Categorias
Ideias de negócios

Como criar Gado em Confinamento

Ganhe muito dinheiro criando Gado. Veja aqui como criar Gado em Confinamento com pouco dinheiro e sem cometer erros, aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, captação de cliente, financiamento, mão de obra especializada, atendimento e muito mais…

FICHA TÉCNICA
Setor da Economia: Agroindústria.
Tipo de Negócio: Pecuária.
Ramo de Atividade: Criação de Gado Bovino em Confinamento.

Mercado de gado bovino em confinamento

Na época seca o pasto perde produtividade e o gado perde peso, para evitar esse prejuízo, uma maneira segura de terminar os animais é o confinamento. O confinamento consiste no aprisionamento do animal,  visando otimizar os espaços físicos com também o aumento da produção.
Saber quando confinar é importante. Poderá ser na entressafra, quando os pastos estão secos e com baixa produtividade, ou durante o ano inteiro.

No Brasil a prática cresce ano após ano. A tendência de elevação  desse número associado à adoção de técnicas de melhoria de produtividade, como por exemplo, sistemas de manejo de pasto nas águas.

Estrutura

A estrutura básica deve contar com:
– Terrenos ligeiramente inclinados , para facilitar o escoamento das águas;
– Fornecimento facilitado de luz elétrica e água;
– Galpões para a estocagem das ferramentas (motores, picadeiras, etc) e dos produtos básicos necessários;
– Currais e etc.

Equipamentos

Os equipamentos podem ser divididos em duas categorias, os equipamentos de uso e apoio na criação (cochos, picadeiras, máquinas, ferramentas em geral, etc.), e os equipamentos do administrativo (móveis e utensílios do escritório, computadores, fax, telefones e etc.).

Mão de obra

Deve ser treinada, incluindo visitas a outros confinamentos com o objetivo de transmitir informações inerentes ao confinamento . Saber reconhecer todas as etapas do processo trará aos empregados mais segurança e respeito ao trabalho de cada um.
Quanto ao número de funcionários, irá variar de acordo com a estrutura do empreendimento.

Localização dos currais

É importante evitar construir currais perto de residência ou sede, para que não haja interferência do movimento doméstico no ambiente do confinamento. A idéia é poupar ao máximo ambas as partes: o gado do barulho da movimentação de pessoas e o homem de um ambiente onde o mau cheiro é forte, existem moscas, poeira, etc.
Também está comprovado que a circulação de veículos e pessoas sem a devida higienização prévia traz doenças muitas vezes transportados por aqueles que visitaram alguma propriedade contaminada.

Coxos

Coxos de concreto pré moldado têm sido muito usados, já que, apresentam uma boa durabilidade e manutenção satisfatórias. Entretanto também são utilizados coxos simples feitos de latão cortado ao meio ou mesmo de madeira, apresentam como vantagem o baixo custo.

Fatores que devem ser considerados no processo de implantação do confinamento

São muitos os fatores a serem considerados antes da implantação de um projeto de confinamento de bovinos em uma determinada região, que são:

  • A população humana: é necessário que exista mão de obra suficiente para trabalhar na atividade;
  • Disponibilidade de animais na região: se o confinamento não for realizado com animais da própria fazenda, as compras serão realizadas na região, dessa forma, será necessária grande quantidade de animais disponíveis a um preço de mercado acessível;
  • Avaliar qual o sistema de produção predominante: não adianta fazer confinamento em uma região onde o sistema de produção predominante é a cria. Não haverá, dessa forma, disponibilidade de novilhos magros para a engorda;
  • Considerar os índices pluviométricos: regiões onde há grande quantidade de chuvas durante o ano não são adequadas para o confinamento. Da mesma forma, deve-se considerar também outros pontos que podem prejudicar o confinamento como o excesso de ventos, a topografia inadequada ou o solo. O clima geral da região deve ser também avaliado para evitarmos futuros problemas;
  • Disponibilidade de grãos e resíduos (agro-industriais): é um dos mais importantes, já que regiões distantes de pontos produtores de grãos gastam muito com frete e ficam mais susceptíveis a problemas de falta de ingredientes;
  • Aspecto sanitário: devem ser considerados pontos como a existência de enfermidades endêmicas (como por exemplo a Raiva). Isso pode descartar a utilização de determinada região. Devem também estar disponíveis na região produtos veterinários, adubos e equipamentos agrícolas.

O processo de confimento

Deve-se seguir alguns passos para se obter sucesso neste processo, que são:

  • -Seleção dos Animais: deve ser rigorosa, a melhor decisão sobre o tipo de gado a ser confinado é ditada pelos preços de compra e venda dos animais e pela qualidade dos animais disponíveis. O fato de que estes fatores estão em constantes mudanças, torna-se necessária uma decisão ponderada com base em um deles para que se obtenha a melhor perspectiva de lucratividade.
    Recomenda-se animais de 350 a 400 kg, e que apresentem maior homogeneidade possível;
  • Idade: trabalhos experimentais têm demonstrado que animais mais novos apresentam maior velocidade de crescimento e melhor conversão comercial, porque os custos com a manutenção do animal aumentam na medida de seu crescimento. ou seja, quanto mais velho o animal, mais cara será a sua engorda;
  • Raça: aspectos relativos à raça do animal a ser confinado são também de grande importância. Tem-se observado que os melhores animais são aqueles com 1/2 sangue zebu e 1/2 sangue europeu e/ou 1/4 de sangue europeu e 3/4 de sangue zebu. A raça Nelore também oferece boas possibilidades para a engorda;
  • Pasto: o bom pasto sempre diminuirá custos de engorda. A resposta sobre qual pasto adotar depende geralmente da região e do tipo de terra , mas na verdade um pasto de boa qualidade será sempre mais produtivo.

Lembretes importantes

Alguns lembretes importantes para o futuro empreendedor:

  • Confinar pode significar o ingresso num campo fora da especialidade do criador, que ficará na “dependência” de zootecnistas , fornecedores ,clima ,empregados, maquinários ,água ,luz , e equipamentos e para aquele que planta seu próprio grão será exigido conhecimento de agricultura;
  • Construir um coxo seco na entrada do confinamento e enchê-lo de cal, fazendo com que toda pessoa ou automóvel ao entrar no ambiente passe por esta “barreira” higienizadora é uma alternativa.

Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
– Registro na Junta Comercial;
– Registro na Secretária da Receita Federal;
– Registro na Secretária da Fazenda;
– Registro na Prefeitura do Município;
– Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal)
– Registro no Sindicato Patronal;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização),e também o Alvará de Funcionamento.
Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).
OBS. Caso o empreendedor queira constituir-se com pessoa jurídica.

Algumas legislações que futuro empreendedor deve ter conhecimento:
– LEI nº 7.967/89. Dispõe sobre o valor das multas por infração à legislação sanitária, altera a Lei nº 6.437, de 20 de agosto de 1977, e dá outras providências.

Registro Especial

– Registro no S.I.F. (Serviço de Inspeção Federal). Exigência feita para que o criador possa colocar seu produto no mercado.
– Registro como produtor rural. Exigência feita para comercializar o animal vivo.

Na comercialização do produto processado (carne ou pratos prontos), o empresário deverá informar-se a respeito dos registros necessários para sua legalização, já citados acima (Legislação Específica).

Em resumo:
Comercialização:
– Em Nível Municipal. No município onde está instalado, basta efetuar o registro na Vigilância Sanitária Municipal (quando houver);
– Em Nível Estadual. No Estado, o empresário deverá registrar sua empresa no IDAF – Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Espírito Santo;
– Em Nível Nacional. O registro deverá ser feito no SIF – Serviço de Inspeção Federal. O órgão responsável no Espírito Santo é o Ministério da Agricultura.

Entidades

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária: http://www.anvisa.gov.br
EMBRAPA: http:// www.embrapa.gov.br
EMATER Goiás: http://www.emater.go.gov.br
Ministério da Agricultura: http://www.agricultura.gov.br

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

 

Categorias
Ideias de negócios

Como montar um Serviço de Garçom

Ganhe muito dinheiro com agenciamento de garçom, saiba  Como montar um serviço de garçons com pouco dinheiro e sem cometer erros. Aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Agenciamento de serviços de garçom

Ficha Técnica
Setor da Economia: Serviço
Ramo de Atividade: Agenciamento de Serviços
Tipo de Negócio: Serviços de Garçom
Investimento: em torno de R$ 6.000,00

É notório o crescimento de festas e eventos que ocorrem nos grandes centros, podemos afirmar que, praticamente, em todos os dias das semana acontecem festas, coquetéis, jantares, congressos, etc.

Essa prática tem levado ao surgimento de um novo tipo de serviço: os serviços de garçom, ou seja, o cliente liga para essas empresas e elas oferecem a mão-de-obra necessária para o atendimento à sua festa.

Um serviço de garçom diferenciado, feito por rapazes de postura impecável e bom visual que são capazes de enfrentar jornadas de até 20 horas, a maior parte madrugada adentro, sempre sorridentes e atenciosos.

Um empresário do ramo afirma: O melhor cartão de visitas é o desempenho; e a maior propaganda, a indicação .

Serviço de Garçons – Equipamentos

Computador, impressora, 2 telefones, fax e uniformes (aventais, gravatas, camisas, calças e camisetas).

Serviço de Garçons – Localização

A localização nesse tipo de empresa não tem influência direta, o local poderá ser até a sua própria casa, basta consultar o Plano Diretor Urbano, junto à Prefeitura de sua cidade.

Serviço de Garçons – Pessoal

Apenas uma secretária. Os garçons serão contratados, temporariamente, para a atuação nas festas e eventos.

Serviço de Garçons – Preço

Segundo pesquisa, uma empresa desse ramo cobra R$ 90,00 por dez horas de trabalho de cada profissional e tem rentabilidade de 20% a 25.

CASO DE SUCESSO.  Em casa – para se iniciar um bom negócio você precisa escolher o que melhor se adapte ao seu perfil e arregaçar as mangas, como fizeram há pouco mais de dois anos os sócios de A Equipo, Douglas Piedade Batista, de 27 anos, e Ulisses Vieira Arnoni, de 29. Estudantes universitários, os dois cansaram-se de integrar grupos de jovens garçons e de agenciar conhecidos para festas na capital paulista e decidiram fazer da própria experiência um negócio.

Tínhamos a faca e o queijo na mão , lembra Batista, referindo-se ao fato de dominarem as tarefas, terem bom trânsito entre os principais banqueteiros da cidade e contarem com os amigos para formar uma equipe uniforme. Sem investir um só centavo – aproveitaram telefone, computador e fax de uso pessoal -, eles abriram a empresa na casa de Batista. Sua mãe, Maria de Lourdes, fazia as vezes de secretária. O retorno não demorou a aparecer.

Do grupo iniciante de 15 jovens, A Equipo evoluiu para o cadastro atual de 100 componentes autônomos, pagos por evento. Hoje, movimenta cerca de 180 garçons/mês, em 30 a 40 festas, entre casamentos, aniversários, desfiles e promoções.

Paralelamente, oferece assessoria no aluguel de louças, montagem do cardápio e contratação de seguranças, manobristas e barmen, ficando com até 15% do valor total. Ainda este semestre, os sócios esperam movimentar 300 garçons/mês e, para tanto, não vêem limite para o trabalho.

Ele lembra que não na atividade não basta ser bonito. É preciso ser paciente e não se deixar envolver pelas eventuais cantadas recebidas na festa. Para lucrar nesse mercado – praticamente inexplorado fora de grandes cidades, como o Rio, São Paulo e Porto Alegre, também é fundamental contar com uma equipe afinada. Alerta também para a necessidade de uma boa administração do caixa, já que os serviços são pagos no dia seguinte à festa e, muitas vezes, de forma parcelada.

Serviço de Garçons – Fornecedores

Cr Roupas Profissionais Ltda
Fone: (11) 5564-5961 – Santa Felicia, 285, São Paulo-SP

Doppio Uniformes Sociais
Fone: (11) 280-6370 – Paulo Araujo, 28, São Paulo-SP

A Rafa Roupas Profissionais
Fone: (11) 5062-3656 – Rua Juvenal Galeno, 295, São Paulo-SP

Avante Roupas Profissionais Ltda
Fone: (11) 256-1184 – Frei Caneca,109, São Paulo-SP

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

 

Categorias
Ideias de negócios

Como iniciar um serviço de Limpeza de Janelas

Ganhe muito dinheiro com recuperação de fachadas de construções, saiba como como iniciar um serviço de Limpeza de Janelas com pouco dinheiro e sem cometer erros. Aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Tratamento de fachadas e limpeza de Janelas

Ficha Técnica
Setor: Serviços.
Tipo de Negócio: Recuperação de fachadas de construções.
Espaço Físico: 100 m².
Investimento Inicial: R$ 80 e R$ 200 mil.

Com expansão anual de 20%, o setor de reforma de fachadas ainda reserva boas oportunidades de investimento em cidades verticalizadas. O ramo imobiliário não tem sentido muito os sobressaltos da economia. Pelo contrário. Conforme levantamento da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), o número de empreendimentos residenciais lançados no primeiro semestre deste ano na Grande São Paulo foi a cima do esperado. Tamanha evolução, além de confirmar o bom momento vivido pela construção civil, ajuda a explicar também a expansão registrada nos últimos anos no segmento de limpeza e tratamento de fachadas de edifícios.

Tratamento de fachadas – O mercado

Embora um prédio passe a ser alvo desse tipo de serviço só após dois anos de ocupação, o aquecimento no setor de imóveis significa garantia de demanda futura. A procura por conservação de fachadas também vem sendo estimulada pelos efeitos da poluição e ainda pela verticalização das cidades. Estimativas de empresários da área indicam crescimento médio anual de 20% na demanda do serviço que, operacionalmente, é até bastante simples.

O interessado deve pesquisar prioritariamente cidades verticalizadas e onde o clima favoreça a deterioração dos prédios. Em geral, além da poluição, a maresia de regiões litorâneas contribui para acelerar o desgaste das construções.

Tratamento de fachadas – O Empreendedor

Animados pelo bom desempenho, empreendedores dos ramos de pintura, engenharia e construção avançam com apetite sobre a atividade. Eles são os mais bem-sucedidos, embora empresas da área de limpeza também explorem o filão.

Tratamento de fachadas – Avaliando oportunidades

A Front Engenharia atribui parte de seu sucesso ao cuidado com que a empresa trata cada cliente. Eles chegam ao requinte de retirar amostras da fachada para análise antes de fazer o orçamento. De acordo com o empresário carioca, o desgaste encontrado em cada prédio depende do seu revestimento e também da sua localização. Os edifícios situados perto do mar ou de regiões com grande fluxo de veículos precisam de reparos a cada cinco anos no máximo, em razão da poluição e da maresia.

Tratamento de fachadas – Espaço Físico

A rigor, basta ter uma área de cerca de 100 m2 para guardar os equipamentos, pois os materiais, em geral, são enviados diretamente para o local das obras

Tratamento de fachadas – Investimento inicial

Variará entre R$ 80 e R$ 200 mil.

Tratamento de fachadas – Equipamentos

Segundo o empresário, também é fundamental reinvestir sempre em equipamentos modernos para realizar cada vez mais serviços no mesmo espaço de tempo. Os equipamentos básicos para iniciar atividades são: cadeiras suspensas automáticas, máquinas de lavar de alta pressão, equipamentos de segurança, computadores e periféricos, ferramentas diversas, andaimes mecânicos e elétricos, lixadeiras, máquina de cortar mármore, furadeiras industriais, pranchetas de desenho.

Tratamento de fachadas – Capital de Giro

Para não correr esse risco, é fundamental ter capital de giro para financiar a obra e não depender do pagamento do cliente, acrescenta José Almeida, proprietário da Roma Pinturas, de São Paulo. Ele calcula ser necessário um capital de giro entre 60 mil e 80 mil reais .

Tratamento de fachadas – Faturamento

O caso da empresa de Giovanni Santacroce pode servir como exemplo. Com 8 pintores fixos e 30 autônomos ele fatura uma média de R$ 400 mil/ mês.

Tratamento de fachadas -Receita Operacional Mensal

Variando entre R$ 45 mil e R$ 100 mil.

Tratamento de fachadas – Pessoal

Nada impede, no entanto, que qualquer pessoa ingresse no ramo, desde que se cerque de profissionais preparados ou tenha um sócio com experiência em construção. A Roma, empresa do ramo, se vale da contratação de autônomos para apressar a conclusão de suas obras. Há épocas em que coloca em ação 120 homens simultaneamente. E quando a fachada requer reformas, cuja realização interferirá na estrutura do prédio, Almeida recorre ao auxílio de um engenheiro civil, já que ele não possui formação acadêmica na área.

Profissionais bem pagos e preparados refletem também, segundo Almeida, na redução de custos. Quando a equipe é orientada para o uso correto dos produtos de limpeza e tintas evita-se desperdícios e problemas de saúde. Alguns fabricantes ajudam nessa conscientização elaborando folhetos explicativos e até oferecendo cursos e treinamentos específicos para a atividade. É o caso da Advanced Technologies, situada no Rio de Janeiro, que vende produtos importados para limpeza de superfícies porosas e retirada de pichações.

Tratamento de fachadas – Segurança

A questão mais preocupante no segmento diz respeito à segurança dos funcionários. Por isso é imprescindível o empreendedor investir em treinamento, equipamentos e acessórios modernos que garantam a boa execução do serviço com o máximo de segurança aos operários.

O secretário da Associação Nacional da Indústria de Materiais de Segurança e Proteção ao Trabalho (Animaseg), Raul Casanova, recomenda aos interessados no segmento procurarem entidades ligadas à segurança para conhecer as normas específicas da construção civil.

No que toca a segurança do empregado, é aconselhável saber da prefeitura local se, no caso de a fachada ficar ao lado da calçada, se há necessidade de proteção ou isolamento da área durante a execução do serviço, para evitar acidentes com terceiros.

Tratamento de Fachadas – Cuidados

Os cinco básicos para operar um serviço de tratamento de fachadas são:

Tratamento de Fachadas -Cadeiras Suspensas

Devem estar suportadas por cabos de aço fixados num ponto seguro no alto do prédio;.

Tratamento de Fachadas – Cinto de Segurança

O operário deve usar um cinto de segurança especial com dispositivo trava-queda preso a uma segunda corda fixada também no topo do edifício;

Tratamento de Fachadas – Outros Equipamentos de Segurança

Os funcionários precisam trabalhar com óculos, botas e máscara, além de capacete do tipo que se prende à cabeça;

Tratamento de Fachadas – Exames Médicos

É aconselhável a realização de exames médicos a cada seis meses em toda a equipe que atua na parte operacional;

Tratamento de Fachadas – Terceiros

Tome cuidado com a terceirização, pois a responsabilidade sobre os funcionários de empreiteiras é da firma contratante.

Tratamento de Fachadas – Fornecedores

A Advanced é uma das poucas fornecedoras de insumos específicos para limpeza de fachadas no país. Mas isso não significa dificuldade para quem quer iniciar no ramo, pois há a alternativa de o próprio empreendedor desenvolver o material necessário.

Tratamento de Fachadas – Alternativa

Muitas firmas, como a Roma Pinturas e a Tecnopintura, contam com profissionais da área química para o desenvolvimento de novas técnicas de limpeza ou conservação e até mesmo novos produtos. A tática permite à empresa atualizar –se rapidamente em relação aos mais recentes materiais utilizados na construção dos prédios.

Sempre atento às novidades do mercado, a Front Engenharia vai ampliando os serviços oferecidos de acordo com a oportunidade. Esse caminho, aliás, é trilhado também por outras empresas, como a Tecnopintura.

Nos últimos anos, ela começou a receber encomendas de pinturas artísticas em edifícios e viadutos antigos. O sucesso no novo nicho, porém, não fez com que a empresa se acomodasse. Estamos pensando em investir em recuperação de janelas de alumínio e impermeabilização de pisos , anuncia Giovanni Santacroce, que com seus oito pintores fixos e movimentando outros 30 autônomos, prevê um faturamento de R$ 400 mil para este ano. A trajetória da Tecnopintura mostra que as oportunidades estão longe de se esgotar no setor de serviços de tratamento de fachadas.

Tratamento de Fachadas – Inovações

Sempre há novidades que facilitam o trabalho. A Mason & Mason Máquinas Especiais, de São Paulo, por exemplo, criou um equipamento capaz de funcionar bem usando palha de arroz, milho moído e areia como abrasivos, misturados com água.

Tratamento de Fachadas – Contrato

O contrato entre a empresa e o cliente precisa ser muito claro e específico , alerta Reinaldo Miguel Messias, consultor do Sebrae paulista. A Tecnopintura Revestimento e Pinturas, de São Paulo, criou até um detalhado contrato para tornar transparente o relacionamento com o consumidor.

O documento enumera e descreve os serviços a serem realizados, as áreas abrangidas e os prazos acordados, além do preço. Ele é previamente assinado por ambas as partes. Com isso, o cliente acompanha com mais segurança cada etapa da obra , afirma Paulo Ramalho, que dirige a empresa ao lado de Giovanni Santacroce.

Tratamento de Fachadas – Pagamento

O fato de lidar com público de prédios residenciais, exige flexibilidade nas formas de pagamento, para facilitar o rateio entre condôminos. Mas nada de baixar o preço demais só para pegar mais reformas. A prática invariavelmente resulta em falências.

Tratamento de Fachadas – Propaganda

Antes de iniciar a empreitada, eles fotografam o prédio. Isso ajuda na definição do orçamento. No final, é feita outra foto, que, junto com a primeira, é incluída no portfólio da empresa. Utilizado como ferramenta de divulgação, esse material funciona como propaganda e marketing na captação de mais clientela. Mas os empresários do setor reconhecem que não se pode abrir mão de anunciar em jornais dirigidos a síndicos, pois a maioria dos serviços é feita em prédios residenciais.

Para os proprietários da construtora Parma, alcançar patamar de expansão semelhante ao de sua empresa é necessário conquistar a confiança do consumidor. Os moradores dos prédios preferem empresas indicadas por amigos pois não querem gente estranha no condomínio , afirma Lúcio Barbosa, dono da Front Engenharia, do Rio de Janeiro. Barbosa afirma que 80% dos contratos que fecha vêm do boca a boca. Os outros 20% resultam de anúncios convencionais e dos folhetos distribuídos em edifícios com necessidade aparente de reforma.

Tratamento de Fachadas – Casos de Sucesso

ROMA. O proprietário da Roma, José Almeida, começou no ramo como ajudante de pintor, passou a pintor e abriu a Roma em 1990. A experiência e o tino empreendedor foram suficientes para erguer seu negócio e até para construir conceitos próprios de qualidade. Durante a realização do serviço, a imagem da empresa são os empregados. Por isso, é fundamental orientar o pessoal quanto ao comportamento ideal , pondera ele, defendendo a importância de um bom relacionamento com os funcionários. No seu caso, isso começa pelo pagamento de comissões.

CONSTRUTORA PARMA. Seja com produtos químicos ou técnicas alternativas, demanda não falta no ramo de tratamento de fachadas, na opinião de José Gilberto Prates, sócio na Construtora Parma, de Belo Horizonte (MG). Quando ele e o amigo Luís Otávio Farias fundaram a empresa em 1991 começaram atendendo a duas obras por ano. Hoje realizam em média 25, sendo 90% reformas de fachadas. A estrutura da empresa acompanhou o crescimento. Atualmente são 60 empregados, cinco telefones e oito veículos.

Endereços na Internet:

http://www.ielgo.com.br

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.
Categorias
Ideias de negócios

Como montar um Brechó

Ganhe muito dinheiro vendendo produtos usados, saiba como montar um Brechó com pouco dinheiro e sem cometer erros, aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

FICHA TÉCNICA
Setor da Economia: Terciário.
Ramo de atividade: Comércio.
Tipo de Negócios: Venda de produtos usados.
Área Mínima: em torno de 50 m2.

Brechó

Roupas que ficaram apertadas, móveis grandes que não cabem no apartamento, bicicletas aposentadas por falta de lugar onde pedalar. Tudo isso tem solução. Casos como esses, em que produtos que ainda não ficaram velhos mas já não têm utilidade, abastecem um filão tão antigo quanto rentável: o comércio de objetos usados. Para o consumidor é uma economia e tanto. Brechós e sebos, entre outras lojas especializadas, vendem tudo de segunda mão por preço bem mais baixo que o de um similar novo. E elas atacam em diversas frentes. Brechós são uma nova forma de comercializar roupas usadas semi-novas. Basta dispor de tempo e paciência para selecionar as melhores peças que irão compor o estoque de sua loja.

Principal produto

Roupas sofisticadas são as principais peças disponíveis nesses estabelecimentos, considerando que pessoas com alto poder aquisitivo, geralmente não usam uma roupa de festa mais de uma vez e muitas vezes as “aposentam” no fundo do armário. A solução para se “livrar” dessas peças é procurar um brechó para vendê-la ou trocá-la. Por outro lado quem compra num brechó está adquirindo produtos de qualidade a preços bem mais acessíveis.

Apenas é necessário que dedique algumas horas de busca, pesquisa e experimentos. Com o endereço certo e muita paciência, ensina a consultora de moda Gloria Kalil, dá para compor um visual muito moderno com roupas e acessórios usados. Embora não faltem pechinchas, produtos de griffes badaladas tendem a custar mais caro.

Cenário

Há dez anos, marinheiros de primeira viagem ficavam desnorteados ao deparar com uma montanha de artigos diferentes embolados em prateleiras ou misturados em araras apertadíssimas. Se encontrar um modelo bonito era difícil, achar a numeração adequada parecia impossível. Esse panorama mudou muito – para melhor. As lojas estão mais organizadas. Muitas se especializaram em roupas de época e boa parte preferiu apostar em peças atuais de etiquetas conhecidas, com no máximo três anos de vitrine.
Atualmente os brechós ainda enfrentam resistência por parte dos consumidores. Comportamento que é reflexo da nossa cultura, porque nos Estados Unidos e Europa, por exemplo, essas lojas já existem há anos e são muito bem aceitas. Tudo porque economizar faz parte da cultura dos norte-americanos e europeus, ao contrário do brasileiro que se sente envergonhado ao procurar uma pechincha. Há quem prefira segmentar a oferta de produtos e opte por roupas e acessórios. Nesse caso, é melhor saber que entrar em um brechó já foi considerado uma aventura.

Equipamentos e estrutura

. balcão de atendimento,
. prateleiras,
. cabides,
. araras,
. manequins,
. bancadas,
. estantes,
. cadeiras,
. computador, fax e telefone, máquina de calcular,
. provadores com espelho.

Área física

A loja deve ser instalada em um ponto comercial que seja fácil acesso e com boas condições de estacionamento. Na loja as mercadorias deverão estar expostas de maneira atraente, permitindo a fácil localização. A área contará ainda com recepção, provadores e banheiro.

Mão de obra

O empreendedor deverá estar sempre a frente do negócio, principalmente na parte administrativa/financeira, e dependendo do porte do empreendimento poderá começar com 2 vendedores.

Perfil do cliente

Quem procura esse tipo de comércio está preparado para gastar tempo vasculhando as prateleiras e estantes. Ele sabe também que o comércio de usados trabalha quase sempre com peças únicas e, portanto, ninguém tem estoque. Mas uma coisa é certa: Seja pelo preço baixo ou pela garimpagem de preciosidades, eles estão satisfeitos.

Especializando-se

Um brechó tem a opção de se especializar num determinado segmento de mercado: roupas sofisticadas, “fashion”, exóticos, produtos de época, antiguidades, grifes internacionais, multi-marcas, sapatos, eletrodomésticos/eletrônicos, livros, presentes em geral, informática, etc. A grande novidade são as casas que só vendem estilos esportivos ou algum outro específico. No entanto, a variedade de produtos oferecidos fica a critério do proprietário, uma vez que é possível comercializar num mesmo espaço desde as peças básicas ou sofisticadas do vestuário até sapatos e acessórios como bolsas, cintos, bijuterias, chapéus, etc. Defina a que área você pretende dedicar-se e boa sorte.

Diferenciando o produto

Brechós têm ainda a possibilidade de oferecer um serviço a mais que é a entrega em domicílio. Muitos empresários fazem isso com seus principais clientes. É uma estratégia moderna e eficaz de venda que muitas vezes vem até como uma alternativa de se contornar o preconceito e a resistência existente.

Fornecedores

Conquistar fornecedores é tão simples quanto conquistar clientes. Basta vender a boa imagem e as vantagens de um brechó. Uma vez adepto, os fornecedores assim como os clientes sempre voltam. Uma outra opção é fazer esporadicamente viagem ao exterior e trazer peças adquiridas em lojas de roupas usadas. A negociação de preços e lucros entre empresário e fornecedor varia conforme o estado da roupa. Geralmente o empresário fica com a peça em sistema de consignação e o lucro da venda gira em torno de 50% para cada um. O serviço em domicílio pode ser oferecido também aos seus fornecedores. Assim irá poupá-los do incômodo de sair de casa carregando uma mala de produtos que nem sempre terão 100% de aceitação por parte do proprietário da loja.

Propaganda

Manter uma boa rede de relacionamento, estimulando a propaganda boca a boca, ainda é a estratégia mais vantajosa e eficaz.

Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
– Registro na Junta Comercial;
– Registro na Secretaria da Receita Federal;
– Registro na Secretaria da Fazenda;
– Registro na Prefeitura do Município;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar a sua Loja de Brechó para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização), e também o Alvará de Funcionamento.
Anexos

Empresas do ramo

Como Montar Um Brechó‎: http://www.wow.com
Sebrae Idéias: Sebrae

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

 

Categorias
Ideias de negócios

Como montar Serviço de Refeição

Ganhe muito dinheiro com Refeição, saiba como montar Serviço de Refeição com pouco dinheiro e sem cometer erros. Aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Serviço de refeição em domicílio

Ficha Técnica
Setor: Serviço (terciário).
Tipo de Negócio: Serviço de refeição em domicílio.
Investimento mínimo: R$ 2 mil (ingredientes, panelas e utensílios de mesa)
Faturamento mensal inicial: R$ 3 mil
Situação do mercado: em ascensão.

Nós já temos a fama. Agora é só colocar a mesa, já que nossas habilidades culinárias encantam qualquer paladar. Confirma essa observação o fato do Brasil (através da cidade de São Paulo) ter sido agraciado – em 1997, no Congresso Internacional de Hospedagem, Gastronomia e Turismo – com o título de capital mundial da gastronomia.

Junte a isso tudo o fato de que agora, a gastronomia aparece como a grande cartada para atrair turistas. Assim, os bons paladares agradecem e os refeiçãoiros de plantão comemoram.

Refeição em domicílio – Cenário

Nos últimos cinco anos, o segmento de serviços de alimentação, cresceu no Brasil. O faturamento total das empresas do ramo chegou a mais de R$ 10,2 bilhões, segundo estatísticas da Associação Brasileira da Indústria da Alimentação (Abia). Não é à toa que alimentação é o primeiro ramo cogitado por grande parte daqueles que pensam em empreender. Além de ser um serviço básico – com boa imunidade a crises econômicas e demanda permanente -, o ramo oferece as mais variadas possibilidades de atuação.

Refeição em domicílio – Tendência

Seguindo uma das tendências do milênio, as refeições em domicílio – verdadeiras “Festas de Babete”, são apontados como atividades de grande fôlego nos próximos anos.

Refeição em domicílio – Características

De modo geral, os serviços de refeição em domicílio adotam práticas semelhantes no que diz respeito a antecedência exigida para contratação de seus serviços, ao exclusivo atendimento em domicílio e aos produtos incluídos no preço.

Refeição em domicílio – O que está incluído

Os preços cobrados incluem garçons, cozinheiras e ajudantes de cozinha, talheres, pratos e copos.

Refeição em domicílio – Jantar Padão

Geralmente, um jantar padrão inclui coquetel, duas saladas, peixe, ave ou carne, guarnições, sobremesa, sorvete, frutas, café e chocolate.

Refeição em domicílio – Preços

Os PREÇOS cobrados variam entre R$ 30 e R$ 128 por pessoa e dependem do número de convidados por jantar. Em alguns desses bufês, quando o número de convidados não alcança o mínimo estabelecido, cobra-se um valor fixo pelo serviço. Num deles, cujo número mínimo de convidados a servir é de 50 pessoas (com o número mínimo, o preço fica em R$ 65/ pessoa), esse valor fixo ficou estabelecido em R$ 3 mil.

Refeição em domicílio – Número mínimo de pessoas

O número mínimo de pessoas para atendimento do pedido varia entre 30 e 100 pessoas.

Refeição em domicílio – Antecedência

Todos os bufês exigem certa antecedência na contratação dos serviços. A variação desses prazos oscila entre 10 dias e 01 mês.

Refeição em domicílio – Inovações

Alguns bufês inovam e invadem também a decoração da casa do cliente. É o caso dos serviços prestados pela refeiçãoira Neka Menna Barreto, que leva junto com os quitutes toda a atmosfera que inspirou seu preparo. Seus eventos costumam ter sanduíches pendurados pelo salão, sucos de frutas em vez de refrigerantes, águas aromatizadas e essências espalhadas pelo ar.

Refeição em domicílio – Cardápios

Os refeiçãoiros viajam pelos fogões de vários países e a inspiração também pode vir de restaurantes nacionais. Os temas para as refeições servidos são variados. São receitas dos restaurantes Fasano, Gero e Parigi; refeições mediterrâneas e do Sudeste Asiático; pratos franceses incrementados com ingredientes brasileiros e italianos; culinária internacional com sabores das cozinhas mexicana e tailandesa; cozinha italiana, francesa, oriental; cozinha brasileira; cozinha indiana (tem até arroz indiano servido com pó de ouro); culinária internacional ou judaica.

Foi seguindo esse rastro que Roman Matz e Benedita Ricardo de Oliveira apostaram. Ele na cozinha vietnamita e ela na cozinha francesa. Veja a história de cada um:

1. Refeições Chinesas

As refeições de Roman Matz já foram hobby e ganha-pão. Agora são um bom negócio. Aos 52 anos, o veterano de guerra Roman Matz, afinal, conseguiu transformar um velho prazer em negócio rentável – preparar refeições com pratos exóticos da culinária oriental e oferecê-los em sua própria casa. Nascido na Alemanha e criado em Nova York desde os três anos de idade, Matz viveu maus pedaços, combatendo no Vietnã, em 1968. Mas também foi lá que aperfeiçoou seus dotes de gourmet.

Ele trocava com os vietnamitas os enlatados do exército norte-americano por peixes, verduras e temperos frescos, e cozinhava no capacete receitas aprendidas em restaurantes de Saigon. Depois do Vietnã, o cozinheiro correu mundo e veio parar no Brasil em 1973. No final dos anos 80, para relaxar, Matz começou a preparar jantares com pratos orientais e italianos para grupos de amigos. No início, o anfitrião pagava sozinho esses festivais gastronômicos. Mas o alto custo dos ingredientes importados e a perda do emprego, em 1990, fez com que ele passasse a ratear as despesas entre os convidados.
COMO COMEÇOU. A história dos “refeições em casa” começou mesmo no ano passado. Com um fogão semi-industrial, algumas panelas para cozimento a vapor e um empréstimo de US$ 2 mil , Matz refez seu arsenal culinário e transformou em negócio o velho hobby de organizar refeições em casa.

PRIMEIROS CLIENTES. Os primeiros clientes foram os amigos de sempre, que iam trazendo outras pessoas.

NÚMEROS. Hoje, praticamente sem concorrentes, o cozinheiro realiza quatro jantares por mês com um FATURAMENTO bruto de R$ 3 mil e uma margem de LUCRO líquida de 30%. Ele espera chegar, em breve, a fazer oito refeições mensais. Matz recebe grupos de 12 a 18 convivas, que sua mulher, Fernanda, recepciona vestida a caráter.

PREÇOS. Cada cliente paga R$ 50, e leva sua própria bebida.

COMO FUNCIONA. Vestida a caráter, Fernanda, mulher de Matz, recepciona os convidados que escolhem a música que querem ouvir, brincam com o cachorro no jardim e conversam à vontade. Os clientes só não escolhem o que vão comer. O cardápio de 23 pratos, preparado por Matz e Fernanda, inclui quitutes vietnamitas, tailandeses e coreanos e é sempre uma surpresa para os convidados , mesmo porque a maior parte das receitas é desconhecida até para velhos adeptos da cozinha chinesa.

CARDÁPIO. Quem não se aventura numa salada de medusa (água-viva) dessalgada durante três dias, certamente será tentado pelos gengibres agridoces, ovos de codorna curtidos no chá, frangos curados no vinho chinês, hargow (massa transparente recheada com camarão), lombos ao molho de mostarda e filés com mangas ao molho de ostras.

DIVERSIFICANDO. Agora, o casal criou a Matzfood, marca de congelados de comida italiana ou oriental. Só de massas, são 15 pratos diferentes, para o cliente continuar a festa em sua própria casa.

2. Buffet & Eventos Benê

Benedita Ricardo de Oliveira fez o curso primário no Mobral e só deixou São José do Mato Dentro, o lugarejo mineiro onde nasceu, para trabalhar com uma família paulista. Além das noções de cozinha,aprendidas com a avó Eugênia, ela trouxe outros ingredientes importantes à sua carreira: simpatia e muita paciência. Os primeiros incentivos para sua culinária vieram dos bons 18 nos em que trabalhou com uma família alemã. O sonho de subir na vida a fez trocar o emprego por uma vaga na cozinha experimental de uma revista. Demitida, passou a engordar o salário recebido numa cozinha industrial com a preparação de jantares em casas de família. Num deles, oferecido a um ex-presidente da República, Benê ganhou, além de elogios, um convite do então presidente do Senac, para fazer cursos num Hotel-Escola da entidade. Com vários diplomas nas mãos, trabalhou nas cozinhas do bar Spazio Pirandello, de uma empresa exportadora e do Maksoud Plaza.

Hoje, finalista do Nestlé Toque D’Or  (concurso que vai eleger o melhor chefe de cozinha brasileiro e levá-lo à França para disputar o Bocuse D’Or, troféu máximo da culinária mundial), Benê é empresária de sucesso e festejada chef de cozinha. Não foi sempre assim, mas é bom dizer que todo seu talento para superar discriminações foi fundamental para que ela cunhasse todo o requinte da cozinha francesa ao seu trabalho.

COMO COMEÇOU. A tão sonhada independência só veio em 1983. Nessa época Benê registrou-se como autônoma e passou a preparar jantares e refeições para empresas e gente famosa. Três anos depois abriu sua empresa, no pequeno apartamento em Santana, onde mora.

COMO FUNCIONA. Além de organizar eventos, escolhendo pessoalmente espaço, louças, decoração, garçons, comida e bebida, ela também faz congelados, dá aulas, é consultora de revistas e cria receitas inusitadas, como o prato de carrê suíno com o qual conquistou o primeiro lugar no Chef Talento Sadia.

PESSOAL. Benê dá trabalho para 10 garçons, 01 maître e 05 auxiliares de cozinha. Todos como autônomos. No quadro fixo Benê mantém 01 ajudante (secretária). Esse time atua em cada um dos três ou quatro eventos que faz por mês.

INVESTIMENTO INICIAL. Benê começou com R$ 6 mil.

CAPITAL DE GIRO. 1º mês: R$ 5 mil.

FATURAMENTO MENSAL INICIAL: R$ 5 mil a R$ 7 mil.

ESTRUTURA. Material e espaço para realização dos eventos da Benê são alugados. Os equipamentos e insumos solicitados são: computador, impressora, 2 telefones, fax e uniformes (aventais, camisas, calças e camisetas).

NÚMEROS. Com esses custos, sobram líquidos cerca de R$ 4 mil por mês, suficientes para Benê se manter, pagar contas, fundo de previdência privada e fazer novos cursos. Fundada em 1986 e com sede em São Paulo, a Buffet & Eventos Benê tem faturamento anualmente R$ 180 mil. É assim que fica a pergunta: Não deveria ela andar às voltas com a alta gastronomia? Bem, ela está. Só que lutou tanto nos seus 50 anos, que já se acostumou a não recusar trabalho e a administrar com bom humor as atividades em que se envolve para garantir à sua empresa, a Buffet & Eventos Benê, uma receita bruta ao redor de R$ 15 mil mensais.

PLANOS. Seus maiores sonhos? Montar uma escola de cozinha e vencer o Toque D’Or. Só para ter o prazer de mostrar ao mundo a legítima culinária brasileira com requinte francês.

Refeição em domicílio – Curso

Le Cordon Bleu chega ao Brasil. A Universidade Nacional de Brasília lança seu curso de cozinheiro, título universitário de grife, já que estará sendo criado em convênio com a glamourosa Le Cordon Bleu, escola de culinária fundada em 1896, em Paris. O convênio vincula a universidade com a escola francesa. Do acordo participa ainda uma instituição autônoma -o Instituto de Gastronomia do Brasil- que reúne profissionais da área.

Endereços na Internet: Portal na área de alimentação.

http://www.cozinhanet.com.br

http://www2.uol.com.br/veja/especiais/comida/sp/comidas refeiçãoiros.html

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

 

Categorias
Ideias de negócios

Como montar um serviço de Encanador

Ganhe muito dinheiro com serviço de encanamento e hidráulica,  saiba como montar um serviço de Encanador com pouco dinheiro e sem cometer erros. Aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Serviço de encanamento (encanador)

Ficha Técnica
Setor: Serviço
Tipo de Negócio: Serviços de Encanamento.
Investimento: R$ 500
Área: Escritório com 20 m².
Capital de Giro: R$ 4 mil
Faturamento Médio Mensal: R$ 4 mil
N° mínimo de pessoas trabalhando: 3 (o dono, 1 ajudante e 1 secretária)
Risco: Baixo

Pouca gente hoje em dia pensa em se tornar encanador. Simplesmente porque essa profissão não faz parte dos sonhos da maioria das pessoas. Poucas instituições oferecem cursos nessa área como alternativa para o futuro. A informática e as artes, afinal, parecem sempre ser o melhor investimento.

Mas atenção, porque pode estar todo mundo redondamente enganado. Uma experiência inovadora desenvolvida em São Paulo pela Associação Profissionalizante BM&F, entidade criada pela Bolsa de Mercadorias e Futuros, mostra que o futuro pode estar exatamente nessas profissões. É fato que existem ofertas de emprego na área da construção civil e a população reclama da dificuldade para se encontrar um bom encanador.

Serviço de encanamento (encanador) – Mercado

O Mercado exigente e profissional dinâmico. A realidade se impõe e as profissões estão ampliando seu leque de atividades. O encanador não é mais especializado apenas em calhas e esgoto. Hoje, o trabalho inclui instalações de caixa d’água, hidrossanitárias, entre outros serviços. O salário da categoria varia de R$ 1.200 a R$ 3.500.

Serviço de encanamento (encanador) – Cenário

Segundo o coordenador do treinamento, Pedro Chagas, a estabilidade da profissão está despertando interesse feminino. Hoje, pelo menos 10% dos alunos são mulheres.

Serviço de encanamento (encanador) – Formação

Por fazer parte de um mercado forte de empregos – o da construção civil – o encanador precisa estar sempre se atualizando com os avanços do setor. Fazer um curso de segurança no trabalho é requisito básico na profissão.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, SENAI oferece curso sobre o assunto. O PROCOBRE, Instituto Brasileiro do Cobre também está desenvolvendo uma série de cursos rápidos para a formação de encanadores e eletricistas, também em parceria com o Senai. O nome do recém-formado ainda é cadastrado em um banco de dados para que interessados em contratar esse tipo de mão-de-obra tenham como obter referências.

Serviço de encanamento (encanador) – Tipos de Serviços

Desentupimento de pias, tanques, ralos, substituição de tubulações e serviços hidráulicos em geral. Azulejos quebrados precisam ser repostos e o cômodo onde o trabalho foi realizado deve ser entregue limpo. Segundo José Bezerra Torres, da Hidroelétrica Torres, uma boa assistência é a alma do negócio. Assim, caso um conserto volte a apresentar problema a curto prazo, o profissional deve retornar à casa do cliente, ainda que fora do horário normal de trabalho.

Serviço de encanamento (encanador) – Preços e Prazos

Tomando como base o lema de que freguês satisfeito sempre retorna, saiba que a prática de preços justos, qualidade e cumprimento de prazos são indispensáveis.

Serviço de encanamento (encanador) – Investimento

Gira em torno de R$ 900 e envolve:

Equipamentos: caixa de ferramentas com grifos, maçarico, talhadeira, marreta e colher de pedreiro.
Instalações: telefone, veículo utilitário e escritório.

Serviço de encanamento (encanador) – Divulgação

Os anúncios nos classificados de listas telefônicas e a distribuição de cartões da empresa para síndicos e zeladores de edifícios são os meios ideais de divulgação, mas é bom lembrar que a propaganda “boca-a-boca” é muito eficiente.

Serviço de encanamento (encanador) – Eventos e Cursos

PROCOBRE. O Procobre – Instituto Brasileiro do Cobre – está oferecendo cursos gratuitos mensalmente em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Os encanadores participarão de palestras, onde receberão informações sobre as propriedades do cobre, além de treinamento sobre métodos de soldagem. Para maiores informações e inscrições:

– São Paulo tel.: (0xx11) 816-6383 – E-mail:adm@procobrebrasil.org
– Rio de Janeiro tel.: (0xx21) 371-9518
– Belo Horizonte tel.: (0xx31) 383-4371
E-mail: fran@fiemg.com.br ou através do site do PROCOBRE

1. ENTIDADES RELACIONADAS

PROCOBRE – Instituto Brasileiro do Cobre
Av. Brig.Faria Lima, 2128/7º andar/sl.701-CEP:01451-903
São Paulo/SP – Fone:(0XX11)3816-6383
E-mail de contato: unicobre@procobrebrasil.org

Endereços na Internet:

Site do PROCOBRE – Instituto Brasileiro do Cobre
http://www.procobrebrasil.org

Orçamentos On-line

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.
Categorias
Ideias de negócios

Saiba como ter sucesso na Atividade Comercial

Saiba como ter sucesso na atividade comercial com pouco dinheiro e sem cometer erros. Aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Requisitos essenciais para que um negócio tenha sucesso

1º. OBJETIVO DE UMA EMPRESA

Na fundação de uma empresa se coloca em jogo as esperanças, as ambições de seus organizadores e, na maioria dos casos, um capital ganhado com muito trabalho, juntado após anos de esforços e economia.

Apesar disto, a fundação de novas empresas resultam muitas vezes em fracassos econômicos. Umas fracassam totalmente. outras produzem perdas em alguns setores isolados, que , não sendo grandes, mesmo assim comprometem o bom andamento do estabelecimento comercial. Grande parte destas perdas poderiam se evitadas porque são derivadas da falta de conhecimento para organizar e dirigir a empresa.

O principal em uma nova empresa, é , em geral o seu produto, que pode ser um artigo útil e excelente, muito procurado, mas que mesmo assim, ,para que um negócio seja próspero, não basta apenas ter um produto que seja sucesso de vendas. E necessário, para se obter êxito, produzir o MELHOR produto possível, ao menor preço de venda final, para que esteja ao alcance do maior número de pessoas possível a um preço que assegure uma margem de lucro razoável.

2º REQUISITOS PARA O ÊXITO DE UM NEGÓCIO

É relativamente fácil implantar um negócio próprio, porém para que este tenha longa vida e prospere, se requer um conhecimento básico dos princípios de comércio e habilidade para interpretar este conhecimento, adaptando-se às particularidades do tipo de negócio que você escolheu.

Não existe um tipo de negócio igual a outro, cada um tem suas particularidades e circunstâncias, porém, todos necessitam certos requisitos essenciais para seu êxito pleno, que são:

a) Produto ou serviço “vendável” , que esteja em demanda

b) Capital suficiente

c) Organização adequada

d) Funcionários competentes

e) Normas de funcionamento adequadas e bem definidas

f) Localização comercial estrategicamente situada.

g) Espaço de venda de forma equacionada e adequada

h) Escolha correta de fornecedores de matéria-prima

i) Política de manutenção de clientes definida.

j) Distribuição eficiente e econômica do produto.

k) Sistema de contabilidade adequado.

A seguir relataremos um a um os requisitos citados acima para uma melhor compreensão

A) Produto ou serviço “vendável”

O primeiro requisito essencial para que um negócio tenha êxito e que venda ou fabrique um produto ou serviço útil. Além de utilidade. o artigo ou serviço produzido tem que possuir outros atributos, como qualidade superior, maior eficiência ou baixo custo. Alguma ou várias de suas características devem fazê-lo sobressair-se entre os produtos e serviços da concorrência.

O fito de lançar um produto novo ou revolucionário. que não tenha concorrência no mercado constitui-se em uma vantagem considerável. Se além disso, a empresa conseguir alguma proteção por meio de palestras ou fórmulas secretas de fabricação, será privilegiada por uma posição invejável no mercado, porque o monopólio criado lhe permitira fizer um mercado abrangente e o mérito de ser o pioneiro. Competir com uma empresa que ocupe uma posição semelhante exige um esforço considerável e, por conseqüência, um investimento muito grande de dinheiro.

Deve fizer um estudo minucioso do produto e de sua fabricação para poder descobrir todas suas possíveis deficiências e corrigi-las na medida do possível. Deverá se esforçar para conseguir uma maior perfeição no projeto, em primeiro lugar, para que o produto atinja o máximo possível no atendimento das necessidades do público consumidor e, em segundo lugar para que o processo de fabricação possa ser executado com facilidade e economia.

Para alcançar estes objetivos. os encarregados do projeto devem procurar a ajuda de pessoas experientes no ramo que possam dar orientação e sugestões e também de pessoas experientes em marketing e técnicas de vendas, que poderão dar sugestões baseadas nas expectativas do público consumidor do produto. Com um plano completo assim, poderá manter o produto em dia e estar preparado para as mudanças constantes do interesse dos consumidores.

Se uma empresa quer manter-se numa posição favorável no mercado, provavelmente terá que lançar periodicamente novos produtos ou fizer alterações consideráveis nos produtos já existentes, acompanhando o avanço da tecnologia ou as tendências de mercado. Em todo caso deve-se tomar medidas adequadas e ter tempo adequado para produzir e testar o novo produto antes de levar ao mercado consumidor, para ter segurança de que será aprovado e de que não poderá depreciar os outros que sua empresa já colocou no mercado, afinal a manutenção de uma marca também se toma um dos fatores primordiais em uma administração moderna. Uma reputação de bons produtos e bons serviços são uma poente garantia de uma empresa se manter pôr muitos e muitos anos.

Se seu negócio se baseia na prestação de serviços, o êxito pode dever-se ao fato de oferecer um serviço melhor do que os concorrentes, ou mesmo um preço inferior, ou ainda, se o elemento tempo for importante, um serviço mais rápido que o concorrente.

A pessoa que pensa em fundar uma empresa deve estudar as oportunidades que oferece sua cidade ou da comunidade que deseja estabelecer seu negócio, estudar as empresas Já estabelecidas e obter respostas às seguintes perguntas:

a) Os estabelecimentos atuais obtêm boa margem de lucro?

b) Porquê não satisfazem os serviços ou os preços dos concorrentes?

c) Há um potencial de mercado suficiente para a entrada de uma nova empresa?

d) Que serviço extraordinário ou nova característica você poderá oferecer para que obtenha a quantidade suficiente de serviços/vendas que assegurem o funcionamento do negócio de forma satisfatória?

e) “A procura é permanente” A procura por certos tipos de serviços pode ser apenas por temporadas e você deverá informar-se das peculiaridades do mercado em que pretende instalar-se.

Existe também o paradoxo de que alguns estabelecimentos atuais estarem obtendo ótimas margens de lucros e isto servir de ” isca“, ou seja, atrair concorrência.

A questão em dúvida e Qual a relação entre a procura do serviço em questão e a capacidade de produção existente? Se a concorrência aumenta rapidamente, existe o perigo de que se crie um excesso da capacidade de produção e desapareçam os consumidores.

Os maiores lucros se obtêm nos negócios em que o consumo é grande em comparação com a capacidade existente de produzir este produto necessário para prestar o serviço solicitado. Aqui fica a observação de somente investir em um segmento que esteja em franco desenvolvimento, e não em decadência.

B) Capital suficiente

Cada passo na criação e desenvolvimento de uma empresa cada operação de fabricação, cada atividade exige um desembolso de capital de uma ou de outra forma A grande maioria das pessoas subestimam a quantidade de capital necessária para montar um negocio sobre uma base lucrativa. Esta incapacidade de avaliação exata do capital tem sido uma fonte constante de fracassos comerciais.

Para iniciar uma empresa deve-se dispor de capital suficiente para conseguir os maquinários, matérias-primas, imóveis, projetar a organização, dar suporte suficiente para os primeiros meses de atividade e mantê-lo em marcha até que o negócio possa manter-se por si mesmo. E neste último ponto onde se produzem os maiores erros de cálculos que mais cedo ou mais tarde fazem com que a empresa tropece em graves dificuldades financeiras.

Algumas empresas obtêm lucros desde o primeiro dia, algumas outras necessitam de um período de vários meses, ou até anos, para que os rendimentos sejam superiores às despesas.

Ao calcular o capital necessário deve-se ter em conta todas estas eventualidades. Depois que o negócio começa a dar retomo financeiro (lucro), é conveniente manter normas rígidas de retiradas e de reinvestimento do lucro obtido.

A grande maioria das empresas de porte no mundo são negócios com crescimento lento, no qual a administração foi prudente o bastante para reinvestir os lucros obtidos no próprio negocio até que este esteja em sólida e boa situação financeira.

C) Organização adequada

O terceiro requisito essencial que uma empresa deve levar em consideração para que tenha êxito e uma organização adequada. Ainda que sua empresa seja uma firma individual e não tenha que prestar contas a sócios e investidores, é necessário uma perfeita organização para que possa saber se os negócios estão tendo um bem desenvolvimento, se a atividade está sendo lucrativa e compensadora.

A quantidade de dinheiro que movimenta, a divisão de lucros, a responsabilidade dos proprietários e a autoridade da direção são alguns dos aspectos vitais da empresa que dependem da firma de organização. Algumas empresas devem ter êxito ao rigor com que é administrada por seus proprietários, que vigiam todos os movimentos e exercem um controle absoluto.

Contudo, a sociedade entre pessoas torna-se obrigatório uma forma de organização perfeita e adaptada a situação. A divisão de tarefas devem ser rigorosas para que cada sócio mantenha sua autoridade em seu setor, formando o conjunto uma massa homogênea, sem discordância na forma administrativa.

Além de solucionar problemas referentes a participação de sócios em uma empresa, uma administração organizada e eficiente resulta num eficiente emprego do capital obtido e numa produção e distribuição adequada e a custos mais baixos.

D) Funcionários competentes

A empresa bem dirigida tem, invariavelmente, a reputação de tratar bem aos seus trabalhadores. A empresa em que ocorrem, com freqüência, problemas com funcionários, como por exemplo, greves, agitações, e aquela que, por não dar condições dignas de trabalho aos funcionários prepara ela mesmo terreno fértil a estes tipos de problemas.

Os métodos de relação Patrão / Funcionário, autoritários ou violentos pertencem a um passado e foram totalmente abolidos na administração moderna.

O funcionário exige uma remuneração eqüitativa pelo trabalho que realiza, estabilidade em seu emprego, oportunidade de ascensão a melhores cargos, segurança de ser bem tratado em todas as ocasiões, boas condições de trabalho e um bom patrão ou chefe que o oriente. A empresa que reconhece a justiça das reivindicações de seus funcionários, quando estas são justas e se esforça por satisfazê-las, está preparando caminho para ter uma equipe de pessoal contente e leal.

O patrão moderno não contrata apenas um “empregado”, mas sim um colaborador especializado que lhe proporcionará maior lucro na medida em que for melhor tratado. A idéia atual é adaptar o homem ao trabalho. Um bom teste de qualificação quando da ocasião de contratar um funcionário, aliado a um treinamento adequado as suas instalações, permitirão a contratação de pessoal qualificado e a manutenção de uma equipe eficiente.

O trabalhador se beneficiara porque teria mais êxito em um trabalho para o Qual está apto, se interessará mais, e isto resultara em eficiência produtiva.

As boas relações com funcionários se baseiam em normas definidas, eqüitativas e justas para o patrão e empregado. Os problemas que se apresentarem a partir de então, serão facilmente resolvidos de forma concreta e imparcial.

E) Normas de funcionamento adequadas e definidas

As normas fixem os objetivos da empresa. São regras estabelecidas que servem de guia a direção e aos funcionários. Um negócio próspero se caracteriza por normas bem definidas e que estejam de acordo com os princípios comerciais e dos quais não se afastem. Se as regras comerciais adotadas por sua cidade são tradicionais, deverá de alguma forma adaptar-se a elas e seu produto/ serviço for revolucionário deverá estudar a melhor forma de criar suas regras internas para que estejam próximas daquilo que é prática usual no comercio local, levando em consideração, que os consumidores já estão acostumados com o que já esta implantado.

Se o produto / serviço for novidade absoluta, suas regras serão as que nortearão o comercio, vindo daí uma responsabilidade maior ao estabelecer estas regras.

Antes de definir regras procure discutir com seus sócios, ou em caso de uma empresa individual, procure apresentar suas intenções ás pessoas experientes para que elas possam opinar e assim ter certeza da qualidade de normas de funcionamento. Procure apresentar as normas aos funcionários como a alma da empresa, estabelecendo e definindo exatamente a função de cada um, e não esqueça de definir regras a respeito do relacionamento da empresa com o público.

F) Localização comercial estrategicamente situada

Todas as empresas se dão conta da importância de estarem localizadas em um ponto estratégico. E freqüente a realização de pesquisas preliminares a respeito dos locais para escolher melhor aquele que se adapta ao perfil da empresa. No Brasil as vezes se cobra “direitos de ponto” ou ‘luvas“, como é conhecida a taxa pôr passar adiante o contraio de locação de um excelente ponto comercial E necessário observar vários fatores como, fluxo de pedestres, se este fluxo é constante, se trabalha e mora nas imediações etc.

A proximidade de um concorrente, ao contrário do que pode parecer, e muito favorável, desde que você possa oferecer qualidade e preço a ponto de competir com o seu vizinho.

Os melhores pontos de venda hoje em dia são os Shopping Centers, apesar de seu alto preço de custo de suas lojas. As ruas especializadas, como ocorre nas grandes cidades, onde comerciantes de setores específicos se aglomeram em uma rua ou região, também costumam ter excelentes localizações comerciais, pois quem procura pôr aquele tipo de produto irá naquele local procurar uma loja.

A proximidade á fonte de matérias primas e ao mercado do produto a disponibilidade de mão-de-obra adequada, o abastecimento de energia, a facilidade de financiamento, a disposição de meios de transportes, a possibilidade de adequação das instalações, são fatores que também devem ser levados em consideração.

Para conseguir a localização mais adequada é necessário um estudo minucioso das necessidades da empresa, analisando cada ponto de acordo com sua necessidade. Devera sempre comparar vários imóveis para escolher aquele que mais se adapte ás necessidades da futura empresa. Deve-se levar em conta também que o custo do imóvel deve estar dentro do orçamento geral da empresa e nunca deve ser excessivo. Lembro ainda que uma empresa com endereço mal localizado é meio caminho andado para o fracasso.

G) Espaço de venda de forma equacionada e adequada

A organização do espaço interno de vendas é muito importante porque é a apresentação da empresa e unia empresa visualmente mal arrumada poderá influir negativamente na concretização da venda.

Observe o espaço do imóvel onde instalará a empresa e procure visualizar a melhor forma de instalar os equipamentos necessários. Lembre-se de utilizar móveis e equipamentos funcionais e de baixo custo, mas que ao mesmo tempo sejam visualmente agradáveis. lembre-se também como já foi citado no capitulo anterior, quanto melhor for o ambiente de trabalho, melhor será o rendimento proporcionado por cada funcionário.

H) Escolha correta de fornecedores

Se você revende algum produto. procure cientificar-se do potencial de seu fornecedor, se tem capacidade de atender satisfatoriamente seus pedidos. se em caso de uma venda maior poderá atendê-lo, se há condições eficientes de atendimento, prazos de entrega, formas de pagamento, enfim cientificar-se que tem um parceiro eficiente de negócios, isto mesmo, o fornecedor deve ser tratado como um parceiro no negócio, pois sem os produtos é impossível dar continuidade ao sistema.

Antes de se definir por um fornecedor, veja as vantagens e condições de pagamento, qualidade, sistema de entregas etc. Faca uma análise completa avaliando todos estes fatores e escolha pôr aquele que melhor se adaptar as suas necessidades, levando, inclusive, em consideração que o fato de ter o menor preço não quer dizer que pode ser o melhor fornecedor.

Um fornecedor de ocasião, que ofereça o menor preço, mas que não tenha qualidade no produto ou pontualidade, poderá representar um potencial de problemas no futuro, como pôr exemplo, a interrupção do fornecimento sem qualquer motivo aparente ocasionando, prejuízos irreparáveis.

Com a vigência do novo Código de Defesa do Consumidor o representante, revendedor, ou mesmo a loja ou ponto de venda, também são responsáveis judicialmente pôr aquilo que vendem, sendo importante, cientificar-se se seu fornecedor esta adequadamente ajustado ao novo Código para evitar futuros dissabores.

Se o seu caso é fabricação de produtos e depende de , matéria prima, de fornecedores diversos, observe atentamente o que foi dito acima para manter uma relação equilibrada com seus fornecedores.

I) Política de manutenção de clientes definida

O bom atendimento ao cliente é uma arma que as empresas prósperas utilizam para manter estes clientes fiéis. Um ditado de comerciante diz que, “o cliente que foi bem atendido, que ficou satisfeito volta“.

Um cliente fiel sempre é sinal de lucros maiores, porque ele volta atras de promoções ou de preços baixos de ofertas, que servem mais para a captação de clientes ocasionais A possibilidade de um cliente bem atendido que compra um produto normal, de voltar a comprar naquele estabelecimento é muito grande e há ainda o flito de que os clientes habituais indicar seu estabelecimento aos amigos e companheiros de trabalho, aumentando assim sua clientela habitual e fixa.

A margem de lucro também aumenta com clientela fixa porque não ha muito a necessidade de publicidade de varejo, mas sim de publicidade dirigida, que serve mais ainda para manter este cliente fiel a sua empresa.

Após captar o cliente, mantenha sempre ele informado sobre sua empresa, seja através de recursos como marketing direto, enviando cartas ou folhetos á sua residência, ou ainda através de telemarketing, telefonando sempre para oferecer bons negócios.

Para quem trabalha com vendas no atacado, procure sempre visitar seus potenciais clientes. Mesmo aquelas que em duas ou três visitas não tenham feito compras.

A persistência poderá levar a que ele acredite na qualidade de seus produtos / serviços e realize a compra.

J) Distribuição econômica e eficiente do produto

Freqüentemente se discute a importância relativa entre as fases de produção e venda. Na verdade não há como avaliar, pois cada uma delas faz parte de um circulo completo e o eixo na atividade comercial esta na correta coordenação de ambas as fases.

O dinheiro obtido com a venda dos produtos paga os trabalhos executados na fábrica. Para que haja dinheiro de forma suficiente e continua para pagar os funcionário e manter a produção há a necessidade de vender os produtos. pois do contrário haveria a necessidade de fechar a fábrica. Os trabalhadores que executam o trabalho de produção tem que fabricar um produto de boa qualidade e bem apresentado , e tem que prestar um serviço rápido eficiente, porque os primeiros pedidos de venda são resultados da habilidade do vendedor, os pedidos somente continuarão devido á qualidade do produto e serviço prestado pela empresa.

A distribuição dos produtos com uma margem de lucro adequada é um problema muito mais importante do que geralmente se acredita. Muitos acreditam que a arte de vender consiste apenas em exercer uma pressão sobre o comprador, às vezes com a ajuda de publicidade, mais ou menos inteligente. Estes métodos indesejáveis podem funcionar em alguns casos, porém a empresa que os emprega pode obter pedidos pôr algum tempo, mas não continuamente como seria ideal. um bom chefe de vendas averiguá as possibilidades de vendas por meio de um estudo detalhado do território que pensa trabalhar.

Contrata especialistas que conheçam bem o mercado para identificar as necessidades e os hábitos dos possíveis compradores estudando ainda a maneira de desenvolver novos procedimentos para despertar neste público consumidor o interesse pôr seu produto.

O fator mais importante para o êxito na distribuição é provavelmente uma equipe de vendas eficiente. A criação e manutenção deste pessoal exige a escolha de um tipo adequado de vendedor, sua instrução, a direção de seus esforços e a certeza de sua participação sincera nos esforços de vendas da empresa. Este último item se obtém implantando um método eficaz e remuneração que mantenha constantemente incentivado para trabalhar e para estruturar seu território de vendas, aumentando a quantidade de pedidos e, conseqüentemente, seus ganhos.

Uma pergunta que poucos empresários poderiam responder com exatidão é : Quanto custa vender? Pôr outro lado, qualquer um pode dizer em segundos precisamente, qual o custo de fabricação do produto.

O sistema contábil se toma mais difícil quando se trata de venda, mais do que quando da produção, porem o empresário moderno está se dando conta da necessidade de saber com exatidão qual o custo da venda e admite que a razão de que a margem de lucro não ser exatamente aquela que se esperava, pode ser debitada freqüentemente ao alto custo da distribuição (venda).

K) Sistema de contabilidade adequado

O último requisito que uma empresa deve observar para que tenha êxito, de importância vital, é um sistema de contabilidade adequado.

Ainda que cada empresa tenha um sistema de contas para fixar seus preços de venda, cada uma delas utiliza este sistema com um rigor absoluto e sabe que qualquer erro pode representar prejuízos. Um bom empresário sabe que, quando as circunstâncias não são favoráveis, e isto ocorre com uma certa freqüência em nosso pais, é melhor parar de vender do que continuar as vendas com perdas. Para definir qual o preço final do produto, é necessário realizar cálculos exatos de custo.

Neste volume você encontrará um capitulo que fala de contabilidade e custos, aprendendo assim a estabelecer preços finais. Se os competidores vendem a preços mais baratos que você certamente estará ocorrendo uma das duas coisas: ou a empresa está vendendo a preços inibidos ao custo ou tem um trabalho mais eficiente que sua empresa. No último caso, deverá estudar seus custos, descobrir onde está o erro e procurar se adaptar para diminuir estes custos.

As anotações contábeis somente são úteis quando utilizadas como base de atuação. Como tal, podem ser extremamente valiosas nas mãos do empresário, lhe mostrando o andamento da empresa e a margem de lucro que vem auferindo. Em algumas empresas se produzem disputas entre os chefes de contabilidade e de produção. Ambos têm em mente os mesmos objetivos, que são reduzir os custos e aumentar os ganhos, devem falar a mesma linguagem, ser sinceros, tolerantes e entrar em um esquema de cooperação leal um com o outro. Esta cooperação somente é possível quando cada um compreende perfeitamente os problemas do outro.

O encarregado da contabilidade deve saber algo sobre a produção e sobre as necessidades dos encarregados de dirigi-la, para que sua classificação de contas possa estruturar-se de forma que seja possível proporcionar aos dirigentes de produção, a informação rápida e exata que necessitam.

O dirigente de produção por sua vez, necessita saber algo de contabilidade, não sobre a técnica do contabilista, mas o bastante para lhe explicar suas necessidades e poder interpretar corretamente e utilizar as informações que recebe.

Mesmo as pequenas empresas que o próprio dirigente faz as anotações deve manter anotado, pois somente assim poderá saber com exatidão quanto sua empresa está rendendo e se não há problemas, que não são possíveis de se detectar quando não há informações corretas. Um dos fatores de saúde de uma boa empresa é o controle total e absoluto de seus dados, o que só é possível com anotações precisas de todos os atos da empresa.

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

 

 

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Categorias
Ideias de negócios

Como montar uma Banca de Jornais e Revistas

Ganhe muto dinheiro vendendo  Jornais e Revistas, saiba como montar uma Banca de Jornais e Revistas com pouco dinheiro e sem cometer erros. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Ficha Técnica
Setor da Economia:
Terciário
Ramo de Atividade: Comércio
Tipo de Negócio: Banca de Revistas
Produtos Ofertados/ Produzidos: Jornais e Revistas

Banca de Revistas

Apresentação

Enciclopédia, parque de diversões ou túnel do tempo ? Um pouco de cada um, as bancas de revistas, que surgem nas esquinas, nas estações e até mesmo nos supermercados, podem ser o portão de embarque para um mundo de diversões e descobertas.

Mercado

A maioria dos municípios brasileiros não conta com locais especializados para a venda de jornais e revistas, daí se tem a idéia de quanto o mercado é promissor, porém é válido lembrar que a instalação de bancas depende de aprovação da prefeitura municipal local, desta forma o mercado fica restrito.

Localização

O local a ser escolhido é de vital importância, devendo ser pesquisado o poder aquisitivo da população da região e o tipo de comércio existente nas proximidades.
Pontos de referência como supermercados, padarias, ponto de ônibus, etc… fazem com que os pedestres tenham uma certa freqüência e fidelidade.

Estrutura

A estrutura básica deve contar com uma banca pré-fabricada, o espaço deve ser organizado com prateleiras (para acomodar as revistas), balcão e vitrines.

Equipamentos básicos para a instalação de uma banca de revistas

– Estante;
– Porta jornal;
– Balcão;
– Banqueta, etc……

Pessoal

O empreendedor deverá contar com apenas um funcionário para auxiliá-lo, quando este estiver ausente.

Começando

Para abrir uma banca de revista o empreendedor tem três caminhos a seguir: comprar uma banca já montada; entrar na disputa pela concessão de uma, através de concorrência pública, editada pela prefeitura (quando houver) ou abrí-la em terreno particular.

Publicações

As publicações geralmente são: diárias, semanais, quinzenais e mensais. Os jornais especificamente, são entregues e retirados nas bancas. Para se cadastrar e receber o jornal além da obtenção do crédito deve-se apresentar o CIC e RG do jornaleiro acompanhados de qualquer documento comprovando a localização da banca.

Clientes

Identificar o seu público alvo e atendê-lo com um estoque variado de publicações, é essencial neste tipo de empreendimento. A pontualidade no atendimento do cliente que encomenda alguma publicação também é fator considerável para o sucesso do negócio.

Consignação

A comercialização de revistas, representa a maior parte do volume de comercialização nas bancas. As publicações são adquiridas sob regime de consignação.

Diversificação

A diversificação é um fator importante neste ramo e poderá garantir um bom faturamento. É o que acontece quando se acrescenta à linha básica de mercadorias outros produtos como cigarros, doces, refrigerantes, cartões telefônicos, cartões para celular, CD ROM’s de todos os gêneros, fitas de vídeo, materiais de papelaria adesivos, chaveiros, isqueiros, raspadinhas, sorvetes, etc. Existem bancas de jornal que chegam a parecer mini-mercados. Quem aplaude é o cliente, que pode ser atendido prontamente em muitas necessidades.

Automação

O controle das vendas é uma das obrigações a que o empreendedor desse tipo de negócio deve estar atento. Existem no mercado empresas que oferecem software (programa) para automação de bancas e lojas de revistas. Outra novidade, na linha de automação, é o sistema gerenciador de banca de jornais e revistas que pode gerar e imprimir código de barras; relatórios com informações do total de produtos vendidos; total a pagar para o fornecedor e total do estoque; etc.

Lembretes

Alguns fatores importantes devem ser levados em consideração no momento da implantação do empreendimento, tais como:

– Estudar a concorrência da região;
– Pesquisar o público do bairro;
– Verificar a adequação dos títulos das publicações a clientela-alvo;
– Oferecer atendimento personalizado;
– Definir dias e horários de funcionamento, etc.

Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento:
– Registro na Junta Comercial;
– Registro na Secretária da Receita Federal;
– Registro na Secretária da Fazenda;
– Registro na Prefeitura do Município;
– Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal)
– Registro no Sindicato Patronal.

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização),e também o Alvará de Funcionamento.
Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).
A licença para o funcionamento de uma banca de revista é concedida pela Prefeitura Municipal de cada município, em suas respectivas secretarias de desenvolvimento urbano.

Eventos

BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO
DATA: Acontece entre os meses de abril e maio.
LOCAL: São Paulo – (SP)

Sites afins

Ministério da Cultura: http://www.minc.gov.br

Sindicato Nac. dos Editores de Livros: http://www.snel.org.br

Planeta De Agostini: http://www.planetadeagostini.com.br

Banca de Jornal e Revistas: http://ww.olx.com.br/Classificados‎

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

 

 

 

Categorias
Ideias de negócios

Planeje o início de seu negócio sem cometer erros

Planeje o início de seu negócio gastando pouco dinheiro e sem cometer erros, aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Planeje o início do seu negócio – faça uma planilha

Há diferentes tipos de planilhas de negócios que o ajudam nisso. Alguns são detalhados com gráficos e diagramas, outros são pouco mais que um panfleto preparado em folhas simples.

Uma planilha ajudará a estabelecer todas as metas e todos os passos para atingi-las.

Para começar sua planilha escreva todas as questões que você pensa sobre o seu negócio. Seguem algumas perguntas para você pensar:

  • Quem são meus clientes?
  • Como vou gerar esse negócio?
  • Fies virão a mim ou eu irei a eles?
  • Eu realmente preciso de um escritório fora?
  • Eu posso trabalhar em casa?
  • Que tipos de consultores serão úteis para mim?
  • Eu preciso de empregados?
  • O meu negócio será ativo o ano todo?
  • Quanto dinheiro eu terei para começar?
  • Quanto eu preciso cobrar?
  • Eu cobrarei por hora ou por projeto?
  • Onde estarei daqui a um ano?
  • Onde estarei daqui a dez anos?

As planilhas devem conter as seguintes informações:

  • Uma página que contenha os dados da empresa (nome, endereço, telefone, e-mail, nome do dono e outros principais nomes);
  • Uma linha de pensamento que dará forma e lógica à sua planilha;
  • Um sumário executivo das informações que caracterizarão a planilha.É uma parte chave do documento que dá a posição do porquê a empresa existir. O sumário sempre discute as várias estratégias que mantém a empresa distinta dos concorrentes. Enfim, deve dar para qualquer pessoa que leia, uma boa ideia de tudo que você quer e como pretende fazê-lo;
  • A planilha deve incluir o mercado que pretende cobrir. A indústria e onde ela está indo em nossa sociedade;
  • Uma página descrevendo os produtos ou serviços que você oferece é outra parte essencial da sua planilha;
  • E, principalmente, de onde virão os recursos para implementar o seu projeto.

Sites afins

Sebrae PR: http://www.sebraepr.com.br
Qualy Life:
Google: http://www.google.com/Apps/Negócios‎

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

 

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Categorias
Ideias de negócios

Como montar uma fábrica de placas de carro

Ganhe dinheiro fabricando e estampando placas de carro, saiba como montar uma fábrica de placas de carro com pouco dinheiro e sem cometer erros, aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Fabricação e estampagem de placa de automóvel

Processo de fabricação

O processo de fabricação de placas de automóveis consiste na estampagem das peças. Entende-se por estampagem a fabricação das peças através do corte ou deformação de chapas em operação de prensagem a frio. A estampagem de chapa pode ser simples, quando se executa uma só operação, ou combinada. Com a ajuda da estampagem de chapas, fabricam-se peças de aço baixo carbono, aços inoxidáveis e de diferentes ligas não ferrosas.

O emprego deste processo de fabricação apresenta vantagens, tais como: alta produção (400 a 50.000 peças/hora); redução do custo por peça em comparação com o processo de usinagem; acabamento bom, não necessitando processamento posterior e baixo custo de controle de qualidade devido a uniformidade da produção e a facilidade para detecção de desvios.

Como desvantagem deste processo, podemos destacar o alto custo dos equipamentos, que só pode ser amortizado se a quantidade de peças a produzir for elevada.

Processo de Produção

O processo de produção, consiste basicamente em duas etapas:

  1. Corte e estampagem dos números das chapas
  2. Pinturas das placas

Corte

Consiste em separar uma porção de material com contorno determinado de uma chapa plana, mediante golpe de prensa, utilizando ferramenta apropriada.

As operações de corte de chapas de metal são obtidas através de forças de cisalhamento aplicadas na chapa pelos dois cantos da ferramenta criando tensões internas que, ultrapassando o limite de resistência ao cizalhamento do material, provocam a ruptura e finalmente a separação.

O corte é realizado fundamentalmente em três etapas:

  • deformação plástica;
  • redução de área;
  • fratura.

A parte útil obtida da tira é denominada peça e as sobras da tira, retalho.

Estudo do “Lay-out” para melhorar aproveitamento das chapas

Pode-se obter uma importante economia de material particularmente quando se tratar de grandes séries de peças, se estudado e projetado, acertadamente, a posição que deve ocupar a peça na tira de chapa.

Além do aspecto relativo à redução de retalhos e sobras em geral, muitas vezes é importante considerar-se também o sentido de laminação da chapa, para obter-se uma resistência adequada da peça. Um bom arranjo da peça na tira também pode contribuir para um aumento de produtividade, bom acabamento das peças, ao mesmo tempo que pode propiciar o uso de ferramentas mais simples.

Para se obter uma melhor disposição da peça na tira deve-se seguir algumas regras como:

  • Separação entre as peças;
  • Modo de disposição das peças na tira.

Dobra

Como seu nome indica, consiste em obter uma peça formada por uma ou mais dobras de uma chapa plana, para isto, é utilizada uma ferramenta denominada estampo de dobra.

Embutimento ou Repuxo

Esta operação tem por finalidade obter peças em forma de recipientes, como canecas, caixas e tubos, obtidas pela deformação da chapa, a golpes de prensa e empregando-se equipamento especial denominado estampo de repuxo.

Matéria Prima

As chapas podem ser confeccionas em aço ou alumínio sendo que a segunda opção é a de maior durabilidade.

Dimensões, Letras e Cores

As dimensões das placas, tamanho das letras e as cores poderão ser encontradas no DETRAN do seu estado. As letras devem ser claras e maiúsculas abertas, para permitir uma boa legibilidade das mesmas.

Pintura das Placas

A pintura será feita com equipamentos apropriados ou seja pistola para pintura, compressor de ar, mangueiras de ar, etc.

Sites afins

Day Brasil S/A: http://www.daybrasil.com.br/produtos/sinalizacao/
Máquinas de Jateamento: http://www.cmv.com.br‎
Equip. Pintura Airless‎: http://www.rocostabrasil.com.br

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Artigos relacionados: Como abrir uma empresa de placa de automóvel, Como são definidos os números e as letras da placa dos carros, confecção placa automovel, Consulta de Veículo por Placa, consulta placa carro sp, Controle de placas veiculares fica mais rígido, Denatran apresenta novas placas de automóveis, Empresa de estampagem em placas de automóvel, Fábrica de placas automotivas com treinamento e instalação, Fabrica de placas para veículos, fabrica placa automovel, Mini-prensa portátil para estampagem de placas, placa a veículos Francisco Beltrão, placa automovel consulta, placa automovel rj, placa automóvel verde, placa carro casamento, placa carro personalizada, placa carro rj, placa carro rs, placa carro vetor, placa de automóveis, placa de caminhão consulta, placa de veiculo, placa n é da onde, placa veiculo, placas de carro, Placas de identificação de veículos no Brasil , Sistema de Rodízio de Automóveis na cidade de São Paulo, tamanho placa carro, trocar placa carro, Valor de placas de carros vai triplicar, Veja os diferentes tipos de placas de veículos.

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.