕES INDUSTRIAIS LTDA
R. Tapes, nº 495, CEP 04631-011, São Paulo (SP), TEL Escritório: (011) 535-5695, FAX(011) 533-6821, TEL Fábrica: (011) 6963-2820, FAX (011) 6963-2853, Contato: Depto. Vendas.

Produto: Máquina para corte de isopor

– TESCO COMÉRCIO IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA
R. Américo Brasiliense, nº 1416 Cj. 07, CEP 04715-002, São Paulo (SP), TEL (011) 5182-7286, FAX (011) 5181-8305, Contato: Ronald Althuon
Produto: Pré-expansores e silos.

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.